SRZD



Ruy Chaves

Ruy Chaves

Tem experiência em implantação, desenvolvimento e reestruturação de instituições de ensino superior. Cursou Altos Estudos de Políticas e Estratégias na Escola Superior de Guerra (ESG), onde foi membro do corpo permanente e do corpo de Conselheiros. Professor universitário, também atuou em cursos da Polícia Militar do Rio de Janeiro e do Pará, em cursos de planejamento estratégico na ACADEPOL de Minas Gerais e na Escola da magistratura do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro. Cidadão de Aracaju, tem as Medalhas Tiradentes, da ALERJ e da Polícia Militar do Pará, e Marechal Cordeiro de Farias, da ESG.

* Os textos desta seção não representam necessariamente a opinião deste veículo e são de responsabilidade exclusiva de seu autor.



17/10/2016 11h14

Feliz dia do professor!
Ruy Chaves

Olá, pessoal. Todos os dias deveriam ser dias de honras aos professores, não? Tragicamente, em 15 de outubro de 2016, como em todos os anos, os professores não têm o que comemorar no Brasil, sequer foram lembrados pela quase totalidade dos poderes públicos, totalmente esquecidos por seus alunos.  A vida toda professor, divido este artigo com meus inesquecíveis professores e com quem ama e respeita os seus mestres da vida toda.

 

PERSIGA AS SUAS UTOPIAS!

 

Vamos combinar, hoje é 15 de outubro, Dia do Mestre, então, hoje é dia de ser feliz. Pare e desconecte-se, sempre é possível. Respire fundo, feche seus olhos, entregue-se às suas lembranças, pense em suas grandes conquistas, na vida que você construiu com sabedoria e honra, superando desafios extraordinários, libertando-se como senhor de seu destino e não escravo de suas circunstâncias.

Seja um com você mesmo neste tempo de reflexão, de reencontro com seu passado, o olhar sobre o passado orientando o olhar para o seu futuro, momentos incríveis de sua vida voltando ao seu domínio, pessoas incríveis em sua vida tomando forma em sua mente absolutamente aberta por seus olhos fechados.

A felicidade somente existe com o outro. É impossível ser feliz sozinho, diz a música.  Muitas pessoas fizeram, fazem e farão você feliz, viveram para você, para a construção de sua sensibilidade e de sua identidade, para a sua formação ética, pessoal e profissional, pessoas que estarão para sempre em você, marcas que o tempo não apagará, embora algumas lembranças se percam em muitos desvios. Por toda a sua vida você tem buscado repetir as melhores lições que a vida e algumas pessoas lhe proporcionaram para que possa fazer outras pessoas felizes. Você segue as melhores lições que recebeu, não?

Continue de olhos fechados, respire mais fundo e lembre-se de seus professores. Afinal, seus professores estiveram e estarão em sua vida toda. Acolheram você com suas muitas lágrimas e temores, alimentaram você, cuidaram de sua higiene e de suas dores, ensinaram você a ler e a escrever, apresentaram a você o mundo que era outro a cada dia, mundo de ameaças e de oportunidades, desafiaram você como verdadeiros artesãos de sua formação, fizeram você pessoa, humano, adulto, profissional, construindo seus valores e sua competência para o bem e para a justiça, para a sociedade e para o trabalho, lições de vida e de cidadania, mesmo.

Falsos profetas do passado insistiram que no futuro os professores deixariam de existir ou teriam importância menor.  Alguns futurólogos míopes e astigmáticos ainda insistem neste erro de avaliação. Mas professores são eternos, insubstituíveis, inesquecíveis, não? Professores educam pessoas para que aprendam a pensar, para que construam com autonomia seu saber de transformação. A educação liberta e faz o homem verdadeiramente humano, outro e melhor a cada dia.

Abra os olhos e responda: que pessoa você seria sem a educação que seus professores tornaram possível? Por que ameaçadores caminhos a vida teria conduzido a sua vida? Qual seria o seu saber, a sua sensibilidade, a sua capacidade, se professores não estivessem a seu lado por toda a sua vida? A quem você teria feito feliz, que filho você seria, que amigo você seria, que pai você seria, que...?

Todos os dias são dias do professor. Mas hoje é o Dia do Professor. Então, feche seus olhos novamente, respire muito fundo, deseje o melhor para seus professores em que mundo estiverem. Dedique preces de reconhecimento e de gratidão aos professores que são referência para toda a sua vida e para a vida que você dedica ou dedicará a seus filhos e a todos a quem você ama tanto. Se você chorar a boa lágrima, ótimo. Lágrimas de gratidão e de saudades sempre honram a natureza humana.

Professores são a vida e a esperança. Sempre. A benção, meus professores! Devo muito a vocês.

 

Panta rei



10/10/2016 09h52

As lições da coragem e do fracasso
Ruy Chaves

Olá, pessoal, a corrupção continua tentando sobreviver de todas as formas, mas temos outras questões importantes a discutir, especialmente em tempos tão amargos, a crise se transformando em caos, a inflação, a recessão e o desemprego assombrando as pessoas do bem, as vítimas permanentes das indignidades dos corruptos. Daí este artigo sobre

 

As lições da coragem e do fracasso

 

Jovem ainda, Míope Astigmático o meu nome, há 2.415 anos, em longas conversas com Sócrates - quanto ainda não consegui compreender - ouvi: A coragem é a primeira virtude humana, porque permite todas as outras virtudes.

Aprender a aprender é a arte fundamental da vida, a arte que permite a vida. Não aprender, com certeza dói muito por toda a vida.

A sabedoria, que impõe o amor pelo saber, é um ato de coragem. Buscar o saber não dói, mas o caminho é longo, muito sinuoso, e impõe transpiração, além de coragem e perseverança.

Não há amor se não há coragem de viver o amor. Se o amor não é pleno, não é amor. Viver a perspectiva do outro, a condição do outro para compreender e ser um com o outro, dar-se ao outro, significa muita coragem.

A coragem é sempre imprescindível, até no fracasso, que não pode ser a consequência da derrota. O fracasso não pode ser apenas o fracasso, o fim, tem que ser recomeço sempre, novas e melhores oportunidades de fazer, um fazer com mais sabedoria. O fracasso precisa ser aprendizado sempre.

Aprender com o fracasso do outro é sabedoria e dói menos que no outro, que fracassou. Muitos não aprendem com o fracasso do outro nem com o próprio fracasso, o que dói muito mais: não aprendem nem crescem, portanto.  Evidentemente, a cabeça do outro é sempre outra e a experiência do outro é sempre outra e única, mas sempre é tempo de aprender em quaisquer circunstâncias.

A justiça e a honestidade são virtudes de extrema coragem que não são praticadas por muitos homens. A injustiça e a desonestidade frequentemente são escolhas mais fáceis e parecem trazer ricas recompensas para os sofistas de todas as épocas. Ninguém é justo e honesto se não por extrema coragem.

O injusto e o desonesto têm falsa coragem e são fracassados, além de falsos. Optam por caminhos indignos para a realização de suas necessidades, incapazes de lidar racionalmente com a vida e de amar o outro. Seguem a parte mais proeminente de sua natureza, o dedão do pé. Curvam-se a seus umbigos e a seus apetites sempre insaciáveis.

O injusto e o desonesto não pensam, porque pensar lhes dói, são apenas ação por instinto, humanos de transição incompleta. Surpreendidos em más ações, choram, atores dramáticos, dizem-se puros e injustiçados, a culpa é sempre do outro. Seus grandes heróis são os sofistas para quem praticar uma injustiça é por natureza um bem, sofrê-la é o mal. A dor da sociedade não os constrange. Semi-humanos, não têm cóccix, tem um pequeno rabo que frequentemente prendem em portas que não conseguem fechar.

Rabos que abanam em sinal de agrado pelo afago ou pelo osso carnudo que recebem de seus donos. Rabos que se recolhem entre as pernas em seus infortúnios de quatro patas. Políticos, empresários, magistrados, servidores públicos, ... quando injustos e desonestos, mentirosos e corruptos, têm rabo solto e rabo preso simultaneamente, destroem a sociedade e seus valores, corroem a nação e seus objetivos , são os verdadeiros fracassados, humanos de transição incompleta. Coragem!

Panta rei.



05/10/2016 09h57

As Oligarquias do século 21!
Ruy Chaves

Olá, pessoal. Os outubros são negros a cada dois anos, tempos de eleições no Brasil, portanto, tempos de glorificação da sociedade da mentira, tempos de ressurreição dos salvadores da pátria, dos protetores dos pobres e dos oprimidos, dos defensores das minorias, dos pais e das mães da cidadania, dos heróis das causas justas, dos incorruptíveis, dos abnegados, dos apaixonados pelas causas públicas, dos ... mentirosos, na verdade, que nos fazem de idiotas há séculos!

Daí este artigo,

PERSIGA AS SUAS UTOPIAS!

 

A República das Oligarquias deixou marcas profundas e trágicas nas práticas políticas do Brasil. Iniciada em 1894, com Prudente de Morais, estendendo-se por mais nove presidentes e, teoricamente, encerrando seu ciclo em 1930 com Washington Luís, este período também caracterizou a República Café com Leite, em que todos os presidentes foram paulistas, da terra do café, ou mineiros, da terra do leite. Sob o comando de ricos e poderosos senhores rurais, estas oligarquias apoiavam-se no coronelismo, no clientelismo, nos currais eleitorais e no voto de cabresto.

O Coronel exercia poder total em uma região, o "curral eleitoral", em que os eleitores, os "clientes", eram camponeses, agregados ou trabalhadores pobres da cidade, gente sofrida e explorada, com muitas carências, baixa ou nenhuma escolaridade. O voto não era secreto, então o "voto de cabresto" indicava o poder do Coronel que obrigava, por chantagem econômica ou por violência, a sua propriedade viva, o eleitor, a votar nos candidatos determinados por ele. Alguns clientes conquistavam empregos, cestas básicas, isenções de taxas e impostos e até dentaduras. Neste mercado não cidadão, clientes de risco ganhavam o pé direito do sapato antes de votar e recebiam o pé esquerdo apenas se a vontade política do Coronel fosse cumprida. Em alguns casos, o outro pé do sapato ficava para a próxima eleição.

Os chargistas políticos se deliciavam. Havia desenhos do Coronel conduzindo seu cliente para votar, sujeito maltrapilho com cabeça de burro e com a corda no pescoço. Também era frequente a representação da carroça puxada pelo cliente e guiada pelo Coronel. A charge mais criativa trazia Jesus declarando solenemente : "não apoio nenhum candidato e desautorizo o uso de meu nome e de meus familiares por qualquer candidato ou coligação". Amém!

A Revolução - ou Golpe de Estado de 1930 - levou ao poder Getúlio Vargas, o Pai dos Pobres, implantando o culto à personalidade do presidente. Entre 1937 e 1945, Vargas, embora de origem também oligárquica, implantou programas de governo chamados de populistas por seus adversários. Os direitos dos trabalhadores foram amparados por leis e pela primeira vez no Brasil direitos sociais estenderam-se a classes menos favorecidas. Seus inflamados discursos sempre começavam por: Trabalhadores do Brasil...

No fantástico mundo do século 21, em muitos currais eleitorais do Brasil ainda vivemos sob os fantasmas das oligarquias de diferentes naturezas, sob o império dos Coronéis ou sob as bênçãos das Mães e dos Pais dos Pobres. Tragicamente, os pobres continuam em condições sub-humanas, sem emprego, sem renda, sem educação, sem expectativa de futuro, sempre dependentes. Manutenção da ignorância e da pobreza para a sua exploração, oligarquias e Coronéis, líderes messiânicos, currais eleitorais, clientes, voto de cabresto,... até quando? Partidos políticos e políticos há tanto tempo no poder por que não fizeram do Brasil de tantas riquezas naturais o país da realização plena dos direitos humanos e sociais? Faltou competência, ou empenho, ou a ética de princípios, ou...?

Logo teremos um novo tempo para a glorificação da sociedade da mentira. No horário eleitoral gratuito, políticos sorridentes novamente mentirão sobre o que não fizeram e renovarão as promessas de agora fazer ; políticos com expressão raivosa criticarão os que estão no poder e mentirão sobre o que sabem impossível fazer e que, portanto, jamais farão. Sorridentes ou raivosos, os candidatos repetirão as promessas de sempre, tentando manter todos os eleitores como "clientes" do século 21. Prometerão um Brasil com desenvolvimento econômico e com justiça social, sob a igualdade de todos perante a lei, expressão das legítimas aspirações, dos interesses e da vontade da nação; uma Pátria realmente Educadora com todas as crianças na escola e todos os jovens nas escolas técnicas ou nas universidades. Prometerão tempos idílicos, os que não buscarem emprego e renda serão amparados por programas de dependência e de subcidadania. Com lágrimas nos olhos prometerão segurança pública total; saúde pública e transportes públicos de qualidade para todos, habitações dignas, com saneamento básico, claro. Preços da gasolina e da energia elétrica? Claro, cairão à metade. Chuva no sertão? Claro, dia sim, dia não. Prometerão lutar por jornada semanal de trabalho de 20 horas; por aposentadoria aos 40 anos de idade; por casas na praia e no campo para todos; por férias de 90 dias; por multiplicar por 10 o valor do salário mínimo; por conceder a todos auxílios paletó e insalubridade mesmo para quem trabalha no ar fresco dos escritórios. Prometerão que todos terão funções gratificadas, ações na bolsa de valores e muito dinheiro para contas não declaradas no exterior. Mulheres? Bolsa Louis Vuitton, claro. Homens? Land Rover, claro.

Lembrando o humorista de saudosa memoria, fala sério! Que fazer? Apenas desligar a televisão ? Basta, Pinóquios do Mal, é mais que tempo de se tirar as máscaras! Ou não? Panta rei.



20/09/2016 12h29

Senado, casa de sabedoria e de justiça
Ruy Chaves

Olá, pessoal. Que tal tratarmos de nossa "classe" política, que na verdade não tem classe? Representantes dos estados membros da federação compondo a "câmara alta", o senador brasileiro tem protagonizado péssimos espetáculos, deprimentes trocas de insultos que envergonham a política, o país e a cidadania. Daí este artigo, tentando retratar uma das animadas sessões que levaram ao impeachment da presidenta sempre inocenta, briga de rua, rinha de galos, comédia pastelão, barraco total, tragédia nacional,

 

PERSIGA AS SUAS UTOPIAS!

 

Imprescindível lembrar de uma conversa que tive com o Mestre, Sócrates, muitos séculos atrás: "Jovem Míope astigmático, nada me agrada mais que conversar com pessoas de idade, pois as considero como verdadeiros viajantes que percorreram um longo caminho que eu talvez eu terei que percorrer também. Por isso devo aprender com elas se a estrada é lisa e fácil ou áspera e cheia de dificuldades".

Na Roma antiga, do latim senex, que significa velho, originou-se o termo Senado, assembleia de notáveis que, por sua experiência de vida e por sua alta sabedoria, nascidos de famílias tradicionais que expressavam riqueza e poder, estariam preparados para tomar decisões justas e sábias, equilibradas e racionais, com responsabilidades fundamentais para a dinâmica social e política do Estado. Durante a monarquia o Senado foi o conselho dos Reis; na República, a mais alta autoridade do Estado controlando a justiça, as finanças públicas e a política externa; no Império, o Senado sofreu grande restrição de funções.

No Brasil, a Constituição de 1824 criou o senador vitalício com exigências mínimas de idade, 40 anos, e de renda anual, 800 mil réis. Há tempos o Senado tem 3 representantes de cada estado e do Distrito Federal, com mandatos de 8 anos, com idade mínima de 35 anos, estando em discussão proposta de redução para 29 anos!!! Barbaridade, difícil entender se esta novidade atende aos interesses nacionais. Voltar aos tempos de D Pedro II aos 14 anos Imperador do Brasil?

Nos recentes debates sobre impeachment uma senadora atacava :

" Qual a moral deste Senado para julgar a Presidenta inocenta? Quero saber, pois a metade aqui não tem". Senadores trocavam galanteios:" Eu não sou assaltante de aposentados"! "V.Ex.ª é assaltante de trabalhador escravo"! "Mentiroso"! "Canalhas"! "Golpistas"! "Não podemos ser cretinos parlamentares"! "Esse senador é um desqualificado"! "V.Ex.ª é pior que o Beira Mar, tem mais de 30 processos no STF. Seu gabinete é uma Cracolândia , tem que fazer antidoping"! Tentando acalmar os ânimos, disse o Presidente do Senado ao Presidente do STF : "V.Ex.ª está sendo obrigado a presidir julgamento em um hospício e esta sessão é uma demostração de que a burrice é infinita"!

Briga generalizada no saloon, muitas Excelências com as mãos nada limpas atirando ofensas aos gritos, o Presidente da sessão sacou das palavras e ameaçou deixar os senadores de castigo, ajoelhados no milho : Vou usar meu poder de polícia para exigir respeito, está suspensa a sessão!

Deus do céu! Tirem as crianças da frente da televisão, o programa é proibido para menores de 35 anos! Mestre, qual a saída ??? Nossas Excelências estão nos ... eca ! Senado do Brasil, Casa de Sábios e de Justos? Viva a Lei da Ficha Limpa! Viva a Lava Jato!

Panta rei.



24/08/2016 12h03

Cartas de Curitiba: Meu mundo caiu...
Ruy Chaves

Olá pessoal.  A corrupção deve ser tratada como crime hediondo. É mais que tempo de se tirar as máscaras. Criminosos corruptos não apenas levam vantagens sobre a sociedade do bem, não apenas mentem e enganam, eles destroem os valores sociais, violentam a ética, roubam recursos que deveriam ser destinados à educação, à saúde, à qualificação da cidadania. O Estado não produz riqueza, somente os cidadãos, por seu trabalho produtivo. Somos a sociedade com maior percentual de impostos e taxas embutidos em todos os produtos e serviços. Trabalhamos para manter um Estado paquidérmico, ineficiente, com leis e processos extremamente frágeis, preparados para a ação de criaturas inumanas, os corruptos.

Criminosos corruptos no exercício de funções públicas dos poderes federais, estaduais e municipais deveriam ter suas penas privativas da liberdade e pecuniárias agravadas, eles são os maiores assassinos, verdadeiros estupradores da cidadania. Um destes criminosos, preso em Curitiba pela operação Lava Jato, vive escrevendo cartas para afogar suas dores.

 

PERSIGA AS SUAS UTOPIAS!

 

" Meu eterno amor, espero que estejas tão bem quanto possível nestes tempos extraordinariamente sombrios. Eu morro um pouco a cada dia. Quando, pelo olho mágico da porta da sala principal de nossa cobertura tríplex de frente para o mar, vi o japonês da federal me lembrei da canção da Maysa: Meu mundo caiu.... Na verdade, o nosso mundo paradisíaco desabou, me senti soterrado por toneladas de escombros, sem chance de ser salvo, nem por cão farejador. 

Após uma vida de altíssimo luxo com nossos muitos milhões de dólares, libras, ienes e euros espalhados em offshores e trustes pelo mundo, eu me sentindo o Rei Leão, o senhor de todos os animais, aquele que tudo podia na floresta, fui atropelado por elefantes e jogado aqui na prisão em Curitiba. Nunca imaginei que os federais da Polícia, do Ministério Público e do Judiciário fossem capazes de atuar como corpo único, alma única, soma de competências, braços longos contra a elite do Brasil. Docinho, que injustiça!

Temos trocado experiências muito ricas aqui na Galeria 171.    Todos somos ex Ministros, ex Senadores, ex Deputados, ex Governadores, ex Prefeitos, ex Empresários, ex Tesoureiros de partidos, ex Presidentes e ex Diretores de grandes empresas e com certeza logo receberemos mais companheiros, elite AAA, as maiores lideranças de nossas facções.

Cuidamos da saúde física malhando 9 vezes ao dia, estamos todos saradões, barrigas de tanquinho, poderíamos até participar das Olimpíadas, mas os carcereiros nos desprezam e nos chamam de ratos, abutres e vampiros e os outros presos, assassinos, estupradores e ladrões comuns, querem nos comer vivos, sem duplo sentido. Ou não? Estou com a cabeça raspada, uniforme de presidiário, tenho pesadelos e deliro todas as noites, tenho medo da forma como um tal de Tonhão Cassetete olha para mim lambendo seus beiços enormes, quero a mamãe, quero caçar Pokémon, juro que sou inocente!

Minha Deusa, mais tragédias: depois que perdi a impunidade parlamentar e saí das bênçãos do STF, em que meu advogado me garantia 99 anos, no mínimo, até o julgamento das 99 denúncias a que respondo, tive que fazer delação premiada e não consegui esconder nem uma única continha lá fora. Santinha, tomaram todo o nosso dinheiro, confiscaram todas as nossas propriedades, nossa casa em Mônaco, nossa vila em Roma, nossas fazendas e sítios, levaram nosso jatinho, todos os nossos carros e apartamentos, mas logo poderei ganhar uma coleira eletrônica e voltar para teus braços, o meu céu.

De qualquer forma, minha Rainha, lamento profundamente, mas terás que vender tuas joias, bolsas e sapatos e, como não poderei viajar por muito tempo, voltar a trabalhar como sacoleira comprando artigos falsos, mas de luxo, no Paraguai. Montaremos barraca no Camelódromo da Uruguaiana e seremos felizes para sempre".

Panta rei. 



17/08/2016 09h40

Cartas de Curitiba - A culpa é... Da mamãe!
Ruy Chaves

Olá pessoal. Que tal uma nova Carta de Curitiba? Depois de uma vida afogando o ganso, toda a sociedade idiota e inerte pagando o pato, nosso personagem finalmente foi preso pela operação Lava Jato. Sem muito o que fazer além de musculação e de conversas com outros quadrilheiros, nosso "herói guerreiro do povo brasileiro" consome o seu imenso tempo vago escrevendo cartinhas. A primeira para seu amor, recentemente. Agora, mais um texto para sua ... MAMÃE!

 

PERSIGA AS SUAS UTOPIAS!

 

"Oi, Mamãe tão querida, tudo bem? Antes, perdão. Há tempos não te procuro, não telefono sequer em dias especiais como Natal, dia das Mães, teus aniversários, deixei de mandar fotos de teus netos. É que meus últimos anos foram muito dinâmicos, todo o tempo estive ocupado ganhando e gastando dinheiro, muito dinheiro, cada vez mais dinheiro, rios de dinheiro, mas as tentações do poder e atalhos perigosos, coisas do diabo, acabaram me levando... à prisão! Nem sei como te dizer, a Lava Jato me pegou, estou completando meu 1º aniversário preso em Curitiba. Mãe, sabes que sou inocente.

Sempre fui um menino bonzinho e obediente e tudo o que ouvias de mim eram acusações sem provas, apenas perseguições políticas, ilações sem fundamento. A professora mentia ao dizer que eu não fazia deveres de casa e que colava nas provas; as garotas do colégio mentiam também: eu não comia suas merendas nem escondia baratas em suas mochilas nem quebrava as pontas de seus lápis de cor. Mãe, juro por tudo que é sagrado, nunca roubei jogando sueca com meus amigos da praia, não escondia cartas nem tapeava ninguém na hora de pagar a conta nem ficava com o troco: tudo fofoca!

Mãe, lembra quando quiseram me expulsar da faculdade porque alegavam que meu diploma de 2º grau era falso? Terei teu perdão se confessar que comprei os documentos pegando emprestado o dinheiro que separavas para dar aos pobres? Achei justo fazer uma doação legal para proteger amigos injustamente acusados de falsificação e simultaneamente cuidar da tua saúde: não queria que enfartasses ao saber que eu bebia o dinheiro da mensalidade da escola e que nunca passei do 1º ano do EM.

Mãe, não ficaste super orgulhosa na minha formatura em direito? Não foram legais meus jeitinhos para superar estes pequenos problemas? Depois fiz carreira política, eleições sucessivas, sempre apoiando governos e arrumando boquinhas para meus companheiros, poder, poder, poder e acabei te esquecendo.  Ainda moras naquela casinha... onde fica mesmo? Faz tanto tempo.

Mãe, há alguns trustes e offshores em teu nome. Meu nome e do de Dorinha, minha amada e fiel companheira, estavam com... alguns probleminhas, então, precisei usar teu nome e o de algumas outras empregadas domésticas com ficha limpa. Se o japonês da federal aparecer por aí inventa uma estória qualquer. Não sei se conseguirás me perdoar, Mãe querida. Por via das dúvidas, estou na cela me impondo o castigo de escrever ajoelhado sobre grãos de milho.

Pensando bem, escondias tudo do Papai e nunca me deixaste de castigo, sempre passando a mão em minha cabeça e me aliviando a barra sempre suja, então, talvez a culpa seja... tua, Mamãe. Ainda tenho tuas bênçãos?  Panta rei.



01/08/2016 09h40

Cartas de Curitiba
Ruy Chaves

Olá, pessoal. Há um time de políticos e empresários, parte da vergonhosa elite brasileira, pagando um preço com certeza muito doído por seus muitos crimes verdadeiramente hediondos associados à corrupção. Claro, nunca sofrerão o suficiente para apagar o mal que fizeram à própria nação e a seus valores, mas podemos imaginar como se sentem presos em Curitiba os que sempre se percebiam impunes absolutamente, inalcançáveis pelas leis e pela justiça. Mas pode ser que algum destes criminosos pense em escrever.

 

PERSIGA AS SUAS UTOPIAS!

 

"Minha Idolatrada Rainha, cartas de amor não são ridículas. O amor não é ridículo, pelo amor me tornei humano, rompi com meus instintos brutais. Cartas de amor não são formas ultrapassadas de comunicação, coisas do século 19. Temporariamente estou longe de casa, sem você, sem acesso a celular e computador, e meu maior desejo é usar algo eletrônico, pode ser tornozeleira ou coleira. Preso pela operação Lava Jato, só me resta falar com você por cartas de amor.

Docinho, perdoe escrever tantas cartas. O tempo se arrasta por aqui, cada hora leva dez horas para passar, cada dia demora uma semana para terminar. Como o tempo voava a jato em nossas viagens idílicas, lembra? Voos sempre em primeiríssima classe, hotéis fantásticos, lojas de alto luxo em que gastávamos sem limites, restaurantes sofisticados em que comíamos e bebíamos como deuses, você deslumbrante, coberta por joias que pertenceram à Rainha da Pérsia, tomando champanhe em taças de ouro. Hoje, Amadíssimo Bibelô, acordo de não ter dormido e não tenho agenda como no passado recente em que a elite da política e nobres empresários viviam me pedindo favores, especialmente doações legais para campanhas eleitorais e suas contrapartidas, as obras super hiper mega faturadas. Todas as madrugadas sou assombrado pela visão do japonês da federal me dizendo: "Perdeu! Considere-se preso. Tudo o que você disser pode ser usado contra você. Siga-me com as mãos para trás." Então, para afogar minhas tristezas, faço musculação após o café da manhã, durmo depois do almoço, faço anaeróbica, depois um lanchinho no fim da tarde e durante a Voz do Brasil malho novamente.Estou saradão, magrinho, barriga de tanquinho.

Como não me permitem televisão, estou perdendo a novela das 20h: o Maruê despintou o cabelo? Trancinha foi eleita Garota Demais? Saudade de nossos carrões, aviões, helicópteros, de nossos trustes e offshores, da nossa cobertura no Central Park, tão grande que tinha até campo de golfe, da nossa capela para 400 pessoas em Roma, que ocupava metade de nosso jardim lateral... bons tempos, não, Vida? Conseguiu dinheiro para o supermercado? Sobrou algum cachorro? O Midas era meu cão predileto. Será que ele ainda lembra de mim ou me despreza como tantos falsos amigos?

Deusa da Minha Vida, preciso me despedir: estou negociando delação premiada e para me safar vou entregar muito além do que fiz e do que sei. Vou quebrar muita gente que, claro, vai jurar inocência, dizer que não me conhece, que sou mentiroso desde criancinha, mas galinha pouca meu pirão primeiro. Tenho muito dinheiro, guardado em tantos lugares e tão secretos que nem sei mais como achar, mas arrumando uma tornozeleira ou uma coleira eletrônica dá pra gente curtir muito ainda. A seus pés, com eterno amor". Panta rei.



29/06/2016 10h07

Viva o amor!
Ruy Chaves

Olá, pessoal. Todos os dias são dias dos namorados, certo? Mas o filme de terror de quinta categoria em que se transformou a realidade nacional impôs quase uma pauta exclusiva em nossas vidas, o combate mortal travado contra as forças do mal e da sociedade da mentira e seu produto obsceno, a corrupção. Então, alguns temas se atrasam um pouco, mas não podem ser esquecidos. Daí este texto.

 

PERSIGA AS SUAS UTOPIAS!

 

Perdoe-me, caro Fernando de tantas Pessoas, mas cartas de amor não são ridículas. O amor faz o homem verdadeiramente humano e poder dizer de seu amor é fantástico! Claro, são tempos virtuais, a vida e as circunstâncias sempre dependentes de apenas um clique, mas o amor é a vida e namorar é... dos deuses! Então, fiz uma carta de amor em celebração ao Dia dos Namorados. Cartas de amor devem ser secretas, divididas apenas por quem as ousou e a quem se destinam. Mas, em homenagem a seus 100 mil poemas, Fernando Pessoa, muitos sobre o amor, divido com você uma carta de amor, simples e desinteressante como eu. Nestes tempos tão difíceis, imprescindível uma pausa para o fortalecimento de nossa alma: viva o amor!

"Meu amor, te invejo, porque teus olhos são tuas palavras e querendo te dizer tantas coisas de mim, e tendo tão poucas palavras, te falo com silêncio e com meus olhos que buscam teus olhos permanentemente. Sei que é difícil que me compreendas: meu silêncio te pertence. E meu silêncio é forte em mim, porque quando uso as palavras as palavras é que me usam. Também difícil entender as razões de teu amor e nem sei se o amor depende de qualquer razão. Mas preciso pensar sobre nossa relação, porque não são os nossos corpos que estão juntos, apenas.

Não toco qualquer instrumento. Canto tão mal quanto alguém possa fazê-lo. Machuco teus pés ao dançar. E me queres? Não fui capaz de decifrar os enigmas mais simples. Não fui capaz de esconder-me de mim. Simplesmente, não fui capaz. Curvei-me mais que aceitavelmente, tive tantos medos, frequentemente concordei quando discordava. Cansei-me por não ser e por tanto ser inconsequente. Fui orvalho sem ser noite, não fui pássaro nem peixe. Sou absurdo, tenho um tempo imenso de angústias e não tenho as respostas mais simples.

Por que me queres? Não te posso impressionar pelo aspecto. Sou opaco, não tenho graça, não faço proezas atléticas, não sou piloto veloz, não salto de lugar algum... Tive sarampo, catapora e minha primeira paixão foi minha primeira professora. Como os medíocres do poeta, somente comi comida e somente bebi bebida. Sei que meus amigos, como os do poeta, também são campeões em tudo e por eles todas as mulheres suspiram. Mas eu tenho muitas derrotas. Não tenho cavalo branco nem chapéu de plumas. Não tenho cavalo nem chapéu. Para que plumas? Sou sapo sem ser príncipe, óbvio, frágil e tolo. E me queres? Queres a mim que sou pequeno e penso pequeno? Que tenho a ambição de não ter grandes ambições? Que sei tão pouco? Como podes querer um homem que não quer ser príncipe na vida?

Sou, apenas, quero, apenas, ser orvalho e ser noite, quero ser pássaro e ser peixe, estar em teus olhos, em tua vida, estar na estrela que me faz homem. Quero deixar de ser pequeno para estar pequeno em teus braços, muito pequeno em teu corpo, coberto por tua boca, coberto por tua vida, feliz, inteiramente feliz, sabendo que me queres sem tempo de indagar por que me queres. Feliz Dia dos Namorados, meu amor".

Panta rei.



21/06/2016 12h58

Conversa com Fernando Pessoa
Ruy Chaves

Olá pessoal. Dias difíceis, não? Parece que a tempestade perfeita que se abateu sobre a dignidade, a honra e a riqueza do nosso país nunca vai terminar, tantas as vergonhas que se sucedem, tenebrosos crimes, tenebrosas transações como lembra o Chico, que nos expõe ao ridículo como nação política e juridicamente organizada, que nos violenta, além de roubar nossos empregos e salários, nosso futuro, mesmo. Então, que tal mudarmos o tema tão perverso e olhar a poesia que humaniza o homem tõ degradado . Daí este artigo

 

PERSIGA AS SUAS UTOPIAS!

Meu caro Fernando de tantas pessoas, li tantas vezes teus poemas e tantos anos de perplexidades após continuo incapaz de compreender o teu mundo, insistentemente tentando penetrar tuas ideias na minha cabeça pequena e vazia. Também não sou nada nem serei nada, mas sonharei sempre o mundo que não consigo fazer.

Eras um poeta tão fingidor que até tua dor mentirosa doía realmente em mim. Podias não ter existido, Fernando, e tornarias mais simples minha vida. Tua alma ave, peixe, fera, homem, mulher, tua alma seta, raio, espaço me coloca ao volante do Chevrolet pela estrada de Sintra e não sei dirigir. Nem o Chevrolet nem a mim. Tu me pegas o braço e em seguida me soltas o braço e eu que não sabia onde estava antes, depois não sei o que não saber. Daí, Fernando, fecho os olhos e mesmo assim nada vejo. Não quero teu beijo, vida de morte!

Fernando, que mal te fiz ou fiz aos deuses todos? Se te queres matar, mata-te! Não posso eu inacabado, obra imperfeita, ainda que com pés e com cabeça, morrer agora para acompanhar teus delírios. E mais: aos diabos com a virtude e a retórica1 Vão para o diabo sem mim todos os doidos! Ao diabo, com esta vida doida! Sou infeliz porque não consigo ser doido e vivo doido porque não sei dizer o que dizes. Fizeste setenta mil poemas e não consigo dizer sessenta palavras. Estás nas cabeças de tantas pessoas há tanto tempo e eu há tanto tempo doendo as cabeças de tantas pessoas. Que pessoa eu sou, Fernando de tantas pessoas?

Não digas nada, nem mesmo a verdade, mas por que tudo vale a pena se a alma não é pequena, se minha vida é escombros e minha alma não tem alma, como a tua? Por que entre o sono e o sonho corre um rio sem fim? Estou do outro lado do rio e não vejo o outro lado do rio. Que é o rio quando apenas separa e confunde?

Grandes são os desertos e tudo é deserto, e daí? Sócrates é sábio porque sabe que não sabe, enquanto eu, idiota, por séculos não sabia que não sabia. Continuo a não me conhecer mas tu que conheces todo o conhecido, que conheces além do conhecimento, também não me conheces. Passei muito tempo sentado à porta da Tabacaria, mas nunca te encontrei. E te digo indignado: metildimetilaminadipirazolona! Também nada sei, hoje sei, mas sei que sou um perfeito idiota, apenas um nefelibata obnubilado, e que tua vida faltou conhecer mais um idiota. Nunca conheceste quem tivesse tomado porrada por que fugias de me conhecer.

Ah, esta noite que não passa, Fernando, este tempo que passa sem imaginação e com mediocridade. Outrora, quando fui outro igualmente idiota , ouvia de ti nas vésperas de não partir nunca que não arrumarias as malas nem farias planos de papel. Nesta hora próxima de partir, Fernando, que conselhos me dás? É a hora de nunca partir ou é a hora de partir para o nunca? A vida é simples e fácil apenas para quem é fácil e simples. Fernando, vou acabar este vinho e dormir. Nada mais importante tenho por fazer, nunca consigo dizer o que sinto nem o que não sinto.

Panta rei.



09/06/2016 10h28

A fábula do leão brasileiro
Ruy Chaves

Olá, pessoal. O "ser carioca" impõe características muito especiais, gente de ótima índole, gente que trabalha e que produz com olhar crítico, carioca sempre bem humorado e irônico, tocando a vida. Entre cariocas típicos como Ziraldo, Jaguar, Stanislaw Ponte Preta, e muitos outros, neste time imprescindível escalarmos o Millôr Fernandes. Daí este artigo,

 

PERSIGA AS SUAS UTOPIAS!

 

Nestes tempos tão difíceis que anunciam tempos ainda mais difíceis, a tempestade perfeita derretendo o céu, raios, trovões, ventos gelados uivando em assombros, em que a dor imensa faz chorar no berço esplêndido a nação aviltada... Nestes tempos tão difíceis em que o mais capaz de fazer o bem impõe o mal maior, o justo na verdade o injusto perfeito, lobos, ratos e vampiros vestidos de cordeiros sob capas de super heróis seduzem, mentem, compram corações e mentes e vendem sua alma a qualquer diabo com fantasia amarrotada... Nestes tempos tão difíceis, o Brasil sempre o país do futuro, o adormecido gigante, as vozes roucas das ruas lutando contra a sociedade da mentira e exigindo desenvolvimento com ética e justiça social, que tal reverenciar o Millôr Fernandes, que fazia humor como poucos, irônico chargista e contador de estórias?

Então, imprescindível lembrar a deliciosa fábula "Afinal, quem manda na Floresta?". Não sei se foi exatamente assim, mas ao acordar de mau humor e decidido a testar seu poder, o leão saiu perguntando aos animais que encontrava quem era o Rei, o Senhor, aquele que tudo podia na floresta? Claro, o papagaio repetiu incessantemente: é o Leão, é o Leão! O macaco pulava de galho em galho às gargalhadas : quá, quá, quá, é o Leão! O tigre mediu o tamanho do inquisidor, pensou, pensou, rangeu os dentes e... é o Leão! Mas o elefante respondeu grosseiramente, pegou o leão pela tromba, bateu sua cabeça nas árvores e no chão e o jogou longe. Com escoriações generalizadas, faminto como sempre, lamentou o leão: o elefante não sabe a resposta! Moral da estória? A realidade deve convencer a mais obstinada das criaturas.

Na verdade, muitos humanos de transição incompleta, metade  homem metade fera, e que desprezam a vida em dignidade vivem o mundo de seus exclusivos interesses, ao redor dos seus próprios umbigos, seguindo a parte mais proeminente da sua natureza, o dedão do pé. Com sua vida regida por apetites insaciáveis, a cabeça oca de virtudes localizada embaixo de suas patas dianteiras, quantas pessoas famintas por riquezas e por poder, como o leão do Millôr, comem papagaios, macacos, tigres, comem a merenda escolar, comem empresas e ministérios, comem navios e hidrelétricas, comem a honra e a riqueza nacionais? Não há prisão, nem coleira eletrônica, nem desonra que os intimide. Não respeitam a pátria, nem o pai, nem a mãe, nem o filho, nem o Espírito Santo. A insaciável fome de poder os cegou. Socorro, heroicos elefantes! Lava jato neles!

Panta rei.



02/06/2016 10h51

Educar para transformar
Ruy Chaves

Olá , pessoal. Incrível como a educação saiu da pauta, deixou de ser objetivo estratégico nacional. Parece que a falência ética da nação aviltada pelos fantasmas da corrupção impôs à educação novos tempos de trevas.

Que podemos alcançar com nossos alarmantes níveis de deseducação, o péssimo exemplo vindo de cima destruindo a esperança com sua chuva ácida?  Se não se transforma pela educação, como será o brasileiro do futuro? O brasileiro do presente,... Daí este artigo

 

PERSIGA AS SUAS UTOPIAS!

 

Educar para transformar é a missão das instituições superiores de educação, o que impõe rupturas ousadas e inovadoras no processo tradicional de ensino aprendizagem capazes de preparar profissionais empreendedores, com alta empregabilidade em mercados privado e público sob novas exigências a cada dia, tecnologias sempre em evolução.

Integrar academia e gestão para oferecer uma educação transformadora ao maior número de pessoas é imprescindível ao Brasil que temos que construir. Se o conhecimento está em toda parte, se salas de aulas não tem mais como limites paredes e tetos, a educação transformadora impõe estratégias ousadas e inovadoras à formação profissional do século 21. Buscar qualificação sempre, a competência continuada, fazer sempre mais e melhor, é vital à perpetuação da empresa.

A empresa tem compromissos com mudanças, de que são instrumentos a ousadia e a inovação. Saber para ser, para transformar, liderando processos de mudanças. Se a empresa não é outra a cada dia, perde competência e não se perpetua.

Mudança é lei da vida, oportunidade de crescer, é libertar-se das âncoras do passado, não um salto no abismo. Mudança impõe ruptura, impõe compromisso com o que ainda não existe, o risco consciente , visão de mundo e de futuro.

A empresa que não propõe o risco não cria oportunidades. Sem oportunidades não há crescimento. O profissional em crescimento sempre é proativo, ético, responsável, age como dono, não teme o novo, consolida times e forma lideranças.

A unidade é o grande bem e a empresa tem que atuar como alma única em corpo único oxigenando-se sempre.

Empresas buscam perpetuação quando tratam seus públicos de relacionamento como diamantes únicos. Sem colaboradores comprometidos com a filosofia e a cultura de sua empresa é impossível a perpetuação.

Sempre o quanto mais sei,  sei que menos sei, o libertar-se das trevas da caverna de que são prisioneiros os que  temem mudanças. Daí, além das mudanças de processos, são absolutamente imprescindíveis as mudanças comportamentais alinhadas à missão, visão e valores da empresa. Mudança não significa você desejar que os outros mudem. Mudança impõe você dizer não a você, reinventando-se sempre.

Instituições superiores de educação honrarão sua missão, educar para transformar, se inovarem em seus projetos pedagógicos preparando profissionais altamente qualificados que garantam perpetuação a suas empresas, privadas e públicas, em um mundo que será sempre outro a cada dia.

Panta rei.



24/05/2016 09h26

Hércules e super heróis da mitologia grega: socorro!
Ruy Chaves

Olá, pessoal. A corrupção precisa ser tratada como crime hediondo, com total restituição dos valores desviados além de penas privativas de liberdade agravadas quando praticadas por políticos, empresários e autoridades públicas, se agredirem a riqueza e a dignidade da nação. Nenhum escritor ou analista político seria capaz de imaginar as cenas dantescas que se sucedem no Brasil. Nenhum humorista seria capaz de transformar em piada esta tragédia da vida real. Em artigo recente, convidei meu amigo Hércules para tentar me ajudar a salvar o Brasil, no que ele fracassou também. Agora, novo convite, desta vez trazendo outros amigos e super heróis gregos. Será que terão sucesso na missão?

 

PERSIGA AS SUAS UTOPIAS!

Por toda a minha vida tentei salvar o Brasil, mas falhei. Incapaz para a missão, reconheço, pedi socorro a meu amigo Hércules, que no passado distante cumprira 12 tarefas absolutamente impossíveis aos homens comuns. Esgotado, derrotado, humilhado pelos monstros das trevas que tomaram o Brasil, suas riquezas, seu sangue e sua dignidade, o herói me deixou apenas um bilhete: "Perdi. Fui. Nunca imaginei que passaria por esta situação em minhas aventuras. Adorei o Brasil, sol, praia, caipirinhas, carnaval - saí fantasiado de Deus do Olimpo. Me deram um tal de "Boa Noite, Cinderela", perdi a autoestima e até minha carteira. Depois, um mosquito me picou e quase morri esperando para ser atendido no posto médico. Imagine a notícia: Hércules morreu de dengue! Muita humilhação para mim". Realmente, o maior herói grego após péssimas experiências morto por um mísero mosquito, só no Brasil, mesmo!

Ainda mais indignado e motivado, renovando meu juramento de jamais desistir de meu sonho da vida inteira, resolvi buscar mais reforços entre meus amigos da infância e da juventude na Grécia Antiga, que exerceu influência decisiva sobre a civilização ocidental. Na filosofia, na ética e na política, nas artes, na matemática, na arquitetura, nas ciências e em todos os campos do conhecimento e da sensibilidade humana os gregos da minha geração foram geniais. E que falar de nossa mitologia, nossa percepção sobre a natureza, sobre o mundo e suas origens, sobre nossos deuses e heróis?

Jovem naquele tempo, lembro-me dos Centauros, seres com o torço e a cabeça humana, corpo de cavalo, de baixos instintos, sempre afrontando a boa ordem e a ética, expulsos da Tessália e depois exterminados por Hércules, meu amigo mais caro, então na plenitude de seu poder. Como esquecer do Minotauro, meio homem meio touro, fruto de união entre homem e fera, que como não tinha alimento natural comia gente, até que meu amigo Teseu conseguiu matá-lo? Como esquecer de Equidina, mãe de todos os monstros, gigantesca como um Titã, tronco de ninfa belíssima e cauda de serpentes, que devorava viajantes inocentes até que Argos Panoptes, gigante de cem olhos, matou-a enquanto dormia.

E a Esfinge, que trazia destruição e má sorte, mulher com patas, garras e peito de leão, cauda de serpente e asas de águia? "Decifra-me ou te devoro", dizia a Esfinge. Quem errasse na resposta ao enigma "quem de manhã tem quatro pés, ao meio dia tem dois e à tarde tem três?" era estrangulado. Meu amigo Édipo, o senhor dos mistérios, matou a charada: "O amanhecer é a criança ao engatinhar; a metade do dia é o adulto ao andar em pé; no entardecer começa a velhice, usamos bengala". E as terríveis Harpias, aves de rapina com seios e rostos de mulher, que roubavam todas as refeições do cego Fineu?

Turma da pesada! Centauros de maus instintos ,o terrível Minotauro comedor de gente, a traiçoeira Equidina, a charadista-estranguladora Esfinge e Harpias roubando comida até dos ceguinhos. Com certeza, esta turma ressuscitou, assumiu novas formas meio humanas meio feras em quadrilhas de alto desempenho e está engolindo o Brasil. Por isto, hoje a situação está uma tragédia por aqui, monstros da mitologia grega por toda parte, devorando a riqueza e a alma da nação.

Hércules, por caridade e em nome de nossa amizade de tantos séculos, volte! Sei como você está sofrendo por não ter conseguido realizar o seu 13º Trabalho, o de restaurar a dignidade no Brasil. Não creio que você abandonará sua gloriosa carreira deixando esta marca terrível em seu currículo . E para que tenhamos garantia do sucesso na missão de nossas vidas, na maior epopeia da história da civilização ocidental, desta vez traga nossos amigos e também super-heróis Teseu, Argos Panoptes e Édipo e salvem o Brasil!

A sociedade da mentira violenta a ética e os valores sociais, traz a corrupção, a recessão e o desemprego, rouba o nosso futuro e a nossa esperança. Lava Jato nos monstros que aterrorizavam a Grécia Antiga e que ressuscitaram logo no Brasil! Panta rei.



17/05/2016 10h20

Mulheres, a perfeição!
Ruy Chaves

Olá pessoal!

Que tal esquecermos estes tempos tão difíceis e celebrarmos a vida e a esperança, o amor sem limites, a entrega, a abnegação, o sim verdadeiro? Daí este artigo,

 

PERSIGA AS SUAS UTOPIAS!

Muito mais velho que eu, Millôr Fernandes participou da criação do mundo e, sem jamais ter apresentado provas concretas, ousou contar "Esta é a Verdadeira História do Paraíso".

Com certeza exausto após ter criado apenas do barro o homem tão feio e imperfeito, Deus descansou e completou a Criação com sua obra prima que mais tarde seria chamada de mulher. Acompanhando todo o processo como cronista da época, Millôr chocou o mundo ao publicar uma carta supostamente do Todo-Poderoso para Eva: "Minha cara, eu te criei porque o mundo estava meio vazio e o homem solitário. O paraíso era perfeito e, portanto, sem futuro... Olha Adão enquanto dorme; é teu. Ele pensará que és dele. Tu o dominarás sempre... É lento, o homenzinho. Mas hás de compreender. Foi a primeira criatura humana que fiz em toda a minha vida. Tive que usar argila". E assim começou a incrível aventura que nos trouxe a maio de 2016.

O primeiro a pecar não foi o Millôr, nem eu, foi Lúcifer, então o mais poderoso dos anjos, a estrela brilhante, o sol da manhã, que, insatisfeito apesar de tantas honras, desejou ser o Deus Altíssimo. Punido por sua inveja, Lúcifer foi renomeado Satanás e trouxe a tentação para Adão e Eva. E esta tal de tentação sem dúvida se transformou no maior problema da natureza humana; afinal, todas as dificuldades da vida decorrem de Eva ter cedido à conversa mole da serpente que insistentemente sibilava ao seu ouvido: "Come, Eva. Não engorda. Ficarás para sempre linda como os anjos, serás imortal e derreterás o coração de Adão por tanta paixão". O resto da história todos sabem : Eva e Adão comeram frutos proibidos e foram expulsos do paraíso onde , com certeza, era sempre verão, e tiveram que cobrir suas purezas com folhas de parreira.

No mundo real, mas sempre desejando o paraíso, as mulheres ficaram cada vez mais lindas, mais sábias, senhoras de seus destinos e a moda iniciou sua longa trajetória. Desde a criação da vida na Terra, as mulheres dominam o mundo e usam todas as suas ilimitadas competências e sensibilidades, mas não conseguem tirar do homem as suas muitas impurezas ainda decorrentes da péssima qualidade do barro original de onde foram criados.

Os homens continuam impuros, perversos, incompetentes, inábeis, ingratos, insensíveis, arrogantes, rudes, cínicos, falsos, mentirosos, destrutivos, horrorosos, cabeça de barro, pés de barro, coração de barro, alma barrenta, caem em qualquer tentação; todo o tempo famintos e insaciáveis, comem todos os frutos proibidos e roem a vida e a alma das pessoas além da honra e da riqueza das nações. Mas sempre se prostam diante das mulheres em luxúria, ou em obediência, ou em duvidosos arrependimentos pedindo perdão com lágrimas nos olhos, ou... Felizmente, o Todo Poderoso fez as mulheres absolutamente fantásticas e poderosas, além de lindas, e ainda lhes concedeu o privilégio divino da maternidade. As mulheres são tudo de bom, a perfeição da Criação! Nós, os homens? Somos apenas desprezíveis bonecos de barro, sem alma, apenas barro. Mulheres, a perfeição!

Panta Rei.



03/05/2016 11h26

Pecados Mortais - A Inveja
Ruy Chaves

Olá pessoal. Muito se fala sobre o céu e sobre o inferno, mas são apenas boatos, citações sem base científica. Afinal, ninguém que esteve por lá voltou com fotos, depoimentos, nada que comprovasse absolutamente a vida dos justos e dos pecadores post mortem. Falar dos justos é muito chato e não dá ibope. Mas os pecadores movimentam o mercado da informação, são personagens que permitem exploração em muitas direções. Daí este artigo, 

PERSIGA AS SUAS UTOPIAS!

 

Pecar significa desprezar o amor verdadeiro por Deus e pelo Homem, desrespeito à razão e à consciência reta, expressão de apego perverso a algum bem ou interesse individual em detrimento do bem de todos, da solidariedade e da justiça. O pecado ofende a Deus e a dignidade do Homem e se realiza por pensamento, palavra, ato, omissão ou desejo contrário às leis divinas. Textos sagrados afirmam que o primeiro a pecar foi Lúcifer, então o mais poderoso dos anjos, o sol da manhã, a estrela brilhante, que, insatisfeito apesar de tantas honras, desejou ser o Deus Altíssimo. Punido por sua inveja, Lúcifer foi renomeado Satanás e trouxe a tentação para Adão e Eva, a de "seres como Deus" e, por extensão, para a raça humana.

O pecado mortal é muito grave, praticado com plena consciência e sob propósito deliberado, e os pecados veniais, embora pareçam de menor importância, se cometidos frequentemente também conduzem ao abismo e às trevas. Diz o livro do Eclesiástico, "quem despreza as coisas pequenas pouco a pouco cairá" até se afogar nas águas terríveis do pecado mortal.

O Papa Bento XVI, atendendo as circunstâncias do tempo histórico e da evolução social, desviou-se das Escrituras e dobrou o número de pecados mortais, adicionando aos originais - orgulho, inveja, glutonaria, cobiça, luxúria, ira e preguiça - mais sete pecados do mundo contemporâneo: poluição , engenharia genética, riquezas obscenas, drogas, aborto, pedofilia e injustiça social. A prática do pecado mortal, se não houver arrependimento, leva ao castigo eterno.

Recentemente, o mundo acompanhou algo inusitado especialmente para a civilização ocidental. Com rostos expressando culpa como se tivessem praticado  terríveis pecados mortais, executivos japoneses formal e publicamente pediram desculpas por, após 25 anos, aumentarem o preço de seus picolés em R$ 0,35. Fantásticos os valores e a cultura japonesa. Como em todo o mundo, também há corruptos no Japão, mas, se descobertos, não negam o óbvio, nem se escondem em hábeis advogados; não culpam mídias, nem heranças malditas. Assumem seus erros, pedem desculpas e curvam-se em sinal de respeito.

Independentemente das sanções legais, empresários deixam seus negócios e políticos e autoridades públicas renunciam a seus cargos. Alguns criminosos sentem-se tão pecadores que solicitam dispensa de suas funções suicidando-se, como Matsuoka, deputado e Ministro da Agricultura. Como seu comitê eleitoral recebera milhões de ienes de empreiteiras favorecidas em licitações fraudulentas, desonrado e envergonhado diante de sua família e dos valores japoneses deixou uma carta: "Estou dolorosamente consciente de minha responsabilidade como ministro. É meu dever que tal ato não se reproduza". E enforcou-se com uma coleira de cachorro. Que belo exemplo! Perdoe, Senhor, meu pecado mortal: que inveja do Japão!

Panta rei. 



26/04/2016 14h42

Os Treze Trabalhos de Hércules!
Ruy Chaves

Olá, pessoal. Voltemos ao filme de terror barato, em que cada cena há brutalidade sem nexo, cabeças decepadas, fígados, estômagos e baços sangrando e pulsando em estertores, o coração arrancado do peito com as mãos... crimes praticados com machados enferrujados, foices enferrujadas, serras elétricas enferrujadas dissolvendo o mundo e a natureza humana. Voltemos ao Brasil recente, assassinado por criminosos brutais sedentos de poder e de riqueza, aos políticos, empresários e autoridades públicas se banqueteando da riqueza e do sangue da nação. Daí este artigo,

 

PERSIGA AS SUAS UTOPIAS!

 

 Não me lembro se foi exatamente assim, mas meu amigo Hércules, o mais extraordinário herói grego, enfeitiçado pela deusa Hera ficou completamente louco e matou sua mulher e seus filhos. Depois, para recuperar sua honra, recebeu do oráculo de Delfos a missão de realizar doze trabalhos absolutamente impossíveis aos homens comuns.

A maior epopeia do universo começou com o Leão da Neméia, monstro que comia todo mundo, especialmente quem o enfrentava com espadas, lanças e flechas. Nenhuma arma era capaz de matá-lo, porque sua pele era impenetrável a não ser por suas próprias garras. Então, Hércules o estrangulou, tirou suas garras e cortou belo casaco que usou em muitas aventuras. Criada por Hera para matar Hércules, a Hidra de Lerna era uma terrível serpente-dragão com nove cabeças que regeneravam quando cortadas e que matava somente com seu bafo, mas Hércules ao cortar cada cabeça queimou imediatamente suas feridas impedindo que renascessem . A belíssima Corça de Cerinéia, chifres de ouro e pés de bronze, que corria mais que o vento e nunca se cansava, não foi páreo para Hércules que a perseguiu por um ano até capturá-la e levá-la nos ombros ao reino de Eristeu.

Capturar vivo o Javali de Erimanto, que devastava plantações inteiras , foi tarefa simples para Hércules, assim como limpar os estábulos do rei Áugias que acumulavam trinta anos de urina e de fezes de três mil bois: nenhuma dificuldade para desviar dois rios. Os trabalhos voltaram a esquentar e ele matou aves gigantescas com cabeças, asas e bicos de ferro, que interceptavam a luz do Sol, e em seguida humilhou o aterrorizante Touro de Creta ao montá-lo e levá-lo vivo a Euristeu. Depois, foi a vez de derrotar Diomedes, com seus cavalos que cuspiam fogo e que comiam estrangeiros que chegavam com as tempestades.

A saga continuou. Hércules venceu as Amazonas apossando-se do cinturão mágico da rainha Hipólita e em seguida matou o gigante Gerião, que tinha três corpos, seis braços e seis asas, e tomou seu rebanho que era protegido por estranhas criaturas, um cão de duas cabeças e um dragão de sete cabeças.  Sustentando o céu nos ombros no lugar de Atlas, após a morte do dragão de cem cabeças, Hércules colheu os pomos de ouro do Jardim das Hespérides e finalizou seus lendários trabalhos trazendo vivo, do mundo dos mortos, o seu guardião, o Cão Cérbero. 

Caríssimo amigo Hércules, socorro! Teus trabalhos estão incompletos. Precisamos absolutamente de teus super poderes. A situação no Brasil parece filme de terror, monstros por toda parte comendo gente, cuspindo fogo, muitos estábulos por limpar! São seres das trevas, traiçoeiros e venenosos, mais perigosos que o Leão e a Hidra, cabeças de cavalo e de touro em corpos de gente, bichos homens que correm como a Corça, devastam ainda mais que o Javali, que se apossaram até do Sol. Ajude-nos, grande herói, no maior desafio de sua vida. Seu próximo trabalho dará muito mais trabalho que seus doze trabalhos anteriores somados: Lava Jato neles, super herói!

Panta rei. 


1 Comentários | Clique aqui para comentar