SRZD


05/11/2010 12h02

Caso Bruno: Justiça de Minas ouve duas testemunhas nesta sexta
Redação SRZD

A Justiça de Minas Gerais realiza mais uma audiência sobre o Caso Bruno nesta sexta-feira. A juíza Marixa Fabiane Lopes Rodrigues, da Vara do Tribunal do Júri de Contagem, vai ouvir duas testemunhas: uma de defesa e outra requisitada pela magistrada, para o processo que apura o sequestro e presumível morte de Eliza Samudio, ex-amante do jogador.

Todos os réus, incluíndo Bruno, estão no local. Fernanda Castro, outra ex-amante do atleta, apareceu com a mão direita enfaixada. A assessoria da Secretaria de Defesa Social de MG informou que ela teve uma luxação após se apoiar de mau jeito.

Após a afirmação de Sérgio Rosa Salles (um dos réus do Caso Bruno), de que foi pressionado a acusar o goleiro, o advogado Ércio Quaresma afirmou nesta sexta-feira que pretende pedir à Justiça que os delegados responsáveis pela investigação sejam ouvidos. Ele defende a versão de que Sérgio, Luiz Henrique Ferreira Romão (o Macarrão) e Dayanne de Souza (ex-mulher de Bruno) foram toruturados.

"Eu não tenho dúvidas", disse Quaresma, de acordo com o site "G1". "A tortura não aconteceu durante o depoimento não. No ato do depoimento ninguém é torturado. A coisa acontece antes", completou.

Sérgio Rosa Salles é primo de Bruno e seu depoimento foi considerado fundamental para a conclusão das investigações. Na última quarta, ele acusou o delegado Edson Moreira, do Departamento de Investigações da Polícia Civil mineira, de tê-lo toruturado. Moreira nega as acusações, afirmando ainda que o advogado de defesa Marco Antônio Siqueira esteve presente em todos os depoimentos. Nesta última quinta-feira, Sérgio pediu um novo defensor.

 


Veja mais sobre:Caso Eliza Samudio

Comentários
Comentar

Isso evita spams e mensagens automáticas.