SRZD


17/12/2010 16h21

QUAL É O FUTURO? Paradinhas da bateria
Vicente Almeida

Foto: Ricardo AlmeidaO ano era 1959. O desfile corria de maneira costumeira na Avenida Rio Branco, onde as escolas se sobrepunham, umas após as outras, sem apresentarem grandes novidades. Com pouco mais de três anos de idade, a Mocidade Independente de Padre Miguel estreava no grupo das grandes escolas do carnaval carioca. Dispostos a mostrarem que vieram para ficar naquele seleto grupo, seus integrantes prepararam algumas novidades para surpreender quem assistia às apresentações. A bateria da Mocidade trazia marcações invertidas com a segunda afinada mais alta do que a primeira. De repente, em frente ao módulo dos jurados, após um único apito de Mestre André, todos os instrumentos pararam de tocar ao mesmo tempo e apenas os "taróis" mantiveram o ritmo para que a escola não atravessasse o canto. O comandante da bateria ficou sambando para os incrédulos jurados e quando voltou a acenar todos os instrumentos retornaram ao mesmo tempo. Estava criada uma das maiores invenções da história do carnaval, a "paradinha da bateria".
 
Passados mais de 50 anos, todas as escolas copiaram a ideia inovadora de André. Porém, hoje em dia os mestres de bateria se preocupam com o futuro que as paradinhas terão. Diferentes maneiras de apresentar intervenções rítmicas foram vistas em mais de meio século de desfiles. Mas a preocupação que impera no mundo do samba é com o suposto exagero que vem sendo mostrado a cada ano. Com bossas cada vez maiores e em grande quantidade pode estar havendo um desequilíbrio harmônico, que ao invés de ajudar, esteja atrapalhando o canto dos componentes das agremiações.
 
Foto: LiesaDe acordo com Mestre Ciça, tido como um dos mais criativos inventor de paradinhas, além de ser um dos melhores mestres de bateria, a tendência é que as paradinhas acabem com o passar do tempo. No último carnaval o diretor de bateria da Grande Rio conseguiu dividir o mundo do samba com uma paradinha fora dos padrões e que durava toda a primeira passagem do samba na avenida.
 
- Infelizmente as paradinhas estão chegando ao fim. A crítica está muito forte em cima da gente. A cada ano que se passa temos problemas de entendimento com o jurado. Quando ela é feita em um lugar que não atrapalha, não vejo o menor problema. Eu sempre trabalhei a paradinha para causar impacto, pois cada um tem sua característica e sabe a maneira que se sente confortável. Todos nós levamos de quatro a cinco bossas para a avenida, mas devemos usamos uma ou duas. Em relação às críticas, eu fiquei muito triste, pois na cabeça da gente sempre está tudo bonito. Achei que a paradinha de 2010 não prejudicaria a escola, mas o jurado tirou ponto justificando que sua execução havia prejudicado o andamento do samba e o canto da escola.
 
Foto: Paola RheniusJá para Mestre Marcão, diretor do Salgueiro, existe uma tendência de aumento no número de paradinhas. O maestro da "Furiosa" afirmou que a concorrência de novos talentos estimula a criatividade de quem não quer perder o lugar conquistado.
 
- As paradinhas vão aumentar ainda mais. Está vindo muita gente nova agora, como o Nilo Sérgio, o Marcone, o Thiago. E os antigos não querem ficar para trás. Os jovens têm um raciocínio mais rápido, então se tiver confiança nos surdos para não perder o ritmo, as coisas se desenvolvem. Eu, particularmente, não gosto de paradinhas muito longas. Se der para fazer dez  mais curtas, eu prefiro. Se fizer uma paradinha muito longa, eu posso estragar uma harmonia, evolução, canto, conjunto, e isso não vai ser legal. Esse ano vou fazer umas seis ou sete paradinhas, mas nem será uma coisa tão ousada. O que eu quero é animar o público, penso neles, que pagam para estar ali. Não penso em jurado, não quero impressionar jurado. Cada ano é um samba, um desafio. Uma coisa muito acelerada pode estragar uma bossa.

No Manual do Julgador, desenvolvido pela Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa), existe uma recomendação para os jurados de bateria para que concedam notas entre oito e dez, considerando: "a manutenção regular e a sustentação da cadência da bateria em consonância com o samba-enredo; a perfeita conjugação dos sons emitidos pelos vários instrumentos; a criatividade e a versatilidade da bateria". Conhecido como um dos melhores mestres de bateria de todos os tempos, Mestre Odilon comentou sobre as recomendações feitas pela Liga.
 
- Na verdade, a folia depende do ritmo para a dança do samba. A bateria é um pedaço do grupo. Quando estava como mestre, até queria fazer várias bossas e brincar nos versos do samba, mas as coisas estão saindo de controle. Tudo está tomando um caminho diferente. O samba tem sido deixado de lado. O manual da liga pede criatividade e versatilidade, a gente trabalha a criatividade nas paradinhas, mas o que a Liga entende como versatilidade? Colocar a bateria em cima de uma pirâmide? Do jeito que está não tem como fazer as coisas melhorarem. O Wilson das Neves comentou essa semana que na velocidade que estão imprimindo o ritmo, a primeira marcação vai acabar encontrando a segunda. Tudo bem que o samba evoluiu, mas as origens estão sendo deixadas de lado. O samba tem que ter harmonia entre os instrumentos, não tem nada melhor que você brincar com a terceira em cima das outras marcações.
 
Depois de mais de meio século de vida, as paradinhas continuam dividindo os mestres de bateria de quase todas as escolas. Mesmo sendo unanimidade entre quase todos, alguns são impedidos de usar um número excessivo de paradinhas em nome da harmonia de canto e do andamento da escola. O fato é que as paradinhas de bateria estão passando por um período de evolução, de adaptação dentro desse novo andamento de samba imposto pelos moldes do carnaval moderno. A cada ano, a impressão é reforçada de que elas se afirmam, ao mesmo tempo como subjetivas, ficando a critério de cada mestre, e essenciais, sendo um item a mais de diversão para o público


Comentários
  • Avatar
    27/02/2011 19:50:10Alexandre SabaráMembro SRZD desde 28/10/2010

    Ã?.Cada um tem um modo de pensar sobre as paradinhas.Não acho correto as críticas feitas atualmente sobre as paradinhas,mas por outro lado não acho interessante a paradinha feita muita longa,A paradinha muito longa com certeza atrapalha a evolução da escola.acho que a bateria pode fazer uma paradinha mais curta,e aí sim nós vamos ver quem é criativo,pois acho mais difícil as paradinhas curtas do que as longas.

  • Avatar
    04/02/2011 12:01:02marcos chagasMembro SRZD desde 04/02/2011

    bom dia a todos. Escuto falar varios nomes dentro de um bateria o que é ? breque? paradinha? bossa? convenção ? passagem?

  • Avatar
    03/01/2011 22:04:13DUDA SGMembro SRZD desde 23/06/2009

    as opiniões estão bastante variadas, mas a questão é; que possam reavaliar o andamento que está aceleradíssimo e quanto as paradinhas sou a favor quando diferenciadas tiverem, pra nós é bem melhos. só não me conformei com alguns sambas gravados de tal maneira foi assim: (rápido e ligeiro) se vocês prestarem a atenção em cada samba perceberão que tem samba que foi preciso correr para dar vida senão ficava difícil, muito lento melhor dizendo, só que abusaram, tem intépretre que está cantando sem emoção e não passa a mensagem que teriam de passar, vem muito imprensado com a aceleração da bateria e perde emoção até mesmo a alegria do samba. o jeito é trabalhar nos ensaios técnicos devido a muita observação pra não se prejudicarem na hora da votação. no ano de 1997 a 2005 as baterias estavam no ponto até mesmo no desfile oficial de lá pra cá tá difícil até do compositor colocar sentimento na melodia porque se o compositor chorar na melodia pra muitos o samba se torna melacólico mais não é, o que vem acarretar na verdade são essas correrias, mas espero que mude pra melhor.rumoi ao carnaval .

  • Avatar
    03/01/2011 12:44:55SILVERIOMembro SRZD desde 29/10/2010

    Ã? meu amigo Marcelo,já vi que voce não entende nada de bateria.Dizer que a bateria da Tijuca é cadência é brincadeira.Hoje nemhuma bateria é cadênciada,a única que ainda tem alguma cadência é a da Mocidade,as baterias hoje só se esculta surdo e tamborim,acabaram com o verdadeiro ritimo de samba,A bateria da Beija- Flôr sempre foi uma bomba,está em evidência porque a escola está em alta e tudo passa depercebido.Todas as baterias hoje são ruim,acabaram com o verdadeiro ritmo de samba.Ciça vive de coreografia. E é uma correria infernal.

  • Avatar
    03/01/2011 11:08:51MarceloMembro SRZD desde 06/05/2009

    Pra mim a única bateria da última década com cadência perfeita foi a da Grande Rio. Inenarrável, inexplicável...era música para nossos ouvidos. Hoje vejo como cadência perfeita a bateria da Tijuca (antes intitulada de Pura Cadência erroneamente). Parabéns Casão!!! A beija-flor tem um ritmo bom, mas não acho o conjunto perfeito...estive lá no ensaio antes do Natal... A Imperatriz também tem feito muito bonito...

  • Avatar
    02/01/2011 00:14:48marcoMembro SRZD desde 03/08/2010

    Que as baterias tem que modernizar suas batidas isso é óbvio ;não pode é se descaracterizar...bateria de verdade hoje em dia no grupo especial só a da IMPERATRIZ LEOPOLDINENSE!!!!!!!!!!!!!!!! o resto é banda marcial!!! E O SIÃ?A? PIROU DE VEZ!!diferente tem q t qualidade!!

  • Avatar
    28/12/2010 00:42:46ANA LUIZA FERNANDESMembro SRZD desde 28/12/2010

    Belíssima reportagem!!

  • Avatar
    27/12/2010 18:53:34jaesiabarretoMembro SRZD desde 28/10/2010

    Eu acho que chegou a hora de retroceder ja percebemos que as vantagens e desvantagens de ritmos aluscinados paradinhas com formatos e tamanhos essagerados, os nossos atuais diretores tem que se preocupar em fortalecer a cozinha caixas melhores, repiques que ajudem a manter o ritmo , 3º que balance bem a bateria sem correr.

  • Avatar
    27/12/2010 08:35:54DusambaMembro SRZD desde 15/11/2010

    Um excelente exemploi pode ser observado no vídeo da apresentação da bateria da Beija Flor no show do Roberto Carlos . Em nenhum momento fez paradinhas que tenham atrapalhado o andamento do samba, e as que foram feitas foram colocadas no lugar certo, até abrilhantando a obra e em nenhum momento quiz ser a grande atração. Parabéns bateria da Beija Flor.

  • Avatar
    25/12/2010 21:06:13IgorMembro SRZD desde 14/12/2010

    E por fim Salgueiro,bateria furiosa aonde? só se for com raiva desse....sei lá se pode ser chamado de mestre...horrível,sem cadência nenhuma,paradinhas esquisitas,foi uma bateria do salgueiro boa um dia...

  • Avatar
    25/12/2010 21:01:51IgorMembro SRZD desde 14/12/2010

    Acho que o desejo de todos aqui seria ouvir ano que vem uma bateria de verdade,com ritmo mais cadênciado,sem correrias,com seus instrumentos bem afinados,ouvindo assim ao longe todos os sons bem claramente...mas..está num caminho estranho...

  • Avatar
    25/12/2010 20:51:48IgorMembro SRZD desde 14/12/2010

    Concordo em alguns pontos com Jaesiabarreto,pois naquele ano de 2005 também a Beija flor apresentou uma cadência interessante e mais lenta,e em 2006 a Grande Rio deu um show de ritmo,pegada forte,tenho o audio em casa,é de ouvir e ouvir novamente... muito legal

  • Avatar
    25/12/2010 20:47:19IgorMembro SRZD desde 14/12/2010

    Acabaram com o ritmo da bateria da Vila Isabel em 2010,Beija Flor...a bateria estava irreconhecível com aqueles sons todos embolados...enfim,a única bateria que ainda pode ser elogiada é de uma escola que está lá no acesso..Império Serrano,as baterias do grupo de acesso estão dando banho nessas correrias,já ia esquecendo,outra que parece que os instrumentos vão correr sozinhos na avenida são da Grande Rio,gente!,o que aquele cara fez com a bateria?,pessoas da Viradouro,as mesmas coisas dos outros anos...que papelão,Sim ao ritmo,cadência!! forte abraço e feliz natal a todos..

  • Avatar
    25/12/2010 12:52:42DUDA SGMembro SRZD desde 23/06/2009

    BOM A TODOS E UM FELIZ NATAL! NA MINHA OPINIÃ?O PERCEBO QUE AS ESCOLAS NÃ?O APRESENTAM UM BOM DESFILE NA QUESTÃ?O DO POVO ASSISTIR, POR QUE ELAS PASSAM MUITO RÁPIDAS DE MAIS NA FRENTE DOS JURADOS BEM DIZER CORRENDO OS COMPONONTES QUANDO SE DÃ?O CONTA JÁ ESTÃ?O NO SETOR 13, DESDE JEITO OS PASSISTAS NÃ?O SAMBAM PULAM E QUASE NÃ?O APARECEM NA TELINHA SEJA DE QUALQUER EMISSORA. COM TODO RESPEITO TINHAM QUE REAVALIAR ESTE PONTO COM MUITO CARINHO PRA QUE NÃ?O ACELEREM DEMAIS OU MELHOR QUE REDUZEM A VELOCIDADE DA BATERIA DO SAMBA PRA QUE O PÃ?BLICO POSSA SE EMOCIONAR E NÃ?O FICAREM COM CARA DE BOBO TIPO; JÁ ACABOU. A GRAVAÃ?Ã?O DO CD TEM QUE SER PARECIDO COM A DO ANO DE 1997 CADÃ?NCIADO E NA AVENIDA TAMBÃ?M. QUEM GANHA COM ISSO Ã? A ESCOLA PELA PONTUAÃ?Ã?O NAS MÃ?O DOS JURADOS E O PÃ?BLICO QUE VAI ASSISTIR SE ENCANTAR COM O ESPETÁCULO. QUANTO AOS ENREDOS ACHO QUE OS CARNAVALESCOS PODIAM COLOCAR A CABECINHA PARA FUNCIONAR E CRIAR NOVOS ENREDOS MESMO QUE TENHAM UMA BASE JÁ EXISTENTE COMO REFERÃ?NCIA, MAS QUE DESENVOLVAM EM CIMA DESTA BASE E NÃ?O SE PRENDAM A PATROCINIO ATÃ? PORQUE O PATROCINIO Ã? TUDO DE BOM SÃ? Ã? DESAGRADAVEL QUANDO FICAM BUSCANDO ALGO QUE VENHA A SER COMEMORADO EXEMPLO: CIDADE, ESTADO, PAÍS E ETC...JÁ DEU O QUE TINHA QUE DAR. BOA SORTE A TODAS A S ESOLAS DO GRUPO ESPECIAL AO Ã?LTIMO GRUPO.

  • Avatar
    25/12/2010 12:24:22jaesiabarretoMembro SRZD desde 28/10/2010

    Pensando melhor acho que a questão deveria ser discutida de forma mais ampla.Por que os sambas enredos tomaram uma caracteristica diferente? Sera que foram eles os responsaveis por essa asceleração no ritmo das baterias ou foi ao contrario? As paradinhas com uma simples ordem de um diretor de carnaval pode ser retirada ou ate diminuida mais as outros questões que ja estão disseminadas por todas as agremiações.

Comentar