SRZD


09/01/2011 04h28

Ensaios técnicos na Sapucaí: treino ou competição?
Vicente Almeida

Quando surgiram no começo dos anos 2000, os ensaios técnicos na Avenida Marquês de Sapucaí não chamaram a atenção do público em um primeiro momento. Mais de dez anos depois se transformaram em absoluto sucesso de crítica e público com as arquibancadas lotadas todo fim de semana, chegando a ser considerado um dos principais eventos carnavalescos depois dos desfiles oficiais e do sábado das campeãs. Quanto mais se aproxima o carnaval, mais o público prestigia o espetáculo ocupando as arquibancadas da concentração até a Praça da Apoteose.

Observando a transformação sofrida pelos ensaios técnicos através desses anos, o SRZD-Carnavalesco conversou com várias pessoas envolvidas no carnaval para saber o que eles acham de tudo isso. Um aspecto que pareceu unânime entre todos os entrevistados foi a evolução que aconteceu após quase uma década de ensaios. A transformação é visível para todos que acompanharam os treinos durante esses anos. Nos primeiros ensaios apenas escolas do Grupo Especial ensaiavam e, mesmo assim, levavam um contingente pequeno. A coisa cresceu tanto que nesse ano as escolas de samba do Grupo de Acesso poderão participar da festa pela terceira vez.

Marcella Alves, porta-bandeira da Estação Primeira de Mangueira, analisa a mudança ocorrida nos ensaios técnicos. - Hoje em dia é mais que ensaio, é espetáculo. Lembro quando tudo começou o número de componentes era pequeno e o público presente menor ainda. A transformação dos ensaios em espetáculo por um lado foi bom, mas pelo outro não. O ponto positivo é divulgar ainda mais o carnaval e o ponto negativo é que os ensaios perderam sua verdadeira essência.

O superintendente de carnaval da Vila Isabel, Wilsinho, assim como Marcella, também acha que os ensaios ganharam mais destaque. - Com o passar do tempo as coisas melhoraram e a estrutura aumentou. Como o carnaval, os ensaios também evoluíram e isso aumenta a responsabilidade da escola. São nos ensaios que fazemos o grande teste da escola.

O diretor de bateria do Salgueiro, Mestre Marcão, avalia que o que mais evoluiu nos ensaios foi a presença de pessoas envolvidas no evento. - Algumas coisas melhoraram muito, mas o que mais destaco é a presença do público, seja nas arquibancadas, seja no contingente de componentes. A presença humana nos ensaios deu um calor a mais para as escolas.

Para que serve o ensaio técnico? Normalmente, um ensaio geral serviria para a correção dos erros que acontecem naquele momento e não prejudiquem a escola na hora do desfile. Mas não é isso que acontece nos ensaios técnicos. Os ensaios, hoje em dia, são tratados pelas diretorias e presidências de quase todas as escolas como se fosse mesmo um desfile oficial. Seria inimaginável ver uma escola parar seu ensaio para corrigir, por exemplo, uma entrada errada no segundo recuo da bateria.

Parar o ensaio para corrigir um erro foi uma das características que causaram discordância entre os entrevistados. Para o intérprete da Grande Rio, Wantuir, não há como parar o ensaio nos dias de hoje. - Caso aconteça um erro não há como parar. Se o erro aparece você continua com o ensaio, pois, é como se fosse um desfile. Parar é mostrar o erro para todos. Os diretores de carnaval e harmonia percebem o erro e depois do ensaio tudo se resolve.

O superintendente de carnaval da Vila Isabel, Wilsinho Alves, concorda com Wantuir, e mostra respeito a quem lota as arquibancadas para assistir aos ensaios. - Não dá para parar e corrigir, pois a gente tem que respeitar o público que está ali para assistir ao teste.  No caso da Vila Isabel se acontece um erro durante o ensaio de comunidade a gente para e corrigi o problema que aconteceu, mas no caso do ensaio na avenida não tem como a gente parar a escola e voltar um setor. Isso seria um desrespeito a imprensa e, principalmente, ao público que participa nas arquibancadas.

Já para Mestre Marcão o ensaio técnico tem que ser para corrigir os erros e não pode ser tratado como praticamente um desfile oficial. - O ensaio técnico existe para corrigir os erros que acontecem. Tem que ser assim. Ensaio não é desfile, está na hora da direção de carnaval e harmonia entender que mesmo fazendo o ensaio de rua na comunidade é importante parar e corrigir um erro que aconteça o ensaio técnico, mesmo que isso gere críticas.

Apesar de achar que não seja mais possível parar os ensaios técnicos, Marcella Alves afirma que ensaio é fundamental para corrigir as falhas que apareçam no palco principal. - Não acho que seja mais possível parar um ensaio técnico no meio, pois, isso causaria uma grande quantidade de críticas do público e da imprensa, sem contar que passaria uma imagem de desorganização total. Aprendi, como bailarina, que o ensaio no palco principal é sempre o mais importante, pois, é onde paramos para corrigir todas as falhas e quem sabe até trocar um movimento por outro que funcione melhor.

Algumas pessoas afirmam que o sucesso no ensaio técnico é o começo de um desfile bem feito, definindo o favoritismo para essa ou para aquela escola. Ao mesmo tempo, outros profissionais encaram o ensaio como apenas mais um teste visando não refletir no desfile um elogio ou uma crítica que tenham recebido durante o período.

Mestre Marcão foi direto ao dizer que prefere receber uma crítica por um erro cometido nos ensaios do que apenas um falso elogio e um tapinha nas costas. - A crítica pode ser construtiva ou não e quem está assistindo pode fazer essa observação seja imprensa ou espectador. Tem muita gente falando sobre carnaval que não sabe nada. Nós temos um horário para respeitar e dentro deles podemos trabalhar. Não acho que elogios ou críticas reflitam no desfile. Existem pessoas conscientes em cada escola e que sabem lidar com determinada situação. É necessário que exista um bom senso dentro das diretorias de carnaval, harmonia, bateria e da presidência. Eu prefiro uma crítica construtiva a elogios vagos. A gente faz o nosso dever de casa, é necessário que os segmentos entendam isso para chegar bem ao ensaio técnico e consequentemente ao desfile oficial.

Para Marcella Alves não é regra que críticas ou elogios interfiram no rendimento do profissional no dia do desfile. - Isso depende muito, pois não é regra. Antes eu achava que a mídia positiva poderia ser positiva para o profissional que trabalha no carnaval. Porém, com o passar do tempo pude perceber que quanto mais elogios, mais cobrança. Mesmo no ensaio se você cometer um deslize, as pessoas irão começar a falar. Hoje em dia não creio que as críticas ou elogios reflitam no dia do desfile.

Para Wilsinho Alves elogios nos ensaios técnicos podem fazer que o componente entre mais confiante na avenida, apesar de ter a harmonia como principal função. - Os ensaios servem fundamentalmente para testar o canto dos componentes. Quando você recebe bons elogios como aconteceu com a Tijuca e com o Salgueiro, o componente entra ainda mais incentivado a mostrar garra e determinação para fazer um bom desfile. Julgar harmonia hoje é difícil, pois todas as escolas vêm tirando proveito dos ensaios e fazendo o dever de casa.

Já Wantuir afirma que tanto os elogios como as críticas podem ajudar a escola no dia do desfile oficial. - O elogio dá mais garra para o componente, é um combustível, um incentivo para que ele entre como mais determinação, mais eufórico. Mas a crítica também é boa, pois, mostra onde as escolas e os profissionais têm que melhorar.

Com ideias que vão desde a mudança do som até a inclusão das escolas do Grupo B, os entrevistados pelo SRZD-Carnavalesco deram algumas sugestões do que pode ser mudado nos próximos anos visando a melhoria do evento que já faz parte do calendário oficial do carioca.

Reclamação antiga de quase todos os intérpretes, uma mudança no sistema de som foi a sugestão do intérprete Wantuir. - O que eu mudaria é o som. Eu sei que o custo é mais alto, mas o caminhão que a Liga disponibiliza não dá a condição real de desfile para os músicos e intérpretes. No ensaio técnico quase sempre somos obrigados a ensaiar em cima do carro de som por causa das microfonias, mas no dia do desfile, desfilamos no chão. Estamos ensaiando uma coisa que não vai acontecer.

Wilsinho Alves atenta para a estrutura de atendimento ao público que prestigia os ensaios semanalmente. - Não tenho muito que mudar na estrutura dos ensaios de hoje em dia. Mas um ponto que deve ser olhado com mais atenção é o da segurança no entorno do sambódromo e nas arquibancadas, pois, o publico sofreu muito com os furtos nos carnavais passados.

Marcella Alves reforça a necessidade dos treinos na avenida serem encarados verdadeiramente como ensaios. - Se eu tivesse como mudar algo seria o fato de podermos parar para corrigir um erro que venha a acontecer durante o treino. Claro que a escola deve entrar pra valer e  encarar o ensaio como se fosse um desfile oficial, mas parar se acontecer um erro. No meu caso gosto de ensaiar com a fantasia para acostumar com o peso, mas se a pessoa que nos orienta perceber que cometemos um deslize seria interessante parar e corrigir.

Mestre Marcão mostrou preocupação com os sambistas das escolas menores e sugeriu que maios escola possam ensaiar na avenida. - Não é preciso mudar muita coisa. Eu daria oportunidade as escolas do Grupo de Acesso B. Existem muitas pessoas de valor nesse grupo. Muito mestre de bateria, intérpretes, casais, ritmistas, etc. Todos esses sambistas estão galgando um lugar no Grupo A.

Com o alto preço cobrado pelos ingressos para os dias de desfile oficial e das campeãs, os ensaios técnicos ganharam fama por serem o maior contato das escolas com seus verdadeiros torcedores que não tem como arcar com a despesa para acompanhar nos três dias pra valer. Uma coisa é certa. A cada ano que se passa os ensaios crescem cada vez mais. As arquibancadas ficam cada vez mais cheias e o público, em determinadas épocas, começa a enfrentar dificuldades de encontrar lugar para assistir aos treinos.


Veja mais sobre:Grupo Especial

Comentários
  • Avatar
    18/01/2011 14:23:23João de AbreuMembro SRZD desde 16/08/2009

    Os ensaios na técnicos serão fundamentais para o aprimoramento do desfile oficial. Já assisti alguns ensaios realizados este ano e tirei minhas conclusões, pensando na minha Vila Isabel que fará somente 02 ensaios na Sapucaí, o 1º será dia 30 /01 e o 2º dia 20/02/2011. Já é sabido as dificuldades encontradas pelas escolas que já deram iníco aos seus ensaios, principalmente em setores afetos a Harmonía,isso porque: Devido o posicionamento do carro de som ( Trio Elétrico ), já que o som da avenida não está ainda disponibilizado, o canto do carro e o som da Batería estão inaldiveis para as alas afastadas destes, ocasionando que para não atravessar, algumas alas deixam de cantar. No ensaio realizado dia 16/01/11, tentaram colocar 2 carros de som na avenida, um com os intérpretes junto ao recuo da bateria e outro na frente da escola, somente retransmitindo o som do 1º, foi um verdadeiro fiásco, atravessou geral, isso por causa da temporização do sinal de som que chegava na retransmissão atrasado. Antes do Sambódromo, a Harmonía das escolas nesta situação fazia o seguinte: Após a entrada da comissão de frente e do carro abre-alas, vinha a batería entre duas alas, que faziam rapidamente o preenchimento da brecha deixada pela batería quando era feito o recuo da batería. Ao atingir a metade do desfile a harmonía entrava em cena, abrindo o espaçamento entre duas alas para que se fizesse o retorno da bateria que vinha próximo ao carro de som. Os diretores de harmonía , auxiliados pela ala de compositores traziam o canto no "gogó" e com megafones portáteis, cuidando para que o canto chegasse a todas as alas em perfeita harmonía com o som do carro e da batería. Na minha opinião considero uma harmonía lógica o posicionamento no meio da escola da bateria e do carro de som e, a disponibilização de alguns membros da harmonía fazendo pelas lateraisl a integração do canto entre as alas, já os coordenadores de alas, devem p

  • Avatar
    10/01/2011 02:34:42boca de sabãoMembro SRZD desde 22/10/2010

    PARABÃ?NS PRESIDENTEEEEEEE,por não ter mandado onibusa pra comunidade,nem pra quadra nem pro morro,a comunidade toda agradece,ano que vem,depois do carnaval,e senhora quem sabe lembra de mandar?junto com um pratinho de carne pros mortos de fome,BEM FEITO PRA ELESSSSSSS,ainda rufam os tambores pra ela,são 02,30 e os bestas ainda devem estar no ponto esperando o onibus passar,e ela ja em casa dormido com o namorado,pois ela entrou no carrro dele a tira colo e se mandou,e os bestas ainda agradecem,bem feito.é esse o valor que ela tem por voces. o que voces merecem.

  • Avatar
    10/01/2011 01:54:35Jonathan BessaMembro SRZD desde 07/04/2009

    Que é ensaio todos sabem ! Mas o publico nao incara assim.O povo vai para vê como a escola está caminhando para o carnaval,para se divertir,apreciar sua escola mais de perto(com todos os componentes,ou grande parte dele),apreender samba....O publico presente já faz um prejugamento de qual a escola mais preparada para ser campeã.O ensaio real acontece na quadra e junto da comunidade.

  • Avatar
    09/01/2011 18:19:49LcsTigreSGMembro SRZD desde 06/07/2010

    Se é um ensaio tem que parar sim e fazer de novo até fique bom. Se o publico e a imprensa querem ver um espetaculo que comprem o ingresso para o desfile oficial. Que a imprensa critique no ensaio mas também tem que elogiar depois do desfile oficial.

  • Avatar
    09/01/2011 16:43:46MarkusMembro SRZD desde 04/08/2009

    Os ensaios tec. Só servem msm como avaliação de comprometimento e mapeamento. Só oq se consegue avaliar na integra são harmonia e evolução. Os demais quesitos vão sempre necessitar de estarem completos, e isso só no dia do desfile. Então, o negocio é curtir o samba e se divertir!

  • Avatar
    09/01/2011 15:21:32Sérgio Rodrigues - SCMembro SRZD desde 06/12/2009

    O ensaio técnico é muito bom, mas não serve para avaliar como vai passar a escola no desfile oficial. Temos dois casos distintos: a Imperatriz Leopoldinense foi muito feliz nos ensaios em 2009 e a Grande Rio foi muito infeliz nos ensaios de 2010. Bom, o resultado no desfile oficial você devem lembrar..

  • Avatar
    09/01/2011 13:27:00PAULO ROBERTO QUEIROZ COSTAMembro SRZD desde 12/05/2009

    SIM, CONCERTEZA O ENSAIO TÃ?CNICO Ã? A GDE OPORTUNIDADE DAS ESCOLAS ENSAIAREM AS COREOGRAFIAS E ACERTAREM A EVOLUÃ?Ã?O E HARMONIA DA ESCOLA E UM GDE PREVIASINHA DO CARNAVAL, PQ Ã? GDE OPORTUNIDADE QUE AS PESSOAS DE BAIXA CLASSE ECONÃ?MICA TEM DE CURTIR UM POUQUINHO O CARNVAL DE PERTO MESMO. "SEJE BEM VINDO PRÃ?-CARNVAL".... ADORO!!!!!!!

  • Avatar
    09/01/2011 10:39:05Marcelo Gomes GruttMembro SRZD desde 11/06/2009

    A meu ver os ensaios técnicos melhoraram muito o nível dos desfiles, antes as escolas erravam no desfile, agora com os ensaios é possível corrigir e ajustar pequenos defeitos e chegam ao desfile mais afinadas. Além de termos semanalmente um prévia do carnaval, prá quem gosta isso é muito bom. Quando chega o carnaval de fato, já fico com o sentimento que o carnaval está acabando. Saudações Portelenses.

  • Avatar
    09/01/2011 09:55:23marcoMembro SRZD desde 03/08/2010

    ensaio tecnico tem q ser pra corrigir mermo! O respeito com o publico esta em a escola acertar os ponteiros e fazer 1 show pro povo quando for a vera...O povo é o filho fiel do CARNAVAL...essa é minha humilde opinião...valeu!

  • Avatar
    09/01/2011 07:09:09Thiago VergeteMembro SRZD desde 08/03/2010

    Parabéns pela matéria. Muito pertinente. De fato, os ensaios são de grande importância para as Escolas. Mas acredito que mesmo se tornando um "quase" Desfile Oficial. Os ensaios devem ter como todos os ensaios, as correções devidas. Independente das críticas, os elogios. Sendo assim, não podemos mais considerar como um ensaio e sim, como um Desfile Técnico. E não como um ensaio. Ensaio é pra se corrigir. E tem que corrigir. O exemplo citado pela Marcella acredito eu foi o mais verdadeiro, o que tem mais a ver com o referido assunto. Mas vida que segue... Seja crítica ou elogio, o que importa mesmo é no dia OFICIAL. Em que a passarela vira um mar de felicidades... para alguns, e para outros, angústias... QUE VENHA O CARNAVAL 2011. Abração a todos. Thiago Vergete

Comentar