SRZD


28/01/2011 16h13

Estado de Guerra: toque de recolher e cinco mortos para o Egito
Redação SRZD

Foto: Reprodução de VídeoGoverno do Egito declarou toque de recolher em Cairo, Alexandria e Suez, em mais uma medida para tentar conter os milhares de protestantes que estão nas ruas pedindo a renúncia do governo de Hosni Mubarak, no poder há 30 anos. A medida começou a valer nesta sexta-feira, entre 18h e 7h (horário de local), segundo anúncio de duas linhas exibido em um dos canais públicos de TV. Esta foi considerada a medida mais drástica até o momento para conter as manifestações.

As imagens são de violência e caos, com a fumaça de prédios e carros, com a fumaça de prédios e carros em chamas, gás lacrimogêneo lançada pelas forças de segurança, que mesmo antes da medida, o exército já tinha enviado veículos blindados para as ruas do Cairo. Apesar da repressão dura das forças de segurança, manifestantes não recuam e registros dão conta que os protestos já se espalharam por ao menos 11 das 28 províncias egípcias.

Os protestos começaram logo após o final das orações muçulmanas desta sexta-feira, e se estenderam rapidamente por diferentes setores da capital egípcia e cidades do interior do país. A polícia chegou a abandonar algumas das áreas centrais, depois que os manifestantes superaram os cordões de segurança, roubaram armas de uma delegacia e queimaram o edifício, além de 20 veículos de patrulha estacionados perto do local. Já registraram a prisão de 300 pessoas e 120 ficaram feridas, segundo fontes dos serviçios de segurança.

Egípcios de fora do país estão postando informações atualizadas que recebem de conhecidos no país pelo microblog Twitter. Muitos pedem que os amigos continuem passando informações atualizadas. Manifestantes postaram uma lista de exigências em uma página do Facebook. Eles querem que Mubarak dissolva o Parlamento para realizar novas eleições, encerre as leis de emergência que dão à polícia poderes extensivos para prisão e detenção; liberte todos os prisioneiros, declare se seu filho vai ou não se candidatar às próxima eleições e demita imediatamente o ministro do Interior.

Mais sobre protestos no Egito:

- ElBaradei participa dos protestos no país e tem prisão domiciliar decretada

- Vice-presidente dos EUA diz que não considera Hosni Mubarak um ditador

- Brasil espera que governos do Egito, Tunísia e Iêmen atendam protestos da população

- Hillary pede que polícia seja controlada em protestos no Egito

- Empresa de telefonia diz que uso de celular foi bloqueado no país


Veja mais sobre:ManifestaçãoEgito

Comentários
  • Avatar
    29/01/2011 21:53:48E.T.Anônimo

    estranho: se insatisfação com o governo levasse a protestos violentos o Brasil teria toque de recolhere a cada quatro anos...

Comentar

Isso evita spams e mensagens automáticas.