SRZD


02/02/2008 21h22

Estácio faz desfile luxuoso
Redação SRZD-Carnavalesco

A Estácio de Sá levou para a avenida o enredo \"A história do futuro\". A idéia é que passado e presente não passam de instrumentos para condicionar a única realidade que realmente nos interessa, ou seja, a futura. A escola fez uma viagem pelo mistério das artes divinatórias.

A escola não previu, no entanto, que teria que correr para não ultrapassar o tempo máximo de 60 minutos, o que pode comprometer a agremiação em evolução e harmonia. A Estácio de Sá fechou o desfile com 56 minutos. Bateria não parou no recuo por causa do pouco tempo

A comissão de frente trouxe um tripé giratório acoplado ao carro abre-alas. Um dos integrantes da comissão parecia estar com a fantasia incompleta. A evolução da comissão de frente pareceu um pouco lenta e interferiu muito no início do desfile. Por isso, no final, os componentes tiveram que correr.

Comandada pelo coreógrafo Fábio de Mello, a comissão de frente veio fantasiada com a fantasia \"Os Signos do Zodíaco\". A primeira ala foi motivo de tensão, pois alguns componentes se atrasaram. Parte das fantasias chegou em cima da hora. Fábio de Mello ficou irritado e chegou a dizer que não trabalha mais com a Estácio.

Os carros da escola estavam muito bonitos e bem acabados e as fantasias luxuosas. Mas a empolgação dos componentes estava aquém do esperado. Faltou mais vibração e mais canto.

O carnavalesco Cid Carvalho fez jornada dupla. Também é carnavalesco da Mocidade Independente de Padre Miguel, no Grupo Especial.

As 85 baianas foram um dos pontos de destaque do desfile. Elas estavam fantasiadas de profetisas da antigüidade. Detentoras de sabedoria milenar possuíam o poder de profetizar o futuro.

O primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira, David Nascimento e Roberta Freitas, foi para a Sapucaí fantasiado com a roupa de nome \"Decifrando os Céus e Prevendo o Futuro\". A fantasia da porta-bandeira representou a Lua e as Estrelas e a do mestre-sala, o Sol. Mas eles pareciam muito nervosos e não fizeram uma boa apresentação na terceira cabine de jurados. Além disso, parte da roupa da porta-bandeira se soltou, o que pode comprometer ainda mais a nota.

A bateria é comandada por mestre Esteves levou 255 ritmistas, com a fantasia \"Culto Pagão ao Sol\"

Desfile carro a carro

O carro abre-alas é \"No Passado, a Arte de Prever o Futuro\" entrou na avenida com um imponente Leão, símbolo da Estácio de Sá e um dos signos do horóscopo, conduzindo a escola numa viajem através da história da arte profética. Na parte frontal da alegoria um mapa com signos do horóscopo simboliza a primeira tentativa do homem em decifrar os céus e prever o futuro. Um grande elefante central fazia referência à civilização indiana, onde se originou o Tarô. Nos quatro cantos da alegoria, esculturas e bigas puxadas por cavalos representam antigas civilizações, berços da arte profética: Grécia, Roma, China, Egito.

O segundo carro foi chamado de \"As Apocalípticas Profecias Bíblicas\". Inspirado nos relatos do Livro das Revelações do Apóstolo São João, a alegoria representou a eterna luta entre as \"forças do bem\" (luz e anjos) e as serpentes malignas (trevas e purgatório), onde os pecadores seriam castigados no fim dos tempos pelos Cavaleiros do Apocalipse.

\"Inquisição ' A Caça às Bruxas\" foi a terceira alegoria, representando um castelo medieval.

\"O Enigma de Nostradamus\" foi a quarta alegoria, trazendo referências a algumas de suas famosas profecias: um tanque na parte frontal simboliza a visão profética das grandes guerras mundiais, assim como peixes elétricos e pássaros futuristas na parte central, antecipavam o surgimento dos submarinos e aviões. Fechando a Alegoria a figura de Nostradamus cercado por videntes e pela figura mitológica de Fênix (que renasce das cinzas) simboliza a vitória da arte profética renascentista sobre a Inquisição Católica medieval.

Brasil, Caldeirão das Adivinhações foi o quinto e último carro. Da figura central na cor branca representando Oxalá, passando pelas ciganas com suas roupas coloridas e alegres que através da leitura das mãos e das cartas podem prever o futuro, até os Pajés, espécie de sacerdote, curandeiro e adivinho dos primeiros habitantes do Brasil, esta alegoria representa o convívio harmonioso entre as várias tradições da arte profética que fazem do Brasil um fantástico caldeirão das adivinhações.


Comentários
  • Avatar
    03/02/2008 15:22:08FernandoAnônimo

    Acredito que o prezado colunista não assistiu aos desfiles, Estacio estava radiante e seus componentes cantavam o samba, ja a União da Ilha que tinha um samba bem conhecido porém enfadonho parecia cansada e sem motivação acreditan

  • Avatar
    03/02/2008 12:41:02Bira MadureiraMembro SRZD desde 13/04/2009

    Comissão de frente lenta? Realmente o site não acompanhou o "antes"do desfile. Dependíamos do carro andar p/ andar também.

  • Avatar
    03/02/2008 10:01:26Jose CarlosAnônimo

    Meu Deus!!!! Como seria bom ver de novo a Grande Estacio nos tempos gloriosos (Pauliceia Desvairada, TITITI no Sapoti

  • Avatar
    03/02/2008 09:54:28DeniseMembro SRZD desde 08/04/2009

    Linda a escola. Em termos plásticos e leitura do enredo. Só a colocaria um pouco mais abaixo do trio Império, Ilha e Caprichosos por causa de alguns errinhos, tipo a comissão de frente, que es

Comentar