SRZD


20/02/2011 09h34

Policiais confundem rapadura com crak e prendem mulher no interior de São Paulo
Redação SRZD

Foto: Reprodução de TVDurante uma operação policial na cidade de Ourinhos, interior de São Paulo, uma professora recebeu voz de prisão por causa de uma rapadura. Os agentes receberam informações de que uma mulher estaria transportando drogas para a capital paulista em um ônibus e revistaram vários veículos em uma base da Polícia Rodoviária em Santa Cruz do Rio Pardo.

Quando revistavam um dos ônibus que haviam parado, encontraram uma embalagem suspeita dentro da bolsa de uma mulher e deram voz de prisão a ela ainda dentro do veículo e a algemaram na frente de todo mundo. De acordo com Angélica Jesus Batista, a policial que a abordou disse que era muita droga e a algemou enquanto era retirada do ônibus.

Mais tarde os policiais descobriram que Angélica não transportava crack, mas, sim, um tablete de rapadura que levava de presente para o namorado. Desfeito o mal entendido, a professora foi liberada e registrou boletim de ocorrência por constrangimento. A verdadeira traficante foi presa com 2 kg de crack em outro ônibus, horas depois. Apesar de ter afirmado que os policiais agiram dentro do padrão, o delegado seccional de Ourinhos disse que vai investigar o caso.


Veja mais sobre:CrackSão Paulo

Comentários
  • Avatar
    21/02/2011 16:41:44E.T.Anônimo

    DEVERIAM DEMITIR ESSES POLICIAIS INCOMPETENTES E IRRESPONSAVEIS E INDENIZAR COM UM BOM VALOR A VÍTIMA DESTA LAMENTAVEL OCORRENCIA!!!

  • Avatar
    20/02/2011 14:48:43vida que segueAnônimo

    polícia mal preparada e incompetente essa é a polícia do psdb,com a palavra o "governador"alckmin.será que a rede globo e a bandeirantes notórias defensoras dos tucanos irão noticiar o fato vergonhoso.

  • Avatar
    20/02/2011 13:13:05UirapotiAnônimo

    Ã? Verdade, Andrea, principalmente se estes produtos forem conduzidos por nordestinos, recém chegados em São Paulo, a Capital brasileira da discriminalização social, nordestinos em São Paulo só servem para votar,e mais nada o resto é "couro".

  • Avatar
    20/02/2011 13:03:17ANDREA REGINA CAMPOSAnônimo

    Ã?EEH PROF!.... E AINDA DIZEM QUE A RAPADURA Ã? MOLE!..AGORA? MAIS CUIDADO EM CARREGAR SAL, TÁLCO,COMPRIMIDOS ETC,ETC,ETC...

  • Avatar
    20/02/2011 11:07:49TavaresAnônimo

    Por constragimento e danos morais a professora deveria processar o Governo do Estado de São Paulo, afinal de contas os Policiais são funcionários do Estado, agora é um absurdo confundir rapadura com crack, até um leigo conhece rapadura, logo em São Paulo, que é o Estado Record de ter nordestino, a não ser que seja discriminação com os brasileiros nascidos no Nordeste, que sofrem preconceitos em São Paulo, principalmente pessoas humildes, que vão em busca de oportunidades de uma vida melhor, e acabam se decepcionando..

Comentar

Isso evita spams e mensagens automáticas.