SRZD


28/03/2011 20h19

Iron Maiden: show de horrores na HSBC Arena
Luiz Felipe Carneiro

Foto: Reprodução de internetA ideia era escrever sobre o show do Iron Maiden, programado para ontem na HSBC Arena, no Rio de Janeiro. Mas o show não aconteceu. Durou apenas uma música. Certamente a apresentação mais rápida da história da Donzela de Ferro. Não tem muito tempo, eu escrevi um texto sobre a organização ridícula do show da Amy Winehouse na mesma Arena. Infelizmente, terei que repetir a ladainha novamente.

Mesmo em um domingo, é impossível chegar à Arena em menos de uma hora - e isso porque moro no mesmo bairro. Depois de estacionar o carro, você anda um quilômetro até chegar ao local do show. Tudo bem, reclamar disso é frescura. Show de rock tem dessas coisas. Mas você já demorou uma hora e meia para entrar em um show? Eu não, e olha que já vi show no Maracanã para quase 150 mil pessoas, e isso sem contar os do Morumbi, do Wembley Stadium e da Arena de Amsterdã, cuja única semelhança com a Arena do Rio é o nome, graças a Deus.

Era uma fila de uns dois quilômetros, que deve ter andado cem metros nos primeiros 85 minutos. Nos outros cinco, eu já estava dentro da Arena. Sem revista nenhuma, porque, óbvio, a produção teve que liberar logo o público, antes que acontecesse uma catástrofe.

Lá dentro, os mesmos problemas de sempre. Fila para banheiros, as dependências do local caindo aos pedaços e tábuas de madeira ridículas e perigosas para cobrir o chão da Arena. E a tal da pista VIP, que custou 400 reais (e mais taxa de inconveniência), ocupava 70% da Arena. Nunca vi algo tão tosco na minha vida.

O show de abertura quase ninguém conseguiu assistir. E o do Iron Maiden, nem a banda conseguiu fazer. Na metade da primeira (e única) música do roteiro, "The final frontier", o alambrado que separava a plateia do palco foi derrubado. Aí você me diz que a plateia é mal educada e tal. Mas não. Bruce Dickinson não cantou nem por dois minutos. O restante da banda, no entanto, tocou a canção inteira. Ao final, o vocalista disse que a banda sairia do palco para consertar o alambrado. Uma meia hora depois, ele voltou com a tradutora para informar que nunca tinha visto um alambrado tão tosco em toda a sua carreira (só trinta anos), e que não tinha a mínima condição de continuar o espetáculo. Nem ouvi a explicação inteira. Fui embora antes de o público começar a depredar a Arena - o que realmente acabou acontecendo. Antes, ainda conversei com um segurança. Ele me disse apenas uma frase, que reproduzo aqui: "Esse lugar não tem a mínima condição de receber essa quantidade de gente." Não cabia nem mais um mosquito na Arena, mas os ingressos estavam sendo vendidos até a hora em que o show começou.

Por que o Rio de Janeiro, volta e meia, tem problemas para organizar um show? Será que os produtores pensam que é só vender ingresso (pelos olhos da cara) e fica tudo por isso mesmo? A gente é tratado como gado e ninguém faz nada. Como diz uma letra dos Engenheiros do Hawaii, a gente paga ingresso pra levar porrada. Os fãs reclamam, esperneiam frente às câmeras de televisão, e tudo fica por isso mesmo. O Ministério Público desperdiça o seu tempo em besteiras (lugares marcados no cinema, como conseguia viver sem isso?), só aguardando uma verdadeira catástrofe acontecer. E um dia ela vai acontecer. A gente acha que não; que tudo se resolve na hora. Mas não custa lembrar as oito pessoas que morreram em um show do Pearl Jam num festival na Dinamarca, em 2000.

Na Arena, eu vi várias pessoas com escoriações, que caíram no chão quando o alambrado cedeu. E aí? Se elas processarem a empresa organizadora, quanto ganharão de indenização? O valor do ingresso? E cadê o dano punitivo? Se um juiz condenasse essa empresa a pagar cem mil reais para cada fã lesado, eu duvido que uma palhaçada dessa voltasse a acontecer. Além de pagar, a empresa tinha que ter o seu registro devidamente cassado, para nunca mais poder organizar um show, e não colocar a vida das pessoas em risco.

E o Iron Maiden é culpado? De certa forma, entendo que sim. Acho que os artistas internacionais tinham que se informar melhor sobre as empresas que organizam os seus shows aqui no Brasil. O U2, por exemplo, estava prestes a fechar um quarto show no Morumbi no mês que vem. Desistiu por causa da desorganização na venda dos ingressos. Pelo menos tomou uma atitude, ainda que tardia.

Se eu fosse o Iron Maiden, terminaria a turnê pelo Brasil (ainda faltam quatro shows), e depois voltaria ao Rio de Janeiro, para se apresentar em outro lugar (Apoteose, Engenhão ou o que quer que fosse) que não a HSBC Arena. O local provou que não tem a mínima condição de receber um show do porte do Iron Maiden. E os organizadores provaram que não tem a mínima condição de organizar nem um show do Trio Ternura no Paivense.

* Luiz Felipe Carneiro é jornalista e escreve no blog esquinadamusica.blogspot.com.


Veja mais sobre:Iron Maiden

Comentários
  • Avatar
    03/04/2011 16:32:17Rafael CoelhoAnônimo

    Graças a Deus conseguir na segunda, mas Domingo estava uma loucura! Eu cheguei lá 7:30h, a fila estava depois do parque aquático, bem além do HSBC Arena, e em 30 minutos a fila só andou 20 metros. Minha única oção era furar fila, pois se o show começasse com gente fora, ia ser um quebra-quebra só! Então, consegui furar, não me especionaram, e pra variar, o show foi adiado. Mas segunda-feira foi ótimo!!!

  • Avatar
    02/04/2011 03:42:19RICARDO BA$$MANAnônimo

    Isto é uma vergonha, a produção cobram um absurdo de ingresso e nada de estrutura pro povo!

  • Avatar
    30/03/2011 16:06:53Bruno SilveiraAnônimo

    Vou entrar com um processo de perdas e danos, cobrando não só o valor do ingresso, mas também o valor das passagens aéreas, taxi e ainda vou cobrar um dia de serviço que tive que perder para ir ao show. Vou cobrar isso como danos materiais e o dobro disso como danos morais. A minha dúvida é: contra quem entrar? Entro contra o HSBC Arena ou contra a Mondo Entretenimento?

  • Avatar
    29/03/2011 21:51:48Evandro FalquetoAnônimo

    Concordo plenamente com o Alberto!!! E com o Seu relato Luiz Felipe... Eu sou fanatico pela banda Iron Maiden.. Mais graças a deus.. infelizmente ou felizmente eu nao pude comparecer ao show... Agora é ir no Ozzy em BH. E Rock in Rio... Eu gostaria muito que o Medina estive colocado a Banda Iron Maiden.. Como está no site oficial do Iron.. Eles encerram os shows no Brasil... Já que é assim encerrem mais com chave de ouro.. Rock in Rio com Iron ia ser massa... Será que deixaram de tocar?? Acho que nao.. Um forte Abraços....

  • Avatar
    29/03/2011 16:00:22AlbertoAnônimo

    Continuação do comentário anterior, que foi cortado: Amanhã estarei entrando com um processo no juizado especial, pedindo a devolução do valor dos ingressos, a devolução do valor do aluguel da van, a devolução em dobro da taxa de conveniência cobrada para compras na internet, danos morais e tudo que tiver direito. E pretendo depois criar um blog descrevendo todos os procedimentos necessários para abrir o processo, no intuito de incentivar outras pessoas a fazerem o mesmo, pois acho que só assim conseguiremos alguma coisa, como sociedade organizada, pelo menos evitar que essa empresa picareta continua o lesar outras pessoas sem que nada aconteça. Conclusão, não pude voltar na segunda, por motivos de trabalho, e a minha esposa continua inconsolável e a menina, filha do meu amigo, estava em prantos e sem querer nem ouvir falar mais no Iron Maiden. Um abraço, Alberto Carvalho

  • Avatar
    29/03/2011 15:53:37AlbertoAnônimo

    Gostaria de fazer alguns breves comentários sobre o seu texto e sobre o ocorrido. Estava lá, nas cadeiras do setor 3, e o público não chegou a depredar esse lixão, chamado HSBC Arena. Na sua grande maioria, o público saiu de forma tranquila e ordenada. Houve alguns fatos isolados, como um rapaz na minha frente acionando um extintor de incêndio e o bico que eu não resisti a tentação e dei numa lixeira. Tirando esses atos de vandalismo explícito, hehehe, não vi nada de mais grave. E fiquei bastante tempo na área do bar, conversando com amigos e tentando consolar a minha esposa, que estava muito chateada por não ter conseguido realizar o seu sonho de ver o Iron Maiden ao vivo. Sobre a culpa da banda, acho que ela tem a sua parcela de culpa sim. Se são tão profissionais como dizem ser, a sua equipe de segurança deveria ter feito antes uma vistoria melhor nas condições de segurança da espelunca, principalmente da tal barreira de segurança, que o próprio Bruce disse ser tão importante assim. Deveriam ter feito isso com antecedência, bem antes do show, afinal de contas não estão começando agora, muito pelo contrário, e já devem ter tido alguns probleminhas com isso nos seus vários anos de carreira e de shows. Mas, enfim, a culpa maior é da (des)organizadora e promotora do show! Cheguei às 19:15 horas, e, para minha surpresa, os portões marcados para serem abertos às 18:30 horas ainda estavam fechados. A fila era quilométrica, não andava e o caos era total. Sai procurando o seu final e não consegui encontrar. Como estava com a gente a filha de um amigo, uma "criança" de 14 anos, resolvi tentar entrar pela fila de convidados/camarotes/deficientes/gestant es e depois de muita conversa conseguimos entrar. Amanhã estarei entrando com um processo no juizado especial, pedindo a devolução do valor dos ingressos, a devolução do valor do aluguel da van, a devolução em dobro da taxa de conveniência cobrada para compras na inter

  • Avatar
    29/03/2011 09:35:57ronaldoAnônimo

    Cara, todo mundo cobra uma possição da banda ou dos desorganizadores, mas o público tb tem como deixar de lado esse local, já não é novidade que esse local não tem condições de receber show de grande público então não vá. Em São Paulo o show foi dez.deixem o local para show do tiririca.

  • Avatar
    29/03/2011 09:04:06nando-rjAnônimo

    esse local horroroso devia só organizar shows da sandy, o iron maiden que tem uma legião de fãs estava claro não deu nem para o começo.os relatos são escabrosos e depois quando determinadas bandas não querem vir tocar no rio de janeiro nós ficamos na saudade.esse pardieiro devia ser fechado.

  • Avatar
    28/03/2011 22:44:37MarciaAnônimo

    Quem nao pode ver o show devido à grade montada com fita adesiva tambem sofreu com a falta total de estrutura, sem conduçao, sem estacionamento, banheiros sem condiçoes de uso,funcionários da produçao perdidos. Mas devolvem os ingressos a partir do dia 4. Certamente vou viajar 300 kilometros de novo e pagar 4 pedágios para esquecer o pesadelo. Ahhhhhh, que bom!!!!!!!

  • Avatar
    28/03/2011 22:38:50RobsonAnônimo

    Adoro o Iron, mas, quando soube que o show iria acontecer no Arena, acabei desistindo. Eu profetizei que ia dar errado. Graças a Deus ninguém morreu! Paga-se caro para ser tratado como gado! A realidade é que o RJ não tem NENHUM lugar adequado para shows. A Apoteose cabe 40 mil pessoas, mas, não é coberta, e quando chove o desconforto é total. Os organizadores tem que ser menos gananciosos e mais profissionais. Cuidado! O próximo é do OZZY!

  • Avatar
    28/03/2011 22:34:35JoseAnônimo

    Acho que os produtores deveriam ter respeito acima de tudo com o publico, o agente da banda ter solicitado maiores informações sobre o local também, a policia, corpo de bombeiros e a autoridade que liberou o alvara tem sua responsabilidade, revista que noa houve, e se entra um maluco armado, a sede de ganhar dim dim da nisso e que de ferra é o publico, quando sera que vao aprender, acho que deveriam ter um curso com o organizador do Rock in Rio pelo menos para nao fazer bobagem.

  • Avatar
    28/03/2011 22:24:05jaoAnônimo

    Faltou vc falar que nao teve nenhum tipo de revista.. se vc quisesse entrar com uma faca ou arma de fogo estava liberado

  • Avatar
    28/03/2011 22:10:36Vinícius Almeida PlasterAnônimo

    Realmente, concordo com tudo que foi dito, e como o rapaz acima, estava lá, e agora como sou de Vitória ES, não tenho a chance de estar assistindo ao show. Frustrante.

  • Avatar
    28/03/2011 21:43:03Gabriel FariaAnônimo

    Eu estava lá e, quando digo lá quero dizer na grade, na primeira fila de pessoas loucas para ver o show de uma banda magnífica! Como é de se esperar, o empurra-empurra no começo do show foi grande, mas não o suficiente para quebrar uma barreira bem feita (ROCK IN RIO...250 MIL PESSOAS....NENHUMA BARREIRA QUEBRADA) A barreira quebrada estava localizada a direita do palco, no entanto, a barreira a esquerda do palco (onde eu estava) estava prestes a ceder, na verdade ela foi levantada e só não quebrou pois as pessoas da primeira fileira fizeram força para trás e houve cooperação daqueles fãs que entenderam que existia um problema. A falta de infraestrutura, logística e respeito são imensuráveis. A decepção de ter ficado 10 horas na fila (GENTE, SÃ?O 10 HORAS EM UMA FILA! NO CALOR DO RIO!) para NADA é grande! Sou de Belo Horizonte, o show está acontecendo nesse momento, eu estou indo dormir.

Comentar

Isso evita spams e mensagens automáticas.