SRZD


16/05/2011 18h14

Vaz Lobo no chão. Viva o progresso! E a cultura popular?
José Carlos Netto

Estupefato fiquei ao passar pela Avenida Edgar Romero e deparar com a velha quadra da Escola de Samba União de Vaz Lobo totalmente desclareada. Literalmente no chão.

A União de Vaz Lobo é uma das escolas de samba mais antigas da cidade. Fundada nos idos de 1930, pela família da saudosa PB Juju, foi ao longo de 83 anos uma espécie de fiel da balança ao revelar talentos mil, entre compositores, passistas e MP e PB.  Sua sede, sempre esteve encravada no eixo Vaz Lobo / Madureira.

Foi a escola de samba que revelou para o mundo do samba duas maiores portas-bandeiras da história: a saudosa Juju, que mais tarde ganhou o apelido de Maravilha, quando passou a integrar escolas de samba do porte da Portela, Império Serrano e Beija-Flor de Nilópolis e outras.

A União de Vaz Lobo revelou ainda aquela que é a maior delas todas: primeiro ainda na Avenida Rio Branco; depois na Presidente Vargas e finalmente na Marquês de Sapucaí. O seu nome? "É claro que estou falando de Vilma Nascimento, a nossa 'sempre' Cisne da Passarela".

Só por isso a União de Lobo merecia uma melhor sorte e um tratamento direito por parte do nosso alcaide-mor Eduardo Paes. Pois pasmem, os fieis leitores, que em nome do progresso, o nosso EP mandou às favas a velha quadra da União de Vaz Lobo. Tudo virou pó por lá. Ao que o JCN apurou, no local vai ser tocada uma das trilhas da tão esperada Via Transcarioca.

Em nome do progresso, tudo bem. Afinal a mui leal e histórica cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro vai sediar, em 2014, jogos da Copa do Mundo, e em 2016, a grande Olimpíada.

Só que Sua Excelência deixou escapar um pequeno detalhe: a Escola de Samba União de Vaz Lobo, embora hoje seja uma agremiação de porte menor, no passado foi tão grande como Portela e Mangueira. É justamente em nome desse passado que a União de Vaz Lobo estava por merecer sorte melhor.

Afinal a diretoria da União da Vaz Lobo há anos ocupava aquele espaço tendo efetuado várias e várias obras de melhoria no terreno em questão. A prefeitura alega que pagou a verbinha de 48 mil contos de reais - uma mixaria - entende o JCN - ao proprietário do terreno. Só que agora não arranjou outro espaço para localizar a nova quadra da escola de samba. Maldade pura do prefeito.

Aliás, de há muito que o Rio sofre com esse tipo de agressão à sua Cultura Popular. São quadras de samba que vão ao chão, campos de futebol de pelada que são aterrados. Aqui no Rio, ainda prédios antigos são incendiados criminosamente para depois os locais virarem estacionamento rendendo milhões em verbinhas para certos espertinhos.  

A Cultura Popular de uma cidade deveria ser o seu bem maior. O Poder Público, aqui do Rio de Janeiro, deveria atentar para esse detalhe. Na cidade de São Luís, bela capital do Maranhão, há anos, apesar das crescentes críticas contra a família Sarney, por seguidas determinações governamentais, a própria cidade e seus folguedos populares são rigorosamente preservados. Em São Luís, nem mesmo aos prédios da época do Príncipe João Maurício de Nassau, é permitido uma simples descaracterização.

Aqui no Rio, como se fosse à época do lendário prefeito Francisco Pereira Passos é tal "bota abaixo" que não acaba mais, sem que as obras aconteçam na mesma rapidez. O mínimo que a prefeitura deveria fazer é conseguir um novo local e, lá, processar obras de imediato de construção de uma quadra para a União de Vaz Lobo, como, aliás, já fez com a Imperatriz Leopoldinense, Cacique de Ramos e outras agremiações.  

A oitentona União de Vaz Lobo ainda precisa continuar sendo uma fonte de cultura popular desse tão combalido Rio, no aspecto de cultura popular, mas que apesar disso tudo nós ainda o amamos. A história do samba agradeceria.

Pense nisso, nosso bom alcaide Eduardo Paes!


Comentários
  • Avatar
    05/01/2012 11:12:48Everton LimaAnônimo

    é totalmente descabido dizer q quem defende a cultura popular e suas tradições é contra o progresso. pois o progresso só existe por conta do q foi erguido e conquistado no passado. ñ basta achar q as coisas q advém do progresso surgiram do nada. manter a tradição da cultura popular é, sim, sedimentar a estrada p/ as transformações. a União de Vaz Lobo merece um tratamento à altura de sua importância histórica p/ o carnaval carioca. o Governo está aí p/ isso e a iniciativa privada, q se vangloria em ser tão digna, deveria estar tb. SALVEM A UNIÃ?O DE VAZ LOBO. sem ela, muito do q se vê hoje no carnaval nem existiria. um grande abraço p/ vc, JCN!

  • Avatar
    04/01/2012 00:40:45jGydNbZTAtFRuOgZkAnônimo

    The asnwer of an expert. Good to hear from you.

  • Avatar
    02/01/2012 15:26:49SdvcMnETMHOyPGilAnônimo

    I might be bateing a dead horse, but thank you for posting this!

  • Avatar
    02/06/2011 14:54:13Francisco Pereira de MeloAnônimo

    Caro Amigo JCN mais uma vez o distinto escriba me deixa feliz,sabemos nos que existe uma politica a caminho para acabar e sucubir de vez com algumas escolas de sambas,por outro lado temos presidentes inoperantes que contribuem para o que os politicos tanto desejam,dando de certa forma sua contribuição,não colocando carnaval na rua,não prestando contas,negociando resultado de carnaval entre outras coisas,Aquela conversa antiga sobre as escolas de sambas da baixada desfilam no municipio do Rio de Janeiro esta volta,nao sera supresa nenhuma se as escolas de sambas da baixada fluminense tiverem que deixar de desfilar no Rio,por isso venho dizendo a algum tempo,temos que começar a pensar na criação de uma liga ou associação na Baixada fluminense ou cada cidade da região citada cuidar de seus carnaval pense!!!

  • Avatar
    19/05/2011 13:20:39cavacaMembro SRZD desde 15/02/2013

    Porque o politico que voce citou no post anterior não ajuda a escola politicamente? Até porque segundo cartaz estampado na quadra ele é patrono da escola.

  • Avatar
    19/05/2011 12:35:23Bernard NascimentoAnônimo

    Eu concordo com o JCN, acredito que deve acontecer o progresso sim, mas ao mesmo tempo não podemos esquecer uma escola de samba, que embora hoje não esteja em boas condições, já teve um passado de glorias e como ele mesmo citou lançou grandes personagens do nosso carnaval. Acho também que os amigos que já comentaram essa matéria deveriam ter mais respeito com a história da escola e com o JCN, pois não chegaram agora no carnaval.

  • Avatar
    17/05/2011 20:57:53LuisAnônimo

    Nunca vi a Vaz Lobo sequer na sapucai,.Uma escola que passa 50 anos no último grupo, tem mais e que desfilar no bairro.

  • Avatar
    17/05/2011 11:16:00lopesAnônimo

    A questao do progresso e inevitavel porem acredito ser uma causa perdida lutar contra isso.O que acontece na realidade e que certos centros de cultura como e o caso da VAZ LOBO nao sao tao populares assim.Tem vizinhos muito mais atrativos e parece ser o caso de uma escola pequena ser esmagada (nao intencionalmente) por estar proxima geograficamente a pelo menos 2 co-irmaes de maior peso.Talvez se fosse em outro lugar a VAZ LOBO tivesse outra sorte.Mas tb deve-se registrar uma certa acomodacao historica dessa agremiacao em ser a "prima pobre da area" .Registro tb deve ser feito a situacao similar que produziu um resultado oposto que e a UNIDOS DE PADRE MIGUEL.Eclipsada durante decadas p/ MOCIDADE se reestruturou e hj desfila proximo ao grupo especial.O mesmo tb pode ser dito em respeito a DIFICIL E O NOME de PILARES que sempre esteve abaixo da CAPRICHOSOS e em 2012 desfilara lado a lado no mesmo grupo.Portanto, chegamos a conclusao que o PROGRESSO respeita competencia estabelecida e tao somente 2 a 3 nomes ilustres do passado nao bastam para provocar um desvio na estrada da modernidade.Tem de se ter peso popular que infelizmente a agremiacao apos 80 anos (repito 80 anos) ainda nao conseguiu conquistar.Por ultimo o exemplo da "cosmopolita e internacional" SAO LUIS que economicamente deve lutar bravamente ombro a ombro se tanto com a economia do bairro de MADUREIRA , nao foi um momento feliz do comentarista,mas esta perdoado.ABRACOS.

  • Avatar
    17/05/2011 10:09:38JuarezAnônimo

    Ã? gente chata, se não fazem obras, reclamam. Se fazem reclamam mais ainda. Quem vive de passado é museu!

Comentar

Isso evita spams e mensagens automáticas.