SRZD


21/06/2008 20h45

Nova Iguaçu vence o Americano e se sagra campeão da Copa Rio
Colin Foster

Baixe  o papel de parede do campeão

Que Holanda, que nada, a verdadeira Laranja Mecânica é o Nova Iguaçu. Numa partida emocionante do início ao fim, e com um futebol de alta qualidade, a equipe da Baixada Fluminense derrotou o Americano por 3 a 2, em pleno Godofredo Cruz, e se sagrou campeã da Copa Rio. Os gols do visitante foram marcados por Zambi e Marcos Vinícius (2). Pelo lado do Americano, Bruninho e Juninho balançaram a rede. Com o título, o Nova Iguaçu se classificou para a Copa do Brasil de 2009. O Americano disputará a Série D, também no próximo ano.

Marcada para começar às 15h, a partida somente teve início 40 minutos depois, devido a um atraso do trio de arbitragem. Com a bola rolando, o Americano, apoiado pela torcida, partiu para cima, já que precisava reverter a derrota de 1 a 0 sofrida no jogo de ida. Logo aos três minutos, Bruninho arriscou de fora da área, sem levar grande perigo ao gol de Diogo.

Com uma defesa forte, o Americano jogava melhor e diminuía os espaços do Nova Iguaçu, que centralizava as jogadas no atacante Capixaba. Porém, esse domínio não durou mais do que 10 minutos. Após um recuo mal feito pela zaga do Cano, o atacante adversário, Zambi, tomou a bola, trombou com o goleiro e caiu dentro da área. A sensação de pênalti ficou no ar, mas o árbitro mandou seguir o jogo.

Aos 15 minutos, o primeiro chute do Nova Iguaçu ao gol. Paulo Henrique pegou de fora da área, mas a bola passou por cima da trave de Jeferson. Quatro minutos depois, o Americano ameaçou, em falta bem cobrada por Anderson, que Diogo Silva espalmou para escanteio. Aos 23, a resposta do Nova Iguaçu. Zambi, que infernizava a defesa adversária com jogadas de velocidade, chutou, mas Jeferson espalmou.

Sempre buscando a jogada pelas pontas do campo, o Americano quase marcou, após bela jogada de Bruninho. O meia-atacante recebeu na direita e, mesmo marcado por três jogadores, conseguiu girar e invadir a área, mas na hora da finalização pegou mal e a bola passou longe do gol.

Ao passo que o jogo esquentava, a qualidade do futebol aumentava. A partida ficava cada vez mais aberta, já que nenhum dos treinadores tem, por característica, colocar seus times na defesa. Aos 30 minutos, o primeiro grande lance do Nova Iguaçu. Capixaba recebeu na entrada da área, girou, e chutou. A bola bateu na trave, e voltou em cima de Jéferson, que espalmou para escanteio.

Errando muitos passes e parecendo assustados em campo, os jogadores do Americano irritavam o técnico Toninho Andrade, que gritava: "Vamos colocar mais coração! Isso é uma decisão!". Porém, o último lance de perigo do primeiro tempo foi do Nova Iguaçu, com Marcus Vinícius. O meia arriscou uma cobrança direta, de muito longe, e a bola passou perto da trave esquerda de Jéferson.

Segundo tempo de alto nível

Se no primeiro tempo as equipes já apresentavam um bom futebol, na segunda parte a partida ganhou contornos de espetáculo. E era o Nova Iguaçu quem mais encantava, ao contrário da também laranja Holanda, que era derrotada pela Rússia na UEFA Euro. Logo aos dois minutos, Zambi quase marcou um golaço. O atacante recebeu na ponta esquerda, puxou a bola para o meio da área, e mandou no ângulo. A bola, caprichosamente, bateu na trave.

Seguindo exatamente a proposta do técnico Édson Souza, a equipe da Baixada se defendia muito bem, em bloco, e o Americano não conseguia furar a zaga adversária. Aos 15 minutos, o Nova Iguaçu, de tanto insistir, chegou ao primeiro gol. Após cruzamento da direita, em mais uma jogada rápida, típica da Holanda, Zambi escorou, e Jéferson deu golpe de vista. A bola entrou vagarosamente no fundo do gol.

Porém, quando todos achavam que o Americano sentiria o gol, a resposta veio da melhor forma. Após bate-rebate dentro da área, Bruninho dominou e tocou, na saída do goleiro Diogo, para empatar a partida. A torcida campista, que estava calada, foi ao delírio e começou um verdadeiro show nas arquibancadas.

Logo após o gol sofrido, o zagueiro Leonardo, lesionado, precisou sair. Para surpresa de muitos, Édson Souza lançou o meia-atacante Diego Salles em campo. A ousada substituição logo surtiu efeito. Aos 25, o jogador recebeu passe de Rafael pela direita, avançou, e tocou para trás. Marcos Vinícius, que chegava de trás, pegou de primeira. Incrivelmente, a bola furou a rede do goleiro Jéferson, dando a impressão de que tinha ido para fora, o que retardou a comemoração da pequena, mas animada, torcida do Nova Iguaçu.

Com dois gols de desvantagem, o Americano se lançou todo à frente. Aos 27 minutos, Flávio recebeu dentro da área e chutou, mas a bola foi em cima de Diogo Silva. Dois minutos depois, após bola alçada na área, a bola sobrou para o zagueiro Gil, que chutou, mas Diogo Silva defendeu novamente.

Apostando na correria e nos chutes de fora da área, o Americano conseguiu o empate aos 34 minutos. Juninho, que entrara há menos de dez minutos, chutou de longe, sem força, e Diogo Silva aceitou. A sensação de que o Americano conseguiria o gl de empate, assim como a Rússia contra a Holanda, aumentava.

Apoiado pela torcida, que cantava mais alto ainda, o Americano foi para o tudo ou nada. Mas o relógio passava rápido para os alvinegros, que sofreram o golpe final aos 42 minutos. Numa rápida jogada de contra-ataque, Diego Salles recebeu pela direita e cruzou para Marcos Vinícius. O meia pegou de primeira e marcou um belo gol, o seu segundo na partida. Era o gol do título da equipe laranja.

Após mais alguns minutos de pressão do Americano, o apito final. Festa geral dos torcedores e dos jogadores do Nova Iguaçu, que conquistava seu primeiro título da Copa Rio e sua primeira classificação para um competição nacional. Aplausos da torcida alvinegra para seus jovens jogadores, mesmo com a derrota. O ponto negativo foi que, logo após a premiação, os responsáveis pelo jogo apagaram todas as luzes do estádio, deixando os jogadores do Nova Iguaçu e jornalistas às escuras.

A partida

Estádio Godofredo Cruz (Campos dos Goytacazes-RJ) 15h

Árbitro: Wagner dos Santos Rosa

Assistentes: Marcos Tadeu Peniche e Orlando Hortêncio

Americano: Jeferson; Alex (Juninho), Nirley (Marcio Coutinho), Gil, Pirão; Dejair, Anderson, Diego (Gérson), Bruninho; Flávio e Café. Técnico: Toninho Andrade

Nova Iguaçu: Diogo Silva; Juan, Ajala, Leonardo (Diego Salles); Paulo Henrique, Dé, Alex Faria, Marcos Vinícius, Amarildo; Capixaba (Rafael) e Zambi (Warlei). Técnico: Édson Souza.

Gols: Zambi (15' 2ºT), Marcos Vinícius (25' e 42' 2ºT) - Nova Iguaçu; Bruninho (21' 2ºT), Juninho (34' 2ºT)

Cartões amarelos: Ajala, Marcos Vinícius e Zambi - Nova Iguaçu; Gil, Flávio e Café (Americano).


Comentários
  • Avatar
    18/03/2010 23:30:39ED pillsAnônimo

    polyrhythm contemporary researcher commerce year overboard occasional callously subversion brow trick

  • Avatar
    23/06/2008 10:43:00Rodrigo CarvalhoAnônimo

    Parabéns aos dois clubes, que investiram na garotada da base e chegaram às finais. Belo jogo....venceram o Nova Iguaçu, e o futebol.

  • Avatar
    23/06/2008 10:35:34Anderson SlothMembro SRZD desde 07/04/2009

    Parabéns ao FutRio pela excelente cobertura da final da Copa Rio. Mostrou todos os detalhes desse jogão!

  • Avatar
    22/06/2008 23:46:33Jorge Jr.Anônimo

    Simbolo antigo!

  • Avatar
    22/06/2008 18:36:36MarcosMembro SRZD desde 17/08/2011

    Parabéns ao Nova Iguaçu pela conquista da Copa Rio e classificação para Copa do Brasil de 2009. Aproveito para informar aos editores do Futrio que o placar do lado direito da página está marcando: AMERICANO 3 X 2 NOVA IGUAÃ?U, QUANDO NA REALIDADE TERIA QUE SER AMERICANO 2 X 3 NOVA IGUAÃ?U. Abração.

  • Avatar
    21/06/2008 22:01:49CassiusMembro SRZD desde 28/05/2010

    Parabéns, Nova Iguaçu! Parabéns ao Americano, também, chegou muito mais longe do que eu esperava. Acertei, finalmente, os chutes de campeão e terceiro colocado. http://jogosaesmo.wordpress .com

Comentar

Isso evita spams e mensagens automáticas.