SRZD



Sidney Rezende

Sidney Rezende

ATUALIDADE. Jornalista, diretor do SRZD e um dos profissionais mais inovadores do país.

* Os textos desta seção não representam necessariamente a opinião deste veículo e são de responsabilidade exclusiva de seu autor.



15/11/2011 16h08

Rocinha: a nossa audiência despencou
Sidney Rezende

A cobertura do SRZD da ocupação da Rocinha, no Rio de Janeiro, foi decente. Ficamos muito satisfeitos com o que lemos. A equipe de repórteres e editores rendeu muito bem. 

O trabalho não deixou a desejar em comparação ao apresentado por outros sites e portais de informação do país. Mesmo assim, a audiência ficou no constrangedor percentual de quase 12% abaixo do período equivalente do mês passado. Por que?

Não sou analista de pesquisas e certamente vou errar nas minhas ponderações. Mas mesmo assim, vou arriscar. Siga meu raciocínio:

- A ação policial aconteceu num domingo colado a um feriado. Muita gente decide viajar em feriadões assim. Com o agravante que o SRZD é mais lido durante a semana, com ênfase durante o horário comercial, embora antes e depois a audiência seja sempre expressiva;

- Uma operação com características de filme de cinema é mais atraente de ser acompanhada pela TV do que pela internet. A internet, por exemplo, não conta com helicópteros registrando tudo na hora que o fato acontece. A verba publicitária do segmento não facilita esta logística;

- No lado oposto ao da mídia eletrônica, o espectador não está muito interessado em desgraça. O povo gosta de luxo, como diria Elio Gaspari em frase atribuída a Joãosinho Trinta;

- O SRZD é o melhor em editorial de alegria e muito eficiente na cobertura de cidade, mas ainda não somos identificados como veículo referência em cobertura de grandes acontecimentos;

- No mês passado cobrimos com pleno sucesso as finais da escolha dos sambas para o Carnaval 2012 e a audiência subiu mais que o normal. Bater o mês passado será sempre um desafio;

- E, finalmente, apesar dos milhões de leitores mensais, ainda precisamos melhorar em tudo. Já estamos melhorando, por isso crescemos, mas longe do padrão desejável.

Estamos exatamente no meio do mês de novembro. Mês de 30 dias. Mais um motivo para fazermos um trabalho exemplar nos próximos 15 dias, e por isso contamos com você, leitor, para nos julgar. Para bem ou para mal.

 


Comentários
  • Avatar
    07/12/2011 14:19:51Valquer BicalhoAnônimo

    Minha sugestão é investir forte no dia dia, no que acontece na vida do cidadão no bairro, na sua cidade no seu estado e no seu pais, aquilo que o deixa mais satisfeito de morar nesses lugares e também o impede de estar satisfeito de estar nesses mesmos lugares, ou seja que o irrita , que o deixa indignado. Mas não deixar sempre de apontar o que tem de positivo também, o povo está cansado de ver o Brasil melhorar e a mídia só falar mal do país. Ninguém quer ser pollyana, quer ver o que tem de problemas e qualidades.

  • Avatar
    21/11/2011 15:51:11SÃ? O IMPEACHMENT DO CABRAL E DO PAES - SALVA O RIO !!Anônimo

    ACREDITO QUE SIM , SOBRE O DESPENCAMENTO DA AUDIÃ?NCIA , MAS PORÃ?M , CONTUDO INCONSTITUCIONALISSIMAMENTE , EM SE TRATANDO DA INFELICIDADE DE OUTREM , TORNOU-SE , POR DEVERAS ABSURDAMENTE GOZAR COM A INFELICIDADE DOS MENOS FAVORECIDOS AFIM DE ALCANÃ?AR IBOPE ! E AINDA TEM GENTALHA IGNÃ?BIL QUE ACHA QUE FOI POUCO !!!!!!!!!!!!!!!!!! QUE PENA NÃ?O ESTAR AQUI OUTRO COMENTARISTA SACÁSTICO !!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  • Avatar
    21/11/2011 15:25:54Alex Beija FlorMembro SRZD desde 29/06/2009

    Acompanho MUITO a editoria Carnaval e, para noticias gerais, leio bastante o site do G1, da Globo. Eu, que mantenho os dois abertos o tempo inteiro, percebo, Sidney, que a atualização do SRZD é mais bem mais demorada. Mesmo em noticias de destaque: a explosão no Centro, o massacre na escola, etc, o site demorou a postar.

  • Avatar
    17/11/2011 10:58:46vida que segue.Anônimo

    foi um grande big brother rocinha,só faltaram entrevistar o traficante nem no chatérrimo faustão.

  • Avatar
    15/11/2011 16:52:45ZappaAnônimo

    A verdade é que a temática invasão de favelas, que o Estado e a mídia intitulam como â??ocupaçãoâ? perdeu o foco de um grande show, como foi o conseguido ano passado quando da invasão do Complexo do Alemão. As imagens são como reedições de incursões anteriores, quer dizer, imagens de supostas apreensões de armas e drogas, helicópteros sobrevoantes, enquanto a população experiente e saturada por anos de invasões policiais, circula tranquilamente como se nada tivesse acontecendo. A cobertura do SRZD foi como sempre precisa, mas o problema é que o assunto focado sensacionalissimamente tornou-se comum e chato; domingo durante o programa Esporte Espetacular as interrupções foram tantas por conta de fleches da Rocinha, que acabei desligando a TV e optando por ouvir música. Saudações!

Comentar

Isso evita spams e mensagens automáticas.