SRZD



Claudio Russo

Claudio Russo

Formação em História pela Uerj e pós em História da África. Há 22 anos compõe sambas-enredo, conseguindo algumas vitórias neste espaço de tempo. Desde 2009, faz sambas para Nenê da Vila Matilde, em São Paulo.

* Os textos desta seção não representam necessariamente a opinião deste veículo e são de responsabilidade exclusiva de seu autor.



02/12/2011 19h19

Argumento...
Cláudio Russo

Hoje é dois de dezembro, dia pra ser comemorado, cultuado, dia pra sambar, valorizar o ritmo e a dança tão importantes para todos nós brasileiros. Samba é instituição nacional, corre em nossas veias, às vezes sangra a herança das senzalas, por vezes clama liberdade de expressão. É pensando no samba que tantas provas de amor me deu que resolvi refletir. Por muito tempo me julguei livre de qualquer tipo de preconceito, talvez por inocência, quem sabe por pretensão, não sei, mas na semana passada no ensaio técnico da Renascer de Jacarepaguá não tive como resistir, fui preconceituoso, e mais, me vi radical neste propósito, era pra me sentir envergonhado, mas como se o que vinha a minha mente naquele momento era o extrato da canção do mestre Paulinho da Viola: Mas não me altere o samba tanto assim...

Eu sou de um tempo em que, por exemplo, a Portela tinha Rainha e Madrinha de bateria e víamos Nilce Fran e Edicléia das Neves competindo em pé de igualdade, perdoem o trocadilho, com o talento dos seus pés na arte de dançar o samba sem qualquer favor ou forçar a barra. Hoje em dia virou status ser rainha, existem vários fatores que interessam mais que o samba no pé na hora da escolha, pelo menos é o que parece ser. Tá legal eu aceito o argumento... Que é importante trazer para escola alguém que tenha mídia, beleza, carisma entre tantos outros requisitos, porém por que não colocar a celebridade, ou o projeto de... em cima de um carro alegórico encenando, ilustrando e trazendo beleza a festa

Tudo parece uma grande farra, uma bolsa de valores ou de apostas de quem será a próxima aquisição, e o samba onde fica, será que o samba, sambou? Como profetizou a São Clemente na folia de 1990. E continuam criando cargos de musas, destaques de chão, madrinha de tudo quanto é ala, mas, por favor, na ala de passistas não mexam, isso não! Pois daí vem o meu preconceito.

Semana passada estava eu no ensaio supracitado quando percebi que a responsável pela ala das passistas, a Rose, sambista de verdade, colocava algumas novatas para testes e isso acho ser bastante prudente para que haja um determinado critério nas escolhas. Pois bem me parece uma candidata a passista que não tinha qualquer intimidade com o bailar do samba, mesmo sendo muito bonita... Neste exato momento me veio a pergunta: Quem foi que disse que ela sabe sambar? Preconceito meu, e antes que me apedrejem assumo meu sentimento, não é necessário saber sambar para desfilar, lógico que não, eu mesmo não sei...  Gostaria de dizer agora sem preconceito ou mania de passado... Mas não posso, tomara que a beldade não leve a mal, mas tenho certeza que ela ficaria melhor em qualquer outro setor, olha que a rapaziada está sentindo a falta de um cavaco, de um pandeiro e de um tamborim!

O argumento do mestre portelense me auxilia nesta confissão: passista deve saber sambar!  Isto é básico. Por fim não quero dizer que a magia dos pés sambando esteja condenada, claro que não!  Percebo que diversas escolas vêm fazendo grandes trabalhos, nesta área, de resgate e manutenção das alas de passistas e acho que o espaço e a importância destas devem ser sagrados.  Perdoem meu preconceito... Mas quando os pés deslizam e a cintura parece ser de mola é algo tão fascinante que me vejo radical em defesa da arte. Samba é democracia, como também continuidade, então vamos combinar: continuamos fortes no propósito de embalar os cordões por estas avenidas de todo Brasil e vamos admirar e preservar a quem não dança, levita sobre o chão... Salve o Samba nosso de cada dia, salve os passistas, sambistas, amantes de tão nobre arte popular, axé.


Veja mais sobre:SambaCarnaval 2012

Comentários
  • Avatar
    05/12/2011 11:32:52Passista Show °°°Membro SRZD desde 04/11/2010

    De fato o samba é um espaço democrático, onde todos os chegados são mto bem vindos, porém em função desse capitalismo desenfreado que tomou conta do nosso carnaval, nós verdadeiras mulatas, que temos o ritmo correndo na veia e exalando nos pés estamos perdendo espaço para as GLOBAIS, FUNQUEIRAS, ESPOSAS DE JOGADORES DE FUTEBOL, ESPOSAS DE CANTORES entre outras...O problema não é fato de elas serem que são, o problema é que as mesmas que tem a função de reinar na frente do coração da escola o que leva todos ao delírio, numa explosão de ritmo, não sabem nem se mexer em sintonia com ela. Isto é mto triste. Porém, verdadeiros SAMBISTAS nunca degeneram e levantaram esta bandeira com afinco e paixão para sempre ! Salve as verdadeiras mulatas do CARNAVAL !!!

  • Avatar
    03/12/2011 06:08:00ZappaMembro SRZD desde 16/04/2009

    Eterno menino é o samba, uma invenção da mulatada brasileira, que de janeiro até chegar segunda-feira, só quer saber de samba... Eterno menino é o samba, que apesar de tanta estrangeirice, tantas Inventices musicais, sempre será sempre mais! Marcado na palma das mãos ou na cadência dos pés, o samba não é de ninguém é de quem quiser. Na rua ou favela, não importa o lugar, samba é coisa da gente... Pode chegar! Saudações!

Comentar