SRZD


24/01/2012 16h48

Haddad diz que educação vai melhorar nas mãos de Mercadante
Redação SRZD

Foto: DivulgaçãoDurante a cerimônia de posse dos ministérios de Educação e Ciência, Tecnologia e Inovação, Fernando Haddad afirmou que a educação vai melhorar muito mais com a direção de Aloísio Mercadante. Ele aproveitou o momento para falar da presidente Dilma Roussef e da sua admiração pelo ex-presidente Lula.

"Nosso futuro passa por ciência e educação. É isso que vai nos garantir. Tenho certeza de que eu deixo o ministério relutante. Porque é um ministério empolgante, que empolga todo mundo, sobretudo um professor", afirmou Haddad, que é um educador.

Segundo Haddad, mesmo triste por deixar o cargo com o qual se identificava tanto,  fica tranquilo por passar o bastão para o colega.

"Aluísio vai levar à frente esta revolução silenciosa que é a educação no brasil. Alguém que com certeza vai avançar ainda mais a educação e eu vou estar lá na minha cidade, torcendo bastante", disse o ex-ministro que deixou o cargo para concorrer às eleições pela prefeitura de São Paulo.

Segundo ele, a comunidade científica ganha agora uma perspectiva ainda maior de superação. Haddad pediu ainda para que a presidente Dilma mantenha "essa linha de conduta que nos faz admirar a cada dia. Condução firme, decidida, feminina."

Mercadante fala pela primeira vez como ministro da Educação

Foto: DivulgaçãoApós assinar, junto com a presidente Dilma Roussef, seu nome como novo ministro da Educação, Aluísio Mercadante saudou Lula, chamando-o de presidente. Ele explicou que sua vida de militante estava intimamente ligada à do companheiro e arrancou risos do público ao dizer que ambos já concorreram e perderam muito juntos.

"Por todos esses anos você (Lula) plantou sementes por todos lugares onde passou. Sementes que estão fazendo esse país florescer. Entre essas sementes, o senhor plantou a continuidade do seu governo", afirmou emocionado referindo-se a Dilma.

Sobre Haddad, Mercadante falou da sua grande responsabilidade em seguir o trabalho do ex-ministro e afirmou que, mesmo não sendo historiador, sabe que o nome do sucessor será lembrado. "Não vejo como o seu nome não possa estar entre os grandes ministros da educação do Brasil. E grande com letra maiúscula, pela sua capacidade. Tenho certeza que isso não vai deixar de ser reconhecido".

Mercadante afirmou estar seguro com o ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, que fica agora com Marco Antônio Raupp. "O ministério não poderia estar em melhores mãos pela trajetória do Ruapp. É um ministério suprapartidário e continuará assim'.

Ele ainda aproveitou para dar dicas ao sucessor. "Toda a vez que você apresentar um projeto, um programa, ele passará por uma seção de espancamento (brincou). A primeira coisa que você vai ouvir é 'ele não fica de pé'", disse indicando a dureza da presidente Dilma. Ele disse que Ruapp terá que trabalhar uma semana e depois um mês até que o projeto esteja perfeito, ou não será aprovado. "Essa é uma atitude de quem quer que cada real pago por este povo seja gasto da melhor maneira para o Brasil" afirmou.

Mercadante terminou lembrando da força do país na economia mundial. "O Brasil é a sexta maior economia do mundo. Nós temos poder de negociação e temos que dar um salto. País desenvolvido é um país de educação de qualidade, igual e global para todos", encerrou.

Foto: DivulgaçãoRaupp fala como ministro pela primeira vez

Marco Antônio Raupp se complicou em primeiro discurso e falou apenas o básico."Prometo inicialmente que quando eu sair do ministério vou fazer discursos de improviso, como o Fernando e o Mercadante, mas agora eu tenho que ler".

Ele agradeceu Mercadante pelos conselhos afirmando que mesmo sendo muito mais novo, o colega conseguiu ensinar muito para ele. Além disso, Ruapp disse que ainda se considera um participante da Agência Espacial Brasileira, já que continuará mantendo contato com os grupos pelos quais trabalhou anteriormente.



Comentários
Comentar

Isso evita spams e mensagens automáticas.