SRZD


12/02/2012 23h05

Forte chuva ajuda na Lavagem do novo Sambódromo
Bernardo Moura e Patrícia Raposo

Plumas, penas de faisão, confetes e lantejoulas deram espaço a defumadores, arruda, guiné, palmas e rosas na Passarela do Samba recém inaugurada na noite deste domingo, 12 de fevereiro. Baianas, presidentes e casais de mestre-sala e porta-bandeira das escolas de samba do Carnaval carioca e artistas consagrados da música popular brasileira participaram do evento.

Foto: SRZD

Antes de começar, o presidente da Liesa Jorge Castanheira pediu ao microfone que São Sebastião protegesse a todos e desejou a todos um feliz Carnaval. Ele passou a palavra para o presidente da Riotur e secretário de turismo, Antônio Figueira de Mello. Este disse que o Carnaval que se aproxima vai ser belíssimo e que a chuva que anunciava em cair serviria para lavar a pista e a todas as pessoas presentes.

Figueira de Mello passou a palavra para o padre Marcos Lilian que disse que a ocasião era importante, pois, "a Arquidiocese veio para sublinhar o samba como manifestação popular". Logo depois, ele rezou um pai nosso, pedindo para que todos dessem as mãos. Então, o padre passou a palavra para o ator Milton Gonçalves que leu uma poesia homenageando todos os enredos das escolas de samba do Grupo Especial. Na poesia, brincou até com o prefeito e o arquiteto que projetou a Marquês de Sapucaí, dizendo "Nossa Casa está pronta. É hora de pendurar mais uma na conta do prefeito e do Oscar".

A festa começou oficialmente às 19h50, debaixo de uma chuva fina. Baianas, médiuns e casais de mestre-sala e porta-bandeira de Porto da Pedra, Imperatriz, União da Ilha, Viradouro, Beija-Flor, Vila Isabel, Caprichosos, Acadêmicos da Rocinha, Inocentes de Belford Roxo, Paraíso do Tuiuti, Alegria da Zona Sul, Unidos da Tijuca, São Clemente, Arranco do Engenho de Dentro e Renascer de Jacarepaguá. Até os Filhos de Gandhy e o Arcebispo da Arquidiocese do Rio de Janeiro Dom Orani Tempesta também participaram. O mestre de bateria Casagrande, da Tijuca, comandou os ritmistas durante o ato.

Foto: SRZD

No meio da pista, uma pomba branca pousou enquanto os casais se apresentavam. Eles a pegaram e a soltaram, arrancando muitos aplausos. O prefeito Eduardo Paes não quis ficar nodebaixo da amrquise e foi para a multidão, nem se importando com a chuva. 

O público que lotava a Passarela, inclusive nas arquibancadas novas, não foi embora nem mesmo quando a chuva apertou. A lavagem foi ao som dos músicos André Gabeh, Alcione, Elymar Santos e Wanderley, do Grupo Pirraça, e os intérpretes Tinga e Ito Melodia, que cantaram desde antigos sucessos do pagode até hinos do Bafo da Onça.

A lavagem da pista terminou às 20h50 com Paes, o secretário de turismo e o Arcebispo do Rio cantando o samba da União de Ilha, de 1993, "É hoje". Na dispersão, Dom Orani disse ao SRZD-Carnaval que a alegria marca o cristianismo. 

"Foi uma benção ter participado. Nosso povo nasceu com alegria. Então temos que abençoar este local, o local da alegria, do Carnaval", declarou.

 

 

 

 

 

 

 

 



Comentários
  • Avatar
    12/02/2012 23:33:19Mrs. MangueiraMembro SRZD desde 30/04/2011

    eu estava la com minha vo e minha mae ela e baiana do afoxé raizes africanas tiramos fotos com a alcione quando ela desceu de caminhão de som para que quiser ver ta ai meu msn : [email protected]

  • Avatar
    12/02/2012 23:21:05José GomesMembro SRZD desde 26/02/2010

    Muito bom se a igreja parasse de embargar na justiça carros alegóricos, como o Cristo da Beija, por exemplo...

Comentar