SRZD


11/08/2008 08h11

A polêmica dos escritórios de sambas
Rafael Ribeiro

O assunto é dos mais polêmicos do carnaval e nesta época ganha mais espaço com as eliminatórias. Os chamados "sambas de escritório" são cada vez mais comuns, onde os compositores se aproveitam da abertura das alas. Dinheiro, vaidade e disputas políticas estão por trás da face mais obscura da profissionalização do carnaval: as escolhas de samba-enredo.

O nome "escritório", para muitos, já não é exatamente o mesmo. O compositor André Diniz, da Vila Isabel, é um dos maiores vencedores de sambas dos últimos tempos - e também representante de uma das firmas fortes nas disputas. Ele mesmo explica o motivo do nome "escritório".

- Isso é porque eu fazia samba no quartinho de empregada do meu pai. A gente tinha um computador lá, um telefone. Aí, quando eu começava a rascunhar o samba, fazia ali. O pessoal chegava e falava: "Olha aí, o André faz samba no escritório". Como conseguimos vencer muitas disputas, acabou pegando esse nome - explica André. Apesar disso, ele fica triste e diz que o nome é pejorativo.

Os sambas de escritório se beneficiam dos altos custos das disputas hoje em dia. Gravações, impressão de panfletos, letras, divulgação, intérprete, churrasco, cervejada, ônibus para torcidas. Esses apenas alguns dos gastos de um samba vencedor numa grande escola.

- Infelizmente, criou-se uma lenda de que os escritórios aumentaram os custos. Eles creditam aos escritórios a utilização de dinheiro para contratar os intérpretes. O problema não é o samba ser feito ou não por A ou B. Isso é comum. Na MPB, Cartola gravou um samba de Noel, que não quis assinar. Se tem algum escritório que vai fazer samba na Vila não tem problema. Só fico chateado porque creditam aos escritórios terem poderes econômicos. As disputas de samba também são chance de você colocar os compositores mais novos para aparecerem - avalia André.

Gusttavo Clarão:  'Há muita vaidade no mundo do samba'

- Há muita vaidade no mundo do samba. Numa parceria tem uns dois que fazem a letra, outro o arranjo e outro que entra com a grana, nada mais. Ele paga apenas para ter seu nome vinculado ao samba - revela. - Devem ter hoje, no mundo do samba, no máximo uns dez compositores. O resto é mecena ou "laranja" - revela Gusttavo, compositor campeão na Estácio e Viradouro e hoje na Mangueira.

O termo é usado para designar aquele que "empresta" o nome para assinar um samba que não é de sua autoria, já que não é permitido um mesmo compositor assinar músicas em duas ou mais escolas.

Uma das críticas que é feita aos sambas de escritório é que eles estão acabando com as características das escolas. As melodias tão particulares das agremiações somem na pasteurização imposta pelas "firmas do samba".

Haroldo Costa pede atenção para segmentos da raiz

O pesquisador cultural, Haroldo Costa, tem a mesma opinião. Para ele, é preciso que as escolas prestem mais atenção nos segmentos da raiz. Segundo Haroldo, uma idéia seria aumentar a taxa de inscrição para compositores que tenham entrado mais recentemente.

- Com isso, poderia-se privilegiar aqueles que estão há mais tempo na ala dos compositores da escola. Os que verdadeiramente estão no dia-a-dia das escolas, participam do núcleo de organização das escolhas de samba - propõe.

André Diniz e Gusttavo admitem que "ajudam os amigos" em algumas escolas. Acabam vencendo muitas disputas e colhem os frutos do próprio talento. Mas revelam que algumas firmas pegam quase todas as sinopses.

- Sei de alguns que pegam quase todas as sinopses e fazem os sambas. Aproveitam-se do talento que tem, mas aí também já é demais. Acho que deturpa as disputas e, com o dinheiro que eles têm, acabam dominando os discos de samba-enredo - comenta Gusttavo.

Por outro lado, é inegável a boa qualidade de alguns sambas de escritório. Compositores, críticos e sambistas são unânimes ao comentarem que alguns hinos entraram para a galeria de inesquecíveis.

- Não se pode negar que eles são bons. Não são maioria, mas sem qualidade eles não venceriam, sem dúvidas - avalia Haroldo Costa.

Gusttavo aponta um dos caminhos para o novo mundo das disputas de samba-enredo: a mescla de antigos compositores e aqueles da nova geração.


Comentários
  • Avatar
    15/08/2008 09:35:07edilson alves demetrioMembro SRZD desde 07/04/2009

    é gente como pode as pessoas serem tão falsas como esse rapaz chamado gustavo clarão ele não vem nesta coluna pra dizer que ele eo sr. dominguinhos do estacio foram os inventores do tal escritorio do samba só que eles mecheram com brasa na viradouro brincaran com fogo e se queimaram pois o atual presidente da viradouro é fogo e expulsaram os dois da escola e agora ficam falando merda da boca pra fora um fala nas radios outro fala nesta culuna tudo advogado de samba de escritorio.

  • Avatar
    15/08/2008 03:21:28CarlosAnônimo

    Parabens Clarão pela sinceridade e por falar coisas q todos sabem, mas poucos tem coragem de falar!! Alem de gostar dos seus sambas, agora, gosto como pessoa!!

  • Avatar
    14/08/2008 15:59:46Marco Antonio da Silva - São Vicente - SPMembro SRZD desde 21/07/2009

    Acho que os grandes sambas-enredo da história do carnaval carioca foram escolhidos pela qualidade em si, e não por ser de escritório, mas defendo a tese de que o "samba de escritório" atrapalha muito o desempenho dos compositores que estão buscando um espaço neste cenário, assim; obras de qualidade poética e melódica ficam no esquecimento da mesma forma que, as de sem qualidade vão para a avenida e só são lembradas naquele momento do desfile e nada mais.

  • Avatar
    13/08/2008 15:24:29Duda MarechalAnônimo

    Acabou os sambas enrendo, haja visto que, agora todo carnaval uma ou mais escolas reeditão sambas antigos e até enredos para forçar a vendagem do cd .Coisa que era record de venda nos finais de ano e hoje na quarta -feira de cinzas, se vc pedir para uma pessoa cantar o samba da 3ª escola que passou no domingo, talvez vc não ouça.Este é o resultado dos sambas de hoje, mau escolidos que prevalece mais a articulação do que o próprio samba. Os sambas dos escritorios não são só dos escritorios é também dos bartidores das agremiações e o resultado é esse. Cade os sambas de 2008, vc ainda ouve ?

  • Avatar
    13/08/2008 13:54:08Andre PoesiaMembro SRZD desde 14/09/2009

    Hoje é assim escritório ,mas sempre houve , um faz o samba e outro coloca o nome ,dou como exemplo ,o Helio Turco é autor de Monteiro Lobato e não entra com o nome ,Didi fez 4 no Salgueiro e só assina 1 e posso citar mais compositores como Oriezer ,Carlinhos Melodia ,David Corrêa ,Franco dentre outros ,só há uma diferença ,não rolava o dinheiro e sim os impedimentos das alas dos compositores ,havia o prazer de compor e não tinha o comprositor de hoje ,mas é a evolução dos sem talentos ,é uma grande pena .

  • Avatar
    12/08/2008 19:04:54GLORIOSOMembro SRZD desde 12/04/2009

    Negar a existência dos escritórios,é no mínimo...deboche...cinísmo... Parabén s Gustavo Clarão,pela demonstração de coragem e personalidade,além de ser fã de seus sambas,cresceu muito no meu conceito como pessôa.

  • Avatar
    12/08/2008 15:45:44VALERIAMembro SRZD desde 27/08/2009

    PORQUE O CLARÃ?O NÃ?O ABRIU A BOCARRA QUANDO ELE ERA O CHEFE DESTA ´´CURRIOLA´´. AGORA DESMERECER AQUELES QUE NÃ?O POSSUEM UM OU DOIS PARA BANCAR ESTA SACANAGEM AI SIM Ã? UMA SRA SACANAGEM.

  • Avatar
    12/08/2008 14:14:22Zé do SambaAnônimo

    até aí nenhuma novidade... agora "ajudar os amigos a fazer samba" rs Em alguns casos sim, mas a verdade é que rola um comércio, tem sambas que são feitos por encomenda e vendidos, não só aqui pro Rio, mas pra São Paulo também. O problema maior é quando o samba é da(o) carnavalesca(o). também rola umas informações privilegiadas por aí...

  • Avatar
    12/08/2008 12:50:39Leonardo dos Anjos dos SantosAnônimo

    Gostaria de receber e-mails de vocês com as novidades do carnaval.

  • Avatar
    12/08/2008 12:19:12edilson alves demetrioMembro SRZD desde 07/04/2009

    esse gustavo clarão e outro oportunista saiu da viradouro porque cortaram suasregalias se achava o bom junto com dominguinhos do estacio e foram embora porque cortaram seus samba no inicio das eliminatoria passada vasi com deus so que na mangueira voces quebram a cara porque la tem diretorias paralelas e o tribunal e outro voces sabem disso vamos ver se são bons e ganhão la.

  • Avatar
    12/08/2008 11:23:26Marcos FernandesMembro SRZD desde 14/04/2009

    Essa história de armação em disputa de samba enredo, é mais antiga que as muralhas da China. O nível dos sambas são abaixo da crítica. Esses, tão decantados compositores da chamada nova geração,são fraquíssimos. Portanto, é acostumar com o que tem e, (como diria o grande Quinho do Salgueiro)"vamo que vamo,que vamo".

  • Avatar
    12/08/2008 09:48:07Gabriel MendesAnônimo

    Parabens pelo Gustavo e Diniz de falarem tão abertamente sobre um assunto que as vezes parece dogma nas escolas de samba. O fato é que muitas vezes, o compositor que faz o Samba (escritório) é mais crucificado do que o que assina o Samba na Escola. Na verdade, esse "compositor" que deveria ter vergonha na cara de nao passar por um papel desse. Concordo com o Haroldo, quando ele diz sobre a qualidade dos mesmos. Alguns tentam desqualificar um samba somente pelo fato de ser de escritório. Na verdade, sabemos que as principais parcerias compõem excelentes obras e ganham em virtude da qualidade de suas composições. Pode-se até nao gostar da forma que funciona a atual situação das escolhas de samba, mas nao dá para negar o talento, de Russo, Diniz, Clarão e Arlindo...

  • Avatar
    12/08/2008 06:40:52thiago marinsMembro SRZD desde 26/07/2009

    acho que tudo que acontece é culpa da cupula de diregente das escolas de samba, é aquela velha historia policial mal pago acaba rubando. Se as escolas não tirasem tanto dinheiro da premiação compositores não iriam pra outra escola e ficariam na de origem. se cantores de peso que geralmente cantam os sambas das firmas recebecem o justo nas suas agremiações talvez nem participariam da disputa ainda mais numa cituação dessas. muitos deles ficam rotulados por estas tal firmas. exemplo Wander, Tinga, davi do pandeiro, Anderson paz, carlinhos da paz, karlinhos madureira, nino da imperatriz, Wantuir, dominguinhos entre outros, ja seria um baque se esses tivesem compromisso com suas agremiações nessa época, tacha de inscrição mais alta pra novos compositores, en fim se ouve se vontade mudavam isso mais a coisa parece ser pior do que foi citado aqui na materia acreditase que nessas tal firmas existam por tras até dirigentes de escolas alguém duvida.

  • Avatar
    12/08/2008 05:40:26EVALDOAnônimo

    Gustavo por isso sou seu fã. Depoimento de um cara que é verdadeiro sambista e não se esconde.

  • Avatar
    12/08/2008 05:33:38RICARDOAnônimo

    GUSTAVO MANDOU MUITO BEM. PARABÃ?NS PELA CORAGEM DE FALAR.

Comentar