SRZD


26/03/2012 18h10

Baixada Fluminense, onde o samba faz morada
Raymondh Junior

É da discriminada região da Baixada Fluminense que se encontram escolas de samba que estão fazendo história no carnaval carioca, com talento e simpatia essa gente vem mostrando que só querem fazer samba também. Essa é uma região de quase 6 milhões de habitantes, com desigualdades sociais gritantes, e uma dívida histórica desse Estado, e da Federação, com esse povo digno, alegre, e criativo, mas o mundo do samba soube muito bem reconhecer o talento das agremiações vindas da Baixada.

Em 1954 a sorte sorriu para o carnaval carioca, trazendo uma das escolas de samba mais importantes do nosso espetáculo, a Beija-Flor de Nilópolis, um verdadeiro fenômeno da nossa festa, que longo de sua trajetória se consagrou pelo seu estilo refinado, bom gosto e por investir muito em seu carnaval, quer seja com profissionais competentes ou financeiramente, campeã por 12 vezes, é certamente o carro-chefe das escolas de samba da Baixada.

De Duque de Caxias, a Grande Rio com seu estilo glamuroso, ascendeu ao grupo especial e faz história entre as grandes do carnaval carioca, uma escola bem estruturada, com um barracão de muito bom gosto, uma quadra muito digna e uma comunidade que espera anciosamente o reconhecimento da direção da escola.

A "caçulinha da Baixada", Inocentes de Belford Roxo, estréia na elite do carnaval carioca, trazendo a gente trabalhadora e guerreira da cidade de Belford Roxo, é hoje a terceira potência em matéria de escola de samba da região. Vem ao longo do tempo investindo bastante em seus carnavais para chegar onde chegou.

A Unidos da Ponte, agremiação de São João de Meriti teve seus momentos registrados no grupo especial nas décadas de 80 e 90, mesmo amargando posições bem longe do esperado, sua torcida acreditava sempre em bons resultados vindouros, o que não acontecia, até que em 1996 deixou o grupo especial, sendo rebaixada outras diversas vezes, hoje se encontra no grupo de acesso C, sonhando em voltar à Sapucaí, o que diga-se de passagem está difícil de acontecer.

Independente da Praça da Bandeira, é mais uma escola de São João de Meriti, num vai e vem, entre ser escola de samba e bloco, trocando de nome, a escola de pouca estrutura está hoje no grupo D, desfila na Intendente Magalhães segunda-feira de carnaval.

Foi no ano de 1992 que o grupo especial conheceu a Leão de Nova Iguaçú, sua única participação entre as grandes do nosso carnaval. Da Leão surgiram nomes, hoje, consagrados do carnaval carioca como os intérpretes Neguinho da Beija-Flor, Pixulé e Nêgo.

Chatuba de Mesquita é uma agremiação da cidade de Mesquita, fundada em 2003 como Bloco Carnavalesco, porém só estreou no carnaval carioca em 2005 ainda como bloco, foi no ano de 2010 que pôde participar do carnaval na Intendente Magalhães, sem competir, ao fim do desfile foi considerada apta a disputar entre as escolas de samba. Em 2012 a agremiação foi vice-campeã do grupo de acesso E, mas o regulamente diz que apenas uma escola ascende ao grupo D, por isso em 2013 a escola permanece no mesmo grupo.

Fundada no ano de 2009, a Matriz de São João de Meriti, só foi habilitada a disputar entre as escolas de samba a partir de 2011, na sua estréia surpreendeu com um bom desfile conquistando o segundo lugar no grupo de acesso E, em 2012 mesmo com um desfile bem avaliado pela crítica, sendo apontada como uma das favoritas ao título, a escola terminou em quarto lugar.

Tradição Bairrense de Mesquita vai estrear pela primeira vez como escola de samba no carnaval carioca em 2013, campeã do grupo 1 dos blocos, num enredo sobre Noca da Portela, conquistou o direito de mostrar sua arte na Intendente Magalhães na terça-feira de carnaval.

É por ter uma gama de agremiações valentes, mesmo com todas os problemas financeiros que a grande maioria passa, que essa região merece nosso respeito e admiração. Vale mencionar que a Beija-Flor de Nilópolis tem contribuido de forma expressiva para ajudar essas escolas a se firmarem no carnaval carioca, lembrando sempre o lema: "a união faz a força".

Com três escolas de samba no grupo especial, a Baixada Fluminense, vive em 2013 seu melhor momento na história dos desfiles das escolas de samba desse país, não posso deixar de registrar a importância dos governos municipais investindo financeiramente nas agremiações que representam suas cidades, fazendo com que o sonho de mostrar a cultura e o talento da Baixada Fluminense seja realidade no carnaval carioca, mas é claro, elas ainda precisam de muita ajuda não só dos governos, mas principalmente de suas comunidades.

Axé!


Comentários
  • Avatar
    09/04/2012 10:11:01Karen CaftelMembro SRZD desde 07/04/2012

    Ã? estou vendo que preciso dar uma passadinha na Intendente Magalhães em 2013, tem muita coisa aqui que nunca houvi falar. Mas legal, sempre legal, conhecer novos ares. Boa matéria.

  • Avatar
    07/04/2012 11:56:21Sou Mais Minha MangueiraMembro SRZD desde 03/04/2012

    Não podemos deixar o preconceito tomar conta do samba, há samba em toda parte, onde houver um batuqueiro, o samba vai fazer morada ali

  • Avatar
    06/04/2012 21:55:28Philipi SantosMembro SRZD desde 05/04/2012

    ISSO SE CHAMA SAMBA SEM FRONTEIRAS

  • Avatar
    03/04/2012 11:56:37Fábio DumontMembro SRZD desde 03/04/2012

    A morada do samba sempre será onde tiver um sambista apaixonado e lutador...

  • Avatar
    03/04/2012 11:15:33Letícia MaiaMembro SRZD desde 03/04/2012

    Sempre que estive nas quadras da Grande Rio e da Beija-Flor pude ver o samba vivo como em qualquer outra escola, o que me faz ter certeza de que na Baixada Fluminense, na zona Norte, Sul, Oeste, Interior, ou em qualquer lugar deste Rio de Janeiro, há samba de verdade.

  • Avatar
    02/04/2012 01:27:38Rosa MaraMembro SRZD desde 02/04/2012

    Beija-Flor, Grande Rio e agora Inocentes nos representam muito bem, a Baixada é um celeiro de bambas é só vir aqui para comprovar

  • Avatar
    01/04/2012 22:13:46Fernando GabeiraMembro SRZD desde 17/02/2012

    Foi duro se livrar do preconceito que o samba viveu em seus primeiros anos, não seria agora que essa gente valente que faz carnaval iria discriminar alguém por ser de determinada região. Bom, pelo menos é o que se espera do bom sambista. Mas de qualquer forma o Raymondh tem razão, o pré-conceito é algo que está enraizado em alguns seres humanos.

  • Avatar
    01/04/2012 22:05:43DanielMembro SRZD desde 29/02/2012

    Sou Grande Rio com muito orgulho!!!

  • Avatar
    01/04/2012 12:05:20RodrigoMembro SRZD desde 24/03/2012

    O carnaval que queremos não apenas para a Cidade do Rio, mas para o Brasil, é um espetáculo das comunidades sambistas, venham elas de onde vierem, o dever do folião é aplaudir o samba.

  • Avatar
    31/03/2012 13:33:01Mário César ReigotoMembro SRZD desde 25/06/2009

    Concordo amigo Nilo, foi o que eu quís ou pretendia dizer; que a tijuca foi desta feita vencedora como escolas coirmãs já foram em outros carnavais. a baixada sempre foi reduto de sambistas e de grandes escolas entre outras que não se encontram no momento no cenário das grandes. é de costume se dizer capital do samba o lugar da atual campeã, por isso disse que gostei do título acima. abraço.

  • Avatar
    30/03/2012 19:10:51NiloMembro SRZD desde 27/06/2011

    Mário César, em primeiro lugar, o título da matéria é "Baixada Fluminense, onde o samba faz morada" e não "onde as 3 primeiras colocadas de 2012 fazem morada". E em segundo lugar, a Tijuca foi tão (ou mais) protegida que a Beija-Flor, uma vez que mesmo com aquele ultimo carro ridículo, de péssimo gosto e rasgado, a escola ainda assim ganhou notas 10 e um 0,1 poto de bônus. Portanto antes de falar das Escolas da Baixada, veja que Escolas da Tijuca também são bem protegidas!

  • Avatar
    30/03/2012 16:56:09CarnafutMembro SRZD desde 20/04/2009

    Eu como moro perto dessa região, mais acho que em termos de Baixada , só existe representatividade na Beija-Flor, Grande Rio e agora, Inocentes. pois o resto? falando nisso, será que no futuro, vai ter escola de Magé, desfilando no Rio de Janeiro. pois lá sei eu não me engano tem uma das escolas que dizem ser a a primeira escola de samba do Brasil: a "Flor de Magé".

  • Avatar
    30/03/2012 10:11:01Salgueiro Academia do SambaMembro SRZD desde 24/03/2012

    Concordo com o Mário César Reigoto, somos a morada do samba, mas a Baixada Fluminense por toda sua importancia tem se tornado outra morada, aqui é uma terra de muitas moradas para nosso samba. Que bom!

  • Avatar
    30/03/2012 07:46:25Mário César ReigotoMembro SRZD desde 25/06/2009

    Gostei do título da reportagem "Morada do Samba", que na verdade atualmente é na Tijuca e adjacência pois lá tem a atual Campeã, Vice e terceira colocada, as três que superaram e muito as demais. quanto as escolas da baixada são grandes agremiações mas pelo que se vê são protegidas; o 4º lugar da Beija-flor e seu título ano passado, o 5º lugar da grande-Rio e o Título da Inocentes que foi indecente mostram isso, a proteção a elas. sem desmerecer suas comunidades que são de sambistas pé no chão. mas que ficam a merce de diretorias e diretores que valorizam mais artistas globais, luxo excessivo em alegorias e etc... já na área da Tijuca as escolas pés no chão trazem suas comunidades como os verdadeiros artistas e com isso estão sempre beliscando o título, quando isso não acontece "deu " Zebra. kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  • Avatar
    29/03/2012 20:32:03NiloMembro SRZD desde 27/06/2011

    Quanto preconceito! Quanta pequenez de mente! As outras Escolas e seus componentes tem culpa de não terem nascido em outra época época? De não terem desfilado na praça XI ao canto das pastoras? De não terem corrido da polícia? Se eles não pegaram esse tempo, mas foram ensinados por gente que pegou e também aprenderam pois o samba vai se transmitindo de pai pra filho através das gerações. Todas são dignas de ter Título de Escola de Samba sim! Pois só em ter a vontade de engrandecer essa festa maior que é nosso carnaval já fazem por merecer! E você, Denise, só tem essas ideias NAZISTAS de separação porque sua Escola nunca teve competência nem pra permanecer no especial, que dirá ficar entre as campeãs e isso só seria possível (talvez nem assim) se alguma escola de fora do Rio não mais pudesse desfilar na capital. Mas se algum morador de Nilópolis ou Caxias quiser comprar uma fantasia pra desfilar na São Clemente vocês aceitam o dinheiro, não é? Quanta HIPOCRISIA! Saibam que o carnaval há muito já ultrapassou as fronteiras geográficas e cronológicas e HOJE é o maior espetáculo da TERRA!

Comentar