SRZD


27/08/2008 20h01

Japoneses querem matar 4.500 baleias
Redação SRZD

Cientistas japoneses chegaram à conclusão de que as baleias-minke ("Balaenoptera acutorostrata") tem menos gordura hoje do que há 20 anos. Isto pode ser conseqüência da redução drástica das populações do Oceano Antártico de krill - crustáceos minúsculos que servem de alimento para elas - por causa do aquecimento global. No entanto, segundo os autores, seria necessário matar mais de 4.500 baleias dentro de duas décadas para terminar a pesquisa.

 

A investigação deu a volta ao mundo sem que nenhuma revista de prestígio quisesse publicá-la. Até que a alemã "Polar Biology" decidiu divulgá-la em sua edição online. Para os cientistas japoneses, isso foi um êxito; para conservacionistas, uma forma discutível para justificar a caça "científica" às baleias.

 

"Não creio que se possa medir isto (quantidade de gordura) por outras vias", assegurou Lars Walloe, co-autor do estudo e especialista da Universidade de Oslo, se referindo à matança.

 

Ainda é considerado na pesquisa que a diminuição de krill está ligada à recuperação da população de baleias jororobas ("Megaptera novaeangliae"), que, durante muito tempo, estiveram à beira da extinção. Tal fato fez com que as baleias-minke tivessem que competir mais por alimento.

 

O estudo foi desenvolvido menos de um ano depois que o Japão anunciou sua intenção de voltar a caçar baleias jororobas, depois de 50 anos. A pressão internacional conseguiu dissuadir o país da idéia.


Comentários
  • Avatar
    28/08/2008 10:38:08Cátia Maria de O. MesquitaAnônimo

    Infeliz o grupo que não respeita à vida. Violência gera violência. "Temo pela minha espécie quando penso que Deus é justo".

  • Avatar
    27/08/2008 20:18:41André SecoMembro SRZD desde 07/04/2009

    Deveriam começar a "pesquisa" matando todos os "cientistas" que tiveram essa "brilhante" idéia ...

Comentar

Isso evita spams e mensagens automáticas.