SRZD


06/07/2012 13h02

Jacarezinho, de Zé Dedão a Monarco, sempre no meu coração
José Carlos Netto

Existem certas escolas de samba, que por essa ou aquela razão, marcam o seu coração. É isso que acontece entre este JCN e a ES Unidos do Jacarezinho emplacando agora 46 anos de feliz existência.

Inicialmente foi fundada pela senhora Dona Andrezza, uma antiga moradora da favela, com o nome ES Unidos do Morro Azul. ( localidade existente lá dentro da favela). O samba como escola de samba surgiu Jacaré em 28/03 1946. Mais tarde fundaram a ES Unidos do Jacaré para em 16 de junho de 1966 com a fusão nascer a ES Unidos do Jacarezinho.

Tudo começou entre o JCN e essa bendita escola de samba lá pelos idos do final da década 60. Jovem ainda e também não menos impetuoso estava eu dirigindo um ensaio da Mangueira - na ausência do seu Xangô que havia viajado para realizar um show - quando vejo adentrar pela quadra o finado Luís Carlos Tondato, um radiologista de mão cheia e figura de proa da diretoria no Jacarezinho.

Pedi um tempo, pois estavam no meio da disputa de samba enredo e logo após fui estar com ao amigo. Foi então que soube do real motivo de sua ida à Mangueira. O Tondato tinha uma quase ordem do então presidente Neyde Gaspar Gonçalves (meu amigo particular e policial cana dura na época) para me levar, naquela noite, nem que fosse amarrado, até o samba do Jacarezinho.

Ponderei que não podia largar o ensaio da Mangueira assim sem mais nem menos. Só que ele insistia afirmando que de ser naquele momento. Caso contrário, ele, o LCT, é teria problemas com o presidente Neyde Gaspar Gonçalves.

Como aos amigos, até mesmo a honra se pode oferecer, deixei o comando do samba em Mangueira nas mãos dos saudosos Afonso e Genésio, e lá fui direto para a quadra do Jacarezinho que ficava á Rua José Maria Belo, número, 16, nas fraldas da famosa favela.

A recepção foi calorosa. O hoje, veteraníssimo Fausto do Carmo me entregou o comando da Harmonia tirando do peito o seu apito e solenemente fui consagrado o novo ''rei da cocada" do pedaço. Só então fiquei sabendo o motivo de tamanho estardalhaço: Nonô Biquinho, então todo poderoso Diretor de Harmonia da escola, havia sofrido um acidente de carro e estava se locomovendo em cadeira de rodas.

Aquilo abalou o meu já sofrido coração e acabei assumindo o comando da Harmonia, que desfilou no então Grupo Dois (Rio Branco) na AESCRJ. Com o enredo "Vila Rica do Pilar" e o samba de autoria do grande Monarco da Portela. Logramos obter a segunda colocação no desfile e galgamos de imediato o Grupo Um que era o da elite do samba carioca.

Para explicar o samba de autoria do grande Monarco da Portela é simples: na época o nosso poeta estava enrabichado por uma bela cabrocha moradora no Jacaré onde o compositor foi até morar. Dali para freqüentar o samba da Unidos do Jacarezinho foi apenas um salto.

Monarco fez tanto nome na escola que chegou até ser o presidente do grêmio numa ocasião que bandidagem só a ele respeitava. Risco então sobre primeiro desfile da escola. Foi em 1967, com o enredo "A Exaltação ou Execução de Frei Caneca".

Até hoje pouca gente sabe ao certo o título desse enredo. Nessa época não havia tanta gavionagem no samba. Tanto assim, que a escola julgou que a execução de um vulto como frei Joaquim do Amor Divino pudesse virar um bom enredo.

Tanto podia que virou. O Monarco compôs um dos mais belos samba enredo de todas as épocas, e o Jacarezinho passou de passagem de um grupo para outro de cima.

 

Mesmo tendo sido um episódio sombrio e sangrento na História do Brasil, a execução de Frei Caneca proporcionou um lindo samba com melodia penetrante e uma letra que brotou na alma do compositor em lamento, mas cheio ufanismo ao mesmo tempo sem igual.

Diz assim principal refrão desse samba: "Numa linda manhã de sol/ clareando esse céu azul anil/ era fuzilado sem clemência/esse vulto inesquecível do Brasil/...

Fica apenas uma perguntinha no ar: Como é que Monarco descobriu que naquele dia 07 de abril de mil oitocentos e lá vai fumaça fez "uma linda manhã de sol"?

Isso é aquilo que chamo de inventiva poética que só os poetas grandes de samba enredo, não o que conhecemos na atualidade, possuem tal cabedal qual Beto- Sem- Braço e Aluísio Machado que descobriram em l987, que "os olhos de Oxalá são graciosos".

Ou então um cidadão Silas Assumpção de Oliveira que forjou uma amizade com Orfheus (O Deus da música na mitologia grega) só para compor um samba enredo. (Os Cinco Bailes na História do Rio)

Por causa do samba do Monarco chegou ocorrer um pequeno entrevero no interior do famoso Café Haia em Madureira entre o poderoso Natal da Portela e o compositor. É que após cantar o a samba para o Natal, Monarco ouviu dele a seguinte expressão: "para a Jacarezinho você faz um sambão desse, na Portela só faz tudo merda".

Contrariado com azeda crítica, Monarco apenas comentou baixinho: Todo ano faço o meu samba enredo. E ele (Natal) não toma nem conhecimento e manda cortar sem ouvir aminha obra. Para ele é tudo uma merda".

Rolei toda essa história só para dizer que acabo de saber que os Unidos do Jacarezinho, através do produtor Chico Frota, com a iniciativa do presidente José Roberto Hilário, estão lançando os seus sambas enredo em disco no formato CD MP3, desde fundação em março de 1966.

Do Jacarezinho guardo como uma das principais lembranças na figura do negão conhecido apenas por Zé Dedão. Nem eu até sei o seu nome próprio dessa figura que me apeguei primeiro na quadra, depois pelo samba afora. (no final da matéria explico o porquê do apelido Zé Dedão)

Zé Dedão era a simpatia em pessoa. Tudo para ele sim sinhô, sim senhora, boa dia, boa noite como está passando e outros chavões usados uma por pessoa que exalava educação de berço. Apesar de ser parrudo e dono se um vozeirão sem igual, jamais o vi alterado ou gritando com alguém.

Zé Dedão compôs um samba de quadra que era obrigatório, anos após anos, cantar por exigência das próprias pastoras. O samba cujo título e " Sobrancelhas De Veludo", e quando cantado na quadra deixava as boas cabrochas em total estado de euforia.
Grande Zé Dedão, que Deus o tenha.

Certamente que no disco apresentará algumas belas obras dessa agremiação que especializada em homenagear os grandes vultos do samba (MPB). E sempre ficar bem colocada no desfile.

Foi assim em 1981 quando apresentou enredo "Paulo da Portela-Majestade do Samba" e ficou com o segundo lugar no desfile do Grupo 2 B da AESCRJ.

No ano seguinte foi de exaltar Geraldo Pereira com o enredo "Geraldo Pereira- Eterna Glória do Samba". Não bateu no bico e a escola logrou abiscoitar o primeiro lugar no desfile do Grupo 2 A - ainda sob o comando da ASESCRJ.

Já no ano de 1986 a escola levou para o desfile uma bela homenagem ao saudoso poeta popular Antônio Candeia Filho com o enredo "Candeia, Luz da Inspiração". Nova conquista. A escola ganhou o desfile do Grupo 1B e subiu novamente.

No seguinte não foi tão feliz assim. Mesmo apresentando o enredo "Lupicínio, Dor de Cotovelo" ficou em décimo primeiro lugar no Grupo Um.

"A ES Unidos do Jacarezinho voltaria aos mitos do samba em 2005, com tema enredo em homenagem ao próprio Monarco com o título" Monarco, Voz e Memória do Samba, Um Passado de Glória". Porém, ficou apenas na décima posição no desfile do Grupo B.

 

"No desfile no ano em curso a escola levou para a Intendente Magalhães o enredo "O Samba Agoniza Mas |Não Morre"". "Nélson Sargento da Mangueira e Também do Jacaré". Outra vez não bateu no bico. Jacarzinho campeã com direito voltar o no próximo ano desfilar na Marquês de Sapucaí.


E já para o Carnaval de 2013 a escola já começou aprontar o tema enredo "Puxador, Não Intérprete" homenagem das mais justas ao saudoso José Bispo Clementino dos Santos, o popular Jamelão da Mangueira.

O curioso sobre esse enredo é que Jamelão se ainda vivo fosse estaria emplacando 100 anos de vida, caberia a Mangueira homenageado com um enredo. Porém a verde - e - rosa preferiu exaltar o estado do Mato Grosso do Sul em troca de um polpudo patrocínio.

Todavia, como se diz no popular, " Quem não chora não mama", a ES Unidos do Jacarezinho já recebeu a promessa do presidente Ivo Meirelles da Mangueira de que parte do patrocínio que a Estação Primeira vai receber da prefeitura Cuiabá será repassada ao Jacarezinho para ajudar na montagem do enredo sobre as peripécias da vida do finado "Preto Velho". Melhor assim.

Apenas mais uma curiosidade: No desfile de 1970 a ES Unidos do Jacarezinho incendiou o desfile na Avenida Presidente Vargas com o enredo "O Fabuloso Mundo do Circo" de autoria do finado jornalista Mário Barcellos. E o refrão realmente que diz assim: "Sorria, meu povo, sorria/ Com Fred, Carequinha e Arrelia"... Este sofrido JCN. Então diretor de Geral de Harmonia e Carnaval montou em plena avenida até um globo da morte, que só os fortes resistiam.

Do Jacarezinho é isso ai. Uma escola de samba de porte menor, mas com talentos sem tamanho. Talvez, por causa das diferenças sociais de existam, no seio da imensa favela, a torne pequena. Mas, uma coisa é certa: nenhuma outra escola de samba possui tantos e tantos valores e talentos com a imbatível Uns idos do Jacarezinho.

Na minha época em sua Ala de Compositores despontavam gente com o popular Zé Dedão ( ganhou esse apelido porque vendia mate e refresco de limão na Praia de Ipanema deixando á mostra seus imensos pés onde o destaque eram os enormes dedões), Monarco da Portela, Nonô Biquinho, Nonô Crioulo, Marcos, Sarabanda, Rodi, Zelino, Fausto do Carmo, Escoteiro dentre outros.

Para se ter ideia da fortaleza que é a ES Unidos do Jacarezinho basta informar que a bandidagem por várias interrompeu as atividades do na quadra da escola. Mas, o samba quente e gostoso, sempre voltava com mais força.

Ave, Jacarezinho. 46 anos de luta em prol do verdadeiro samba.


Veja mais sobre:Carnaval

Comentários
  • Avatar
    30/01/2013 10:10:50Miguel de FreitasMembro SRZD desde 30/01/2013

    Olá Sidney, parabéns pelo blog. Acabei de ler a matéria escrita pelo colega José Carlos Netto, que fala sobre a Unidos do Jacarezinho. Não precisei ir até o final da matéria para saber a origem do apelido do Zé Dedão. Nos anos 70 e 80 eu frequentava a praia de Ipanema e bebi muito mate com limão, servido pelo grande Zé Dedão e ele mesmo nos falo de sua origem na escola do Jacarezinho. De longe já sabíamos que ele iria chegar, pois Zé Dedão vinha cantarolando músicas conhecidas, onde fazia rimas com o mate e o limão. Nunca mais ouvi falar dele, apenas uma ou outra menção com suas músicas. Por favor, se você tiver notícias dele me envie. Grande Abraço Miguel de Freitas [email protected] r

Comentar