SRZD


26/08/2012 01h49

Com cinco PMs no card, 'Shooto 33 Bope' lota sede do Batalhão de Choque, no Centro
Hélio Rodrigues*

Foto: Hélio Rodrigues/SRZD.com

A sede do Batalhão de Choque da Polícia Militar do Rio de Janeiro, no Centro da cidade, recebeu neste sábado um dos mais tradicionais eventos de MMA do país. Na mesmo data em que se comemora o dia do soldado, o Shooto 33 Bope reuniu cinco policiais militares em seu card, sendo três caveiras e dois do BPChoque. O resultado acabou não sendo o mais esperado. Do Choque, Juan Psicopata e Rocha venceram, enquanto do Bope apenas Fernando saiu vitorioso, pela categoria de 77kg. No main event, Dudu Dantas acabou sendo derrotado pelo americano Tyson Nam.

No primeiro duelo da noite, Juan Psicopata enfrentou o argentino José Gaston Granado. No início do primeiro round, bastante trocação. O visitante não se intimidava com a torcida e com os avanços de Psicopata, que acertava bons low kicks. Ainda assim, Granado conseguiu levar o embate para o chão e chegou a aplicar um mata-leão no brasileiro, que foi "salvo pelo gongo". O segundo round começou e o hermano se mostrava mais agressivo num primeiro momento. O PM passou a ter mais ações, mas não tinha contundência nos golpes, e luta começou a causar impaciência na torcida. Então Granado tentou um double leg. Psicopata aplicou uma guilhotina e conseguiu a vitória por finalização aos 4min45s do segundo round.

O lutador Cristiano, do Bope, não teve a mesma sorte do compatriota ao enfrentar o também argentino Juan Pablo Molo. Os dois começaram a mil. Porém, a disposição mostrada acabou se mostrando desfavorável ao "caveira", que começou a ficar cansado. A equipe médica interveio e analisou que ele não tinha mais condições de lutar, obrigando o árbitro a dar vitória para Molo.

A terceira disputa foi rápida e durou apenas 2min40s. Fernando, do Bope, aplicou um belo katagatame no paraguaio David Manuel e venceu por finalização.

Sério e com cara de mau, Rocha, do Batalhão de Choque, não teve conhecimento de Cristian Torres, do Paraguai, no quarto duelo. Mostrando ser bom de muay thay, o policial aplicou diversos clinches da arte marcial tailandesa, desestabilizou o adversário, jogou para o chão, caiu por cima, castigou e nocauteou com 1min27s, levando o público à loucura.

Campeão mundial de jiu-jitsu, o caveira Félix Mau Mau entrou como favorito diante de Peter Torres. Mas o panorama foi diferente. Mesmo com o currículo de respeito, o brasileiro perdeu da maneira mais cruel: por finalização.

No sexto combate, em decisão dividida dos juízes, Rodolfo Marques derrotou Pedro Nobre.

Em seguida, André Pederneiras, presidente do evento, entrou no ringue para anunciar que Danilo Motoserra, atleta da Nova União, seu time, havia se sentido mal e não poderia enfrentar Emiliano Sordi.

Na oitava luta, Daniel Acácio venceu Guilherme Boma por decisão unânime após um duelo morno.

Pelo co-main event, Ronys Torres e Alejandro Mandarina, da Costa Rica, protagonizaram um embate bastante truncado. Melhor no jiu jitsu, contudo, Rony saiu vitorioso, também por escolha dos árbitros.

Na luta principal, Tyson Nam não se importou com a torcida da casa e com Dudu Dantas. O americano aplicou um upper no lutador da Nova União e foi o grande vencedor desta edição do Shooto.

* Com a colaboração de Rodrigo Menescal

Leia também

- Sargento do Bope, sobre Shooto 33: 'Sensacional'


Veja mais sobre:MMA

Comentários
Comentar

Isso evita spams e mensagens automáticas.