SRZD


08/09/2012 13h15

TV paga: nova lei obriga cota de conteúdo nacional em horário nobre
Thaiane Silveira

Foto: Reprodução de internetEstá em vigor a Lei 12.485, sancionada em 2011, que obriga os canais de TV por assinatura no Brasil a exibir em horário nobre ao menos 70 minutos semanais de conteúdo nacional em sua programação a partir de setembro. A cota promete valorizar e elevar a produtividade de conteúdo audiovisual para TV paga no Brasil, é o que acredita Sérgio Sá Leitão, diretor-presidente da Rio Filme, que ao SRZD falou sobre o crescimento do mercado no país e as estimativas de produtividade para os próximos anos.

- Confira o artigo de Sérgio Sá Leitão, presidente da Rio Filme, sobre a nova  regulamentação

Segundo Sérgio, o setor de TV por assinatura cresceu 38% de 2011 a 2012 e pouco mais de 300% desde 2002, o que representa mais de 14 milhões de consumidores no Brasil, superando pela primeira vez o faturamento da TV aberta. Com a implantação da nova lei, "a estimativa é de que ao longo dos anos haverá um aumento de 10 vezes na demanda de conteúdo nacional", o que contribuirá para a ampliação do mercado para empresas nacionais de conteúdo audiovisual.

"Só em relação ao conteúdo de cinema brasileiro, por exemplo, com os 14 canais que se caracterizam pela exibição de filmes - com exceção do Canal Brasil, especializado em filmes nacionais - o impacto da cota será de 74 exibições anuais, incluindo represes, para 1.456", explica Sérgio, que acredita que a implantação do artigo junto ao crescimento do mercado configurará um cenário extremamente favorável gerando mais produção, empregos, renda e impostos para o setor. "As perspectivas são muito positivas", acrescenta.

No cinema brasileiro, que atualmente mantém um volume de produção em torno de 100 longas-metragens por ano, a nova regulamentação favorecerá o setor por obrigar um aumento na demanda por filmes nacionais para o cumprimento da cota. "Os filmes brasileiros serão muito mais vistos e assistidos por muito mais gente na TV paga do que no cinema. E o valor destes filmes aumentará por conta da disputa entre os canais pelos conteúdos mais atraentes ou mais adequados as suas grades. Isso tende aumentar o valor dos filmes brasileiros", afirma Sérgio.

Além disso, a nova regulamentação tende a favorecer também o consumidor. "A lei, no seu conjunto, tem uma série de aspectos que estimulam a competição, seja entre operadoras ou entre canais e isso certamente gera benefício para o consumidor", afirma ele.

"Na medida em que há mais concorrência os preços tendem a cair e os serviços a ser tornarem mais diversificados e com mais qualidade. A lei, portanto, tende a gerar redução de preço beneficiando o consumidor e refletir em um crescimento ainda maior do setor", explica.

Foto: DivulgaçãoNova lei não tem relação com valorização da cultura nacional

De acordo com o diretor da Rio Filme, a lei não está relacionada a valorização do conteúdo nacional propriamente, mas sim a questões econômicas. "Realmente os conteúdos dos EUA e Europa já partem com uma base de consumo muito maior, então é mais fácil para os produtores recuperarem suas receitas, e o que vinha impedindo a exibição de conteúdo nacional era mais uma razão econômica do que cultural, então a cota compensa esse desequilíbrio", diz ele ao SRZD ressaltando que é mais fácil para um canal reproduzir um conteúdo licenciado para o mundo inteiro do que pagar por um que tem um mercado pequeno, atingindo apenas o Brasil ou América Latina.

Multas e punições

Os canais que não cumprirem com a nova lei de cotas para conteúdos nacionais, que será posteriormente elevada de 70 para 210 minutos semanais de conteúdos nacionais em horário nobre, estão sujeitos a penalidades, que vão de advertências a severas multas financeiras.

Entretanto, Sério Sá Leitão acredita que este não será um problema. Segundo ele, os canais, mesmo os estrangeiros, estão interessados em cumprir a cota não só para evitar as multas, mas também por enxergarem no mercado nacional uma atração e identificação maior do público.

Rio Filme investirá em conteúdos para TV em 2013

Em entrevista, Sérgio aproveitou ainda para anunciar que a Rio Filme, em colaboração com a Lei 12.485, pretende ampliar sua produção de conteúdo para a TV por assinatura no Rio de Janeiro para que boa parte dos novos conteúdos sejam de produtoras cariocas.

"A Rio Filme está se preparando para um investimento significativo em 2013 para o conteúdo para TV, comparado ao investimento já existente em cinema", afirma.



Comentários
  • Avatar
    26/01/2013 09:09:22ShoryuAnônimo

    Ou seja,vamos tambêm amarrar o telespectador no sofápara que ele não corra e seja obrigado a ver os programas e filmes que tentou ,em vão fugir pagando TV a cabo,Como pode-se esperar que alguma produção melhore quando somos obrigados a rever as poucas dignas criadas no Brasil,Sem falar que esta é a solução pra falta de investimento no cinema nacional,se ninguem assiste,vamos obrigar alguema comprar e repassar.O militarismo morreu?

  • Avatar
    20/01/2013 21:14:59MIlton RogérioAnônimo

    Cotas. Tipico do PT e do cachaceiro do Lula. Além disso, muitos vâo mamar nas tetas dessas cotas. Ao cidadão brasileiro somente a conta. Cinema Nacional: pelo amor de Deus, uma baixaria. Nem pais comunista tem tamanha imposição. Ainda dizem que estamos numa democra

  • Avatar
    09/09/2012 15:29:45AllanaAnônimo

    Mas que merda hein?! Agora é torcer para os canais passarem as programações em dias diferentes, porque ai temos outras coisas para escolher. SKY HDTV é o que vai salvar!

  • Avatar
    09/09/2012 14:03:56IsabellaAnônimo

    Brasileiro tem complexo de vira lata...tudo nosso é ruim assim ? existem filmes brasileiros excelentes e sem mulher pelada,sexo,palavrão e etc...basta saber procurar-los... nao tem uma opinião concreta sobre a lei ainda...mas a inicio concordo..temos que fazer o país melhorar vivendo ele mais .

  • Avatar
    09/09/2012 11:20:19Marina FernandesAnônimo

    Que cultura nacional?A de mulher pelada,sexo,palavrão,promisquidade....! O Brasil não tem cultura!Isso é uma palhaçada e tente comparar a cultura inglesa com a nossa....

  • Avatar
    09/09/2012 11:16:37Marina FernandesAnônimo

    Eu acho um absurdo essa lei,se nós temos uma Tv paga é porque não queremos ver essas porcarias que normalmente são exibidas na TV aberta.

  • Avatar
    08/09/2012 18:55:34JABÁAnônimo

    PRODUÃ?Ã?O NACIONAL SÃ? TEM M.....

Comentar

Isso evita spams e mensagens automáticas.