SRZD


11/01/2013 18h37

Cinderela Rafaela da Imperatriz
Hélio Ricardo Rainho

A linda porta-bandeira da escola leopoldinense vive um conto fadas de verdade. E revelou tudo ao blogueiro Hélio Ricardo Rainho.

�� Era uma vez...
E um sorriso de criança faz a gente acreditar...
Era uma vez...
Em um mundo encantado, se prepare pra sonhar... ��
Princesa com porte de Cinderela e começo difícil de Gata Borralheira. Seu nome é Rafaela, que significa "curada por Deus". A menina alegre e criativa, que batia uma boa bola e dizia sonhar em ser jogadora de futebol, teve uma infância de superação. "Tive enfermidades que certamente não me permitiriam estar aqui hoje. Mas venci todas elas." - conta, emocionada, a vitoriosa guerreira.


Menina muito dócil, de fortes vínculos familiares, Rafaela Theodoro começou a respirar dentro de casa os ares do carnaval e das escolas de samba. A avó Luiza foi porta-bandeira da Canário das Laranjeiras; o avô Ivan Theodoro, um dos fundadores da São Clemente. A mãe Luciana e o tio Brunno sempre desfilaram pela Viradouro. Até que, levada por sua tia Priscila para conhecer o trabalho do lendário mestre Manoel Dionísio, Rafaela encantou-se com o balé poético e a reverência elegante das porta-bandeiras evoluindo. "Confesso que, no inicio, não gostava muito, mais ai de mim se eu falasse isso para minha vó!" - tripudia a Cinderela, como quem ri de si mesma, falando da principal incentivadora que encontrou no comecinho de carreira. "Com o tempo, acabei pegando amor por essa arte. Por isso, todas as vezes que entro na avenida dedico a minha dança a minha avó Luiza, responsável por tudo isso. Ela prometeu não morrer enquanto sua neta não fosse porta-bandeira do Grupo Especial. Em maio de 2009, logo após minha estreia de pisar na Passarela do Samba como segunda porta-bandeira da Vila Isabel, ela foi morar com papai do céu..." - emociona-se a grata princesa do samba.


�� Contos de fadas, rainhas e reis...
Roupas que o povo não pode enxergar â?ªâ?«


No final de 2008, o casal de mestre-sala e porta-bandeira da Unidos de Vila Isabel, Julinho Nascimento e Rute Alves, foi visitar o projeto,do mestre Manoel Dionísio para selecionar, num concurso, o segundo casal para a escola do bairro de Noel. "O concurso era para faixa etária de 16 anos. Naquela ocasião eu não aparentava ter essa idade, as meninas foram escolhidas e eu fiquei no meu cantinho. Certa hora a Rute me aponta junto aos professores e me chama, fui até eles e me perguntaram quantos anos eu tinha, respondi na hora que tinha 16, pois de fato havia completado 16 no mês de outubro, e estávamos em novembro. Foi aí que ela me convidou para participar do concurso junto com os outros candidatos. Fiquei superfeliz e, a partir desse dia, comecei a ensaiar para o concurso. Sabia que tinha meninas experientes, capazes, mas que não seria impossível ganhar" - relembra a cinderela. Dali pra frente, precisou contar com apoio e incentivo de pessoas na caminhada.

"Na época, pedi ajuda a várias pessoas, uma delas foi José Bonifácio Júnior, que hoje está junto ao casal da Mocidade. Não tenho palavras para agradecer a ele, me ajudou muito" - conta, lembrando que o samba com que mais ensaiava era outro da Imperatriz, "João e Marias" (Josimar, Di Andrade, Valtencir, Carlos Kind, Jorge Arthur, 2008). Cuja letra também começa falando de uma princesa...


Até que veio o concurso. E, no dia da apuração, os familiares e amigos aguardavam ansiosos o resultado. Que a proclamou vencedora, uma grande emoção de sua vida. "Eu chorava demais!" - afirma, sem deixar de enaltecer a fada-madrinha que acabou se tornando referência em sua trajetória. "Inspirei-me muito na Rute Alves, dizia que era minha fada-madrinha, que foi amor à primeira vista". Foi ser aprimorando, assistiu a muitos vídeos, estudou as amigas de ofício, aprofundou-se no conhecimento e na desenvoltura de sua arte.

â?ªâ?« Os sapatinhos dançando sozinhos
Um rouxinol a cantar ��

O canto do rouxinol leopoldinense a encantou quando fez 14 anos. Já desfilava na ala de crianças da Viradouro, mas, na festa de seus 15 anos, fez uma escolha original: em lugar da valsa, pediu que tocassem o samba-enredo "Uma Delirante Confusão Fabulista", singela obra-prima dos compositores Josimar, Evaldo Ruy, Jorge Artur, P.C., Jorginho para o desfile da Imperatriz Leopoldinense em 2005. "Desde que ouvi esse samba pela primeira vez, não sei porque, mas ficava sonhado e me projetando com a princesa da letra... não entendia o motivo, mas achava lindo! E o escolhi como a música da minha vida. Não sonhava ser porta-bandeira, e ainda mais da Imperatriz, e hoje vejo que foi o destino, como diz uma parte do samba 'E fez da arte a linda princesa' .. a arte de dançar me fez e está me fazendo uma linda princesa!" - exulta, lembrando que, numa dessas coincidências da vida, essa também foi a primeira música que ela dançou ao assumir o pavilhão da escola.

Rafaela cita a inspiração de alguém muito especial em seu ofício: "Me inspiro muito na Maria Helena, a Imperatriz da passarela. É um prazer representar o pavilhão de uma escola que já teve uma das melhores porta-bandeiras do carnaval carioca, uma das mais respeitadas. E, como ela, vou fazer a minha história no carnaval e na Imperatriz Leopoldinense".
Ninguém duvida!

�� Sereia menina, a bailarina...
Universo criado por um sonhador
E o menino venceu a pobreza
E fez da arte a linda princesa
Com quem viveu grande amor ��

Mas toda gata borralheira precisa vencer seu destino e superar tudo até chegar lá. Não tendo uma madrasta propriamente dita, a cinderela Rafaela enfrentou a indiferença de seu pai com a sua opção pela bandeira do samba. "Talvez por medo desse universo tão competitivo, pela minha pouca idade. Ele não fazia muito gosto pela minha escolha. Até hoje não tive sua presença em meus ensaios ou desfiles. És vezes vou contar a ele algo relevante e ele finge não dar importância. Se dependesse dele, certamente eu não seria uma porta-bandeira. Mais não teve outra, já está no sangue e não teve jeito de me impedir!" - revela, convicta.

Falar de um sapatinho de cristal, para ela, remete ao símbolo que a persegue: a coroa. "Toda princesa precisa de uma coroa, não é? E a minha história na avenida começou com uma coroa (Vila Isabel) e me levou até outra (a Imperatrz). Sendo assim, a coroa é o meu sapatinho de cristal, ela é que me dá sorte, que faz trilhar meu caminho!" - acredita, enxergando nesse segredo mágico, a certeza de superar as "carruagens de abóbora" que representam a luta e as dificuldades do dia-a-dia.

E como falar de conto de fadas... sem mencionar um príncipe encantado???
"Sem dúvidas, o príncipe dessa trama seria o Júnior (Júnior Escafura, diretor de carnaval da Portela). Ele é um príncipe em pessoa, tem tudo que uma mulher deseja, brinco com ele com a música do Roberto Carlos - "Esse cara sou eu"... digo que é dele, realmente a música o descreve. Conheci o Junior no Carnaval (2012), foi tudo muito rápido, foi amor a primeira vista. Logo depois fizemos uma viagem para Porto de Galinhas e, quando vimos, já estávamos namorando. Tentamos esconder um pouquinho, mas o amor falou mais alto. Acho que fomos feito um para o outro!" - suspira a princesa apaixonada.

Coração puro, humildade, perseverança.
Rafaela fala da obstinação com que procura atender as cobranças e exigências que esse conto de fadas exige de quem quer ser princesa do carnaval. Para que não lhe venha a meia-noite e o encanto acabe, ela tem plena noção de que precisa se dedicar, crescer, aprender mais. Este ano começa a faculdade de Nutrição. Sabe que o artista cresce quando o ser humano avança. E carrega um enorme senso de gratidão no peito:


"É preciso ter equilíbrio, saber distinguir o certo do errado, o bem e o mal. Sem dúvidas a Imperatriz Leopoldinense me abriu as portas do seu grande castelo. Um conto de fadas virou realidade em minha vida. Por isso, além do meu ideal de ser uma excelente profissional, me entreguei de corpo e alma, buscando sempre o melhor para defender meu pavilhão verde e branco que fez 'da arte uma linda princesa'..." - declara, entusiasmada.
Logo a seguir, num devaneio de porta-bandeira menina, ela faz um comentário: "Pela minha história, gostaria muito de representar uma princesa! Acho que a fantasia seria a minha cara!" - dispara, rindo de si mesma por causa disso.

E para quem nunca acreditou que as páginas do samba pudessem escrever contos de fada e trajetórias de princesa...

â?ªâ?« Vem viajar nessa história
É só dizer pirlimpimpim â?ªâ?«

Imagens de arquivo pessoal gentilmente cedidas pelos fotógrafos credenciados, mediante solicitação prévia da entrevistada


Veja mais sobre:Imperatriz Leopoldinense

Comentários
  • Avatar
    16/01/2013 10:50:07Dorinha PimentelMembro SRZD desde 15/06/2009

    Parabéns Rafaela pela linda tragetória, você merece todo esse sucesso, beijos da Dorinha da Velha Guarda da Vila Isabel.

  • Avatar
    13/01/2013 11:04:27Wagner BlancoMembro SRZD desde 07/04/2009

    Parabéns Rafaela pela humildade de reconhecer aqueles que ajudaram na sua trajetória, sem dúvida surge mais uma musa da passarela do samba. Quem assistiu ai ensaio técnico da Imperatriz sabe disso .

  • Avatar
    11/01/2013 22:37:22Pablo MirandaMembro SRZD desde 11/04/2009

    Muito lindo! Parabéns Rafaela, vc merece. Desde que chegou a nossa escola, sabia que a diretoria havia acertado. O seu talento é evidente e a sua hora de brilhar vai chegar. Vc tem o nosso respeito e carinho. Boa sorte neste carnaval!

  • Avatar
    11/01/2013 20:46:12Marcio FelippeMembro SRZD desde 13/12/2011

    Hélio, parabéns por essa matéria! Quem conhece o mundo do samba e frequenta as quadras sabe muito bem da necessidade de renovo e do esforço que seu trabalho vem tendo pra dar moral principalmente a quem dança no samba. Passistas, mestres-salas, porta bandeira, você sempre incentivando e destacando essa gente. A Rafaela tem uma linda história e a forma como você contou tudo ficou emocionante. Acabo de ver que você é o blogueiro mais lido do site. Comece a conviver com o despeito e com a ignorância que cercam os que fazem sucesso! Parabéns Hélio e Rafaela, grande abraço!

  • Avatar
    11/01/2013 19:59:57TiagoMembro SRZD desde 17/07/2012

    Prezado Hélio Ricardo, vamos combinar né ... que forçação de barra hein. :s Não sei pq mais os textos do Claudio Russo, Rachel Valença e até mesmo Luis carlos Magalhães que nem desse site é, são muito mais interessantes e imparciais. Parabéns Rafaela, sem dúvida uma boa porta bandeira.

  • Avatar
    11/01/2013 18:53:52philMembro SRZD desde 19/01/2012

    Parabéns Rafaela!!! Muito linda a sua trajetória, embalada por esse lindo samba!

Comentar