SRZD


18/04/2013 12h49

'Meu pé de laranja lima': produção nacional de qualidade
Ana Carolina Garcia

Os últimos lançamentos do cinema nacional, sobretudo as pseudo-comédias, têm deixado e muito a desejar devido à sua falta de qualidade. Então, quando nos deparamos com um filme brasileiro esteticamente bonito e com conteúdo, como "Meu Pé de Laranja Lima" (2013), é bastante satisfatório. O SRZD já assistiu ao longa que estreia nesta sexta-feira, dia 19, e gostou muito.

- Veja o trailer do filme

Com direção e roteiro de Marcos Bernstein, essa é a segunda adaptação para o cinema da obra homônima de José Mauro de Vasconcelos, publicada há 45 anos e traduzida para mais de 30 idiomas, vendendo mais de seis milhões de cópias em todo o mundo. É inevitável não fazer comparações entre o longa de Bernstein e o de Aurélio Teixeira, lançado em 1970.

A principal diferença entre eles é a abordagem do drama do protagonista. Enquanto o longa de Teixeira foca mais na realidade do personagem, com abordagem um tanto superficial; o de Bernstein vai mais a fundo e explora tanto a crueza das agressões quanto o mundo imaginário de Zezé (João Guilherme Ávila), concedendo-lhe maior complexidade.

"Meu Pé de Laranja Lima" conta a história de Zezé, menino de oito anos, de origem humilde, levado e sensível, que sofre com os maus tratos de seus familiares, principalmente de seu pai alcóolatra e desempregado. Acreditando não ser amado por ninguém, o garoto vê no pé de laranja lima de seu quintal o único conforto diante de tanta dor física e emocional. É com ele que Zezé dá asas à sua imaginação, até o dia que é socorrido por Portuga (José de Abreu), homem sozinho que o apoia e lhe mostra uma nova realidade, com momentos de felicidade e esperança.

Para o menino existem dois mundos distintos, e os contrastes de sonho e realidade são explorados com bastante competência pela bonita fotografia de Gustavo Hadba e pela montagem de Marcelo Moraes. Mas tais contrastes não teriam tanta força sem o talento de Ávila, estreante em longas-metragens e filho do cantor Leonardo.

João Guilherme herdou o carisma do pai famoso e consegue cativar o público em poucos minutos de filme. O ator não exagerou no drama nem na fantasia, dando a Zezé um ar natural e simples, mas com muita sensibilidade. Ele está ótimo em cena, especialmente nas mais difíceis, como as que seu personagem apanha do pai e de uma de suas irmãs.

"Meu Pé de Laranja Lima" é uma produção emocionante e agradável de assistir, que nos lembra de que é possível fazer cinema de qualidade no Brasil. Vale muito a pena assisti-la!


Veja mais sobre:Cinema

Comentários
  • Avatar
    22/04/2013 14:04:35MARCIA NUNESAnônimo

    ADOREI, DE UMA SENSIBILIDADE MAGNIFICA, ACHO QUE TODO MUNDO DEVERIA ASSISTI-LO.

Comentar

Isso evita spams e mensagens automáticas.