SRZD


23/04/2013 12h05

Bola teria queimado corpo de Eliza Samúdio e jogado cinzas em lago
Redação SRZD

Foto: Reprodução de TVO segundo dia de julgamento de Marcos Aparecido dos Santos - o Bola como era conhecido - começou no Fórum de Contagem, em Belo Horizonte (MG), com o depoimento de um detento que já dividiu cela com o ex-policial civil, que é acusado de matar Eliza Samúdio. O presidiário Jaílson Alves de Oliveira voltou a afirmar que Bola confessou o assassinato da ex-amante do goleiro Bruno Fernandes.

O detento também confirmou as informações que havia dado em depoimentos anteriores, nos quais contou que Marcos Aparecido lhe havia dito que matou Eliza, queimou seus restos mortais junto de pneus e, em seguida, jogou as cinzas em um lago.

Antes do depoimento, a juíza Marixa Fabiane Lopes Rodrigues pediu que o acusado deixasse o Salão do Júri do Fórum de Contagem. Jaílson também revelou que havia um plano de Bola para matar a magistrada, o delegado Édson Moreira e o deputado Durval Éngelo, presidente da comissão de Direitos Humanos da Asssembleia de Minas. De acordo com o depoente, o traficante Nem da Rocinha já teria sido contatado para executar os crimes.

Leia também:

- 'Inquérito foi uma fraude', diz advogado no julgamento de Bola 


Veja mais sobre:Caso Eliza Samudio

Comentários
  • Avatar
    26/04/2013 00:31:27telma monteiroAnônimo

    esseadvogado louco descalhificado ja deveria estar fora de exercer sua profisão e muita sujeira derrespeitoso viciado sem escrupulo deus me livre para onde estamos indo?

Comentar

Isso evita spams e mensagens automáticas.