SRZD



Hélio Ricardo Rainho/Carnaval

Hélio Ricardo Rainho/Carnaval

CARNAVAL. Profissional de Comunicação e Marketing, Hélio Rainho veio do teatro, sendo ator e diretor profissional. Autor da biografia do jogador Mauro Galvão e de várias peças teatrais. Nascido na Praça XI, chegou à Portela como jovem compositor nos anos 80 e passou a pesquisar escolas de samba e Carnaval. Idealizador do projeto "Quem És Tu, Passista?", um manifesto pela preservação do segmento, é padrinho dos passistas do Império Serrano e comentarista dos desfiles na Sapucaí. Twitter/Instagram: @hrainho.

* Os textos desta seção não representam necessariamente a opinião deste veículo e são de responsabilidade exclusiva de seu autor.



15/05/2013 13h21

Personalidade dá enredo?
Hélio Ricardo Rainho

Foto: Reprodução de Internet

Comentar enredo, a meu ver, é uma tarefa fracionada. Temos quatro momentos específicos para analisar um enredo. O primeiro é quando se anuncia o tema. O segundo, quando a sinopse o elucida. O terceiro, sua confecção no barracão. E o quarto - efetivamente aquele que vale - quando se assiste ao desfile na avenida. Em cada etapa, é possível discutir e refletir a respeito.

Que bom que a internet (unicamente este veículo, nenhum outro mais) nos tem proporcionado um ambiente de discussão e interação sobre as questões do carnaval, agora não mais restrito ao "calendário" (comercial) da televisão e da mídia em geral, que só vislumbra as escolas de samba como produtos. Aqui podemos antecipar análises e debates sobre o que ainda está sendo tramado nos bastidores do samba.

Enredos sobre personalidades: o que se pode pensar a respeito? Claro, quando se trata de figuras retóricas do próprio samba ou de alguma área artístico-cultural, a aceitação é mais clara. Mas como podemos analisar enredos cujo tema seja um personagem além da dimensão do samba?

Imperatriz, Beija-Flor e Unidos da Tijuca saíram na frente com essa aposta para 2014. A escola de Ramos escolheu o ex-craque Zico como tema. A de Nilópolis vai homenagear o empresário Boni. O Pavão do Borel, Ayrton Senna. A primeira, acredito eu, buscará forças no apelo popular do jogador e do clube no qual fez história - o Flamengo. A segunda apostará no legado profissional do homenageado como maior trunfo para render boas alegorias e adereços. A terceira certamente investirá no potencial dramático que a lembrança desse herói das pistas sempre desencadeia quando lembrado.

Tenho que opinar...! E o que eu acho disso, a priori?

Como tenho dito, e seguirei dizendo aqui e acolá, vejo a escola de samba como vejo a tradição africana. A transmissão do saber atávico, ou seja, vindo num ciclo onde a renovação acontece com base nas tradições e no legado cultural previamente construído. As sociedades africanas se organizam dessa forma na transmissão de seu saber. E a escola de samba é uma legítima semente desse legado cultural no seio de nosso país. Assim sendo, ela não desce à avenida apenas para exibir um espetáculo midiático ou para se empacotar num belo DVD comercial de gravadora, emissora ou qualquer outra coisa empresarial que o seja. A escola de samba tem o seu discurso. E cada uma delas tem um discurso típico, em particular. Então me parece sempre coerente que os enredos de escola de samba, sejam eles ilustrados pelas personalidades que forem, devam sempre fazer menção a elementos a ela pertinentes. Com todo respeito aos homenageados anunciados para 2014, este colunista que vos escreve não se animou nem se sensibilizou com nenhuma das três escolhas. É minha opinião, sem pessimismos nem conclusões apressadas. Os temas não me agradaram.

Sei lá. Penso assim: qual é o único canal que existe hoje para propagar a escola de samba, senão ela mesma? Onde mais se pode aprender a fazer samba de verdade, a cantar a arte e a cultura genuínas do nosso povo, nossa terra, nossos poetas do morro, nossa gente, senão na avenida? Onde mais se pode celebrar Monarco, Pinah, Cartola, Candeia, Roberto Ribeiro, Pixinguinha ou vultos e fatos históricos de nosso país?

Estamos imersos numa poluição cultural onde só as próprias escolas de samba podem se defender e preservar seus bambas, seus tesouros, seus baluartes. A hora em que escolhem seus enredos é o momento-chave em que podem se afirmar, defender sua raiz histórica, brigar por sua legitimação. E aí, o que elas fazem? Escolhem personagens dignos de homenagem (sim, grandes vultos), mas que são alheios ao discurso essencial do samba.

Penso sempre no viés antropológico quando concebo a entrada de uma escola de samba na avenida. Vejo não apenas o que ela tem para me mostrar naquele momento, mas todo o seu peso de construções simbólicas no decorrer de muitos anos. O julgamento é sobre o que está ali, mas a mensagem maior não é a do julgamento: é a do legado cultural. E é exatamente por ter essa visão dos desfiles que reitero minha opinião de que, antes de tudo, a escola de samba precisa privilegiar seus valores, sustentar seu discurso, firmar-se em sua identidade. E é a partir da escolha de seu enredo que ela tem a oportunidade de fazer isso.

Que os três escolhidos são grandes personagens de nosso país, não tenho dúvida. Que até merecem homenagens, também. Mas, respeitosamente e particularmente, não acho que eles tenham uma grandeza compatível com o que se exige de um enredo para o porte das três escolas que os escolheram.

Acho as três escolas maiores do que os homenageados.

(Ufa...suei para ter coragem de escrever isso!)

Vamos ver como a Imperatriz vai fazer para contornar a incompatibilidade de suas cores com o vermelho e preto que inevitavelmente terá de registrar em seu enredo. Vamos ver como a Beija-Flor vai extrair apelo emotivo de um personagem frio e distante da realidade comum do brasileiro (a TV é comum, empresário não). Vamos ver como a Tijuca vai defender um tema que parece muito restrito tão somente ao carisma de um personagem, sem muito mais o que ilustrar.

Enfim, a reflexão aqui está. Sem falsas previsões e com muita curiosidade. Agora, só nos resta aguardar...

Facebook Hélio Ricardo Rainho

Twitter @hrainho

Leia também:

- Acelera, Tijuca! Enredo da azul e amarela homenageará Aytron Senna


Veja mais sobre:Carnaval 2014

Comentários
  • Avatar
    21/05/2013 09:36:24papiza do sambaMembro SRZD desde 28/01/2010

    Melhor é do Aiton, que é reprise do da Tradição. Do zico nem ...f....udendo.....Xô gliho e do Boni, socorro, um camarada que com esta idade ainda pinta o cabelo deasta cor, nota-se que sua noção estetica é zero e que venceu na vida explorando talentos alheios pois não entende nada de beleza, só se ver na foto. E que filho é esse desse camarada, esse tal de boninho????O pior diretor que a globo já teve!!!!!!!!!!

  • Avatar
    17/05/2013 16:25:49eduardoMembro SRZD desde 31/01/2011

    Eu acredito que ñ existe enredo ruim , mais sim fio contudo do enredo que ñ seja bem explorado. Em particular fando da beija-flor sei q o fio que ira conduzir o enredo nume pela vida de homenageado mas sim a historia da comunicação , como todos sabem a BF como de costume vai viajar muito além na historia pra busca a origem da comunicação e por fim vai falar da carreira e ñ da vida. tijuca. corre pelos bastidores que o fio de condução do enredo vai começa nas grandes fabricas de sonhos ( as construções dos carros de F1) sendo assim viajando por anos ate chegar na era de senna explorando seu amor pela xuxa , essa q por sinal vai desfila na Tj assim esta sendo cogitado no barração da mesma , com tudo isso falando das sua conquistas no esporte e por fim em sua trágica morte o q eu acho q num deve ser explorado na minha opinião ñ estou defendendo nem a BF nem TJ mas acho q o da BF rende mais assunto. Já a Imperatriz eu ñ sei oq falar pois ñ conheço ninguém de lá para obter informações .

  • Avatar
    17/05/2013 11:20:05Carlos AndréMembro SRZD desde 10/11/2009

    Concordo em partes, discordo em outras. Pela ordem, acho que a Tijuca fez uma boa escolha, uma grande personalidade pra uma grande escola de samba. Imperatriz fez uma escolha mediana, já que terá de tratar sobre uma personalidade que apesar de um excelente atleta, é profundamente identificado com um dos clubes de futebol carioca, o que pode ser incômodo pra parte de sua comunidade. O destaque negativo fica por conta da Beija-Flor, que é muito grande pra escolher um enredo tão papa-moedas como esse.

  • Avatar
    16/05/2013 23:49:58antonio carlosMembro SRZD desde 14/06/2012

    Enredos de homenagem são dificeis de desenvolver se seguirem a linha da vida do homenageado é uma fria. Mas se o carnavalesco contar a historia por uma "via paralela" da vida do homenajeado o desfile fica muito mais interessante e não deixa de atingir o objetivo assim como já ocorreu. Em 2012 em S.Paulo foi homenegeado o empresário Roberto Justus que tem acendência hungara ( hungria) pela Rosas de Ouro. Espera-se um fiasco. No entanto o resultado foi fantástico e o desifle maravilhoso e inesquecivel pois o carnavalesco contou a história como um conto de fadas " Era uma vez " e passando mais forte pela hungria e suavemente pelo homenageado. Deu certo. Agora se for contar a data de nascimento, a vida etc.como eram nos enredos no passado fica chato pra caramba. Vamos ver no que dará as citadas homenagens e parabens as escolas por estarem fazendo-as em vida; isso é o mais importante. Boa sorte as escolas.

  • Avatar
    16/05/2013 21:28:52Geovany Galdino DantasMembro SRZD desde 21/07/2009

    Apesar de não gostar, acredito que grandes personalidades podem gerar bons enredos sim, desde que a suas histórias sejam contextualizadas. Como bem falou Hélio Ricardo Rainho, pode-se analisar um enredo em quatro momentos específicos, sendo "possível discutir e refletir a respeito". Sendo assim, espero que os carnavalescos da Imperatriz, Unidos da Tijuca e Beija-Flor possam encontrar um fio condutor possível para suas história possam ser apresentadas na avenida de forma plasticamente bonita e compreensiva. Ah! parabéns ao Salgueiro pelo enredo apresentado.

  • Avatar
    16/05/2013 17:47:43Nidia Jussara FdasilvaMembro SRZD desde 25/06/2012

    A Beija-Flor foi campeã com Roberto Carlos e diga-se de passagem que foi uma marmota esse campeonato!

  • Avatar
    16/05/2013 10:23:25S.GonçaloMembro SRZD desde 17/07/2011

    Eu acho que as pessoas não vão se sentir motivadas a assistir estes desfiles, pois são enredos que não prendem a atençao, a vontade de ver, não trazem a emoção do carnaval. Mas é uma aposta, arriscada, diga-se de passagem, para as três escolas.

  • Avatar
    16/05/2013 09:19:19Sergio Rodrigues - RJMembro SRZD desde 15/04/2009

    Me lembro que quando a Mangueira, pioneira nas homenagens a personalidades vivas com o supercampeonato de 84 Braguinha,(e fazia muito bem, tanto que ganhou várioas carnavais: Braguinha, Caymmi, Drummond, Chico), ela era taxada de "a escola da mesmice" pelos torcedores da Beija-Flor. Hoje em dia essas escolas paressem ter aprendido que uma boa homenagem (ou as vezes nem tanto) como foi com Roberto Carlos, também podem render bons frutos. Se bem que Bonni, tá bem mais pra Chico Recarey do que pra Caymmi, por exemplo. De todo modo, são três escolas que estão num bom momento, incluindo a Imperatriz que parece estar se recuperando.Vamos ver no que dá.

  • Avatar
    16/05/2013 08:24:43Fabiano de Vila-ForteMembro SRZD desde 15/10/2009

    Quando uma escola é competente (Beija Flor, por exemplo), personalidade e qualquer outro enredo dá um bom enredo. O que se discute é a "personalidade". Por que falar de Boni (argh!) em detrimento das personalidades que fundaram a maravilhosa escola Beija-Flor de Nilópolis? Assim como a Portela prestou homenagens às suas personalidades em 1984 (Contos de Areia), a BF poderia homenagear os fundadores dessa escola exemplar. Confesso que gostaria de saber quem foi essa gente. Fica a dica.

  • Avatar
    15/05/2013 20:48:55mauricio TijucaMembro SRZD desde 30/11/2009

    Parabéns, acho que falou tudo. Particularmente ñ curto este tipo de enrredo

  • Avatar
    15/05/2013 16:56:34Almir da Silva LimaMembro SRZD desde 11/10/2011

    Parodiando o seu destacado sobrenome, Rainho (rsrsrs), que diz tudo em relação aos seus predicados enquanto intelectual-sambista, amante-confesso do mundo do samba e da Majestade do Samba, parabéns pelo altaneiro texto... Rsrsrs... Desconfio que a despeito ou exatamente por isso. Isto é, por você não esconder o amor que sente pela agremiação do coração â?? não fosse ela a que tem mais torcida organizada, a mais coirmã-madrinha e mais laureada do Carnaval Carioca -, que esse belo texto de análise. Ou seja, de opinião, cause â??reaçõesâ? de adeptos e ou adeptas â??pentecostaisâ?? das agremiações cujos enredos 2014 foram analisados â?? ainda que tenha sido, conforme você disse o primeiro entre quatro momentos específicos. Assim sendo, novamente parabéns. Almir de Macaé, um aficionado pela MPB e pelo mundo do samba no qual é torcedor-amante da Águia Guerreira de Oswaldo Cruz e Madureira.

  • Avatar
    15/05/2013 15:48:29Duquesa Dholores: a nobreza da favela em pessoa!Membro SRZD desde 18/10/2010

    Hélio, meu nobre colunista... cê tem razão!! Ã? preciso suar e ter corage pra escrever certas verdades sobre algumas escolas e seus enredos escolhidos. Basta apenas uma opinião como a sua, fria e racional, pra então pedras voarem pra todos os lados em defesa dessa ou daquela agremiação. Sua defesa vai muito mais longe. Ã? uma análise que precisa ser mastigada bem devagar até chegarmos ao seu verdadeiro cerne. De saída, sua defesa na questão da preservação da instituição escola de samba está nítida. Ã? algo que está acima de cores e pavilhão. Merece sim uma melhor avaliação. Depois eu volto pra nós comentar mais sobre esse texto interessante, que, de antemão, já tem meu incondicional apoio. Parabéns, mô bem!

  • Avatar
    15/05/2013 15:17:38Bruno ImperatrizMembro SRZD desde 07/07/2011

    Bem!!! Eu acho os 3 piores Enredos até agora,e tem gente aqui que ainda diz que eu não falo mal da minha Escola...Claro só falo mal da minha Escola com pessoas da minha Escola e que desfilam na minha Escola a anos como eu...mais isso eu falo aqui foi um susto pra min a escolha desse Enredo da Imperatriz...Pelo jeito teremos um desfile bem meia boca no Carnaval 2014...Ã?nico destaque até agora pra min é o Salgueiro com o melhor Enredo até o momento...A ilha tem um Bom Enredo também mais pra min aquele Alex é um Carnavalesco de M...então a Ilha com certeza vai fazer outro desfile meia boca.

  • Avatar
    15/05/2013 15:15:06Bruno ImperatrizMembro SRZD desde 07/07/2011

    Bem!!! Eu acho os 3 piores Enredos até agora,e tem gente aqui que ainda diz que eu não falo mal da minha Escola...Claro só falo mal da minha Escola com pessoas da minha Escola e que desfilam na minha Escola a anos como eu...mais isso eu falo aqui foi um susto pra min a escolha desse Enredo da Imperatriz...Pelo jeito teremos um desfile bem meia boca no Carnaval 2014...Ã?nico destaque até agora pra min é o Salgueiro com o melhor Enredo até o momento...A ilha tem um Bom Enredo também mais pra min aquele Alex é um Carnavalesco de M...então a Ilha com certeza vai fazer outro desfile meia boca.

Comentar