SRZD


16/05/2013 17h01

Beija-Flor entrega sinopse aos compositores na próxima quinta
Redação SRZD

Foto: Diego Mendes

A Beija-Flor entrega, na próxima quinta-feira, dia 23 de maio, a partir de 21h, na quadra da escola, a sinopse do enredo para o Carnaval 2014.

A azul e branca vai levar para a Sapucaí o enredo "O Astro iluminado da Comunicação Brasileira", que contará a trajetória de sucesso do empresário e publicitário Boni.

Laíla pede que a comunidade compareça ao evento e destacou que a escola está de portas abertas para todos os compositores do país.

As composições e letras deverão ser entregues para a diretoria da agremiação no dia 20 de julho, quando serão sorteadas as chaves da disputa, que terá início na primeira semana de agosto.

Leia também:

- Boni aprova, sem ressalvas, sinopse do enredo da Beija-Flor


Veja mais sobre:Beija-FlorCarnaval 2014

Comentários
  • Avatar
    21/05/2013 16:07:16papiza do sambaMembro SRZD desde 28/01/2010

    A duquesa fala bem, parabens nobreza da favela.Agora fala sério Boni de cabelo pintadinho ser enredo da Beijoca fleuer, ui com tanta gente mais digna para se homenagear até a alma do sapateiro da escola de Nilópolis é mais nobre e mais digna de homenagem mediante a balança espiritual do planeta do que este aliciador de mentes, baluarte da hiócrisia e responsável por imenso atraso cultural de nossa gente! E o samba vai perdendo a tradição.... graça a essa escola trambolhuda!

  • Avatar
    21/05/2013 10:39:21Mauricio SantosMembro SRZD desde 01/02/2011

    Acho que este aspaço é para debatermos e comentarmos com seriedade, para que aprendamos uns com os outros, mas tem gente que parece querer transformar este espaço em um octódromo de vale tudo bom censo é tudo.

  • Avatar
    19/05/2013 17:35:05domingos lopezMembro SRZD desde 11/06/2009

    NO BRASIL TEM MUITA GENTE VIVA E QUE JÁ SE FORAM QUE FIZERAM MUITO POR TODOS OS SEGMENTOS DA VIDA O PRÃ?PRIO IRINEU MARINHO INICIANTE DO PROGRESSO DA GLOBO NUNCA FOI HOMENAGEADO O SEU BONI Ã? APENAS UMA PARTE DESSE SEGMENTO... POR QUE NÃ?O HOMENAGEAR A PRÃ?PRIA??????????????????????????????? ???????????????????????

  • Avatar
    18/05/2013 18:15:09Almir da Silva LimaMembro SRZD desde 11/10/2011

    Repetindo a denúncia & protesto, o meu comentário fundamentando com número um dos "sinais" do enfraquecimento da Deusa da Passarela anda sendo CENSURADO pela pessoa encarregada pela edição, sem que a editora responsável a jornalista Luana Freitas tome providências.

  • Avatar
    18/05/2013 17:59:28Almir da Silva LimaMembro SRZD desde 11/10/2011

    Uma vez que a pessoa encarregada pela edição dos comentários anda praticando a nefasta CENSURA e a editora responsável deste site não a corrige, com certeza uma hora isso será feito.

  • Avatar
    18/05/2013 16:26:33vandinho da mangueiraMembro SRZD desde 18/05/2013

    acho o boni uma grande personalidade e a beija acertou em cheio em seu enredo... parabéns e saudações mangueirenses.

  • Avatar
    18/05/2013 16:01:55Duquesa Dholores: a nobreza da favela em pessoa!Membro SRZD desde 18/10/2010

    ... que o carnaval cresceu, disso ninguém tem dúvida. Basta olhar a exuberância volumétrica dos materiais empregado nas alegorias (batizado por eu de trambolhos e virou moda) pra gente ter uma noção desse crescimento. Cresceu em tamanho, diminuiu drasticamente em qualidade. Esse é o X da questão. Tem valido a pena pinicar pra trambolhar e depois que a escola passa seu desfile ser esquecido porque não passa de um produto comercial ou midiático descartável?

  • Avatar
    18/05/2013 14:32:54Mauricio SantosMembro SRZD desde 01/02/2011

    Acho louvavel a pretenção dos amigos comentaristas, quando falam que as escolas deveriam homenagear personalidades do carnaval como fundadores por "exêmplo", mas o carnaval cresceu e hoje a escolha de um enredo envolve muita coisa, como patrocínio e autorizações dos patentiadores dos enredos ou dos familiares do homenageados, o carnaval cresceu e como em qualquer área, têm os prós e os contra.

  • Avatar
    18/05/2013 11:42:09Almir da Silva LimaMembro SRZD desde 11/10/2011

    ATENÃ?Ã?O editora-responsável jornalista Luana Freitas, o profissional encarregado pela edição dos comentários prossegue praticando a nefasta CENSURA sob a inverídica alegação de que alguns - outros acabam postados - possuem "palavras ofensivas, dados pessoais ou links para outros sites".

  • Avatar
    18/05/2013 08:16:13Duquesa Dholores: a nobreza da favela em pessoa!Membro SRZD desde 18/10/2010

    Eu também faço coro com o nobre comentarista altaneiro, seu Almir Macaé. Vou muito mais além em minhas análises porque considero que a filosofia mercenária implantada pela Pinica foi nociva para o mundo do samba como um todo. Esse tal enfraquecimento do â??tecido momescoâ? não é algo a ser avaliado apenas na referida escola. Houve uma contaminação tão fuderosa nesse aspecto, que até mermo os jurados liesianos precisam rever suas apreciações. Claro que os juradinhos seguem ou rezam pela cartilha liesiana, então, o cerne da questão está na instituição e na configuração de sua estrutura nesse quesito. Mas voltando ao assunto tecido enfraquecido, pode haver uma confusão quando se fala em tal questão. Alguns riem porque, ao verem sua escola vangloriada por um sistema econômico-comercial pujante e bem arquitetado (diga-se de passage, porque não passam de escolas de S/Amba), acreditam numa ilusão de que atingiram o apogeu. Numa época onde a prástica (imagem exterior) serve como medida para aceitação social, o tal sistema tem garantido a determinadas escolas um beneficiamento jamais visto. A cênica trambolhuda, que faz referência a uma exuberância volumétrica de materiais, tem sido sim a marca de quem busca competir segundo tal filosofia. Antes, bastava criatividade, um enredo bem elaborado com fragmentos culturais ricos e interessantes pra se criar uma empatia entre público e escola, ou, sobretudo, se ter uma análise mais elaborada e criteriosa por parte dos jurados.

  • Avatar
    18/05/2013 08:11:04Duquesa Dholores: a nobreza da favela em pessoa!Membro SRZD desde 18/10/2010

    Hoje, bastar trambolhar. Basta conceber alegorias com uma métrica desproporcional (muitas vezes), bastar engalanar tal trambolho pra escola ser apontada como possível campeã. Este discurso se dá entre forma e conteúdo. Por fora, o enredo piniqueiro propicia uma bela viola. Por dentro, a essência desse enredo, é pão bolorento... trocando em miúdos, uma bosta fedorenta. As escolas estão reféns desse sistema. Os jurados se tornaram viciados em trabolharia ricamente decorada. Não interessa qual seje o tema, pode ser a prega rainha de Maria Odente, se ela investiu alguns milhões no pseudo carnaval pode ter certeza que terá retorno. Aqui reside o enfraquecimento do tecido momesco carioca. Eu vou pegar carona naquilo que redigiu o brogueiro Rainho pra enfatizar minha tese: â?? Penso sempre no viés antropológico quando concebo a entrada de uma escola de samba na avenida. Vejo não apenas o que ela tem para me mostrar naquele momento, mas todo o seu peso de construções simbólicas no decorrer de muitos anos. O julgamento é sobre o que está ali, mas a mensagem maior não é a do julgamento: é a do legado cultural. E é exatamente por ter essa visão dos desfiles que reitero minha opinião de que, antes de tudo, a escola de samba precisa privilegiar seus valores, sustentar seu discurso, firmar-se em sua identidade. E é a partir da escolha de seu enredo que ela tem a oportunidade de fazer issoâ?.

  • Avatar
    18/05/2013 08:10:31Duquesa Dholores: a nobreza da favela em pessoa!Membro SRZD desde 18/10/2010

    Bem... Quando um enredo contém argumentos ou elementos que nos faça identificar esse legado cultural, algo que nos faça lembrar do tal desfile por muitos anos e cantar seu samba tomando uma cerva bem gelada no quintal de nossas casas (pode ser na sala de um ap também), certamente a agremiação estará cumprindo seu dever de casa. Continuará sendo canal propício para propagar, cantar a arte e a cultura genuínas do nosso povo, nossa terra, nossos poetas do morro, nossa gente, senão na avenida? Estamos imersos numa poluição cultural onde só as próprias escolas de samba podem se defender e preservar seus bambas, seus tesouros, seus baluartes... sua história e sua própria identidade eu acrescento (ainda com base em Rainho). A hora em que escolhem seus enredos é o momento-chave em que podem se afirmar, defender sua raiz histórica, brigar por sua legitimação. Quando não o fazem, esgaçam o tecido momesco. Viram uma metamorfose ambulante a serviço de interesses puramente mercadológicos. Transformam-se, essas escolas, numa prateleira vazia de supermercados onde o produtor expõe seu produto geralmente de má qualidade. São barrigas de aluguel que geram filhos (desfiles) não por força duma gozada imaginativa natural, mas pela inseminação artificial fruto duma masturbação mental piniqueira. O dejeto é depois lançado na avenida. E o pior é que, por ser bem apresentável, parece interessante. Todavia, é algo apenas bonitinho, mas ordinário!

  • Avatar
    17/05/2013 20:34:12Beija SempreMembro SRZD desde 20/01/2013

    Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk k. Pelo visto os tarjas pretas continuam a não fazer efeito! O cara vive no século passado e se nega a sair dessa alucinação! â?? kkkkkkkkkkkkkkkk. O tecido da laureada escola nilopolitana ta enfraquecendo! Que texto primoroso e atual! â?? kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk. Mil vezes fazer parte da parcela pentecostal que a fazer parte da parcela débil mental! â?? kkkkkkkrsrsrsrsrsrshuahuahuahua.

  • Avatar
    17/05/2013 10:35:58Almir da Silva LimaMembro SRZD desde 11/10/2011

    Um blogueiro deste site redigiu e postou o texto â??Personalidade dá enredo?â? analisando tal quesito 2014 da agremiação em questão e das coirmãs Verde-Dourado da Leopoldina e a Azul-pavão & Amarelo-ouro Tijucana. Então, um leitor sugeriu que a Deusa da Passarela se ligasse na dica dele para a agremiação mais laureada da era sambódromo apresentar proximamente um enredo, cujo tema seja a exemplo do da madrinha Majestade do Samba em 1984 intitulado â??Contos de Areiaâ?, não sobre â??personalidadeâ??, mas, sim sobre fundadores. A mim que tenho como agremiação do coração, a mesma dos aludidos blogueiro e leitor deste site, considero uma boa dica. Embora, eu também considere que atualmente não seja esta a Filosofia Carnavalesca adotada pela laureada afilhada nilopolitana. Enfim, repito o que disse anteriormente, oportunamente quando eu for redigir o texto de análise sobre o enredo 2014 da Beija Flor, ousadamente e com todo merecido respeito, falarei também acerca daquilo que considero possíveis sinais de enfraquecimento do tecido ou da máquina da vitoriosa afilhada. Haja vista tenho consciência que agora isso cause â??espantoâ?? e ou â??curiosidadeâ?? aos adeptos e adeptas dessa agremiação e, possivelmente â??irritaçãoâ? em sua parcela pentecostal... Rsrsrs... Saudações carnavalescas, Almir de Macaé um aficionado pelo mundo samba, torcedor-amante da Águia Altaneira ou da Águia Guerreira de Oswaldo Cruz e Madureira.

Comentar