SRZD



Julio César

Julio César

Ganhou projeção ao descobrir beldades e formatar um grande espetáculo de Carnaval. Após anos de dedicação na formação de grandes musas, se tornou um dos principais empresários de shows ligados ao Carnaval e recebeu título de mulatólogo (descobridor de passistas).

* Os textos desta seção não representam necessariamente a opinião deste veículo e são de responsabilidade exclusiva de seu autor.



17/06/2013 01h47

As verdadeiras passistas do Carnaval
Julio César

Passista no Carnaval. Foto: Divulgação

Elas passam parte da vida se equilibrando em cima de saltos enormes, esbanjando alegria, samba no pé, postura e elegância.

Chamadas de mulatas e/ou passistas, elas circulam no meio de rodas de samba, nos ensaios das escolas e em diversos eventos, sempre mostrando a cultura brasileira.

Ser mulata, rainha de bateria e ainda por cima ser bem remunerada é o sonho de consumo de qualquer musa, porém, para conseguir tudo isso, é necessário muito empenho, dedicação e comprometimento.

Como a profissão modelo, a passista também acaba seguindo uma carreira, que assim como qualquer outra, é cheia de altos e baixos. As que se dedicam, malham pesado e tem o samba na ponta dos pés, ganham a chance de trilhar uma trajetória repletas de momentos inesquecíveis que podem resultar em fama, glamour e dinheiro, além da satisfação pessoal.

As passistas são ícones da nossa cultura por representar o Brasil em diversas partes do mundo. Muitas são mães, advogadas, professoras, estudantes, estilistas, cabeleiras e secretárias, entre muitas outras atividades.

Até que ponto ser mulata é profissão? Quando que uma passista passa a ser considerada profissional do samba? Questão difícil de ser respondida, uma vez que o voluntariado ainda é caractarística nas escolas de samba.

Arte de uma passista. Foto: DivulgaçãoEmbora as mulatas consigam uma remuneração ou cachê por apresentação, valor que varia muito de acordo com os detalhes de cada show e da empresa ou escola em que foi contratada, a procura por este serviço cresceu consideravelmente nos últimos anos.

Muitas passistas estão conseguindo através de oportunidades em eventos, a descoberta para novas possibilidades de trabalhos na mídia e novos caminhos profissionais.

Como exemplo, cito a musa do Carnaval paulistano de 2012, Janaina Simões e a musa do Carnaval paulistano de 2013, Cintia Melo. Ambas conseguiram através de suas atuações no Carnaval, diversas aparições em programas de televisão, comerciais, ações publicitárias e participações em diversos meios de comunicação.

Mas claro que nem tudo são flores neste universo. O maior desafio é saber quem realmente é sambista e quem quer somente aparecer. O problema não está em querer aparecer, afinal há espaço para todos, mas o complicador está no "como aparecer".

Ser uma verdadeira mulata ou passista vai muito além do que colocar uma fantasia e sair em uma escola de samba. É preciso respeitar a cultura do Carnaval, valorizar as escolas de samba e suas comunidades, ter amor pela arte do samba e manter a postura, samba no pé e elegância.


Comentários
  • Avatar
    26/06/2013 01:18:43renatoMembro SRZD desde 01/07/2011

    show de texto !

  • Avatar
    17/06/2013 15:14:08Edson SilvaMembro SRZD desde 04/06/2013

    Lanna Moraes, essa também é uma musa mulata passista é tudo.... alem de tudo ela é simpática, alegre, comunicativa, mas que linda,adorável, entre outras coisas, uma pessoas simples e que saber agrada a todos... Parabéns minha Musa Maravilhosa....

Comentar