SRZD


09/08/2013 09h34

Carnaval/MG: conheça a história
Felipe Diniz Marinho*

Escola Cidade Jardim, campeã do Carnaval de Belo Horizonte em 1984. Foto: Acervo Belotur

O Carnaval de Belo Horizonte teve sua origem em 1897 quando operários que trabalhavam na construção da nova capital de Minas Gerais enfeitaram carroças e saíram festejando pelas ruas. O primeiro bloco da cidade foi o "Diabos de Luneta". Os corsos de rua foi uma realidade, ao lado dos Blocos Caricatos que ainda hoje desfilam e encantam os foliões.

Os Blocos Caricatos são uma tradição em Belo Horizonte e o primeiro foi o "Os Bocas Brancas". Os blocos caricatos consistem em um caminhão enfeitado onde a bateria vem em cima tocando e animando os foliões, o rosto dos componentes vem pintados, pois a ideia é se divertir sem mostrar sua identidade, pois não vale a vaidade e sim a brincadeira de pular o Carnaval.

As escolas de Samba surgem após a Segunda Guerra Mundial e tiveram seu apogeu entre os anos 70 e 80. As primeiras escolas de samba de BH foram GRES Leões da Lagoinha e GRES. Surpresa. Mais tarde, escolas como Unidos da Brasilina, União Serrana, Inconfidência Mineira e Cidade Jardim entram em cena. Nos anos 70, a Unidos Guaranis mexe com o cenário carnavalesco da cidade ganhando 4 campeonatos (73,75,78 e 79) desbancando a hegemonia da Cidade Jardim.

Seria no ano de 1979 que duas escolas de samba seriam fundadas e revolucionariam o Carnaval dos anos 80 na cidade. A Canto da Alvorada e a Mocidade Independente Bem-Te-Vi mostrariam o samba dos bairros Campo Alegre e Carlos Prates. A Canto da Alvorada mostraria a Belo Horizonte a grandiosidade e o luxo de uma grande escola de samba já em seu primeiro desfile ainda no grupo B, quando foi campeã, subindo a divisão principal e desbancando as concorrentes com o enredo "São Francisco, o Baile das Águas".

Já no fim dos anos 80, uma nova escola de samba entraria em cena. Assim como a Canto da Alvorada, teria uma acessão meteórica a Unidos de Santa Tereza. Porém problemas políticos na cidade colocariam o Carnaval em xeque no final dos anos 80 e início dos anos 90 interrompendo o evento e o crescimento das escolas de samba e blocos caricatos.

Em 1989, Belo Horizonte não teve desfiles de escolas de samba e blocos caricatos. No ano seguinte, as escolas e blocos voltaram a desfilar mesmo com pouca estrutura e sem arquibancadas para o público assistir ao espetáculo. Naquele ano, um empate no primeiro lugar marcaria a história dos desfiles: a Canto da Alvorada, com "Jequitinhonha", e a Bem-Te-Vi, com "Olimpíadas dos Deuses".

Em 1991, após muitos desacertos com a então gestão municipal, o desfile foi transferido para a cidade metropolitana de Contagem, onde a Unidos de Santa Tereza seria a última grande campeã da era de ouro do Carnaval da cidade com o enredo "Santa Tereza, Minha Folia", do carnavalesco Roberto Szaniesk. Além do carnavalesco, sambistas, como Neguinho da Beija Flor, já assinaram sambas na Unidos Guaranis nos anos 70. Nego já interpretou sambas na escola de samba Cidade Jardim. Aroldo Melodia também teve sua passagem pela Monte Castelo, em 1987. Piná, que era destaque nos anos 80 pela Cidade Jardim, era sempre aguardada com euforia pelo grande público.

Durante os anos 90, o Carnaval em Belo Horizonte agonizou, dormiu profundamente, ficou esquecido no tempo e apagado da história. Mas foi no ano 2000 que as escolas voltaram a esquentar seus tamborins. Inconfidência Mineira e Unidos do Vera Cruz fizeram um desfile de retomada o que acarretou, em 2001, na volta de mais escolas de samba. O modelo sem competição durou até 2002.

Em 2003, por conta das fortes chuvas que atingiram a capital, o desfile não ocorreu. No ano seguinte, os desfiles voltaram a ser competitivos. Novas escolas de samba surgiram e um modelo de superação foi adotado em um novo Carnaval, com menos estrutura, menos apoio do poder público e muita vontade de rever o grande Carnaval do passado pelos sambistas.

Novas escolas surgem: Acadêmicos de Venda Nova, Academia do Samba Império da Nova Era, Unidos do Onça, Imperatriz de Venda Nova, Chame-Chame, que desfilariam ao lado de escolas tradicionais como Unidos Guaranis, Cidade Jardim, Inconfidência Mineira, Canto da Alvorada e Bem-Te-Vi. Muitas destas escolas não resistiram à pouca estrutura e tiveram uma passagem irregular pelo Carnaval. Uma curiosidade foi o surgimento de uma escola de samba ligada a time de futebol, a GRCES. Galoucura.

Entre 2004 e 2010, os desfiles aconteciam na Zona Norte da cidade, na Via 240, transferidos novamente para o centro da capital em 2011. Após a volta para o centro da cidade, as escolas de samba que resistiram ganharam mais duas coirmãs, a Imperavi de Ouros e a caçula GRCES. Força Real.

A atual campeã da cidade é a Canto da Alvorada, campeã nos anos de 2011, 2012 e 2013. E entre os blocos caricatos, o Por Acaso vem se destacando, ganhando os últimos quatro Carnavais no grupo A.

 

* Fonte: Site Carnaval BH


Veja mais sobre:Carnaval/MG

Comentários
  • Avatar
    20/05/2015 20:27:37Paulo MatosAnônimo

    Faltou ainda citar o principal bloco caricato do bairro Serra em Belo Horizonte e que se chamava "Rivais do Ritimo", que desfilou por varios anos da decada de 60 entoando suas marchinhas de carnaval. Sempre organizado pelo saudoso Aldair Pinto.

  • Avatar
    31/03/2015 11:33:57Marco Túlio PereiraAnônimo

    O bloco caricato Cacareco de Santa Efigência, foi o meu preferido depois que vi um desfile dele com o enredo O Circo...nas suas cores vermelho e branco com um mamute como símbolo, esse bloco Cacarecos de Santa Efigênia era simplesmente ESPETACULAR... junto com Os Bocas Brancas, Imigrantes da Absínia, Mulatos do Carlos Prates, Piratas do PedrO II, Presidiários do Ipiranga, Corsários do Samba e Inocentes, fizeram até 1985, grandes desfiles na Afonso Pena. A BELOTUR E PREFEITURA, AVACALHARAM COM OS DESFILES TIRANDO DA AFONSO PENA e forçando os blocos a crescerem e a verba, uma merreca... Tiraram a graça e o glamour do que eram os blocos caricato e por isso, os melhores Cacarecos, Bocas Brancas deixaram de existir. Ficou muito pobre os desfiles sem eles.

  • Avatar
    30/01/2015 07:40:29Márcio GomesMembro SRZD desde 16/05/2016

    Prezado, o título da matéria está inadequado, já que você não falou sobre o "Carnaval/MG", você falou sobre o carnaval em Belo Horizonte. O título deveria ser "Carnaval/BH: conheça a história", já que não foram sequer citadas outras cidades mineiras, como Juiz de Fora, que tem a primeira escola de samba do Estado e uma das mais antigas do Brasil em atividade (Turunas do Riachuelo, de 1934) e teve carnavais maravilhosos na década de 1970; São João Nepomuceno, cuja disputa entre os clubes Democráticos e Trombeteiros de Momo fez história; o carnaval de Ouro Preto; o carnaval de São João del Rei, e por aí afora...

  • Avatar
    26/08/2013 14:08:38phelippe cassianoAnônimo

    acho q deveria dar uma cobertura nas escolas de juiz de fora diz a historia que a cidade ja contou com o segundo maior carnaval do pais ja teve ate samba de compositores da cidade cantado na sapucai(portela 2000) tem baterias mto forte como a da juventude imperial fica a dica

  • Avatar
    09/08/2013 11:21:44ervalAnônimo

    caramba! bacana a história sobre o desenvolvimento do carnaval lá, gostei mt, e saber que várias personalidades do samba estiveram contribuindo para a variedade do carnaval lá; o neguinho tava lá,acredito que mesmo os que são frequentadores do samba ñ sabiam da passagem deles nas escolas de lá, que o carnaval em 2014 volte lá com força,e que haja investimento prá isto,porque além de cultural tbm tem o ganho financeiro, valeu mt!

Comentar

Isso evita spams e mensagens automáticas.