SRZD


19/09/2013 17h50

'O lugar da Coruja é na Sapucaí', diz novo carnavalesco do Sereno
Patrícia Raposo

1º casal com o novo carnavalesco Wagner / foto: Divulgação

O novo condutor das criações do enredo "Pequena África - Bahia arte negra do Brasil", Wagner Araújo, chega à escola de samba Sereno de Campo Grande disposto a mudar os rumos da história da azul e branca.

Após o 17º lugar neste Carnaval e de volta ao Grupo B, a agremiação, agora, passa a contar com o carnavalesco rumo ao desfile de 2014. Em conversa com o SRZD-Carnaval, Wagner expressou seus sinceros sentimentos com relação ao novo momento que vive, lembrou dos profissionais que fomentaram sua criatividade artística e enfatizou que a escola Sereno de Campo Grande merece voltar à Passarela do Samba, da Marquês de Sapucaí.

"Os desfiles das escolas de samba no Rio de Janeiro demonstram cada vez mais qualidade. O convite para a função de carnavalesco, então, traz com ele, uma gama de responsabilidades. O sentimento maior, sobretudo, é o de gratidão. Gratidão por aqueles que me permitiram conviver e aprender com a linguagem plástica do Carnaval", reconheceu Wagner.

"Por exemplo, com pessoas como Mauro Quintaes e Edson Pereira aprendi que é possível driblar as dificuldades com criatividade e, literalmente, obter luxo do "lixo". Tenho experiência com figurino e indumentária de teatro e ballet, mas o Carnaval tem perfil próprio, tanto em fantasias, como em alegorias e adereços. Desde já, destaco também minha gratidão pelo Presidente Nelson e por toda a escola pela confiança depositada. Recebi este convite com alegria extrema, mas com a consciência que o trabalho requer. Não há coisa melhor do que poder trabalhar com aquilo que amo. Neste aspecto, definitivamente, o Carnaval é uma paixão bem antiga", completou.

Sobre a oportunidade de comandar "sozinho" o desenvolvimento de um tema, o carnavalesco exaltou a eficiência do trabalho em equipe.

"Um desfile de qualidade, nos dias de hoje, só se faz com um bom trabalho em equipe. O compartilhamento das ideias vai, desde a sinopse, até as soluções financeiras. Sou habituado ao trabalho conjunto e, nesse aspecto, creio que encontrei no Sereno pessoas aptas, nos mais diversos segmentos, a desenvolver um bom Carnaval. Reger é mais fácil quando o grupo é coeso. Assino sim o Carnaval pela primeira vez, com a tranquilidade que minha equipe e amigos inspiram", ressaltou.

Wagner também falou dos desafios de planejar um Carnaval diante das limitações estruturais do Grupo de Acesso.

"No grupo B, é preciso ter a cabeça nas nuvens e os pés no chão. A ideia é partir em busca de soluções de efeito com materiais alternativos. As dificuldades só cedem à criatividade. Estamos nessa fase, aprofundando o trabalho de pesquisa para estabelecermos que aspectos da Bahia e de sua cultura negra queremos ressaltar", detalhou.

"O trabalho de pesquisa permite a fixação do foco e o melhor aproveitamento das possibilidades. Estabelecido o foco, a concepção dos figurinos e alegorias será orientada pela busca da clareza das informações, e da fácil leitura do tema pelas arquibancadas. Além disso, temos a questão da adequação aos meios disponíveis. Queremos a cumplicidade do público e dos componentes. Vamos buscar uma Bahia que se impôs por sua arte e peculiaridade", completou.

Questionado sobre o período de transição que o levará a se adaptar a um trabalho que já vinha sendo conduzido por outro profissional - quando o carnavalesco Jorge Caribé ainda integrava a equipe da escola - Wagner explicou como tudo será direcionado daqui para frente.

"Não se trata de qualquer profissional. Tratamos de Jorge Caribé, experientíssimo na confecção de Carnavais e na concepção de enredos. O legado positivo do trabalho efetuado, até a pouco, na escola, será mantido. Por outro lado, considerando as necessidades atuais do Sereno, a condução do trabalho exige adaptações e reconstruções típicas do processo de construção do desfile", considerou.

Logo Sereno / foto: Divulgação

E é por esse aspecto, inclusive, que o trabalho a ser desenvolvido ganhará novos rumos. Quero aproveitar ao máximo os profissionais com os quais estou habituado a trabalhar, da sinopse à Avenida, para ao final, obter o resultado mais produtivo possível. Por essa razão, inevitavelmente, o trabalho acabará por apresentar mais de minhas feições", completou.

Ele, que já foi apresentado oficialmente à comunidade, foi só elogios aos torcedores.

"Falar da comunidade de uma escola, no meu entender, é falar da própria razão de ser do Carnaval. E o meu respeito por todos os personagens integrantes da história do Sereno, e por todos os seus componentes, é imenso. Nas poucas palavras que disse na oportunidade em que fui apresentado, fui enfático no pedido de confiança e corresponsabilidade", contou.

"Mas o que pude sentir naquele momento, foi uma comunidade que pulsa. Os integrantes trazem brilho no olhar, e o melhor, a vontade de brincar Carnaval de maneira descontraída, mas compromissada. Fui acolhido com carinho por todos os membros da diretoria e pelos integrantes e chefes de segmento. Senti-me realmente abraçado e apoiado. Pretendo converter o carinho recebido em trabalho e responsabilidade", completou.

Integrado à equipe da agremiação, Wagner apontou aspectos especiais na azul e branca.

Ao chegar ao Sereno, imediatamente me surpreendi por aspectos imensamente positivos. Posso ressaltar que a organização da harmonia, da velha guarda, das baianas e dos passistas é visível. Isso tranquiliza e habilita o Sereno a fazer um excelente Carnaval. O espetáculo do desfile depende, em parte, da plástica, mas não existe sem a estruturação do elemento chão", ponderou.

"E aí está um diferencial sensível do Sereno. A escola é coesa e madura no que diz respeito à participação e estruturação do desfile. E justo por esse motivo, há um sentimento coletivo, que passo a compartilhar, que temos qualidade para estar em um lugar melhor. E é em busca disso que trabalharemos. Por fim, além de tudo isso, há o incansável trabalho do Presidente Nelson, que demonstrou estar em busca do melhor, custe o que custar. Nesse ponto, apesar das dificuldades tradicionais do grupo em que se encontra, a Sereno sai ganhando pela postura aguerrida e parceira de sua presidência, que trata os mais diversos obstáculos com a devida combatividade", completou.

O novo carnavalesco aposta em um desfile de sucesso, em 2014.

O torcedor e o componente da escola Sereno de Campo Grande sabem o que queremos. O lugar da "coruja" é na Sapucaí. Vamos trabalhar firme para demonstrar artística e emocionalmente nossa vontade de retornar para a Série A. Ninguém obtém o verdadeiro sucesso sem trabalho e dedicação. A demonstração de nossa garra será dada, sob as bênçãos dos orixás da Bahia, na noite do dia 2 de março de 2014. Nessa noite, a coruja, cheia de axé, acordará para um vôo brilhante. Rumo a 2014, quando nossa união nos trará a vitória!", finalizou.


Veja mais sobre:Carnaval 2014

Comentários
Comentar