SRZD


15/01/2014 18h12

Portela está com 50% de suas fantasias finalizadas
Redação SRZD

Fantasias da Portela. Foto: JRicardo Divulgação

Os portelenses podem ficar tranquilos. A escola, que nos últimos Carnavais entrou na Marquês de Sapucaí apresentando desfiles incompletos, estará 100% pronta no dia 3 de março, quando a Majestade do Samba pisará na Avenida. 

Prova disso é a informação de que 50% das fantasias das Alas da Comunidade já estão prontas, e os desfilantes receberão as roupas 1 semana antes do Carnaval.

"Os outros 50% estão em fase de acabamento de plumas e pedrarias, mas todo o material necessário para a conclusão do trabalho já está no barracão à disposição dos funcionários dos ateliês. Dentro de, no máximo 15 dias, estará tudo terminado. Na mesma época, esperamos entrar na fase final de execução do projeto de alegorias", disse Fábio França, integrante do Departamento de Carnaval da Portela.

A agremiação prepara o enredo "Um Rio de mar a mar: do Valongo à Glória de São Sebastião", de autoria de Rogério Rodrigues e desenvolvimento do carnavalesco Alexandre Louzada.

 


Veja mais sobre:PortelaCarnaval 2014

Comentários
  • Avatar
    23/01/2014 03:28:03HIATA ANDERSONMembro SRZD desde 23/01/2014

    FICO MUITO FELIZ COM ESSA NOVA FASE DA MINHA QUERIDA PORTELA...APÃ?S ANOS DE SOFRIMENTO, SABER QUE JÁ ESTAMOS BEM ADIANTADO Ã? MUITO BOM

  • Avatar
    19/01/2014 19:36:22AntonioMembro SRZD desde 28/06/2011

    Espero um ótimo carnaval da águia. Embora Imperiano, quero ver a Portela no seu devido lugar. Ou seja: brigando por titulos...

  • Avatar
    16/01/2014 23:44:57Fabiano de Vila-ForteMembro SRZD desde 15/10/2009

    Ilton, você está certo. Realmente o primeiro carnaval do Louzada na Portela foi o de 1985 - "Recordar Ã? Viver". Falha minha!!! E obrigado pela informação correta.

  • Avatar
    16/01/2014 22:15:09IltonMembro SRZD desde 07/10/2012

    Amigo luiz claudio jaime, acho que o senhor não leu com atenção a minha postagem. Faltou um pouco de cuidado na sua leitura. Ou talvez eu mesmo que escrevi correndo e não me expressei com qualidade e entendimento. Eu não disse que as fantasias da Portela são da Beija Flor e Mocidade, não! Eu escrevi que algumas pessoas, no outro link, acharam parecidas as fantasias. E se quisermos enxergar, veremos alguns traços parecidos sim. Por exemplo a ala: Distrito Federal (lembra a Beija - Brasília). Já a ala: Rádio Nacional (lembra a Mocidade 2013). Entendeu? Eu não quero desmerecer, de maneira alguma. Portela é sempre Portela. Mas isso tudo é marca do carnavalesco, e as escolas que por ele passam, terão algumas sutilezas plásticas. Por enquanto eu não escrevi besteira e nem droga. Se eu realmente falar, pode ter certeza que pedirei desculpas. O meu intuito é agregar valor, e entender melhor as escolas no âmbito cultural.

  • Avatar
    16/01/2014 21:57:50IltonMembro SRZD desde 07/10/2012

    Fabiano da Vila-Forte, o Alexandre Louzada fez o seu primeiro trabalho oficial, como carnavalesco em 1985, na Portela com enredo: Recordar é viver. Houve um desencontro nas informações. Quanto a minha postagem. O que eu quis dizer, foi que o carnavalesco precisa se encontrar na escola. Cada agremiação possui uma forma de trabalho, junto a sua identidade. E devido a vários trabalhos do Louzada em outras escolas, ele precisa de tempo para encontrar o "tom" certo da escola. Ã?bvio com sua experiência facilita o entendimento, porém requer tempo. Quanto ele ser cria da Portela, acredito que houve um engano. Ele é de Niterói e começou na Cubango. Porém a escola que deu a oportunidade de mostrar seu trabalho no grupo especial foi a Portela. Vamos torce para águia altaneira.

  • Avatar
    16/01/2014 15:54:08luiz claudio jaimeMembro SRZD desde 04/11/2011

    amigo. ILTON da onde que as fantasias são da beija flor e da mocidade quem faz as fantasias é o carnavalesco da escola adequada ao enredo beija flor e mocidade é dona de que amigo manda elas desfilar com as mesma fantasias todo ano ai sim vc vai poder falar que as fantasias são dessas duas escola eu vejo aqui tanta bobeira gente que só fala droga deixe a portela em paz beija flor é azul e branca nunca vi essa escola na avenida em azul e branca a escola é toda desfigurada muita cor que não é dela mesmo assim ainda ganha carnaval meu deus.

  • Avatar
    16/01/2014 12:47:09Fabiano de Vila-ForteMembro SRZD desde 15/10/2009

    Ele (o Louzada) é declaradamente portelense.

  • Avatar
    16/01/2014 12:46:18Fabiano de Vila-ForteMembro SRZD desde 15/10/2009

    Ilton, o Louzada é cria da Portela, onde, também, ele já foi presidente de ala por alguns anos. O primeiro trabalho dele na Portela foi em 1986 ("Morfeu no Carnaval - Uma Utopia Brasileira").

  • Avatar
    16/01/2014 11:32:09IL BarrosMembro SRZD desde 11/04/2013

    Ã? a prova final de que esta nova diretoria veio realmente para fazer diferente, para acertar o que estava errado a fim de colocar a Portela em condições reais de disputar o título. O que nos últimos carnavais era mera utopia, por todos os motivos que nós sabemos e que (com a bênção) de Papai do céu (felizmente) agora são apenas lembranças, hoje é uma possibilidade real.

  • Avatar
    16/01/2014 10:46:32IltonMembro SRZD desde 07/10/2012

    Ops... me enganei o Alexandre Louzada foi carnavalesco da Portela em 2001, 2002, e 2003. Em 2005 foi aquele ano que eu não gosto nem de falar...muito triste.

  • Avatar
    16/01/2014 10:13:47IltonMembro SRZD desde 07/10/2012

    Fico muito feliz em ver a Portela como uma escola organizada. Uma escola com grandes baluartes e sambistas da mais alta qualidade não poderia ser tão desrespeitada assim. Quando vejo Tia Dodô me emociono, uma dama do carnaval que contribuiu tanto para as escolas de samba, e se dedicou com tanta energia e amor ao seu pavilhão. Foi Porta Bandeira em 1935, se eu não me engano. Foi Paulo da Portela que entregou o manto para ela. Quanto as qualidades das fantasias, o carnavalesco no primeiro ano começa entender melhor a escola, e por isso que não vemos uma Portela em sua totalidade vestida com Portela. O carnavalesco precisa de tempo para se adequar a escola, isso faz parte do cronograma. Apesar de em 2005 (Nós podemos, oito ideias para mudar o mundo) se eu não me engano o Alexandre Louzada foi o carnavalesco da Portela, mais era outra época. Li alguns comentários de algumas pessoas, e eles disseram apesar de lindas, as fantasias pareciam com a da Beija, Mocidade, etc. Mas isso faz parte do processo natural do carnavalesco. O Louzado é um ótimo carnavalesco, ele sabe trazer muito bem o luxo para avenida. Estou torcendo muito que a Portela ou a Mangueira ganhe esse carnaval. Está na hora de valorizarmos nossas raízes.

  • Avatar
    16/01/2014 10:08:37Fabiano de Vila-ForteMembro SRZD desde 15/10/2009

    Minhas férias chegando ao fim, a minha agenda carnavalesca a todo vapor. O ensaio de ontem acabou muito tarde, o Portelão estava lotado, a cerveja e a água mineral estavam caaaaaaaras demais. Só bebi por insistência de um amigo. Segundo soube ontem (não sei se a fonte é confiável - risos), mais de 75% das fantasias da Portela já estão prontas e serão entregues, provavelmente, na próxima semana. Show de canto e animação dos componentes. A Portela é minha segunda casa.

  • Avatar
    15/01/2014 21:36:44Duquesa Dholores: sou do morro e da nobresaMembro SRZD desde 18/10/2010

    mas eu elenquei vários fatores que contribuem para o engessamento das escolas na atualidade. Os trambolhos alegóricos são como carro chefes dessa lista, pois o espetáculo hoje prima mais pela imagem do que pela qualidade.E só pode ter trambolhos quem tem din din, só tem muito din din quem passa o pinico.

  • Avatar
    15/01/2014 21:23:57Cláudia BauerMembro SRZD desde 19/01/2013

    Eu já acho que a culpa disso é a mudança de mentalidade das pessoas do samba. Eu igualo ao futebol. Ã? tanto profissionalismo que irrita. Não há mais improvisos. Não há mais pessoas andando de um lado pro outro. Não há mais aquele ritmista que fica do lado da rainha de bateria improvisando uma dança com ela. Hoje para ser campeã do carnaval o mais importante não é encantar, é cometer menos erros. A partir disso é que começaram a haver os ditos trambolhos alegóricos. Cada peça deve ser colocada milimetricamente no lugar. Cada pessoa tem que saber cantar de cabo a rabo o samba e ficar no lugarzinho como se fosse um animal num circo. Tudo isso perde a magia. Não acho que seja culpa dos carros alegóricos, tudo isso começa pela mentalidade "profissional" das pessoas.

  • Avatar
    15/01/2014 21:12:47Duquesa Dholores: sou do morro e da nobresaMembro SRZD desde 18/10/2010

    Olha, carnaval na Sapucaí é um concurso. Se é concurso é competição. O pobrema é o peso que essa palavra, competição, ganhou na última década. Para competir uma escola precisa ter pinico cheio para trambolhar seus carros, para vestir a comunidade, para investir em tecnologia, para pintar miséria... esse sentido de competição teve como consequência a perda disso ai que vassuncê descreveu: as escolas antes brincavam, eram mais espontâneas, mais alegres, interagiam com o povão consequentemente.. Agora, as pessoas entram adestradas na Sapucaí. Muitas vezes forçadas a cantar um samba curral com abóbora (o certo é boi com abóbora, mas o samba é tão medonho que um curral inteiro exemplifica melhor),e os bois todos com uma diarreia do karai. Perdemos em qualidade temática. Perdemos alegria. As escolas não apostam mais na crítica, na sátira, do deboche, na inovação, na ousadia, no vanguardismo, no inusitado .Estão engessadas. Medrosas. Moldadas a um sistema mequetrefe. Ã? tudo cientificamente analisado por pseudos academiCUzinhos redatores de textos medíocres. Os sambas também ficaram engessados pelas sinopses. Submissos aos ditames dos mandachuvas de harmonia. Perdeu qualidade, poesia, beleza melódica, o que vale é a funcionalidade. Se o samba for funcional, tá ótimo. Só que não vende mais nas lojas. Houve um total desinteresse pelos sambas por falta da qualidade. E os desfiles estão empanturrados de trambolhos, plumas, pedrarias, peito siliconados e aporra toda, mas não enchem olhos mais sensíveis. A competição amoldada aos ditames do sistema econômico vigente nos leva para um grande precipício. Nele, as escolas vão caindo, todas lindas, trambolhudas, emplumadas, com as penas soltas ao vento... mas estão em plena queda. Cada vez mais se afastam daquilo que realmente é raiz no samba. Os culpados estão ai, é só jogar a bosta na Geni.

Comentar