SRZD


21/02/2014 11h24

Habib's proíbe entrada de criança com Síndrome de Down em parquinho
Bruno Sette

Uma mãe indignada publicou uma denúncia em seu perfil do Facebook sobre o preconceito que seu filho de 9 anos, que tem Síndrome de Down, teria sofrido no restaurante Habib's da Avenida Jacu-Pêssego, na Zona Leste de São Paulo. Só agora, em fevereiro, o restaurante deu uma resposta à mãe da criança.

Flávio Cabral, de 9 anos, foi impedido de entrar num brinquedo do Habib's de Itaquera, na Zona Leste de São Paulo | Foto: Reprodução de internetApós um dia num parque em Itaquera, Marília Cabral, de 48 anos, que mora em Santo André, na Região Metropolitana de São Paulo, foi ao restaurante com a família, no dia 26 de outubro, quando o filho, Flávio, foi impedido de entrar nos brinquedos junto com outras crianças.

"Depois do parque, levamos as crianças para lanchar no Habib's. Pedimos os lanches e enquanto esperávamos, as crianças foram para os brinquedos. Meu marido ficou tomando conta delas, quando o ouvi meio alterado e fui ver o que tinha acontecido. Ele me disse que as funcionárias não queriam deixar o Flávio entrar na piscina de bolinha nem no navio", contou Marília ao SRZD.

A mãe pediu para falar com a gerência logo em seguida. "Pedi para chamarem o gerente e veio um senhor chamado Cícero. Perguntei com toda educação por que meu filho não podia entrar nos brinquedos. Ele respondeu que era 'por causa desse problema que ele tem', ou seja, por ele ser down". Após o ocorrido, Marília, nervosa, prometeu entrar com uma ação judicial contra o restaurante. "Quando disse isso, ele ironizou. Respondi que quem tinha problema era ele, que não estava preparado para ser gerente", disse a mãe.

Marília disse que foi uma funcionária do Habib's - que pediu para não ser identificada por medo de ser demitida - quem passou o endereço e o nome do gerente para que ela pudesse processar o restaurante. "Liguei para a polícia várias vezes e não consegui. Chegando em Santo André, encontramos as delegacias fechadas. Fui à do Centro e me disseram que eu só poderia prestar queixa na delegacia mais perto da minha casa, só que lá não abre nos finais de semana", disse.

Como segunda-feira, dia 28 de outubro, foi dia do Servidor Público, Marília só conseguiu ir à delegacia de Santo André no dia 29. Além disso, acionou uma advogada para cuidar do caso.

Marília Cabral e o filho Flávio | Foto: Reprodução de internetSegundo a mãe da criança, o Habib's só entrou em contato com ela na última sexta-feira, dia 14. "Ofereceram cinco jantares que eu quisesse e prometeram dar uns brinquedinhos para o meu filho", relatou Marília, indignada. "Eu disse que só aceitaria se não tivesse vergonha na cara. Depois disso, resolvi desabafar, porque já estou cansada de ver meu filho depressivo, roendo as unhas, triste. "A justiça no Brasil é muito lenta", concluiu.

No dia 17 de fevereiro, Marília publicou em sua conta do Facebook uma denúncia sobre o ocorrido. A nota já conta com mais de 49 mil compartilhamentos e mais de 15 mil curtidas. Foi quando o caso ganhou repercussão na rede social. "Postei em forma de desabafo, não sabia que ia repercutir desse jeito".

Habib's emite comunicado

Em nota enviada ao SRZD, a assessoria de imprensa do Habib's informa que, na ocasião, coube à gerência da loja fazer um alerta à consumidora sobre os procedimentos de segurança relativos aos brinquedos, o que inclui os cuidados com pessoas com deficiência. Após receberem as orientações, os pais autorizaram e acompanharam o uso dos brinquedos pela criança.

O procedimento, de acordo com a assessoria, seguiu diretriz NBR 15926-4 da ABNT - Associação Brasileira de Normas Técnicas - a qual indica que cabe ao operador orientar sobre o uso do brinquedo caso a saúde e segurança do cliente sejam colocadas em risco. O Habib's considerou o caso como resolvido no local.

 

Publicação da mãe de Flávio no Facebook | Foto: Reprodução de internet


Comentários
  • Avatar
    22/02/2014 23:35:02Marcos M G.Anônimo

    Processa mesmo esses discriminadores e hopócritas.

  • Avatar
    21/02/2014 19:12:59carlos camposAnônimo

    Já faz mais de 8 anos,o Habib´s cobrou R$3 num copo de coca-cola, chamei o gerente, que foi irônico, debochado, paguei o lanche , e jurei jamais voltar a pisar em um HABIB´S . Até hoje estou mantendo minha palavra, HABIB´S nunca mais!!!.

Comentar

Isso evita spams e mensagens automáticas.