SRZD


22/02/2014 16h15

'Barracões 2014': Rosa Magalhães revela detalhes da Mangueira
Redação SRZD

A carnavalesca da Mangueira, Rosa Magalhães, recebeu o SRZD no barracão da escola e conversou sobre o desenvolvimento do enredo "A festança brasileira cai no samba da Mangueira", que será apresentado neste ano.

Foto: SRZD

Rosa falou sobre a divisão do desfile entre festas religiosas e festas populares, sobre a expectativa da escola para este Carnaval, e afirmou que o foco não é o título, e sim, apresentar um belo desfile.

As imagens também mostram uma alegoria com armários, que representa a festa gay. Deles sairão diversos homens ao longo do desfile.

Assista:

 

Veja também:

'Barracões 2014': Márcia Lage conta detalhes do Salgueiro

'Barracões 2014': Paulo Barros revela detalhes do barracão da Unidos da Tijuca

'Barracões 2014': Júnior Pernambucano revela detalhes da Império da Tijuca

'Barracões 2014': Alex de Souza revela detalhes do Carnaval da União da Ilha



Comentários
  • Avatar
    26/02/2014 11:20:09Almir da Silva LimaMembro SRZD desde 11/10/2011

    Rodrigo Darlan, prezadíssimo verderosense parceiro de mundo samba, você falou tá falado. Sou eu quem se sente obrigado a fazer um mea culpa em função do vício de ofício em apimentar o debate de ideias... Rsrsrs... Assim, para ser coerente (rsrsrs) com isto (rsrsrs) eu esclarecerei. Eu considero não como dogma, mas enquanto princípio filosófico, um título conquistado independentemente de ter sido merecido ou não, quando a agremiação campeã se sagra assim através da trilogia mais que fundamental, imprescindível de quesitos Enredo, Samba-Enredo e Bateria. Por exemplo, dos dois títulos por você citados, embora eu considere Enredo e Bateria (na realidade, ambas são orquestras) da Unidos da Tijuca e Salgueiro excelentes, não são de meu agrado os mencionados Sambas-Enredo. Para deixar claro como água, eu concordo com você nestes dois títulos merecidamente conquistados, a tal ovação/eleição/arrebatamento popular se deveu no caso do Salgueiro ao somatório de quesitos, ou seja, um desfile praticamente perfeito. Já no caso da Unidos da Tijuca eu considero que o carro-chefe da ovação/eleição/arrebatamento popular tenha sido o quesito Comissão de Frente. Almir de Macaé.

  • Avatar
    26/02/2014 00:30:06ZepêreraMembro SRZD desde 03/12/2013

    Rodrigo, Fora os que não foram os campeonatos que não foram oficializados, mas foram campeões, ex: Angola da vila, e o bi da tijuca em 2011. Por quê Roberto Carlos ganhar foi descarado mesmo vide Paulo Barros.

  • Avatar
    25/02/2014 22:30:54Rodrigo DarlanMembro SRZD desde 24/06/2009

    Almir, falei apenas que é muito positivo as demais escolas perceberem o verdadeiro caminho que deve ser seguido: fazer carnaval para o povo e que ser campeão eleito por ele (povo) é tão bom que o ovacionamento é garantia do Fajuto Campeonato Oficial, ou melhor é a única possibilidade de obter o que é tido como campeonato oficial que imediatamente deixa de ser fajuto quando tal circunstância acontece. Assim foi com tambor do Sal e assim foi com é segredo da Tijuca.

  • Avatar
    25/02/2014 16:55:36Tedy - "A marca do Carnaval é ela!"Membro SRZD desde 12/04/2012

    Minha admiração a Dona Rosa Magalhães, grande artista e carnavalesca. ...//// Depois que aquele aproveitador barato foi embora da Mangueira, a escola chega tá bonita, tá aliviada, curada de um câncer. Tá que nem a Portela que depois que se livrou do Nilo Figueiredo. O refrão do samba da Tijuca que diz: "Tentando trapacear, deu mole, rodou na pista, ficou pra trás o vigarista". .... Esse refrão se encaixa perfeitamente nas história das escolas que mandaram os vigaristas embora.

  • Avatar
    25/02/2014 15:05:23JULIO CÃ?SARMembro SRZD desde 09/01/2012

    Rodrigo Darlan uma coisa é certa tem muita gente que queria que sua escola tivesse o amor, a dedicação e o brilho que a Mangueira tem... Como disse ela não tem explicação, ela simplesmente é!

  • Avatar
    25/02/2014 12:04:46Almir da Silva LimaMembro SRZD desde 11/10/2011

    Rodrigo Darlan, com todo respeito, o seu comentário é uma espécie de trombeteio do apocalipse. Ã? público e notório, o maior espetáculo da Terra não é apartado da sociedade e dela reproduz mazelas como as que você alardeia como espécie de teoria da conspiração. Só que você se baseia no depoimento de um gabaritado e vitorioso carnavalesco sim, que, entretanto não tem independência ante o sistema. Ele é notória e filosoficamente colonizado pelo imperialismo estadunidense o parceiro original de criação das Organizações Globo e da ditadura militar-fascista de 1964 a 1985. Agora, cá entre nós, o mundo do samba o maior espetáculo da Terra ao reproduzir mazelas sociais o faz através de um valor que é uma espécie de dogma da sociedade dividida em classes sociais (capitalista) que é a competição, no caso entre agremiações. Eu identifico maniqueísmo seu parceiro Rodrigo Darlan, quando você coloca a Deusa da Passarela, que curiosamente é afilhada de minha amada Majestade do Samba, como o mal ou beneficiária do sistema, e sua adorada verde-rosa como espécie do bem ou como representativa única de belos desfiles e consequentemente da reação e da ovação populares. Eu sei que existe maniqueísmo digamos invertido, isto é, a Deusa como o bem ou enquanto maior vencedora da era sambódromo rivalizando com a Mangueira por parte de pelo menos de duas figuras públicas da Deusa, ou digamos dois mangueirenses de coração. O seu presidente de honra e intérprete oficial. Ocorre a Mangueira não é a única de belos, competitivos, de agrado, de reação e de ovação popular. Além disto, ela não está com uma equipe e samba-enredo para tal. Diferentemente de outras que tem isto, ela nem é a que tem mais torcida organizada, a mais coirmã-madrinha e mais vitoriosa do Carnaval Carioca. Almir de Macaé.

  • Avatar
    25/02/2014 00:28:35Rodrigo DarlanMembro SRZD desde 24/06/2009

    Júlio , a Mangueira vem com tudo mesmo!!! Almir, meu amigo. O campeonato não é algo sério. TODOS DO MUNDO DO SAMBA SABEM DISTO. O título já está nas mãos da Beija Flor de Nilópolis. Só uma coisa tira o título das mãos da Beija-Flor: se uma outra escola sair literalmente ovacionada pela platéia. Paulo Barros fala disso ao ser entrevistado no programa Roda Viva. Ele diz que sabe que a via é sair ovacionado e só daí a possibilidade de títulos. ELE DIZ ISTO COM TODAS AS LETRAS. De qualquer maneira há algo ali que é verdadeiro e pode ser tido como um substituto daquele que deveria ser um sério campeonato oficial e não é: A REAÃ?Ã?O DA PLATÃ?IA. A Beija é ganhadora de inúmeros títulos, mas tem algo que a faz infeliz: ela não empolga a platéia, ela não se faz amada e não a vejo numa grande fase como muitos a vê. O declínio é evidente e certeiro. "A VERDADE Ã? DURA, a REDE GLOBO APOIOU A DITADURA" e lá vem a BEija homenageando quem? a Rede globo e não SÃ? O boni como muitos pensam. Resultado antecipado: Ela ganhará se nem uma escola sair ovacionada, mas em compensação terá muitas , mas muitas dificuldades de entrar na avenida NA DESFILE DAS CAMPEAS , PODENDO OCORRER ISTO ATÃ? NOS DESFILE OFICIAL . E isto é a coisa mais triste que possa vir a ocorrer. A Mangueira fará um belo carnaval sim e se for ovacionada pela platéia terá o caneco em suas mãos. Mangueira sabe fazer o povo sambar, cantar, sorrir, enfim , sabe fazer o povo ficar feliz e isso é o que importa e é isso o que vai ser feito. Mire-se pela reação do público enquanto público e faça disso um campeonato. O outro é FAJUTO E TODOS , ABSOLUTAMENTE TODOS SABEM DISSO, APENAS NÃ?O ASSUMI, APENAS NÃ?O Ã? DITO!!!!

  • Avatar
    24/02/2014 23:58:03JULIO CÃ?SARMembro SRZD desde 09/01/2012

    Está linda a nossa Mangueira, vem com tudo... Desejo um desfile ARREBATADOR, cheio de luz, emoção, samba de primeira e uma alegria de MANGUEIRA, porque você é isso não cabe explicação, as lágrimas nos olhos revelam o sentimento. #CHEGOUAMANGUEIRACHEGOU

  • Avatar
    24/02/2014 20:54:42EduardoMembro SRZD desde 13/01/2012

    Simplicidade sensacional.

  • Avatar
    24/02/2014 10:16:53Almir da Silva LimaMembro SRZD desde 11/10/2011

    Ainda sobre o debate de ideias acerca da corresponsabilidade filosófica do carnavalesco/carnavalesca tanto na definição/desenvolvimento/execução do enredo quanto na qualidade do desfile: Na entrevista concedida pelo carnavalesco da agremiação amarelo-ouro & azul-pavão tijucana aqui publicada dia 20/02/2014 sob o título â??Barracões 2014: Paulo Barros revela detalhes do barracão da Unidos da Tijucaâ? foram postados muitos comentários que dão conta da cara amarrada do carnavalesco por estar sendo corresponsável ao desenvolver a execução de um enredo provavelmente de seu não agrado. Na agremiação mais vitoriosa da era sambódromo, por exemplo, o comando de sua campeoníssima Comissão de Carnaval nunca negou ter corresponsabilidade filosófica pela execução de desfiles competitivos e técnicos combinados com o canto forte e a emoção/empolgação do chão da agremiação. Isto, independentemente de que haja identidade filosófica em relação ao visual plástico e arquitetônico tradicionais de beleza da agremiação. Em outras palavras, independentemente se os importantíssimos quesitos complementares do Enredo (Alegorias/Adereços e Fantasias) tenham beleza e excelência na qualidade plástico-visual. Almir de Macaé.

  • Avatar
    24/02/2014 00:43:40Haroldo Pereira Do Nascimento PereiraMembro SRZD desde 20/09/2012

    mangueira teu cenario é uma beleza, é realmente isso, agora o presidente que saiu, deixa a situaçao caotica, luz agua dividas e nao se faz nada, saiu ta tudo bem, e assim que a coisa funciona, deixa a manga numa situaçao caotica, amanha entra outro faz a mesma coisa e tudo bem, nao tem puniçao, nao tem processo, agora a mangueira pedindo doaçoes, tenho certeza que conseguira se ja nao conseguiu, ai aparece os ex presidentes na quadra pra fazer o que ajudar a contar o dinheiro arrecardado pelos amantes da verde e rosa, porque esses ex presidentes nao apareceram para impedir que o ivo meireles a deixasse neste estado, e ai presidente chiquinho tem que ficar de olho nesta grana que esta chegando é para resolver os problemas da verde rosa nao para dividir com os abutres estou admirando teu trabalho boa sorte

  • Avatar
    23/02/2014 22:38:49Duquesa Dholores: sou do morro e da nobresaMembro SRZD desde 18/10/2010

    Mais seu Almir, eu faço essa separação para que se faça justiça e certos "erros" históricos, como os tais desfiles militarizados e mecânicos tão discutidos não recaiam sobre os ombros de quem projeta o desfile... tão somente projeta. Abracinhos.

  • Avatar
    23/02/2014 20:28:51Almir da Silva LimaMembro SRZD desde 11/10/2011

    Duquesa Dholores, diferentemente â?? não confundir como melhor â?? de Vossa Alteza, eu preciso deixar algumas questões claro como água. Preliminarmente, não é nada leviana sequer se trata de acusação à carnavalesca em questão. Apenas constatação da História. Conforme afirmei antes, filosoficamente falando eu não faço separação mecânica na engrenagem (escola de samba) entre o trabalho de um carnavalesco/carnavalesca e o trabalho dos demais sambistas executores profissionalizados responsáveis pelos quesitos Harmonia, Evolução, Conjunto e Samba-Enredo. No mundo do samba as agremiações estão cada vez mais profissionalizadas e exigentes de resultados. No maior espetáculo da Terra, um show business milionário, quem não estiver afinado nem chega a ser contratado profissionalmente. Tudo o que foi dito acerca da biografia da carnavalesca em questão é público e notório. Para ter-se ideia, na época áurea dos títulos da agremiação da Zona da Leopoldina, coincidência ou não, o fato é que o diretor de Harmonia era um militar da Aeronáutica, o presidente executivo era o atual diretor de Harmonia que é economista e o patrono continua sendo quem, depois de deixar a presidência da LIESA e lá continuar como membro vitalício do Conselho Superior, voltou a ser presidente executivo da agremiação sendo um honorabilíssimo empresário zootécnico. Por questão de justiça eu não deixo de considerar todo o gabarito da carnavalesca em questão. Tanto que a considero como carnavalesca-mestre. Ocorre diferentemente de Vossa Alteza eu não faço a mencionada separação mecânica, filosoficamente falando assim como não faço idolatria da carnavalesca. Almir de Macaé.

  • Avatar
    23/02/2014 18:58:30Duquesa Dholores: sou do morro e da nobresaMembro SRZD desde 18/10/2010

    Meu lindo e nobre comentarista jornalista machadiano... Almir Macaé. Sinto descordar de vassuncê, mas gostaria que vossa nobre pessoinha revisse o comentário que fez a respeito dessa mestra (como bem diz o sinhor), bem humorada, culta e renomada carnavalesca. Rosa, foi, é e sempre será carnavalesca. Ofício que ela, juntamente com a gloriasa comissão formada no Sal, dos idos anos 60, mudou completamente o panorama cultural dessa festa popular. Rosa jamais pode ser acusada de maneira leviana como foi feito por sua senhoria como sendo a responsável por " moldar a filosofia de desfiles excessivamente técnicos/frios na época vitoriosa da agremiação da Zona da Leopoldina." Rosa nunca foi diretora de harmonia. Rosa nunca foi compositora. Falo desses dois quesitos porque eles deságuam na passarela e são responsáveis pelo canto, pela dança, pela evolução de uma escola na avenida. Rosa sempre foi muito minuciosa em seus enredos. A principal caraterística dela, enquanto enredista, é revelar fatos inusitados da historiografia brasileira escondida em livros não oficiais. Catarina de Médices, A vinda dos artistas de Nassau ao Brasil, D. Pedro como exímio estudioso empreendendo uma expedição pelo Ceará, Breazail tintura vermelho que fazia moda na Europa extraída do pau brasil, tudo isso são exemplos de enredos interessantes dessa carnavalesca. Se as escolas não souberam como organizar uma harmonia explosiva, como tantos desejam, isso não é problema dela. A parte que lhe toca é feia com muito esmero, a plástica. Barroca na essência, Rosa foi responsável por momentos inesquecíveis na passarela. Por isso todo louvor à grande Rosa que exala o perfume divino.

  • Avatar
    23/02/2014 17:10:24Almir da Silva LimaMembro SRZD desde 11/10/2011

    Em meio à estranheza a idolatria feita à carnavalesca-mestre Rosa Magalhães e a adoração à Estação Primeira de Mangueira â?? um mangueirense blogueiro diz que todo adepto/adepta tem arrogância do bem (sic) â?? o curioso é que as equivocadas tentativas de justificar isto são de quem ilegitimamente sequer são mangueirenses. Não considero necessário que eu cite nomes, mas sim que as ideias sejam debatidas, mesmo que os meus comentários sofram preconceitos e provocações quando é dito que este democrático espaço é â??informalâ?. O que dá entender que o que é criticável é a forma de redação de quem posta comentário e, não, se o mesmo tem conteúdo de baixaria, ofensa pessoal ou uso excessivo e contumaz de palavrões. Ã? incrível que o uso que faço do nome de Deus seja considerado em vão, em função de eu não ser uma pessoa democraticamente não religiosa. Porém, não ser filosoficamente reacionário, fundamentalista e quase pentecostal fazer exaltação praticamente de adoração a uma escola de samba e idolatria a uma carnavalesca, ainda que esta seja uma mestra em seu ofício. O fato é que não existe carnavalesco/carnavalesca perfeita/perfeito, sendo tal profissional sambista parte de uma engrenagem filosófica. Por exemplo, esquece-se que tal carnavalesca além de em 1987 ter desenvolvido o pífio/sofrível enredo â??Roberto Carlos na cidade da fantasiaâ? para a tradicional e respeitável escola de samba Unidos do Cabuçu, foi quem moldou a filosofia de desfiles excessivamente técnicos/frios na época vitoriosa da agremiação da Zona da Leopoldina. Por último, ainda bem que com a exceção do já aludido blogueiro deste site que é mangueirense de que adeptos/adeptas da verde-rosa tem arrogância do bem, foi abandonada a prepotência e o caô-marketing de que a Estação Primeira de Mangueira é â??a maior escola de samba do Planetaâ?. Almir de Macaé.

Comentar