SRZD



Marcos Moura

Marcos Moura

Jornalista, nascido no Rio de Janeiro e vivendo hoje em Brasília, onde gerencia projetos de Comunicação Digital. Nos últimos 15 anos, trabalhou na cobertura esportiva em importantes portais da Internet Brasileira e no atendimento a grandes empresas de diversos segmentos. Acompanha o Botafogo, nos estádios e pela imprensa, desde 1978. Twitter: @marcosmoura21.

* Os textos desta seção não representam necessariamente a opinião deste veículo e são de responsabilidade exclusiva de seu autor.



10/04/2014 09h37

O Botafogo teve apenas três jogadores na Libertadores

Olá, torcida botafoguense!

Cheguei a acreditar, inocentemente admito, que a imediata comunhão entre time e torcida fariam o Botafogo ir longe na Libertadores. Pensei comigo mesmo. 'Se a equipe vencer sempre em casa e conseguir um empatezinho fora, segue no torneio'. O roteiro vinha dando certo até que a derrota para a Unión Española evidenciou tudo aquilo que a gente já sabia: que o grupo era bem fraco para disputar a competição. O 3 a 0 para o San Lorenzo só deixou isso apenas ainda mais evidente.

Dá para livrar a cara do Jéfferson, do Bolívar e do Tanque.

Decepções são muitas: Dória e Gabriel ou esqueceram de jogar ou nunca jogaram mesmo e a gente só achava que jogavam pois ao lado conviviam com Antônio Carlos, Fábio Ferreira, Marcelo Mattos e Renato.

As contratações, exceto o Tanque, não foram bem. Jorge Wágner vive de lampejos, Wallyson jogou bem apenas dois jogos e os volantes, pelo amor de Deus!!, os volantes. Ninguém fica impune ao escalar um Airton. E Bollatti é aquele cara que passa para todo mundo que sabe jogar. Só não joga.

E o amalucado do Edílson, tolamente expulso e suspenso três jogos, em uma partida que poderíamos ter empatado e acabamos perdendo?

Agora, tem gente que nem decepção foi. Júlio César, por exemplo. Quase todos os gols que sofremos saíram nas costas dele. O que já era um hábito no Brasileiro do ano passado. E o treinador achou isso normal.

Treinador, outro capítulo. Teve a chance dele. Nunca mostrou segurança para a torcida. O que foram aquelas alterações contra a Unión Española?

Dos dirigentes também não dava para esperar muito. Os salários estão eternamente atrasados e a proximidades com os cartolas da CBF e da Federação do Rio e, o que é pior, com os políticos que comandam o estado e a cidade, não poderia mesmo acabar em coisa boa. E o Engenhão, caro presidente?

É isso. O cenário não é bom para o restante da temporada. Tem eleição no clube. Um monte de gente já está aparecendo para ser candidato. E o Brasileiro não será fácil. A torcida que foi espetacular nos quatro jogos no Maracanã terá mais do que nunca de se mostrar presente. Só nos resta praticamente nós mesmos.

Saudações alvinegras!


Veja mais sobre:Botafogo

Comentários
  • Avatar
    10/04/2014 18:01:19Carlão - São Cristóvão/SEAnônimo

    Foi terrível, hein, Marcão? Quanta covardia do time?!?! Tiveram a cara do presidente. Vamos lá... Eu não salvaria Bolívar. Pra mim é um ex-jogador em campo. Fato é que em 23 jogos no ano, o time atuou bem só em 3. Contra Quito, SLorenzo e frufru no Maracanã. Elenco fraco, comissão técnica perdida, diretoria ferrando o Botafogo até o último dia de mandato. A torcida não pode permitir que persista assim. Falando em torcida... Como um clube sem receita escolhe jogar em volta Redonda e sua média de 1.500 presentes, quando poderia jogar em Juiz de Fora pra mais de 20 mil por partida??? Ajude aí, Marcão. Divulgue: #FOGOemJuizdeFora E vamos lutar por um BOTAFOGO forte! #renunciaAssumpção #sócioContribuinteJá #QueremosDebate #ExigimosReforços

Comentar

Isso evita spams e mensagens automáticas.