SRZD


20/04/2014 13h08

EDITORIAL: É preciso separar Copa do Mundo de Eleição
Sidney Rezende

Este ano é atípico. Copa do Mundo e Eleições terão que caber em 2014. Campanha política mesmo só acontecerá a partir de agosto. 

Copa do Mundo e eleições. Foto: Montagem SRZD

O futebol é a paixão do nosso povo, mas a definição dos destinos do país é o mais importante neste momento. 

O silêncio das ruas é preocupante.

Esta crônica não pretende analisar candidatos ideais e muito menos manipular a independência do voto soberano do eleitor. Mas passou da hora do cidadão exigir - com sua participação - da construção de uma agenda clara de curto, médio e longo prazos para a Nação. 

O que, afinal, queremos para o Brasil nos próximos 4 anos? E nos próximos 20? E para a segunda metade do século XXI?

Candidatos a qualquer coisa dirão que, se eleitos, lutarão por mais "saúde, educação, transporte e segurança". Mentira. Não demora e o "bonzinho" da campanha se transforma em ladrão como os outros velhacos, sanguessuga, saqueador dos cofres públicos, relapso com o povo e assaltante dos reais dos impostos pagos por nós. 

O modelo está errado. O modelo de eleição e o modelo de Nação. A forma de cobrança popular está equivocada. O povo está fora do jogo.

As instituições políticas não funcionam e um pequeno grupo encastelado no poder permanece dando as cartas há 50 anos. A máquina de indicações sem qualificações técnicas é alarmante. Estamos assistindo à dilapidação do patrimônio público dia e noite, e isto está longe de ser obra exclusiva do PT como alguns apregoam. A distorção perpassa partidos e corrói antigos compromissos ideológicos.

Enquanto a reforma eleitoral não vem, não vote nos caciques que não querem mudar o país. E não acreditem mais em aproveitadores encrustados nos poderes Judiciário, Legislativo e Executivo. 

Tem gente de bem na política, evidente. Mas hoje essa turma é minoria acuada e tentada a mudar de lado.

Do Legislativo, pelo menos, sabemos o DNA de seus integrantes. Não sabemos nada do poder Judiciário. A falta de transparência neste segmento de poder é preocupante.

Vivemos numa democracia e merecemos saber quanto ganham aqueles mantidos pelo povo, o que fazem, quanto tempo trabalham, quem trabalha e quem vende férias, simula doenças inexistentes e se beneficia deste manto de acobertamento para permitirem licitações no mínimo estranhas. 
E os benefícios que recebem? As mordomias?

A democracia não só se materializa nas urnas. É preciso exercer a cidadania diariamente. Não deixe a agenda futebolística atrapalhar o que nos é permanente. Copa é um certame transitório.  

Passou da hora, precisa-se auditar os poderes, esclarecer direitinho quanto ganham seus integrantes e o que fazem. De novo: saber quem trabalha, quem não trabalha. Quem está realmente sugando os recursos públicos e separar esta gente que não vale um tostão furado, mas que está de bolso cheio, do servidor decente que trabalha duro.  

O funcionalismo público é oprimido também. Vamos dar força para que ele nos conte onde estão os chefões dos crimes que a sociedade não sabe que existem.   


Comentários
  • Avatar
    21/12/2015 10:16:23regis jose de oliveiraAnônimo

    NESSA TERÇA DIA 22 DE DEZEMBRO 2015,COMEMORA EM JUIZ DE FORA O DIA MUNICIPAL DO MESTRE SALA E PORTA BANDEIRA DE JUIZ DE FORA. O EVENTO VAI ACONTECER AS 1900H NA QUADRA DA ESCOLA DE SAMBA MOCIDADE DO PROGRESSO:RUA JORGE KENNOP. 19H MOSTRA DO FILME DO COMPOSITOR E FUNDADOR DA PRIMEIRA ESCOLA DE SAMBA DE MINAS GERAIS MINISTRINHO 20:30 HOMENAGEM AOS MESTRES SALAS E PORTA BANDEIRAS QUE FIZERAM E MANTIVERAM A HISTORIA DA DANÇA EM NOSSO MUNICIPIO. GOSTARÍAMOS DE RESSALTAR A FORÇA DE MESTRE DIONISIO,PARA QUE O QUESITO NÃO PERDESSE O SENTIDO NOS CARNAVAIS DE JUIZ DE FORA. UM ABRAÇO INSTITUTO CULTURA DO SAMBA:

  • Avatar
    22/04/2014 10:58:02rioaovivo.comAnônimo

    Jogadores do Flamengo não escondem incômodo com decisão do clube de mandar jogos fora do Rio : Flamengo 2 x 3 Léon - maracanã lotado

Comentar

Isso evita spams e mensagens automáticas.