SRZD


02/05/2014 14h13

Veja a sinopse da Lins Imperial para 2015
Redação SRZD

A Lins Imperial, que desfilará pelo Grupo C do Carnaval carioca em 2015, já definiu o enredo que apresentará na Intendente de Magalhães.  Com o tema " Do Brasil para o Mundo, Nosso Axé: Erva Guiné!!!", que falará sobre a planta que tem fama de afastar maus espíritos, o carnavalesco Luiz di Paulanis, tentará levar a verde e rosa ao campeonato do grupo. Luiz assinará seu segundo carnaval pela escola da zona norte do Rio de Janeiro. 

-Primeira mão: Em Cima da Hora já definiu o enredo

Veja a sinopse na íntegra:

ENREDO: Do Brasil para o Mundo, Nosso Axé: Erva Guiné!!! Autor: Luiz di Paulanis 

Guiné Pipi, Titi, Raiz de Guiné....

São muitos os nomes para um mesmo fundamento.

Os índios já cantavam seus poderem muito antes de aqui chegarem os portugueses ou de aqui se ouvir o brado dos orixás.

O canto dos espíritos criadores do universo tomou forma e fez surgir o mundo, desordenado mas firme. Os jaguares ancestrais então vieram e correram pelo mundo, separando a terra das águas e fazendo surgir as matas de suas pegadas. Com a alvorada da humanidade, coube aos pajés decifrarem a força do que brotava do chão.

Mais tarde, os Jesuítas trazidos nas caravelas aprenderam os segredos das ervas e, sabedores da composição das teriagas, passaram a usar a Guiné, fazendo surgir as garrafadas.

Com nosso distanciamento dos saberes indígenas e a força dos traços culturais africanos, muitos pensam que a Guiné teria vindo com Ossaim nos porões da escravidão. Mas, depois que aqui chegou, é que o dono de todas as folhas consagrou seu uso a Ogum no Candomblé, e a Oxosse na umbanda.

Foram os ventos de Oya que levaram as folhas para a África, embaladas pelos agudás.

As pretas velhas benzedeiras já sabiam seus encantos, e já livraram do mau olhado, muito filho de negro e de branco. Muitas mucamas se livraram das alcovas violentas com a "Amansa Senhor". Muito negro foi vingado com o pó da raiz.

Pra cada coisa um bocado: pra afastar mau-olhado, pra descarrego, patuá ou infusão, Guiné traz a chance de cura dos corpos, de cura das almas ou de proteção.

"Quendá, quendá" - Nas festas do interior das Gerais, os mestres de guarda do congado (os catopés) fazem ecoar o cancioneiro enquanto fazem suas garrafadas - bebidas benzidas pela Virgem do Rosário, protetora dos negros por esse Brasil a fora. Assim, conseguem a proteção para mais um ano, pedem a bênção para seus instrumentos, pelas chuvas e por boas colheitas no sertão.

Passeie pelos dias de hoje e pergunte por uma benzedeira, curandeira, pajé ou Yiá. Quase nunca vai encontrar. As folhas caíram em desuso e, quando não é veneno, é escuso, proibido ou mal-fará.

Mas adentre qualquer terreiro, casa de erva ou cabana de pajelança e saberá de primeira que os tesouros da terra estão lá pra quem quiser. Salve a tradição brasileira das benzedeiras e do axé.

Salve os donos da terra, o índio, o negro, o caboclo, o catopé, o segredo das folhas, o amaci e o porrão. Salve a Guiné, que a Lins exalta e pede a sua proteção!

Luiz di Paulanis



Comentários
  • Avatar
    13/05/2014 15:26:21TUNINHO LINSAnônimo

    LINS IMPERIAL RUMO A NOVO ACESSO EM 2015 !!!

  • Avatar
    05/05/2014 10:51:08Almir da Silva LimaAnônimo

    Duas questões são fundamentais no fato do enredo 2015 da Lins imperial cujo título â??Do Brasil para o Mundo, nosso Axé: Erva Guinéâ? ser carnavalizável e consequentemente ter propiciado a boa sinopse em questão. Uma é que tema, viés e fio condutor do enredo pertencem à Arte e à Cultura de segmentos étnico-raciais oprimidos que são formadores do povo, da Arte e da Cultura brasileira. A 2ª questão é que, por desfilar no Carnaval Popular da Estrada Intendente Magalhães no bairro suburbano de Campinho, ou seja, na Série C onde isto praticamente não ocorre. O enredo â??Do Brasil para o Mundo, nosso Axé: Erva Guinéâ? não deverá sofrer deturpação artística-cultural, que na prática historicamente é causada pelo patrocínio financeiro-econômico quando é firmado de forma mercantilista entres as partes. Assim, este belo enredo da verde-rosa do bairro suburbano Lins de Vasconcelos representada pelo presidente João de Oliveira da Silva o João Banana, pelo vice Jorge Torresmo e pelo carnavalesco Luiz Di Paulanis exige no Carnaval Popular 2015 um desfile apoteótico, competitivo e vitorioso. Haja vista, a responsabilidade que no bom sentido da expressão â??pesaâ? sobre a agremiação que tem como cores oficiais e madrinha respectivamente o verde-rosa da gloriosa Estação Primeira de Mangueira e como símbolo a águia altaneira e guerreira da Majestade do Samba a Portela. Quer dizer a Sociedade Recreativa e Escola de Samba Lins de Vasconcelos tem como referencial ninguém menos que as duas agremiações mais tradicionais, mais gloriosas e mais vitoriosas do Carnaval Carioca. Saudações carnavalescas, Almir de Macaé.

  • Avatar
    03/05/2014 08:40:24JOAO DANTASAnônimo

    Bom dia! Super interessante esse enredo, simples, mas forte, tem raiz e cultura. Deve ser bem desenvolvido, imagino numa Escola do Especial, onde há patrocínio milionário! Seria um grito de campeão, sorte para a LINS. LINDO ENREDO!

  • Avatar
    03/05/2014 08:39:39JOAO DANTASAnônimo

    Bom dia! Super interessante esse enredo, simples, mas forte, tem raiz e cultura. Deve ser bem desenvolvido, imagino numa Escola do Especial, onde há patrocínio milionário! Seria um grito de campeão, sorte para a LINS. LINDO ENREDO!

  • Avatar
    02/05/2014 20:24:02JORGE TORRESMOAnônimo

    PARABENS MINHA LINS IMPERIAL,RUMO CARNAVAL 2015.....

Comentar

Isso evita spams e mensagens automáticas.