SRZD


29/05/2014 17h27

Lipoaspiração: saiba os riscos e como se prevenir de intervenções clandestinas
Redação SRZD

A morte da dançarina carioca, Mary Morena após uma cirurgia de lipoaspiração realizada em uma clínica no Rio de Janeiro, levantou o debate entre médicos e pacientes em torno da segunda cirurgia estética mais realizada no Brasil.

Embora cirurgiões especializados digam que a cirurgia tem o mesmo risco de qualquer outra intervenção cirúrgica, é fato que as mortes causadas em decorrência da desqualificação de profissionais ou estabelecimentos ilegais é grande. Para o cirurgião plástico Allan Bernacchi, Membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica-RJ, o número de mortes em lipoaspirações é baixo. Segundo dados da FDA (Food and Drugs Administration - vigilância sanitária americana), podem ser contabilizadas no máximo três mortes a cada 100 mil cirurgias de lipoaspiração. O médico explica que a lipoaspiração não apresenta índices científicos e estatísticos de risco diferentes das demais cirurgias. Ainda assim, alerta para as complicações que a cirurgia pode causar.

Foto: Divulgação

"Lipoaspiração não é como ir ao cabeleireiro como algumas pessoas pensam. É uma cirurgia e qualquer cirurgia tem riscos. É substimada, pois as incisões costumam ser pequenas, mas as áreas tratadas são grandes, podendo as vezes serem comparadas ao dano de uma queimadura. A lipo, eventualmente pode ocasionar tromboembolismo pulmonar, embolia gordurosa (oclusão de vasos por gotículas de gordura), seroma (excesso de líquido que fica retido próximo à cicatriz cirúrgica, causando inflamação), hematomas, irregularidades de relevo cutâneo, infecção, entre outros, como em qualquer outro tipo de cirurgia", alega Allan Bernacchi.

Casos como o da dançarina levantam a questão da falta de informação. A busca pela silhueta perfeita leva à falta de atenção na hora de escolher a clínica e o profissional que vai realizar a cirurgia. O ideal, em primeiro lugar, é verificar se o profissional é devidamente registrado no Conselho Regional de medicina e membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.

"É preciso, inicialmente, saber se o médico é cirurgião plástico, com seis anos de Faculdade de Medicina, mais dois anos de residência em cirurgia geral e três anos de residência em cirurgia plástica, com título de especialista registrado no CRM (Conselho Regional de Medicina) e membro da SBCP. É recomendável que se obtenham referências do médico e local por meio de informações de outros pacientes que já tenham sido operados por ele. A consulta médica é a relação de confiança que se estabelece por meio de informações mútuas são um forte aliado da segurança cirúrgica", ressalta Luiz Eduardo Ematne, cirurgião plástico Membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.

Os custos de uma cirurgia de lipoaspiração não são baixos, variando entre entre R$3.000 a R$6.500 de parte médica, fora a hospitalar, dependendo da região onde é realizada a intervenção. Das mais de 700 mil plásticas estéticas feitas anualmente no País, 160 mil são lipos e o maior atrativo vem sendo a grande quantidade de clínicas estéticas que realizam a cirurgia por preços bem baixos e com parcelamentos atraentes. são empresas que, em geral, priorizam o lucro e nção o trabalho de médicos habilitados.

Importante também é a preparação para a cirurgia. como qualquer intervenção cirúrgica,o paciente precisa marcar uma consulta prévia para diagnóstico e realizar alguns exames pré-operatórios, como hemograma, coagulograma e avaliação cardiológica. Algumas doenças ou situações podem impedir o procedimento, como uma simples gripe, alergias, hipertensão e certos problemas cardíacos. Além disso, pessoas que estão bem acima do peso e apresentam excesso de gordura não devem ser submetidas ao processo.

Os resultados, no entanto, não aparece mde imediato. Em geral, somente após o segundo ou terceiro mês de pós-operatório, é possível notar o resultado. A realização de sessões de drenagem linfática são uma boa solução para o pós-operatório. o médico Allan Bernacchi alerta os leitores para que fique claro que a lipoaspiração não é uma cirurgia de emagrecimento.

"Ela deve ser empregada para tratamento de áreas de depósito de gordura que sejam resistentes a tratamentos prévios de redução de peso e atividade física. Geralmente, são áreas em que o depósito se faz por fatores genéticos. A indicação segue também um desejo do paciente e a avaliação detalhada e minuciosa de um cirurgião plástico", explica Bernacchi.

Leia mais:

- Obesidade feminina na gravidez é motivo de preocupação


Veja mais sobre:SaúdeCirurgia plástica

Comentários
  • Avatar
    23/06/2014 11:40:00Ana Laura MunizAnônimo

    Ã? essencial se informar bem e procurar um bom profissional! Fiz minha lipoaspiração com o Dr. Wagner Montenegro. Ele e sua equipe cuidaram muito bem de mim, e a lipo foi um sucesso. Recomendo!

Comentar

Isso evita spams e mensagens automáticas.