SRZD


04/06/2014 00h00

Confira a sinopse da São Clemente para 2015
Joice Hurtado e Luciano Olivieri

Romper tabus, assumir identidade e falar sobre a trajetória de Fernando Pamplona no Carnaval, é o objetivo de Rosa Magalhães com a São Clemente.

Mostrar a cara do Brasil e desvendar a obra de Pamplona na Sapucaí usando o folclore e a brasilidade será o foco do enredo "A incrível história do homem que só tinha medo da Matinta Pereira, da Tocandira e da Onça Pé de Boi".

Com apresença da viúva do homenagrado, Zeni Pamplona, Rosa Maglhães lançou o enredo para 2015 e fez uma breve explanação sobre o tema. 

Rosa fez uma breve explanação do tema. A carnavalesca estava acompanhada da viúva de Fernando Pamplona, Zeni. Foto: Luciano Olivieri

Confira a sinopse:

"A incrível história do homem que só tinha medo da Matinta Pereira, da Tocandira e da Onça Pé de Boi"

Em Rio Branco era assim, um florestão envolvendo a cidade. Ninguém adentrava na mata - "Tá doido seu?" Era habitada pela bruxa Matinta Perera, que calava o uirapuru mas que sumia com a chuvarada, por um bicho brabo, o gogó de sola, de dentada perigosa feito cobra, pela formiga tocandira, pela onça do pé de boi, que todo mundo jura que existia, com pé de boi e tudo. Pois foi lá nesse lugar tão longe que nosso personagem passou a infância. Foi crescendo até que um dia chegou a hora de voltar para o Rio de Janeiro, sua terra natal e onde passaria o resto de sua vida.

No Lido é que começou a brincar carnaval, ouvindo "Mamãe eu quero" e "Touradas em Madri". O bloco de sujo de que fazia parte ensaiava no cemitério. A molecada se encontrava perto da quadra IV, que ainda estava em construção, e os defuntos ali enterrados não reclamavam do barulho. "A avenida Rio Branco era um deslumbramento só" - mão dupla, tudo decorado, cheia de grupos fantasiados. Entre os carros, desfilavam os cordões, grupos e blocos com muitos pierrôs, arlequins, tiroleses, holandeses e muitas colombinas também.

Passa o tempo, passa a guerra, passa a ditadura de Vargas, o tempo vai correndo e nosso herói vai se tornando mais adulto e mais valente. Essa avenida Rio Branco, dos desfiles carnavalescos, era a mesma que abrigava o Teatro Municipal, a Biblioteca Nacional, o Museu e a Escola de Belas Artes. E lá foi ele, atraído pelas artes, para a tal escola, e também para o teatro, onde trabalhou por muito tempo. Foi desse local, numa janela do andar superior, seu camarote exclusivo, que viu pela primeira vez um desfile de escola de samba, com Natal reclamando e a Portela evoluindo, alí , naquela mesma avenida.

Um dia, foi convidado para fazer parte do júri das escolas de samba. Aceitou. E foi também na Avenida Rio Branco que, encarapitado num palanque de madeira, viu um desfile bastante sui-generis. "A primeira escola quebrou o eixo do carro... Que entre a segunda.... Mas a segunda só entraria se a primeira entrasse.... Então que entre a terceira... E nada da terceira, e nada da quarta também - És onze e meia da noite, chega alguém avisando que a quinta iria desfilar - até que enfim..." A quinta era o Salgueiro, apresentando enredo sobre Debret - o que cativou nosso jurado: em vez de "Panteão de Glória", "Batalhas de Tuiuti", etc., cantava um artista - Debret.

Foi desse dia em diante que nosso personagem tornou-se carnavalesco e salgueirense - as cores vermelho e branco ainda por cima o remetiam ao time de futebol lá do Rio Branco, quando ainda era menino. Não esperava receber o convite para desenvolver o enredo para o Salgueiro,no ano seguinte. Escolheu a resistência negra durante o período da escravidão,

Nzambi dos Palmares, ou Zumbi dos Palmares, assunto que não era focalizado pelas escolas. Virou filme, e Zumbi hoje é símbolo de resistência. Descobriu para o povo não só o Nzambi como Xica da Silva (foi um estouro!!), Aleijadinho, e acabou desencavando um enredo sobre uma visita de um rei negro aMauricio de Nassau - cuja música foi cantada não só no carnaval como em estádios de futebol, casamentos, e até hoje faz sucesso - Olêlê, Olálá, pega no ganzê, pega no ganzá

 Apesar das vitórias, havia uma certa crítica negativa a ele, dizendo que não se deveria interferir numa manifestação popular. Tinham esquecido que, desde a década de 40, as escolas contratavam artistas eruditos e profissionais para realizarem seus enredos.

No ano do IV Centenário da Cidade do Rio de Janeiro, o tema escolhido foi "História do Carnaval Carioca", que retratava o carnaval carioca e o baile dos pierrôs, produzido por Eneida todo ano. Jogaram muito confete e serpentina durante o desfile, e os garis estavam esperando o Salgueiro sair da avenida para limpar tudo antes do desfile da Portela. Provocativos, os salgueirenses disseram que aquela era a comissão de frente da Portela. Os portelenses obrigaram os garis a irem limpando a pista no final do desfile do Salgueiro. Foi a apoteose - "Puxa, não esqueceram nada, tem até os garis limpando o final da festa!" Esses garis foram aproveitados mais tarde pelo Joãozinho Trinta no seu famoso desfile dos Ratos e Urubus. Na época, João era aderecista e bailarino. Acabou abandonando a dança e tornou-se carnavalesco, mas esta já é uma outra história...

O nosso herói fez outros carnavais vitoriosos. Depois, passou a bola adiante e foi se dedicar a vários afazeres nas TVs para as quais trabalhava. Um dia, cansado da vida, foi embora, acho que um pouco contrariado, pois viver foi sempre uma aventura que encarou sem medo. Deve ter sido recebido por uma extensa corte - Nzambi, Aleijadinho, Xica da Silva e outros tantos negros e mulatos que fazem parte da cultura deste país mulato. Agitando bandeirinhas, eles gritaram em coro: "Pamplona, Pamplona, Pamplona...."

Rosa Magalhães

cerca de 50 compositores estiveram na quadra. Foto: Luciano Olivieri

O primeiro tira-dúvidas da agremiação está marcado para 2 de julho, às 19h, na quadra da São Clemente. Conforme explicou o vice-presidente Roberto Gomes, a ala de compositores, que é aberta, receberá inscrições de todas as parcerias que estiverem interessadas em concorrer na disputa de sambas.

"Quem quiser concorrer terá até o dia 22 de julho para preparar sua composição. Aqui na São Clementee a disputa é aberta a quem quiser concorrer. As primeiras eliminatórias serão fechadas e, somente quando tivermos aproximadamente 10 sambas, é que vamos para a disputa com particiação do público. Desta maneira, levamos ao público as melhores coposições e ajudamos as parcerias, que podem se preservar de maiores gastos desde o início da competição", finalizou.

Leia mais:

 -Sob nova direção: conheça o perfil dos diretores de bateria da Mangueira

Confira os  depoimentos de Rosa e da viúva de Pamplona sobre o enredo

 

 



Comentários
  • Avatar
    08/06/2014 21:15:16eliomar g silvaMembro SRZD desde 09/04/2009

    Parabéns à São Clemente e sua carnavalesca Rosa Magalhães. Uma justíssima homenagem ao Fernando Pamplona. Ele que de fato foi o divisor de águas na história dos desfiles das escolas de samba do Rio, introduzindo temas afro-brasileiros, numa festa que sempre foi eminentemente negra. Além disso, foi mestre de tantos carnavalescos de renome, como a própria Rosa Magalhães, Renato Lage, Joãosinho Trinta, etc. Só lamento que essa justa homenagem não foi e nem será feita pelo Salgueiro,sua escola de coração e onde tudo começou a se transformar pelas mãos de Pamplona. Vale lembrar os vários campeonatos conquistados pelo Salgueiro tendo Pamplona como carnavalesco. Eu, como salgueirense, me dá até vontade de desfilar na São Clemente em 2015. Parabéns mais uma vez pelo enredo. Acredito que será deslumbrante.

  • Avatar
    06/06/2014 18:59:22GeanMembro SRZD desde 22/02/2016

    Grande enredo mais q não disputrá o título.... fato!!!

  • Avatar
    06/06/2014 13:00:22Almir da Silva LimaMembro SRZD desde 11/10/2011

    Sob o título â??Será homenageado com limitado enredo folclórico o revolucionário carnavalesco Pamplonaâ? acabei de postar texto jornalístico em almirptmacae.blogspot.com. Saudações carnavalescas, Almir de Macaé.

  • Avatar
    05/06/2014 19:25:49cadhuMembro SRZD desde 25/01/2013

    Rosa realmente é um gênio! Profissional incomparável...Melhor enredo até agora apresentado...Ã? Rosa Magalhães, né...falar mais o que...

  • Avatar
    05/06/2014 16:16:39senior_rexMembro SRZD desde 24/03/2014

    Segunda-feira todo mundo vai ter que chegar cedo na Sapucaí pra prestigiar esse magnifico enredo assinado pela mestra Rosa. Fazia muito tempo que uma escola não apresentava um enredo falando sobre o folclore do nosso Brasil. Um folclore tão rico que pouco é aproveitado para se usar num enredo. E justamente isso vai acontecer na homenagem a Pamplona, um dos maiores mestres que o carnaval já teve e que fez história nessa festa popular, apresentando personagens negras como Zumbi e Xica, que antes disso ninguém conhecia e falava. Muito obrigado Rosa! E boa sorte à São Clemente.

  • Avatar
    05/06/2014 08:40:46BoadSambaMembro SRZD desde 10/01/2010

    Que bom, meu Deus o melhore enredo chegou, e como não podeia deixar de ser veio das mãos da nossa rainha maior, Rosa vai lamber os beiços, falará do folclore, do rio antigo, do negro no carnaval, da historia das escolas de samba , da genialidade de um artista amigo da nossa escola de belas artes, fantástico reinventando tudo de novo sem sair do nosso quintal,Salve inspiração que Deus a conserve.

  • Avatar
    05/06/2014 00:10:38Rodrigo VasconcelosMembro SRZD desde 22/02/2014

    Belíssimo texto, simples e de fácil entendimento, a Rosa da show do começo ao fim, parabéns São Clemente, bola muito dentro, que a grande Rosa Magalhães seja muito feliz!

  • Avatar
    04/06/2014 22:06:23AghataMembro SRZD desde 20/05/2013

    Grande enredo!!!! Q acima de tudo é muiiiiiiiiito justa esta homenagem ao grande e saudoso Pamplona. Parabéns São Clemente!!!

  • Avatar
    04/06/2014 20:43:35Almir da Silva LimaMembro SRZD desde 11/10/2011

    A sinopse em questão, o enredo, o tema, o viés, o fio condutor homenageando o mestre-carnavalesco Fernando Pamplona, ainda mais desenvolvido por sua aluna-mestre a carnavalesca Rosa Magalhães, fazem jus a um comentário fundamentado e aprofundado. Ã? o que farei. Oportunamente o postarei em meu blog e comunicarei, pois, aqui o mesmo não caberá. Saudações carnavalescas, Almir de Macaé.

  • Avatar
    04/06/2014 15:33:58João SilvaMembro SRZD desde 18/08/2010

    Tocandira é uma formiga. Acho que tá de bom tamanho! Ã? esse.

  • Avatar
    04/06/2014 15:12:32Cláudia BauerMembro SRZD desde 19/01/2013

    João Silva, vamos ficar com a Tocandira porque uma onça já é demais pro bichinho kkkkkkkkkk.

  • Avatar
    04/06/2014 13:34:03Phelippe Beija FlorMembro SRZD desde 22/02/2012

    parabéns Rosa mais um show na arte de fazer sinopse e como diz o Ted "professora e professora" a minha unica tristeza e ver q no Brasil so se faz homenagem depois q a pessoa morre e nem me vem com essa q de onde ele estiver ele esta feliz pq feliz msm ele estaria se pudesse estar presente em sua homenagem fica a dica pra todas as escolas não vamos esperar os mestres do samba morrerem pra ser homenageado vamos proporcionar esse alegria para eles em vida

  • Avatar
    04/06/2014 12:41:09AlexandreMembro SRZD desde 18/12/2009

    CARTA PARA PRESIDENTE DA ACADEMIA DO SAMBA Prezada, Regina Celi Ã? incontestável a gestão financeira/marketing do SAL em sua administração. Perfeita! Mas, como SALGUEIRENSE não posso refutar em expressar minha decepção, quando no esquenta na Sapucaí, disse: "Marcelo Tijolo este desfile é para você..." e não mencionaste PAMPLONA, que falecera também, e com incomparável história na Academia, e agora ao ver o "lançamento" do enredo para 2015, mais uma decepção, nada contra ao tema, mas ao ver a São Clemente fazer enredo em Homenagem ao Pamplona e o SAL não é doído demais. Não esqueçamos que o Salgueiro teve esta notoriedade muito em função deste Gênio que criou outros tantos, como Renato MAGO Lage, Rosa Magalhães (que acertou em cheio), Joãozinho Trinta, Laila eteceteraetal. Espero que no meio deste enredo sobre a culinária mineira possa ser introduzida uma justa e necessária homenagem a este Grande Salgueirense que enalteceu as Minas Gerais com Aleijadinho, Xica da Sila, Chico Rei... SOU SALGUEIRO POR TODO SEMPRE!!!

  • Avatar
    04/06/2014 12:39:09AlexandreMembro SRZD desde 18/12/2009

    CARTA PARA PRESIDENTE DA ACADEMIA DO SAMBA Prezada, Regina Celi Ã? incontestável a gestão financeira/marketing do SAL em sua administração. Perfeita! Mas, como SALGUEIRENSE não posso refutar em expressar minha decepção, quando no esquenta na Sapucaí, disse: "Marcelo Tijolo este desfile é para você..." e não mencionaste PAMPLONA, que falecera também, e com incomparável história na Academia, e agora ao ver o "lançamento" do enredo para 2015, mais uma decepção, nada contra ao tema, mas ao ver a São Clemente fazer enredo em Homenagem ao Pamplona e o SAL não é doído demais. Não esqueçamos que o Salgueiro teve esta notoriedade muito em função deste Gênio que criou outros tantos, como Renato MAGO Lage, Rosa Magalhães (que acertou em cheio), Joãozinho Trinta, Laila eteceteraetal. Espero que no meio deste enredo sobre a culinária mineira possa ser introduzida uma justa e necessária homenagem a este Grande Salgueirense que enalteceu as Minas Gerais com Aleijadinho, Xica da Sila, Chico Rei... SOU SALGUEIRO POR TODO SEMPRE!!!

  • Avatar
    04/06/2014 11:03:18TedyMembro SRZD desde 12/04/2012

    Sinopse muito boa. E o final: "Pamplona, Pamplona, Pamplona...". Pra mim existem dois craques em fazer sinopse: Alexandre Louzada e Rosa Magalhães. Tá na cara que a Vila foi muito boba, ao invés de chamar a Rosa de volta, convidou o cafona Max Lopes. ... / E a São Clemente foi esperta, pois professora é professora, pode passar o tempo que passar, sempre será professora. Dona Rosa e São Clemente é uma parceria que eu torço pra que dê muito certo.

Comentar