SRZD


02/07/2014 11h40

Nordeste deve ser ponto inicial da campanha de rua de Aécio Neves
Carlos Cavalcanti | Blog do Magno

Foto: ReproduçãoFechadas as convenções, a chapa nacional e as coligações estaduais, o candidato do PSDB à Presidência da República, o senador mineiro Aécio Neves, não quer perder tempo e já tem estruturados os primeiros passos da campanha de rua: vai começar simbolicamente pelo Nordeste. O presidenciável vai liderar uma caravana pelas cidades polos, visitando até três estados por dia, para apresentar um plano de infraestrutura e, segundo a campanha, a retomada do desenvolvimento para a região.

A atenção especial ao Nordeste, onde Aécio é pouco conhecido, é um contraponto ao perfil paulista da chapa, que tem como vice o senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP). A proposta da campanha tucana é ter uma coordenação logística em cada estado, para levantar os gargalos da infraestrutura.

No plano de governo de Aécio consta o término de obras inacabadas, como a Transposição do Rio São Francisco e a Ferrovia Transnordestina. O candidato pretende levar ao Nordeste a experiência de irrigação de uma grande de Minas Gerais, o Projeto Jaíba, considerado de sucesso pela gestão tucana.


Comentários
  • Avatar
    02/07/2014 17:00:36Zé SertanejoAnônimo

    Xxxxxxxxxxi vai começar a enganação, coitado dos nordestinos vão sentir o peso das mentiras.

  • Avatar
    02/07/2014 15:20:01Alexandre Fernandes DiasAnônimo

    Aécio Neves (PSDB-MG) lembrou os 20 anos do lançamento do Plano Real, ocorrido em julho de 1994. O senador afirmou que o plano, criado durante o governo do presidente Itamar Franco, quando o ministro da Fazenda era Fernando Henrique Cardoso, foi "o maior programa de distribuição de renda da atualidade". Aécio disse que, com o lançamento do Plano Real, a credibilidade do país foi recuperada e reformas estruturais foram feitas, como as privatizações de setores de telecomunicações e siderurgia, essenciais para a inclusão do Brasil no mercado internacional. O senador citou a Lei de Responsabilidade Fiscal, editada por FHC. JORNAL DO SENADO

Comentar

Isso evita spams e mensagens automáticas.