SRZD



Laíla

Laíla

CARNAVAL. Luiz Fernando Ribeiro do Carmo, o Laíla, nasceu em 1943, no Morro do Salgueiro, situado na Tijuca, no Rio. Foi lá que o hoje renomado Diretor de Carnaval e Harmonia teve seu primeiro contato com o samba e o Carnaval, e onde criou, nos anos 50, uma Escola de Samba Mirim, chamada Independentes da Ladeira, que foi um grande sucesso na época, funcionando como espécie de trampolim para o convite feito pelo Acadêmicos do Salgueiro. Líder nato e apaixonado por seu trabalho, Laíla acumulou profundos conhecimentos harmônicos e melódicos ao longo dos seus 54 anos de atividade; tendo trabalhado, ainda, como cantor, músico e compositor. A primeira junção de sambas-enredo foi feita por Laíla, em 1975, em "As Minas do Rei Salomão"; e de lá para cá, todas as junções de sambas-enredo feitas por ele, nas diversas escolas por onde passou, foram sucesso. Há 45 anos trabalha como produtor do CD de sambas-enredo das Escolas de Samba do Grupo Especial do Rio de Janeiro, e há 26 é o Diretor Geral de Carnaval e Harmonia da Beija-Flor de Nilópolis, onde criou, em 1997, a vitoriosa Comissão de Carnaval da Agremiação.

* Os textos desta seção não representam necessariamente a opinião deste veículo e são de responsabilidade exclusiva de seu autor.



18/07/2014 08h49

Videoblog: Laíla fala sobre complicações pela demora do anúncio do enredo
Redação SRZD

O diretor de Carnaval e Harmonia da Beija-Flor e blogueiro do SRZD-Carnaval, Laíla, comentou sobre a demora da definição do enredo. Todas as escolas do Grupo Especial já definiram os temas que vão desenvolver para 2015, com exceção da Grande Rio.

- Clique aqui e saiba tudo sobre o Carnaval 2015

Segundo Laíla, a demora não é saudável, já que a escola fica mais limitada e com menos tempo de ter novas ideias e aplica-las. Ele lembrou que a Beija-Flor não recebeu o que foi acordado sobre patrocínio, mas mesmo assim não deixou de anunciar e dar início ao trabalho.

Confira o video:

 

Já curtiu a página do SRZD-Carnaval no Facebook?

 



Comentários
  • Avatar
    23/07/2014 10:29:23Marcos JoséMembro SRZD desde 23/12/2010

    Bem que a Grande Rio poderia reeditar os enredos "Águas Claras para um Rei Negro", de 1992 ou "Os Santos que a África não viu", de 1994. Pois foram grandes enredos com sambas maravilhosos numa época em que a Escola não sabia desfilar como hoje em dia!!!

  • Avatar
    23/07/2014 10:29:06Marcos JoséMembro SRZD desde 23/12/2010

    Bem que a Grande Rio poderia reeditar os enredos "Águas Claras para um Rei Negro", de 1992 ou "Os Santos que a África não viu", de 1994. Pois foram grandes enredos com sambas maravilhosos numa época em que a Escola não sabia desfilar como hoje em dia!!!

  • Avatar
    22/07/2014 10:33:10Almir da Silva LimaMembro SRZD desde 11/10/2011

    Imbecilizado adepto fanático pentecostal da Beija Flor, conforme este aí, ao invés de acovardar-se de se esconder sob a identificação de apenas um nome e ficar tentando me detratar como anti-Beija Flor, deveria fazer isto: Há uma pessoa (?!) leitora deste site que se acovarda, por se manter clandestina, insistindo em exibir o seu caráter abjeto, criminoso e baseado no moralismo pequeno-burguês infiltrado no comunitário território livre do mundo do samba de querer ofender a honra e a dignidade da rainha de bateria da Beija Flor. Não assisti ao aludido vídeo cuja postagem tem o propósito da intolerância com a agremiação mais vitoriosa da era sambódromo, fazendo a torpe ilação de que o enredo 2015 da Deusa da Passarela (Um griô conta a História: Um olhar sobre a África e o despontar da Guiné Equatorial. Caminhemos sobre a trilha de nossa felicidade) teria sido, entre aspas, negociado através de relacionamento sexual feito pela mencionada rainha de bateria com o filho-herdeiro do burguês, oligárquico e ditatorial presidente guinéu-equatoriano. Ao que se sabe, o compromisso de patrocinar tal enredo é de empresas privadas brasileiras que têm filiais sediadas no mencionado país africano. Não, do governo guinéu-equatoriano. Quanto ao suposto vídeo, a rainha de bateria em questão não integrou oficialmente a delegação representativa da agremiação na viagem àquele país africano. Ademais, ela é solteira estando livre e liberada para o relacionamento que melhor lhe aprouver. Saudações carnavalescas, Almir de Macaé.

  • Avatar
    21/07/2014 22:51:05RogérioMembro SRZD desde 26/05/2009

    A escola esse ano está trabalhando bem caladinha muito humildemente. Boa sorte minha Deusa, Saúde Anìsio, Laíla, Neguinho e todos os seguimentos, dia 4 se aproxima para o grande sorteio dos sambas concorrentes, aí saberemos quantos sambas terremos na disputa.

  • Avatar
    21/07/2014 22:45:45RogérioMembro SRZD desde 26/05/2009

    o fulano aí sempre vem com blablabla para denegrir as co irmãs e depois para posar de bom moço retruca falando bem da escola nilopolitana a Deusa da Passarela, pra mim mas um fanfarão que se caga guando escuta na avenida o grito de Neguinho Olha a Beija-flor aí gente. E que venham os sambas, um eu sei vai incomodar e muito.

  • Avatar
    21/07/2014 16:44:39Almir da Silva LimaMembro SRZD desde 11/10/2011

    Pra zoar os nilopolitanos fanáticos pentecostais que tenta me detratar como suposto anti-Beija Flor, eu respondo. A agremiação foi sacaneada algumas vezes pelos suspeitíssimos julgadores da LIESA com vice-campeonatos. Pior foi no dividido título do Carnaval 1998 quando foi notória a diferença de excelência do Samba-Enredo da Beija Flor (Pará, o mundo místico dos Caruanas, nas águas do Patu-Anu) ante o da Estação Primeira (Chico Buarque da Mangueira). O qual, com todo respeito ao Carnaval Paulistano, o samba, entre aspas, é sofrível. Aliás, devido ao título, o homenageado deixou de ser portelense, virando mangueirense. O que não ocorreu com o carnavalesco que desenvolveu o enredo, Alexandre Louzada, que voltou à agremiação do coração em 2014. Agora, a exaltação (que os aludidos nilopolitanos não conseguem fazer) ao samba-enredo nota 10 parceria dos compositores Alencar de Oliveira, Wilsinho Paz, Noel Costa, Baby e Marcão: (Beija Flor/E o mundo místico dos Caruanas/Nas águas do Patu-Anu/Mostra a força do teu samba (REFRÃ?O). Contam que no início do mundo/Somente água existia aqui/Assim surgiu o girador, ser criador/Das sete cidades governadas por Auí/Em sua curiosidade, aliada à coragem/Com seu povo ao fundo foi tragado/O que lá existia aflorou, o criador semeou/Surgindo os seres viventes em geral/E de Auí se deu a fauna, flora e mineral. Sou Caruana, eu sou/Patu-Anu nasceu do girador, obá/Eu trago a paz, sabedoria e proteção/Curar o mundo é minha missão (REFRÃ?O). Pajé, a pajelança está formada/Eu vou na barca encantada/Anhangá representa o mal/Evoque a energia de Auí/Pra vida sempre existir/Oferenda ao mar pra isentar a dor/Com a proteção dos Caruanas Beija Flor/A pajelança hoje é cabocla/Na Ilha de Marajó vou dançar o Carimbó/Lundu e siriá, marujada e vaquejada/Minha Escola vem mostrar/O folclore que encanta/O Estado do Pará). Saudações carnavalescas, Almir de Macaé.

  • Avatar
    20/07/2014 16:32:25LeandroMembro SRZD desde 20/10/2013

    Caro almir eu já lhe disse que a Beija flor dispensa este "título" rss que vc sempre se refere quando fala dela, porém, se vc se sente melhor e fica mais orgulhoso rss por isso, tentando fazer marketing para sua escola, fique a vontade.

  • Avatar
    18/07/2014 12:34:06DANIELMembro SRZD desde 21/07/2009

    Almir, me perdoa, mas você é complexo ao extremo!_ A Deusa da Passarela, sempre Deusa.

  • Avatar
    18/07/2014 11:41:51Almir da Silva LimaMembro SRZD desde 11/10/2011

    Conforme disse mestre Laíla, a afilhada de minha amada Majestade do Samba a Beija Flor a Deusa da Passarela para o Carnaval 2014 embora tenha definido em maio de 2013 a escolha do fracassado enredo (O astro iluminado da Comunicação brasileira) cujo desenvolvimento só ocorreu a partir de novembro de 2013. O que acabou levando a mais vitoriosa agremiação da era sambódromo, a ineditamente de 2003 pra cá ficar fora do desfile das campeãs pela primeira vez. Imagina o que poderá ocorrer, caso, a despeito de seu poderio financeiro-econômico, a tricolor caxiense vier a atrasar ainda mais a definição de escolha de seu enredo para o Carnaval 2015. Será que a Grande Rio, cuja agremiação nunca foi campeã e sempre acaba ficando entre as seis primeiras colocadas. Desta vez, ou seja, no Carnaval 2015 será que ocorrerá o mesmo com a agremiação caxiense, em meio às estreias de seu novo casal de coreógrafos, tirados a peso de ouro da coirmã & imerecida atual campeã amarelo-ouro & azul-pavão tijucana, e do sobrevalorizado no mercado do mundo do samba novo mestre & diretor da bateria-orquestra Invocada? Quanto à demora do prometido, pelo governo da Guiné Equatorial, patrocínio por parte de empresas brasileiras de bancar o enredo 2015 da Beija Flor intitulado (Um griô conta a História: Um olhar sobre a África e o despontar da Guiné Equatorial. Caminhemos sobre a trilha de nossa felicidade) conforme foi dito pelo mestre Laíla, crer-se no seguinte. Tais empresas brasileiras que devem ter filiais de exploração petrolíferas na Guiné Equatorial, uma vez que histórica e dogmaticamente empresas privadas só se interessam por lucros. Será inevitável que o burguês, oligárquico e ditatorial governo guinéu-equatoriano pressione neste sentido. Saudações carnavalescas, Almir de Macaé.

Comentar