SRZD



Maria Apparecida

Maria Apparecida

CARNAVAL. Historiadora, escritora e decoradora, é considerada uma das mais respeitadas autoridades do Carnaval de São Paulo. Há 35 anos começou a se interessar pelo samba, em que desenvolveu vários projetos. Entrou para a história ao se tornar a primeira carnavalesca da folia paulistana.

* Os textos desta seção não representam necessariamente a opinião deste veículo e são de responsabilidade exclusiva de seu autor.



21/07/2014 01h19

José Luiz de Oliveira, o Zelão
Maria Apparecida Urbano

José Luiz de Oliveira, o Zelão, começou sua trajetória de sambista ainda criança, brincando nas escolas de samba, sendo um dos mais antigos conhecedores do Carnaval de São Paulo nas últimas cinco décadas, desde a avenida São João, passando pela Tiradentes até a construção do Sambódromo.

Zelão. Foto: Divulgação

Pertencia ao Camisa Verde e Branco, onde foi diretor de harmonia na época de ouro da agremiação, tendo conquistado vários títulos e feito muitas inovações, melhorando o desempenho da escola.

O Carnaval exige também muita engenharia para a montagem dos desfiles. Esse trabalho, em grande parte, era realizado pelo engenheiro Zelão, que devido a sua capacidade, chegou a ser diretor de infra estrutura da Liga das Escolas de Samba.

Era dono de várias manias curiosas, entre elas, não passar em catracas. Também era avesso ao uso de camisetas e crachás de identificação, dizia "eu só visto camisa, mas não a uso" e assim circulava pelo sambódromo nos desfiles. Utilizava muitas tiradas e jargões próprios, como chamar certos carros alegóricos de carros cenográficos, o que na realidade pode-se classificar de muito certo.

Sambódromo do Anhembi. Foto: Ilustração

Profundo conhecedor de toda estrutura e dos bastidores, tinha o sambódromo mapeado na cabeça e o conhecia como a palma da sua mão. Era dedicado à causa de todos os pavilhões e trabalhava nos bastidores com afinco para tudo dar certo.

Zelão nos deixou no dia 21 de novembro de 2012, ficando o seu legado de amor e dedicação ao Carnaval. Foi um excelente sambista, um grande amigo, que vai ficar na memória de todas as agremiações nos desfiles no Sambódromo.

Se o Carnaval paulistano chegou a essa magnitude, uma boa parcela se deve ao empenho do engenheiro Zelão.

Já curtiu a página do SRZD-Carnaval no Facebook?


Comentários
  • Avatar
    08/10/2014 04:15:34Nilza de AlmeidaAnônimo

    Por favor Maria Apparecida , gostaria de poder saber onde este meu grande amigo foi sepultado. Agradeço.

Comentar

Isso evita spams e mensagens automáticas.