SRZD


07/08/2014 09h26

Confira o título do enredo e a sinopse da Nova Geração do Estácio para 2015
Redação SRZD

A direção da Nova Geração do Estácio entregou na noite da última terça-feira, em sua quadra de ensaios, a sinopse do enredo "Era uma vez... Um menino que tinha cabelos de algodão!", que a escola mirim levará para a Marquês de Sapucaí no próximo Carnaval. 

O enredo será uma homenagem ao cartunista, jornalista, escritor e dramaturgo Ziraldo. A agremiação vai tratar Ziraldo como personagem de história de ficção voltada para as crianças.

- Clique aqui e saiba tudo sobre o Carnaval 2015

Ziraldo. Foto: Divulgação

Durante a entrega da sinopse, houve palestra sobre o tema onde os jovens compositores puderam tirar as dúvidas com o autor do enredo Ricardo Dias e com o carnavalesco Vinicius Ferraz, ambos atuando pela primeira vez na Mirim do Estácio. "Trata-se de um enredo lúdico que teve duas grandes inspirações: a obra do Ziraldo, e a música Com a Perna no Mundo do Gonzaguinha,que traz em sua letra a figura marcante de um Menino do São Carlos que sai pelo mundo em busca do que a vida tem para lhe ensinar. Nos livros do Ziraldo voltados para o público infanto-juvenil, a figura de um menino sempre foi muito presente. Esse foi o click! Transformamos o mestre em um deles, um menino tal qual tantos outros marcantes de sua carreira", lembrou Rick.

A Direção de Carnaval apresentou também o calendário da disputa e seu regulamento.

Os compositores deverão entregar os sambas concorrentes no dia 28 de agosto, na quadra da escola, até 22h30. Cada parceria precisa levar 10 cópias da letra do samba e um CD com o áudio. A obra deve ter de 25 a 28 linhas. A apresentação dos sambas será dia 4 de setembro, quando já haverá eliminação.

Confira a sinopse:

"Era uma vez... Um menino que tinha cabelos de algodão!"

Ah os meninos... Pés no chão e a cabeça sempre nas estrelas... Peito cheio de esperanças e um olhar muito próprio dos que sonham! Já notaram que nada é mais saboroso do que a meninice de alguém?
Sim! Não há idade para ser um menino! Basta ter fé na vida, brilho nos olhos e sempre se deixar levar pelas doces e afinadas notas da "canção" que o mundo toca. Aí é só dançar conforme a música, calçar as velhas sandálias da aventura, vestir-se com trajes de ética e respeito, empunhar-se de uma atiradeira para caçar a tal felicidade e se lançar por aí em busca do que é seu de fato!
Tantos foram os "meninos que já desceram o São Carlos" acreditando na "alegria das coisas do coração". Nas mãos, um tanto de outras coisas a fazer! Mãos que "pegaram um sonho e partiram" para conquistar "terras e gente" de todo lugar. Guerreiros de "DNA Estaciano" e herdeiros por direito do "Berço do Samba".

Sou eu mais um destes guris sonhadores com sede de vencer, e hoje vou lhes contar uma das minhas mais incríveis histórias. Um conto repleto de amizade, aprendizado e aventura!

Certa manhã de sol, uma Cigarra muito inteligente e falante chamava a atenção de todos os que passavam à frente de uma banca de jornal e revistas para uma notícia inusitada. A novidade deixava todo o povo dali perplexo, de queixo caído mesmo: havia um reino lá pelas bandas das Minas Gerais, onde vivia um príncipe menino cujos cabelos eram de algodão! Sim meus amigos, o mais belo e alvo algodão!

Tão branquinhos quanto as nuvens do céu daquele longínquo lugar.

Curioso que só, me aproximei da tal Cigarra e logo tratei de me interar daquele fenômeno que tanto deixara aquela gente alvoroçada! Como podia um menino de verdade ter cabelos de algodão? Era o que todos indagavam. "Dizem que são poderes mágicos" respondia ela, e seguindo-se de mais explicações sobre o caso contava: "saibam que se trata de um nobre menino, e em seu reino, os habitantes do lugar vivem em total harmonia. Lá a amizade, o amor ao próximo e à natureza, e principalmente o respeito às diferenças e às crianças estão em primeiro lugar! Seus cachos são frutos de sua bondade e experiência!"
Ao ouvir tal relato não hesitei, eu precisava conhecer esta maravilha de lugar e o tal menino! Vendo meu total interesse em seu relato, a Cigarra então tratou de me dar dica: "para chegar neste reino fabuloso, é só embarcar nas asas de uma antiga invenção. Mesmo que ainda desconhecida de alguns, ela pode te levar a qualquer lugar... São as páginas de uma grande invenção chamada livro" esclareceu. Eu já tinha ouvido falar do "tal Livro", no entanto não havia sido devidamente "apresentado"... Quanto tempo perdido!

No entanto agora não haveria mais limites para este pequeno desbravador. Era a vez de descobrir outros lugares, alcançar novos horizontes, decolar em busca de um universo cheio de conhecimento e emoção! O "Menino do São Carlos", tão acostumado a ver o mundo lá de cima do morro, estava agora com "ele inteirinho nas mãos".

E longe, lá no Reino do Menino de Cabelos de Algodão, todos os habitantes também ficaram em polvorosa! É que todas as vezes que uma criança nova estava para chegar, o nobre petiz recebia a notícia através de suas macias madeixas. Era sempre uma alegria muito grande todas as vezes que se chegava um pequenino a bordo do bom e velho livro. O Príncipe Menino logo mandou preparar uma grande festa para receber tão ilustre visita, e de imediato todas as cores se juntaram ao Flicts para colorir a mais bela homenagem!

Em seguida muitos tambores ecoaram na Mata do Fundão convocando toda Turma do Pererê a se encarregar da animação da festa! Pois diga qual é a comemoração que não tem música? E veio todo mundo para ajudar: Tininim, Galileu, Geraldinho, Moacir, Alan, Pedro Vieira, a Tuiuiú, a Boneca de Pixe... Sem contar o Professor Nogueira e a Mãe Docelina! Mesmo a contra gosto do Galileu, Seu Neném e Compadre Tonico também apareceram por lá, no entanto era um dia de festa, e os planos agora eram somente de muita alegria!

De panela na cabeça, um menino muito maluquinho e seus amigos inventaram as mais deliciosas receitas de bom humor, parceria e amizade. Haja confusão quanto esta turminha se junta! Julieta, Bocão, Junin, Carol, Nina e até o Hermam deram aquela força para que tudo ficasse perfeito para o grande momento, ninguém ficaria sem saborear suas "Maluquices".

Aos poucos mais e mais convidados chegavam e a Mata do Fundão ia se enfeitando das mais "Belas Borboletas" que sobrevoavam todo o reino e iam "Além do Rio" que banhava o lugar. O "Menino Marrom" também se encarregou de trazer "O Bichinho da Maçã", já que este, coitado, nunca saia de casa...
Fui recebido com grande honraria pelo Menino de Cabelos de Algodão, que tinha por habito cuidar do futuro da molecada, e logo me senti em casa. Era como se os becos e vielas do meu lugar tivessem sido transformados no mais belo cenário de natureza viva, tudo o que sempre desejei para toda minha gente sofrida lá do morro!

Conheci também uma "Professora Maluquinha" acompanhada de outro menino que atendia pelo nome de "Quadradinho". Ela me contou que o guri tinha saído de uma revista em quadrinhos que ela distribuiu aos seus alunos nas aulas do colégio. Só mesmo o "Canguru" para acreditar numa história destas... A festança estava formada e não tinha hora para acabar!

No entanto nunca existirá pleno presente se não fomentarmos o nosso futuro de maneira sólida! É importante valorizarmos as experiências e também focar no que virá! Nosso anfitrião tinha uma surpresa para todos que guardara até o final. Dos céus um lindo "carrossel iluminado" trouxe uma "Nova Geração de Meninos"! "Meninos da Lua", "do Espaço"e também "Meninas das Estrelas", mas que poderiam muito bem ser do Estácio, da Mineira... Com a pureza, inquietude e garra tão característica deles, essa meninada chega trazendo uma novidade para todo o Reino. Uma tecnologia inovadora capaz também de nos fazer viajar da mesma forma que o bom e velho livro. O Menino dos Cabelos de Algodão, mesmo sem abrir mão da mais importante invenção da humanidade, agora tinha mais uma forma de chegar perto das suas crianças e ensinar seu lema: "Ler é mais importante que estudar".

Infelizmente é chegada a hora de regressar! Tantas foram "as Dinas" a quem afirmei que voltava quando parti do morro! A medalha no peito é o aprendizado, e agora as portas dos dois mundos permanecerão sempre abertas: a da realidade e também a da fantasia. Após um longo abraço de gratidão e um afago nos seus cabelos macios, contemplo de novo aqueles intrépidos olhos de menino que tanto me encantaram, era só um até breve! "Amanhã bato a perna no mundo, é que o mundo é que é meu lugar".

Ricardo Dias (Texto, enredo e argumento) / Vinicius Ferraz (Carnavalesco)

Ao eterno Ziraldo, o Menino de Cabelos de Algodão
Texto inspirado na obra do mestre Ziraldo (a fantasia) e na música "Com a Perna no Mundo" de Gonzaguinha (a realidade)
Primeiro setor - O Descobrindo o fantástico Reino do Menino dos Cabelos de Algodão
Segundo Setor - É festa! Seja bem vindo à Mata do Fundão!
Terceiro setor - Os Meninos de uma Nova Geração

Já curtiu a página do SRZD-Carnaval no Facebook?

 



Comentários
Comentar