SRZD



Laíla

Laíla

CARNAVAL. Luiz Fernando Ribeiro do Carmo, o Laíla, nasceu em 1943, no Morro do Salgueiro, situado na Tijuca, no Rio. Foi lá que o hoje renomado Diretor de Carnaval e Harmonia teve seu primeiro contato com o samba e o Carnaval, e onde criou, nos anos 50, uma Escola de Samba Mirim, chamada Independentes da Ladeira, que foi um grande sucesso na época, funcionando como espécie de trampolim para o convite feito pelo Acadêmicos do Salgueiro. Líder nato e apaixonado por seu trabalho, Laíla acumulou profundos conhecimentos harmônicos e melódicos ao longo dos seus 54 anos de atividade; tendo trabalhado, ainda, como cantor, músico e compositor. A primeira junção de sambas-enredo foi feita por Laíla, em 1975, em "As Minas do Rei Salomão"; e de lá para cá, todas as junções de sambas-enredo feitas por ele, nas diversas escolas por onde passou, foram sucesso. Há 45 anos trabalha como produtor do CD de sambas-enredo das Escolas de Samba do Grupo Especial do Rio de Janeiro, e há 26 é o Diretor Geral de Carnaval e Harmonia da Beija-Flor de Nilópolis, onde criou, em 1997, a vitoriosa Comissão de Carnaval da Agremiação.

* Os textos desta seção não representam necessariamente a opinião deste veículo e são de responsabilidade exclusiva de seu autor.



19/08/2014 13h59

Videoblog: Laíla garante que não fará uma África igual a da Imperatriz
Redação SRZD

Especializada em fazer desfiles de sucesso quando fala sobre a temática africana, a Beija-Flor quer inovar. Entre as novidades que a escola pretende levar para a Sapucaí está buscar na África primitiva, a solução para mostrar um continente diferente. Sem falar de orixás e apostando na participação do negro junto a humanidade, a azul e branco de Nilópolis pretende surpreender a Sapucaí.

Confira o vídeo:

 



Comentários
  • Avatar
    23/08/2014 12:56:15AlanMembro SRZD desde 19/08/2014

    Acredito que a Beija vai fazer um ótimo desfile.Apesar de ser um enredo que já foi citado por muitas vezes em seus carnavais , a temática Africana pode ser desenvolvida por vários olhares , por exemplo :O período colonial da Guiné se iniciou quando tropas francesas penetraram na região em meados do século XIX...O Orixá não será incluído no enredo porque creio eu que o carnaval da Beija vai trazer mais a energia humana do que a espiritual.

  • Avatar
    19/08/2014 18:25:17RogérioMembro SRZD desde 26/05/2009

    Não resta duvidas de que a Beija-flor fará um belíssimo desfile e diferente de tudo que já se viu .... Sou negro na raça, no sangue e na cor Um guerreiro beija flor Ã?h minha deusa soberana Resgata sua alma africana

  • Avatar
    19/08/2014 16:57:24ClovisMembro SRZD desde 07/04/2009

    Pois é Phlippe, vc pode ter certeza que a Beija-Flor mostrará uma África bem diferente do costume até pq ao se falar do continente, não existe a obrigatoriedade de falar de orixás já que só uma parte específica do continente é que os conhece. A maioria dos que torcem contra, qdo sabem que o enredo da BF é África, retiram das suas gavetas empoeiradas teses mau escritas de doutorados e phds para tentar denegrir a imagem da escola pois sabem que lá vem coisa boa. E como vc mesmo falou, sabem que correm um grande risco de ter esperar para o carnaval seguinte qualquer pretensão de vitória. Muitos estão nessa fila tem tanto tempo que eles nem mesmo sabem o porque estão lá...kkkkkkk Mas, estamos apenas no início dos trabalhos, vamos aguardar o desenrolar dos fatos. Tenho certeza de que a escola fará um ótimo desfile.

  • Avatar
    19/08/2014 16:22:27Phelippe Beija FlorMembro SRZD desde 22/02/2012

    acredito mto em um desfile diferente de todos q a beija flor ja fez falando de africa ate pelo ponto principal de não falar dos orixas q sempre esteve muito presente na escola com os sambas concorrentes de alto nivel acredito em uma beija flor muito forte na disputa do titulo em 2015 e isso concerteza vai fazer com q muitos critique o tema e a escola pq isso incomoda afinal td mundo sabe q beija flor e africa e casamento perfeito e pode manter escolas grandes por mais um ano na fila de espera por um titulo

  • Avatar
    19/08/2014 15:55:23Almir da Silva LimaMembro SRZD desde 11/10/2011

    Premido por um lado pela equivocada filosofia imposta pelo patrono e pelo presidente da Beija Flor de repetir enredo, tema e fio condutor ´afros´ através de viés mercantilizado. E por outro, ante a inesperada 7ª colocação no Carnaval 2014 que deixou a agremiação ineditamente fora das campeãs mais a coincidência da Imperatriz também ter escolhido um enredo ´afro´ para o Carnaval 2015. Tudo isto acabou levando o gabaritadíssimo diretor geral de Harmonia & Carnaval da Beija Flor, mestre Laíla, a ser repetitivo de que no Carnaval 2015 a agremiação apresentará um desfile â??afroâ?? diferente de tudo que já se viu até agora. Assim, desde o anúncio da escolha do enredo cujo título é redundante ao repetir a preposição sobre (Um griô conta a História: Um olhar sobre a África e o despontar da Guiné Equatorial. Caminhemos sobre a trilha de nossa felicidade) que mestre Laíla passou a fazer questão de afirmar que ocorrerá ineditismo deste enredo ´afro´. Ocorre, com todo respeito ao mestre Laíla, se tomarmos como base a letra dos sambas concorrentes em disputa para definição do samba-enredo 2015 tanto da Beija quanto da Imperatriz cujo título do enredo é (Axé N´Kenda! Um ritual de liberdade: ´E que a voz da igualdade seja sempre a nossa voz´) o foco é o mesmo. Ou seja, a exaltação à crença ou ideologia fundamentalistas na equivocada existência não comprovada cientificamente de ´raças´ humanas, o racialismo. O qual, em relação às pessoas de cor da pele preta/negro/negra originárias da África, sirva de contraponto à opressão representada pela ideologia de dominação de uma classe social e ou povo sobre outro baseado na diferenciação antropológica. Isto é, na diferenciação da cor da pele ou de traços étnico-raciais, o racismo. Saudações carnavalescas, Almir de Macaé.

Comentar