SRZD


14/09/2014 11h38

Samba da parceria de André Kaballa se torna o hino da Em Cima da Hora para 2015
Redação SRZD*

O SRZD-Carnaval foi a Cavalcanti na noite deste sábado (13) acompanhar a acirrada disputa entre as três parcerias finalistas da Em Cima da Hora. Quem esteve presente na quadra curtiu a apresentação de vários segmentos da azul e branca, que cantaram e sambaram ao som da bateria do mestre Luciano e na voz de Ciganerey. Hinos inesquecíveis foram entoados, inclusive o belíssimo "Os Sertões", do desfile de 1976 e que foi reeditado na Avenida neste ano de 2014.

- Clique aqui e ouça o samba campeão

- Saiba tudo sobre o Carnaval 2015

Casal de mestre-sala e porta-bandeira da Em Cima da Hora. Foto: SRZD - Rodrigo Trindade

A primeira parceria subiu ao palco por volta de 1h30 da madrugada deste domingo. Ivanir Ramos, Luis Caxias, Célio Marques, Odmar do Banjo e Barata Benevenuto tiveram cerca de 30 minutos para apresentar a música e mostrar as qualidades daquela obra. Em seguida, se apresentaram a parceria de Julinho Cá, Pedrinho, Júlio do 13, Lucas do Grama e Rogerinho e ainda a equipe de André Kaballa, Carlos Botafogo, Gláucio Guterres, Alexandre Gordão e Gilson.

Por volta das 5h da manhã veio o anúncio do samba campeão: a obra de André Kaballa e seus companheiros venceu a disputa e se consagrou hino oficial da Em Cima da Hora para o Carnaval 2015.

Parceria campeã. Foto: SRZD - Rodrigo Trindade

Parcerias comentaram emoção de concorrer na Em Cima da Hora

Ao longo das apresentações, o SRZD-Carnaval conversou com membros das três parcerias concorrentes ao hino oficial da escola. Ivanir Ramos, primeiro a subir ao palco com seus companheiros, comentou sobre as qualidades de seu samba. "Minha parceria foi feita com amigos e músicos. Tivemos muita facilidade em fazer essa obra, que julgo ser uma boa obra. Temos uma melodia linda e letra excelente. É cara da Em Cima da Hora. Nasci aqui, sou filho de fundador e conheço a alma da escola", enfatizou.

Ivanir, que acumula cinco campeonatos na azul e branca, comenta a emoção de concorrer na escola por mais um ano. "Cada ano é uma emoção diferente. Somos pentacampeões e se ganhássemos este ano, a emoção seria ainda maior", disse o músico ao SRZD-Carnaval.

Emocionado, Julinho Cá também conversou com o SRZD-Carnaval e comentou sobre a nova fase da Em Cima da Hora. "Estamos fazendo esse trabalho aí que vocês estão vendo. A escola volta à Sapucaí após 10 anos e esse ano é o primeiro concurso da escola, que está escrevendo uma nova história, pois no último desfile ela reeditou um enredo antigo", afirmou.

O músico, que possui 22 vitórias em disputas de samba no Rio, também já foi campeão em outras épocas na Em Cima da Hora. "Já ganhei cinco sambas aqui e a cada vitória que temos, é como se nascesse um filho novo. Meu samba tem uma história bem contada, refrões fortíssimos. Estou muito confiante", afirmou Julinho em bate-papo com o SRZD-Carnaval.

Fotos: SRZD - Em Cima da Hora

Compositor campeão não participou de festividade por causa de cirurgia

Embora seu samba tenha sido o campeão da noite, André Kaballa não esteve presente para comemorar a vitória junto com seus parceiros devido a uma cirurgia recente, mas quem falou ao SRZD-Carnaval representando o compositor foi Shazam, seu amigo pessoal e que teve participação especial na apresentação. "Nosso samba é muito completo em termos de letra. Os refrões são legais e fortes, inclusive o do meio, que se completa com o principal".

O rapaz, que concorreu junto com seus parceiros pela primeira vez na escola, comentou a emoção de ser campeão. "É diferente ganhar pela primeira vez aqui. Estamos surpresos, apesar de termos confiado bastante numa boa colocação, já que chegamos à final. Mas ser campeão pela primeira vez é uma emoção muito diferente. Estamos muito felizes", declarou Shazam ao SRZD-Carnaval.

Carnavalesco Marco Antonio revelou detalhes para 2015

A Em Cima da Hora reeditou em 2014 "Os Sertões", enredo de 1976, ano em que um forte temporal atingiu praticamente todos os setores da escola, que desfilou com apenas um tripé, único elemento que restou após enxurrada. Este ano, porém, a agremiação veio completa e sob as bençãos da previsão do tempo e do júri, mesmo com poucos recursos, conseguiu realizar um desfile digno e emocionante, esquecendo os momentos tristes do passado.

Em entrevista ao SRZD-Carnaval, o carnavalesco Marco Antonio, responsável por manter a escola na Série A, explicou um pouco sobre o enredo, apoiado no tema "No coração da cidade: Uma história de mil e uma noites. O Rio das Arábias". A promessa da Em Cima da Hora é homenagear a Cidade Maravilhosa, mas de uma forma diferente. "O tema é de minha autoria. Tenho isso guardado há quatro anos. Sempre quis homenagear o Rio de Janeiro, mas de uma maneira que fugisse à regra. Iremos celebrar os 450 anos da cidade tendo como gancho a cultura árabe e o mercado popular do Saara", explicou.

Marco Antônio. Foto: SRZD - Rodrigo Trindade

O artista comentou, também, sobre as dificuldades da escola no último ano e os investimentos futuros. "Nesse ano passamos por uma prova de fogo, mas conseguimos nos manter na Série A. Manteremos para 2015 a mesma equipe. Estamos nos reestruturando. Trocamos nossas alegorias por chacis maiores. Vamos vir com cara de escola grande. Apostaremos novamente em uma boa iluminação e em alegorias grandes. Nosso abre-alas terá cerca de 50m de comprimento. Virá nas cores azul e lilás e representará a parte lúdica do enredo, ou seja: as mil e uma noites. Vai ser lindo", revelou em conversa com o SRZD-Carnaval.

Perguntado sobre o samba campeão, Marco Antonio opinou. "Tivemos uma boa safra neste ano, com seis obras. Agora, na final, afunilou para três sambas, mas todos estavam habilitados para vencer e infelizmente só poderíamos escolher um hino e a decisão veio por parte da diretoria da escola", disse.

Presidente quer aperfeiçoar o conjunto. Bateria terá cadência ?clássica?

Heitor Fernandes, presidente da Em Cima da Hora, conversou com o SRZD-Carnaval e mostrou-se bastante seguro com o andamento das atividades da escola rumo ao desfile de 2015. O dirigente pretende aperfeiçoar os segmentos da azul e branca e consertar os possíveis erros do último desfile. "Permanecemos na Série A e teremos a chance de consertar nossas falhas. Acredito muito em nossos investimentos e no trabalho que a escola vem desenvolvendo. Temos um novo mestre de bateria e agora um novo samba. A escolha foi em prol da escola. Vamos investir tudo que a gente puder para que a escola consiga a melhor colocação possível", afirmou.

Heitor Fernandes. Foto: SRZD - Rodrigo Trindade

Mestre Luciano, contratado pela Em Cima da Hora para reger a bateria, contou ao SRZD-Carnaval que veio da Unidos da Tijuca, onde é ajudante do mestre Casagrande. Segundo ele, os próximos passos após escolha do samba será os ensaios junto com todos os segmentos da escola. "Iremos afinar o canto e a bateria todas as quartas para entrar com tudo na Sapucaí. Minha bateria é clássica. Andamento e afinação são características do meu trabalho", ressaltou.

Torcida do samba campeão. Foto: SRZD - Rodrigo Trindade

*Rodrigo Trindade - colaborador do SRZD

Já curtiu a página do SRZD-Carnaval no Facebook?



Comentários
Comentar