SRZD



Dicá

Dicá

CARNAVAL. Ativista negro, embaixador e cidadão samba paulistano de 2004, é compositor, batuqueiro, passista e fundador da Velha Guarda da Rosas de Ouro de Vila Brasilândia, junto com a embaixatriz do samba Maria Helena. É pesquisador cultural e estudioso da cultura popular brasileira e afrodescendente.

* Os textos desta seção não representam necessariamente a opinião deste veículo e são de responsabilidade exclusiva de seu autor.



30/12/2014 15h59

'O samba nos torna diferentes no universo em que vivemos', celebra Dicá
Dicá

Quero deixar meu abraço a todos leitores do SRZD nessa data festiva que inicia um novo ano na vida de todos nós.

Espero que seja um ano de muita paz, prosperidade, amor e compreensão entre todos que são contemporâneos nesse momento tão importante que é o tempo de nossas vidas.

Relógio. Foto: Arte

Como uma pessoa apaixonada pela cultura brasileira e suas derivações, quero mandar um grande abraço a todos aqueles que dedicam suas vidas na criação, na manutenção, e na divulgação dos diversos fatores que mantém vivo esse "jeito brasileiro de ser" que é a arte brasileira, que nos torna tão diferentes diante do universo em que vivemos.

Como um brasileiro apaixonado pelo samba que sou e que me dá consciência, convívio e alegria, quero dividir com todos a nobreza de ser um sambista.

Embora tenhamos diversas atuações nessa vida de muitas funções como cidadãos, penso que o samba é um dos principais fatores de integração social, racial e politica.

Foi na defesa dessa cultura que ampliei minhas amizades, o reconhecimento e o respeito na sociedade em que vivo.

Como sambista, pude representar São Paulo juntamente com minha esposa a Embaixadora e Embaixatriz Maria Helena através de um honrado título ganho num terreiro de samba. O título de Cidadãos Samba no ano de 2004, ano esse, em que São Paulo comemorou seus 450 anos.

Como Cidadãos Samba, colocamos a família que é a base de toda sociedade em nossos passos e viajamos por inúmeras cidades brasileiras participando de diversos eventos.

Em São Paulo foi um ano mais que especial, desfilamos em blocos, bandas, escolas de samba, trios elétricos e também, com muita honra, recebemos todas escolas de samba nos desfiles do Carnaval paulista em nosso sambódromo.

Falamos da importância do samba em diversos lugares, principalmente no aspecto cultural e como fator de agregação racial em nosso país, principalmente sob o aspecto familiar.

Agradeço ao SRZD a oportunidade de poder relatar alguns pensamentos a respeito do samba nesse veículo de tamanha importância no cenário cultural brasileiro!

Um grande abraço a todos!

Fogos de artifício. Foto: Reprodução

Já curtiu a página do SRZD-Carnaval no Facebook?


Comentários
  • Avatar
    31/12/2014 08:05:16Cássio de OliveiraAnônimo

    Lindo texto meu irmão Dicá! Que 2015 seja mais um ano de glórias para o samba e para a cultura afro-brasileira e brasileira em geral....todos nós merecemos essas conquistas! Muito axé pra vc, pra nossa embaixatriz Maria Helena e toda a família! Abraços Cassio de Oliveira GRES Quilombo

Comentar

Isso evita spams e mensagens automáticas.