SRZD


05/01/2015 14h00

Sobre convite da Estácio, Quinho volta atrás: 'Não cheguei para tomar lugar de ninguém'
Redação*

A notícia de que Quinho integraria o carro de som da Estácio de Sá para o desfile de 2015 surpreendeu o mundo do samba no final de dezembro. Mas as informações, desencontradas, ainda deixavam dúvidas sobre a participação ou não do cantor, ex-intérprete do Salgueiro. O SRZD-Carnaval chegou a publicar a notícia, através do blogueiro Cadu Zugliani, com informações vindas de fontes oficiais da escola do Morro de São Carlos.

Quinho, que viveria sua estreia junto com Leandro Santos e Dominguinhos do Estácio no ensaio técnico deste domingo (4) na Marquês de Sapucaí, após embate de ser contratado ou não, resolveu repensar o convite feito pelo presidente da agremiação, Leziário Nascimento. A Estácio de Sá, após negar várias vezes a contratação, havia anunciado, dias depois, a participação do cantor e isso teria gerado um desconforto entre os outros membros.

Ao falar com o SRZD-Carnaval na manhã desta segunda-feira (5), o intérprete desabafou. Segundo ele, houve um mal-estar entre a equipe desde quando a escola anunciou, em reunião de diretoria, uma possível contratação. "Percebi que algumas pessoas ficaram reticentes. Nós sabemos quando somos bem aceitos e quando não somos. Mas não tiro a razão deles. O momento é deles e eu não posso e nem quero tirar o lugar deles", afirmou.

Quanto ao ensaio deste domingo, Quinho explicou que não veio no carro de som durante o treino porque percebeu, mais uma vez, que havia um clima ruim. "O presidente Leziário é meu amigo. Em respeito a ele, só dei o grito de guerra e desci do carro. Fiquei embaixo, com alguns desfilantes, mas não me senti bem e fui embora com minha família", disse.

Com passagem sólida pela Acadêmicos do Salgueiro, Quinho falou de sua escola de coração e afirmou que quer voltar. "Tenho maior respeito pelo Leandro e pelo Dominguinhos, que é meu amigo. Sou fã incondicional desses meninos. Mas meu lugar é no Salgueiro. Quero deixar eles trabalharem em paz. Vou bater palmas para a Estácio de Sá de longe, mas quero deixar todo mundo à vontade. Vou agradecer o convite feito pelo Leziário, mas não poderei aceitar esse convite", informou ao SRZD-Carnaval.

Quinho quer voltar para sua escola de coração. Foto: Arquivo SRZD

Dominguinhos do Estácio: 'Quem vier para somar será bem-vindo, pois a escola quer vencer!'

O SRZD-Carnaval também conversou com Dominguinhos do Estácio, uma das vozes da escola. Para Dominguinhos, a contratação de Quinho para o carro de som não seria nenhum problema. "Quem fez o convite foi a diretoria e, a princípio, achei uma ideia legal, pois como Quinho está fora do Carnaval, seria bom para ele e até mesmo para a Estácio, pois o cantor é uma figura ímpar", defendeu.

Ao contrário de Quinho, Dominguinhos não teria sentido um "clima ruim" entre os cantores durante o ensaio deste domingo. "O Quinho só não veio no carro de som porque ele ainda está aprendendo o samba da Estácio. Foi apenas isso. Ele riu, brincou com a gente lá antes do ensaio começar. Não houve problema algum. O Quinho é um rapaz muito responsável. Ele sentiu que não dominava o samba e não quis seguir, mas ele é sempre bem-vindo", esclareceu.

Quanto a uma possível contratação para somar no carro de som, Dominguinhos também não se opôs. "Quem vier para somar com a escola vai ser bom, pois a Estácio quer ser campeã e tudo que vier de bom será positivo". O cantor também se surpreendeu com as declarações de Quinho. "Me surpreendi com o fato dele não ter se sentido à vontade conosco. Pode ser que ele tenha repensado o convite de ontem para hoje, mas se ele tiver que vir conosco, será muito bem-vindo", falou Dominguinhos em entrevista ao SRZD-Carnaval.

Leziário Nascimento, presidente da escola, confirma convite

Ao falar com o SRZD-Carnaval, o presidente da Estácio de Sá, Leziário Nascimento, afirmou não saber da última decisão de Quinho, sobre não participar do carro de som. Segundo o dirigente, o convite permanece, mas ainda não houve uma segunda conversa com o ex-cantor do Salgueiro. O SRZD-Carnaval também tentou falar com o cantor oficial Leandro Santos, mas sem sucesso.

Em nota enviada nesta segunda-feira ao SRZD-Carnaval, a assessoria de imprensa da Estácio de Sá afirmou que aguarda uma posição definitiva da escola acerca da participação ou não de Quinho no carro de som em 2015.

Leziário, presidente, Dominguinhos, cantor, e Leandro Santos, 1ª voz da Estácio. Foto: Arquivo SRZD

*Rodrigo Trindade, colaborador do SRZD.

-Leia as últimas notícias do Carnaval 2015

Já curtiu a página do SRZD-Carnaval no Facebook?

 



Comentários
  • Avatar
    08/01/2015 15:19:32Almir da Silva LimaMembro SRZD desde 11/10/2011

    Espero esclarecer pondo fim ao debate de ideias. Os comentários que aqui posto baseiam-se em conceitos filosóficos, existindo parte técnica, é complementar. O fato de uma pessoa ser professor de música e bacharel em técnica vocal e violão, não faz da mesma: â??O caminho, a verdade e a vidaâ?. Com todo respeito, democraticamente, continuo considerando preconceituosa, elitista e sectária a desqualificação dos predicados vocais de cantor/intérprete/puxador de sambas-enredo de Quinho. Explicando, o imortal presidente de honra eterno da gloriosa Estação Primeira de Mangueira, Mestre Jamelão, embora contemporâneo de Quinho, não cabe na confrontação, pois, enquanto CANTOR/intérprete/puxador de sambas-enredo é o maior de todos os tempos, inclusive um dos maiores da Música Popular Brasileira (MPB). Quanto aos demais contemporâneos de Quinho citados aos quais seria uma afronta o fato de eu considerá-lo ótimo cantor/intérprete/puxador de sambas enredo, se trata de subjetividade, agrado ou gosto pessoal. Por exemplo, embora tenha tantos Estandartes de Ouro quanto Mestre Jamelão, o timbre vocal de Neguinho da Beija Flor a mim não agrada, ainda que eu o considere ótimo cantor/intérprete/puxador de samba-enredo inclusive de MPB. Saudações carnavalescas, Almir de Macaé.

  • Avatar
    08/01/2015 09:49:35Murilo Oliveira de AndradeMembro SRZD desde 26/12/2014

    Me desculpe, caro Almir de Macaé, mas observo que você utiliza argumentos técnicos em todos os assuntos aqui neste espaço, porém, irei falar como professor de música, formado bacharel em técnica vocal e violão, conceituar o Quinho como ótimo intérprete é uma afronta a cantores da mesma geração deste, como Dominguinhos do Estácio, Preto Joia, Neguinho da Beija Flor (por mais rouco que esteja) e o mestre Jamelão (que cantou maravilhosamente bem, com mais de 90 anos), portanto no assunto música, que eu creio ter estudado o bastante para poder opinar, o Quinho sempre esteve e estará longe de ser comparado até mesmo com os intérpretes da geração dele. E mais uma observação, as técnicas de canto e utilização da voz não sofreram muita mudanças desde a época da geração que você citou, elas continuam praticamente as mesmas. Não confunda animador de torcida com um Intérprete de verdade.

  • Avatar
    07/01/2015 18:56:06Almir da Silva LimaMembro SRZD desde 11/10/2011

    Uma coisa é criticar Quinho enquanto sambista â??granaleiroâ?. Isto é, criticá-lo enquanto profissional escravizado pela ambição de sempre ganhar uma grana preta seja como cantor/intérprete/puxador oficial de Escolas de Samba seja como como compositor & intérprete de jingles de propaganda política-eleitoral de políticos burgueses, fisiológicos e ou/corruptos. Outra coisa é o sectarismo de desqualificá-lo confrontando os predicados de cantor/intérprete/puxador de uma fornada (geração) que não é a mesma de Serginho do Porto principalmente do multimídia Leonardo Bessa. Os predicados (timbre vocal e estilo de cantar/interpretar/puxar samba-enredo) são diferentes e de outros tempos (formadas). Eu, por exemplo, aprendi isso dialogando com Leonardo Bessa e Emerson Dias da Grande Rio aqui mesmo neste site na seção â??Papo Coirmãoâ?. Da fornada (geração) dele próprio, Quinho é sim um ótimo cantor/intérprete/puxador. Quanto ao desejo dele de voltar para â??casaâ? (Salgueiro) que não é a dele, mas, sim a União da Ilha de onde é originário, já era. O tempo passou. Quinho se perdeu ao bater de frente com a presidente-comandante a bamba Regina Celi Fernandes. Saudações carnavalescas, Almir de Macaé.

  • Avatar
    07/01/2015 18:56:05Almir da Silva LimaMembro SRZD desde 11/10/2011

    Uma coisa é criticar Quinho enquanto sambista â??granaleiroâ?. Isto é, criticá-lo enquanto profissional escravizado pela ambição de sempre ganhar uma grana preta seja como cantor/intérprete/puxador oficial de Escolas de Samba seja como como compositor & intérprete de jingles de propaganda política-eleitoral de políticos burgueses, fisiológicos e ou/corruptos. Outra coisa é o sectarismo de desqualificá-lo confrontando os predicados de cantor/intérprete/puxador de uma fornada (geração) que não é a mesma de Serginho do Porto principalmente do multimídia Leonardo Bessa. Os predicados (timbre vocal e estilo de cantar/interpretar/puxar samba-enredo) são diferentes e de outros tempos (formadas). Eu, por exemplo, aprendi isso dialogando com Leonardo Bessa e Emerson Dias da Grande Rio aqui mesmo neste site na seção â??Papo Coirmãoâ?. Da fornada (geração) dele próprio, Quinho é sim um ótimo cantor/intérprete/puxador. Quanto ao desejo dele de voltar para â??casaâ? (Salgueiro) que não é a dele, mas, sim a União da Ilha de onde é originário, já era. O tempo passou. Quinho se perdeu ao bater de frente com a presidente-comandante a bamba Regina Celi Fernandes. Saudações carnavalescas, Almir de Macaé.

  • Avatar
    07/01/2015 11:23:30Murilo Oliveira de AndradeMembro SRZD desde 26/12/2014

    Apenas uma observação. Como animador de agremiação e de torcida, o Quinho é ótimo. Porém, conceituá-lo como um bom INTÃ?RPRETE é demais. Ninguém entende o que ele canta, sua dicção é terrível, e sua voz já não é mais a mesma. Todos nós sabemos que ultimamente quem segurava forte os sambas do Salgueiro eram os excelentes Leonardo Bessa e Serginho do Porto, enquanto o Quinho apenas gritava e fazia seus "cacos", ou seja, isso não é cantar.

  • Avatar
    06/01/2015 15:59:48Almir da Silva LimaMembro SRZD desde 11/10/2011

    Embora o site se refira ao Salgueiro como â??escola de samba do coraçãoâ? do ótimo cantor/intérprete/puxador Quinho, Melquisedeque Marins Marques, e ele próprio diga: â??Lá é o meu lugar e para onde quero voltarâ?. O fato é que Quinho era apoio no carro de som da União da Ilha em 1985 quando estreou como voz oficial substituindo o saudoso, legendário e excelente Aroldo Melodia que tinha se desentendido com a então diretoria da Tricolor Insulana indo para a agremiação da estrela-guia de Padre Miguel, retornando em 1986. Nesse ano e em 1987 Quinho ainda â??segurou a ondaâ? permanecendo na União da Ilha como apoio. Porém, a partir de 1988 ele revelou-se personagem do inesquecível samba-enredo 1990 da São Clemente intitulado E o Samba Sambou cuja letra diz: â??E o puxador vendeu seu passe novamente/Quem diria, minha gente/Vejam o que o dinheiro fazâ?. Ou seja, sempre contratado por boa soma em dinheiro e ou carro de luxo zero quilômetro, Quinho tem no currículo passagens pelas seguintes agremiações do Carnaval Carioca: União da Ilha (de 1985 a 1990 e 1994), Salgueiro (de 1991 a 1993, de 1995 a 1999 e de 2003 a 2014), Grande Rio (2001 e 2002). Em 1993 ele também teve uma passagem pela São Clemente então no grupo de acesso a atual Série A. No Carnaval Paulista Quinho teve passagens pela Unidos de Vila Maria (de 2008 a 2010 e 2012), Rosas de Ouro (2000) e em 2011 pela Tamandaré em Guaratinguetá. Em 2005 Quinho teve uma passagem pela escola de samba da capital gaúcha Porto Alegre, Vila do IAPI e outra pelo Carnaval do Amapá em 2010 contratado pela escola de samba da capital Macapá, Boêmios do Laguinho. Saudações carnavalescas, Almir de Macaé.

Comentar