SRZD


27/03/2015 08h56

Viradouro confirma reforços na equipe para buscar mais um título em 2016
Redação SRZD

A Viradouro confirmou a contratação de novos nomes para reforçar a equipe e tentar buscar mais um título no Carnaval 2016.

O nome mais recente confirmado pela agremiação foi o de Hélio Bejani, que vai comandar a comissão de frente, ao lado de Beth Bejani. O coreógrafo já ganhou diversos prêmios pelo desempenho do segmento, tanto por sua passagem pela Caprichosos de Pilares, quanto pelo Salgueiro.

Foto: Diego Mendes

Márcia Lage será responsável pelo desenvolvimento do enredo. Mestre Paulinho Botelho, que já atuou na vermelha e branca, é o novo mestre de bateria. O novo primeiro casal será formado por Marquinhos e Giovanna que, em 2015, ficaram afastados dos desfiles, atuando como comentaristas do SRZD-Carnaval. Alessandra Chagas e Marlon Flores foram desligados. Outro novo nome é o de Wilsinho, ex-presidente da Vila Isabel, que vai desempenhar a função de diretor de Carnaval.

O intérprete oficial Zé Paulo Sierra, que ganhou o Prêmio SRZD-Carnaval 2015, teve seu contrato renovado.

A Viradouro foi rebaixada para a Série A no último Carnaval.

- Viradouro contrata Márcia Lage para 2016

- Clique aqui e saiba tudo sobre o Carnaval 2016

Foto: Diego Mendes

Já curtiu a página do SRZD-Carnaval no Facebook?

 


Veja mais sobre:ViradouroCarnaval 2016

Comentários
  • Avatar
    04/04/2015 18:32:43Almir da Silva LimaMembro SRZD desde 11/10/2011

    Dentre as novas contratações de profissionais-sambistas para o Carnaval Carioca 2016 grupo de acesso/Série A apresentadas pela Viradouro, a da carnavalesca Márcia Lávia Lage chama atenção. Isso, porque é relacionada à duas mazelas da sociedade, reproduzidas no mundo samba exatamente porque dela não é apartado. Me refiro aos fatos sociais comuns em uma sociedade capitalista, isto é, dividida em classes sociais a mais perversa das opressões, sendo que há outras específicas e estratégicas como as discriminações de gênero e a étnico-racial contra indígenas e pretos/negros/afrodescendentes. Em relação às mulheres negras a opressão acaba caracterizando-se como tripla. Ou seja, a discriminação/opressão é de classe social contra pobre, de gênero e étnico-racial à medida que diferentemente dos Estados Unidos onde há burguesias branca e negra, no Brasil a burguesia é inteiramente branca sendo o povo majoritariamente pobre, negro e oprimido. Assim, a contratação pela Viradouro da carnavalesca em questão deve ser analisada da seguinte forma. No chamado mercado do Carnaval Carioca, isto é, nos grupos especial e de acesso ou nas Séries A, B, C e D somente a própria Márcia Lávia Lage e a carnavalesca-mestre Rosa Magalhães atuam enquanto artistas-sambistas de criação carnavalesca. Não há sequer alguma mulher negra. O preconceito de gênero é tamanho que à carnavalesca Márcia Lávia Lage é injustamente atribuído falta de talento por atuar profissionalmente em parceria no Salgueiro com o marido, o vitorioso carnavalesco Renato Lage. O fato é que a carnavalesca tem talento profissional em sua carreira solo sim, tendo desenvolvido bom trabalho no Império Serrano então campeã na Série A em 2008 e em 2009 no grupo especial. Todo sucesso deve ser augurado também à carnavalesca Márcia Lávia Lage na Viradouro. Saudações carnavalescas, Almir de Macaé.

  • Avatar
    27/03/2015 12:51:24Cláudia BauerMembro SRZD desde 19/01/2013

    Ã? isso aí, Gustavo Clarão aprendeu a lição. Contratou nomes de peso para trabalhar os quesitos. E literalmente vai trabalhar todos: comissão de frente, casal, bateria, evolução, harmonia e quesitos relacionados ao carnavalesco (enredo, fantasias e alegorias). Falta apenas o samba enredo, que a escola tem uma ala de compositores bastante competente. Pena que o presidente não fez isso ano passado, mas pelo menos abriu os olhos. Parabéns, Viradouro!!!!

Comentar