SRZD


13/05/2015 01h07

Cubango: 'Não existe vida sem água', diz Cid Carvalho em entrevista
Rodrigo Trindade

A Cubango deu o pontapé inicial, na noite desta terça-feira (12), à organização do desfile de 2016: divulgou o enredo, a sinopse e a logomarca do que pretende mostrar na Marquês de Sapucaí. Apoiada no tema "Um banho de mar à fantasia" e sob a batuta do carnavalesco Cid Carvalho, a verde e branca de Niterói falará da água, da relação mística entre ela e os povos, tudo isso com um grande apelo em prol do meio ambiente.

- Clique e leia a sinopse do enredo sobre as águas

O SRZD-Carnaval esteve presente na explanação da sinopse aos compositores que escreverão as letras dos sambas de enredo para as disputas, que começarão em julho. Em entrevista ao portal, Cid Carvalho deu uma aula de história e explicou sua visão poética do enredo que pretende levar para a Avenida:

Cid Carvalho explicou enredo aos compositores. Foto: Rodrigo Trindade

"Não é novidade que estamos com vários problemas quando o assunto é água: temos uma Baía de Guanabara poluída, uma Lagoa Rodrigo de Freitas que de vez em quando aparece repleta de peixes mortos. Temos vários problemas pelo mundo dessa ordem. A gente percebe que a questão da preservação da água não está entrando na cabeça das pessoas. O Brasil é o maior reservatório de água potável do mundo, mas mesmo aqui, está faltando água! Daqui a pouco, vai ter guerra por causa da água!", exclamou.

O primeiro setor da escola virá falando da origem da vida na Terra, há bilhões de anos. Cid completou: "Para abordar esse enredo, iremos pegar a origem da vida, quando houve o resfriamento, as tempestades, águas que chegaram por meteoros que caíram na Terra. Essa terra resfriou e surgiu a vida. Por estar associada ao surgimento da vida, a água sempre foi fonte de grandes lendas, de seres fantásticos. Isso sempre povoou a imaginação do homem".

Quem estiver presente no desfile da Cubango levará um banho de cultura. O carnavalesco mesclará, ao longo dos setores, história com mitologia:

"Na Europa Medieval, o Oceano Atlântico era um mar tenebroso, habitado por grandes dragões marinhos, serpentes ou grandes abismos, tudo ligado à questão da água. Quando o renascimento artístico chegou, deu uma melhorada nesse clima aí. As caravelas conseguiram desbravar os grandes mares e chegar ao Novo Mundo. Encontraram, no Brasil, por exemplo, fartura de água, os nativos, um verdadeiro paraíso. Só que no Brasil, o exército mítico era outro: botos, sereias, entre outros personagens da mitologia indígena. O invasor chegou e trouxe da África outras crenças, também ligadas à água: eram as entidades africanas ligadas a esse bem precioso".

Mais do que um enredo com forte apelo ambiental, o foco da Cubango será um alerta, mas alegre e com "carinho". "Queremos deixar um alerta, dizer que o homem sempre esteve ligado à água, que é a fonte de vida. O Carnaval está aí para isso, para alertar, puxar a orelha, mas também para deixar uma mensagem alegre, de esperança e de alto astral", disse o artista ao SRZD-Carnaval.

'O trabalho do pesquisador é integrado ao do carnavalesco', diz historiador Marcos Roza

Quem também participou do bate-papo com o SRZD-Carnaval foi o historiador Marcos Roza, pesquisador de enredo e braço-direito de Cid. Ele falou sobre sua experiência no mundo do samba e explicou a importância dos pesquisadores:

"Esse é o segundo ano que trabalho com Cid Carvalho. Ele é um poeta! Sempre quando estamos juntos, o trabalho flui. Minha participação nesta nova empreitada da Cubango para 2016 foi a pesquisa. Já havia pesquisado outros dois enredos para a escola, em Carnavais passados. Faço isso há 18 anos consecutivos para outras escolas também. É sempre bom falar de nosso trabalho. As atividades do pesquisador são totalmente integradas com as do carnavalesco".

Acerca do tema da Cubango, ele resumiu o que a verde e branca quer mostrar: "O tema para esse ano foi desenvolvido junto com ele (Cid). A ideia de falar das águas e o surgimento da vida através dela é algo importante. Vamos falar do surgimento da vida, das grandes navegações, da trilogia das raças, do ponto de vista dos mitos: índios, negros e brancos desenvolveram em diversos momentos da história suas crenças, boa parte ligada às águas", destacou.

Marcos Roza, pesquisador, e Cid Carvalho, carnavalesco da Cubango. Foto: Rodrigo Trindade

Tradicional família de Niterói será homenageada em último setor da escola

Os irmãos Lars Grael e Torben Grael, esportistas brasileiros, serão homenageados no último setor do desfile da Cubango em 2016. A família Grael, que tem bastante ligação com modalidades aquáticas, vive em Niterói e, segundo o carnavalesco Cid Carvalho, é bastante pertinente com o momento que o Brasil viverá com as Olimpíadas:

"Vamos chegar aos anos 60 e reviver um grande baile de mar à fantasia, com muitos cavalos marinhos e outros seres e, inclusive, fazer uma homenagem ao esporte aquático. Escolhemos eles devido à ligação que eles têm com o esporte e com as águas. Nosso último setor será uma grande festa", disse o artista.

Cid Carvalho: 'eu busco um sambão, um samba-enredo de verdade'

A Cubango fará a apresentação das obras que concorrerão nas disputas pelo hino de 2016 dia 28 de junho. Segundo informações da agremiação, pelo menos 10 composições deverão participar das eliminatórias. Ao conversar com o SRZD-Carnaval, Cid Carvalho disse o que espera dos compositores da escola:

"Nunca fui muito de exigir e dar opiniões sobre sambas de enredo, pois os compositores são os poetas do samba e eles sabem o que fazem. Mas nós seremos a última escola de samba de sábado a desfilar. Sendo assim, não poderemos ter um samba difícil de se cantar, nem pesado. Temos que ter uma bela melodia, um samba envolvente, alegre e que faça a arquibancada aguardar a Cubango. Espero e tenho certeza de que teremos mais um sambão, um samba-enredo de verdade, como é tradição da Cubango", apostou.

O carnavalesco também adiantou ao SRZD-Carnaval uma curiosidade: "A escola virá branca, com muitas espumas do mar. Já estou pensando a parte estética, antes mesmo do samba sair. A Cubango vem batendo na trave. Fez grandes Carnavais e ela quer disputar o título de novo. Minha grande marca é o trabalho. Sou muito trabalhador, abraço a escola e a comunidade. Não será diferente na Cubango. Pretendo fazer um belo desfile!".

'A Cubango já tem o orçamento do Carnaval', diz Pelé, presidente

Querendo acertar o alvo e disputar o título da Série A, a Cubango investirá pesado em seu desfile. Sem revelar valores, o presidente da verde e branca, Oivier Pelé, adiantou que a escola já tem os recursos para 2016: "Vamos apresentar um bom Carnaval. Temos um orçamento muito bom para o grupo de acesso. Temos certeza de que faremos um grande desfile. Nosso enredo tem apelo pelo meio ambiente. Temos Cid Carvalho na frente, comandando a equipe. Esperamos o melhor para a Cubango".

Sobre os possíveis erros que a escola cometeu em 2015, Pelé afirmou que quer acertar: "Não levaremos mais 2.500 componentes para a Avenida. Isso atrapalhou a evolução da escola. Teremos que enxugar. Levaremos entre 2 mil e 2.200 desfilantes". O dirigente também justificou a homenagem à família Grael:

"Cid foi muito feliz com o enredo e mais uma vez, a cidade de Niterói está envolvida novamente, através do último setor em homenagem aos esportistas niteroienses", disse ao SRZD-Carnaval.

Agremiação pretende realizar todos os ensaios técnicos no Centro de Niterói

A Cubango apostará em uma atitude bastante ousada: pretente realizar todos os ensaios técnicos, que antes eram em quadra, no Centro de Niterói. Será na tradicional Avenida Amaral Peixoto. "Começaremos esses ensaios a partir de outubro. Isso prova a nossa vontade de ensaiar da melhor forma possível para fazer uma boa evolução na Sapucaí. Não ensaiaremos mais na quadra", revelou Pelé ao SRZD-Carnaval. Os ensaios acontecerão todas as quintas-feiras.

Cid Carvalho com Pelé, presidente. Foto: Rodrigo Trindade

- Clique e veja outras notícias sobre o Carnaval 2016

Já curtiu a página do SRZD-Carnaval no Facebook?

 



Comentários
  • Avatar
    16/05/2015 16:28:07Cláudia BauerMembro SRZD desde 19/01/2013

    A meu ver, o desfile de 2006 da Beija Flor foi horrível. Caiu na mesma cilada desse enredo da Cubango: enredo denso demais e o delineamento extremamente confuso por reunir uma quantidade muito grande de informações. Esse é o grande problema dos desfiles de hoje: não há inovação nos enredos e as abordagens são carregadas de informações certinhas, o que deixa o desfile extremamente engessado. Carnaval sempre foi uma festa transgressora, politicamente incorreta, de crítica, de deboche, de sátira. Enredos históricos e com conteúdo cultural fazem parte do processo, a Rosa é mestra nisso. Mas a essência da festa é de deboche. Tanto é que Rosa sempre deu um jeito de abordar isso em seus enredos antigamente.

  • Avatar
    16/05/2015 16:20:17Cláudia BauerMembro SRZD desde 19/01/2013

    Roberto, o problema não é trazer a água como temática da escola. Ineditismo é difícil de conseguir. O grande problema é que a forma como ele aborda essa temática não é legal. Se por acaso o Cid começasse a sinopse com o desbravamento em águas profundas (sem entrar em lendas nacionais) e, a partir disso, abordasse a questão dos jogos olímpicos e terminar com a homenagem à família, veja a diferença do delineamento do enredo. Seria uma sinopse muito mais interessante e objetiva. O grande problema é que, além disso, ele entra em aspectos que são totalmente desnecessários, como o surgimento da água no planeta (ele já fez isso na Beija Flor em 2005) e falando de lendas nacionais e falar da sustentabilidade. Percebeu que é muito assunto para uma escola que vai ter 4 setores? Falar sobre isso não é errado, o problema é que todos esses assuntos juntos são para uma sinopse de grupo especial, onde tem de 2 a 3 setores a mais. Se a realização for boa e a Cubango tirar 10 em enredo, aí não é problema nosso. O que estamos fazendo é expondo nossa opinião. Ã? isso.

  • Avatar
    16/05/2015 14:27:23roberto salgueiroMembro SRZD desde 16/05/2015

    Com todo o respeito às opiniões dos companheiros,acredito ser positiva a temática que o competente e injustiçado Cid Carvalho desenvolverá para a Cubango.Pois esperarmos ineditismo em ENREDOS é difícil.Exemplo é uma das mais tradicionais agremiação do carnaval mundial nos últimos anos exaltando a nossa ´CIDADE MARAVILHOSA`e muita gente fazendo ´vista grossa`.Credenciando ela a títulos e desqualificando temas ou enredos não tão explorados ao longo da história carnavalesca, apresentados por outras co-irmãs ou carnavalescos. Em tempo;revejam o desfile da Beija Flor de 2006.Ã?ltimo ano de Cid na agremiação.Simplesmente um belíssimo desfile. Não sei se chegou a hora da Cubango,mas certamente será mais positiva a elaboração de Cid Carvalho que reprisar apostas em outros profissionais que nada somam à estética dos desfiles.

  • Avatar
    14/05/2015 16:01:38Cláudia BauerMembro SRZD desde 19/01/2013

    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK percebi sim, Carlos. Compartilho da mesma opinião.

  • Avatar
    13/05/2015 21:03:59Carlos M. SoaresMembro SRZD desde 16/08/2011

    Nossa!! Que enredo legal!!!! Super inédito!! Imaginem a plástica que estão dizendo usar, num desfile com o dia amanhecendo??? Precisava mesmo de um pesquisador pra bolar algo tão surpreendente!!!! Começar um enredo sobre água e que se pretende a homenagear a família Grael, pela origem da vida, cavalos marinhos, meteoros!!o cara é muito bom mesmo?? Fico imaginando o quanto o Laíla não deve estar arrependido de não ter segurado o Cid na BF!! Não tem feito mais nenhum enredo abrindo pelo Egito! E Pelé?? Deve estar super orgulhoso de esbravejar que sua escola faz enredos de temática ligada ao negro!!! Vem campeã por ai!!! Tô sendo irônico, se ninguém percebeu!!

  • Avatar
    13/05/2015 07:48:07João SilvaMembro SRZD desde 18/08/2010

    A água já foi imortalizada num épico desfile da Mocidade Independente. Nem Malévola conseguiu, em 2005, pelas mãos do mesmo Cid que na época integrava a comissão SEBRAE, chegar perto do antológico chuê chuá. Por favor, não me venham com uma releitura daquele belo segundo carro de padre Miguel com um feto dentro do globo terrestre. Até na malévola em 2005 copiaram esta cena no último carro. Tema batido, mas procure buscar novas soluções, se por possível.

Comentar