SRZD


30/06/2015 23h39

Leia a sinopse do enredo de 2016 da Portela
Redação SRZD

A Portela reuniu uma multidão de compositores na noite desta terça-feira (30), no espaço social da velha guarda, em Madureira, para divulgar e fazer a leitura da sinopse do enredo "No voo da águia, uma viagem sem fim...", do carnavalesco Paulo Barros. Confira o texto da sinopse, que foi dividida em setores:

Foto: Rodrigo Trindade

 

NO VOO DA ÁGUIA, UMA VIAGEM SEM FIM...


RESUMO


O voo da Águia da Portela, em 2016, nos conduzirá a lugares distantes, uma

viagem sem fim que atravessa a história da humanidade. Desde a Antiguidade, as

viagens se tornaram uma prática constante pela expansão de fronteiras, por conquistar

novos horizontes e fortunas, adquirir conhecimento. Movem mundos e mapas, trilhas e

destinos. Inspiram fantasias e trajetórias. Realidade e imaginação se provocam, se

misturam em rotas e roteiros fascinantes. Invadem terras e textos. Viajantes em busca de

novas paisagens, de aventuras e de riquezas, de planetas ainda inexplorados, talvez

inexistentes, descrevem em seus relatos os lugares que desenharam em seus mapas. Eles

orientam o mundo através de narrativas que atravessam o tempo e chegam até nós para

que possamos saber o que encontraram e como superaram todos os perigos e obstáculos.

Os livros contam histórias reais que nos parecem inacreditáveis e mostram um universo

de fantasia que pode ser vivido como realidade.

 


O homem é um ser inquieto. Deseja, busca, vence desafios que encontra em seu

caminho e nunca desiste. Inventa e se reinventa para percorrer grandes distâncias,

romper fronteiras, ganhar o mundo. É capaz de criar um mundo virtual para navegar e

chegar a todos os cantos do planeta sem sair do lugar. Esse desejo de buscar o que não

está ao alcance de sua mão faz do homem um viajante que vive uma procura

interminável. Avançar, descobrir, ir em frente, continuar. Para viajar, basta existir... A

viagem não acaba nunca... O fim de uma viagem é apenas o começo de outra...

 

O DESFILE


ABERTURA

Nas asas da Águia, estão a força e a coragem para embarcar nessa viagem sem

fim. Símbolo de liberdade, de nobreza e de sabedoria, ela é a rainha dos céus. Seu voo é

de magia e de beleza, encanto que nos leva à emoção do tempo da mitologia grega, onde

homens invencíveis desafiavam deuses. O poema Odisseia, de Homero, é conhecido por

ser a obra fundadora das narrativas de viagem. Odisseu, ao voltar da Guerra de Tróia,

viaja por 20 anos para retornar a sua casa, na Ilha de Ítaca. Amaldiçoado por Poseidon,

o bravo guerreiro enfrenta tormentas e adversidades que, por vingança, a ele lança o

deus dos mares. Nos versos finais do poema, Ulisses, como ficou conhecido esse herói

entre os romanos, é comparado à águia rasgando as nuvens ao perseguir seus inimigos.

 


O pássaro também está presente em mais uma viagem marcante, que está

descrita na Bíblia: a Travessia do Mar Vermelho em busca da Terra Prometida. Na

chegada de Moisés ao Monte Sinai, Deus lhe diz: "Vós tendes visto o que fiz aos

egípcios, como vos levei sobre asas de águias, e vos trouxe a mim...".

E a Águia também nos conduzirá na viagem da Portela. Ela que "desperta sua

ninhada, paira sobre seus filhotes e, em seguida, estende as asas para apanhá-los,

carregando-os sobre elas", nos guiará na Avenida.

Segurem o mapa da história e realizem o seu desejo mais vital, a Portela vai

voar, é Carnaval!

 


MAR ADENTRO, MUNDO AFORA

O voo da Águia nos leva aos caminhos de quem atravessou continentes com seus

barcos, galeras, caravelas! Seguem, agora, os navegantes de diferentes povos que

rasgaram os sete mares desenhando mapas! O vento sopra em suas velas e o céu lhes

serve como guia para vencer a escuridão e chegar a terras distantes. Os corajosos

comandantes superam o perigo e o desconhecido para nos mostrar a rota mais segura.

Se lançam mar adentro, descobrem o mundo afora e deixam para a história o relato de

suas viagens. Por mares nunca d'antes navegados, nem mesmo o mais terrível monstro

imaginado impede que continuem vencendo águas violentas, a quem entregam o barco e

a própria vida.

 


VIAGENS IMAGINÁRIAS

O sonho de pássaro é livre e surpreendente! Revela lugares fantásticos e

misteriosos, de onde surgem viagens eternas e envolventes, frutos da criação humana.

São histórias extraordinárias de tirar o fôlego, que nos levam a viajar no tempo, ao

fundo do mar ou a uma incrível jornada nas estrelas. Tudo pode acontecer com os

personagens desse mundo de sonho e de magia, que prende a atenção e liberta a

fantasia.

 


EM BUSCA DE MUNDOS PERDIDOS

Enquanto alguns se aventuram por outras terras, rumo ao futuro, há aqueles que

tentam decifrar os sinais deixados pelos que aqui viveram muito tempo atrás. Quem

procura por vestígios do passado segue uma interminável trajetória na busca por

respostas. Arqueólogos pesquisam restos e ruínas de civilizações encobertas pelo

tempo. Paleontólogos encontram seres pré-históricos que impressionam quando

pensamos que habitaram a Terra. Atentos, esses cientistas investigam marcas e sinais,

desvendam culturas e costumes. E vão mais longe, em seus estudos, para saber quem

vivia no planeta antes de nós. Percorrem trilhas e pistas de mundos perdidos que

ficaram pelo caminho.

 


O MAPA DA MINA - EM BUSCA DE RIQUEZAS

E tantas outras trajetórias revelaram tesouros que fizeram muitas fortunas, em

nome da ambição e da cobiça. A maciez das sedas, o perfume dos incensos, o gosto das

especiarias, delícias pelas quais pagaram reis e rainhas. E o ouro e a prata que

adornaram pescoços e altares? Quem trazia? Que mundos exploraram e para onde

rumaram em busca de riquezas? As grandes rotas comerciais do passado foram

responsáveis pelas trocas de produtos e culturas. Abriram caminhos por terra e por mar.

Exploraram tesouros de povos do outro lado do mundo e saciaram desejos de impérios.

É preciso percorrer essas rotas para, quem sabe, descobrir o mapa da mina.

 


VIAGENS EXTREMAS

Mas existem aqueles que preferem sentir na própria pele a emoção da aventura.

Gostam do prazer de correr riscos, alcançar terras inexploradas. Valentes viajantes

levantam a poeira do deserto, enfrentam a selva, entram em florestas sombrias,

exploram as geleiras, entregam o corpo a condições hostis para a sobrevivência. E, se

nada mais os seduzir, quem sabe não queiram atingir planetas distantes e deixar pegadas

em lugares onde ninguém jamais pisou. A viagem mais extrema está na incerteza de

regressar ao ponto de partida.

 


EU NÉO SOU DAQUI, EU NÉO SOU DE LÁ

Muitas são as formas de viajar criadas pelo homem, para navegar em todas as

dimensões: na realidade, no imaginário, no mundo virtual. E não faltarão roteiros,

enredos, lugares, estradas e ferrovias enquanto essa busca durar. 

Hoje, com um toque apenas, é possível fazer muitas viagens: abrir janelas,

percorrer milhares de quilômetros em segundos e descobrir mares, países... se

perder. Consultar a história e o poema, assistir ao vídeo e ao espetáculo. Diante dos

olhos dos internautas, o virtual vira real, em sons, cores e movimentos. É possível

voltar, avançar, procurar... pessoas, coisas e locais. Digitar perguntas, descobrir

respostas, encontrar lugares, ser viajante, ser águia: livre, ágil, confiante. E ao final da

travessia, escolher mais um destino e recomeçar. E a Portela tão bonita vai voando na

Avenida para o carnaval conquistar!

 

- 'Vou fazer um desfile com a cara da escola, diz Paulo Barros

 

Isabel Azevedo

Simone Martins

Ana Paula Trindade

Paulo Barros

- Clique aqui e leia tudo sobre o Carnaval carioca

Já curtiu a página do SRZD-Carnaval no Facebook?



Comentários
  • Avatar
    05/07/2015 13:38:20Fabiano de Vila-ForteMembro SRZD desde 15/10/2009

    Vamos ver no que vai dar essa "omelete" de Portela (tradicionalíssima) + Paulo Barros ("moderninho" demais para o meu gosto). Uma coisa o PB já deve ter percebido: A Portela não é uma escola qualquer. Nós, os portelenses, somos fanáticos pelas tradições de nossa querida escola de Oswaldo Cruz. Somos milhões de fiscais de olho nessa "omelete". Para 2016, já passamos por 2 etapas: a posição de desfile (Ã?tima!!! 4ª escola de segunda-feira) e divulgação de enredo. Que venha a próxima etapa: Samba-enredo. Aguenta, coração!!!

  • Avatar
    03/07/2015 21:26:37Tedy Beija-Flor - A marca do Carnaval, é ela!Membro SRZD desde 12/04/2012

    Claudinha, isso é o que diz a oposição, rsrrs, as alegorias da Mocidade Alegre tinham bastante defeitos, uma harpa no abre alas onde quase se rasgava, o destaque principal do abre alas balançava ponde em risco até a segurança do destaque, e alegoria da Carmem Miranda a cabeça da escultura da Carmem Miranda bateu e caiu. A Vai-Vai errou bem menos que a Mocidade Alegre, também no quesito Alegoria, agora esse sujeito como nome "@você" que falou que "a Vai-Vai não sabe fazer alegoria", esse sujeito não gosta da Vai-Vai, pois a Vai-Vai já fez belíssimas alegorias com: Alexandre Louzada, André Marins, Chico Spinosa, e o Cahê, todos fizeram desfiles luxuosíssimos na Vai-Vai.

  • Avatar
    03/07/2015 14:47:58Cláudia BauerMembro SRZD desde 19/01/2013

    Finalmente tu entendeu o enredo da minha escola, Tedy. Ã? isso mesmo o que você falou, o problema é que a culpa é do Louzada de empiriquitar demais a sinopse. Só foi isso. Mas tenho certeza de que ele e o Edson vão reverter a situação. Sobre a Vai Vai, então realmente é verdade, não estou delirando. Mas claro, maravilhosas são as alegorias da Mocidade Alegre, que tem um carnavalesco que copia vários carnavalescos do Rio. Falando em cópia, eu vi a sinopse da Tijuca. Só te falo uma coisa: to envergonhada pelo Mauro Quintaes. Vale tudo para ser campeão.

  • Avatar
    03/07/2015 13:18:36Tedy Beija-Flor - A marca do Carnaval, é ela!Membro SRZD desde 12/04/2012

    Claudinha, quando a escola começa a se destacar, é isso mesmo, esse "@você é um anti-Vai-Vai, por isso ele sempre tenta alfinetar a escola. E esse sujeito vive criticando a alegoria da Elis que tinha cara de Spock (Lê-se zoação no Sambistas da "Depressão") rsrsr, só que essa alegoria foi despontuada devidamente pelos jurados, e a Vai-Vai ganhou do mesmo jeito pois no restante a escola estava muito boa mesmo. Aliás a vice a Mocidade Alegre, errou mais que a Vai-Vai em alegorias, e também foi despontuada. Quando o Rogério se enturmar na Liesa, e a Mocidade voltar nas Campeãs tu vai ver, vão voltar a alfinetar tua escola como nunca, aí você vai dizer mas tu não alfineteou a Mocidade de Padre Miguel ano passado? Aí eu te respondo, não, eu apenas não gostava do enredo sobre "Fim do Mundo", pois achava pouco caldo para muita sopa, já o de 2016 sobre Dom Quixote e sua critica sobre o país eu gosto se for isso mesmo que é o que acredito ser, só tenho minhas reservas é com a sinopse, mas acho que no desfile dá para ser corrigido. Claudia, tu viu que saiu da sinopse da Unidos da Tijuca?! Olha uma CÃ?PIA total do Homem do Campo da Dona Rosa Magalhães, de 2013. Eu por mim fiquei muito contente, pois acho que as chances da Beija-Flor aumentaram e muito no Domingo, com essa vacilada da Tijuca, rsrrs.

  • Avatar
    02/07/2015 17:28:53Cláudia BauerMembro SRZD desde 19/01/2013

    Falando em Vai Vai, Tedy, eu fui ver os comentários sobre a sinopse e vem um tal de @voce que escreveu isso daqui: "Basta só aprender a fazer alegorias, coisa que, desde década de 70, não sabe...". Ã? sério que essa criatura disse que o Renato não sabe fazer alegoria???????????????????????????????? Como assim?????????????? Vai lá no post e veja se eu to delirando pelo amor de Deus..... e veja outra coisa que ele escreveu: "O Enredo é sobre França ou só sobre Paris, pelo que vi na sinopse ? cuidado com jurados de enredo !!! Kardec não dá, já q fatalmente mencionarão outras religiões doutrinas...". Sério, veja se eu to errada ou essa criatura tá falando que o Renato não sabe fazer alegoria? Se por acaso o fake falou isso tá pirando na batata salsa kkkkkkkkkkkkk.

  • Avatar
    02/07/2015 16:52:19Marco Antônio NobreMembro SRZD desde 02/07/2015

    Abro os portais da imaginação Toda fantasia hoje é real Me entrego ao delírio, luz, inspiração Carnaval... A mente leva a locais surpreendentes Na Inocência, sou criança novamente Com a Portela... Viajo nessa emoção Me torno aventureiro da ilusão E desejo desvendar Misteriosas civilizações Cidades perdidas encontrar Tesouros que atraíram gerações

  • Avatar
    02/07/2015 14:03:56Cláudia BauerMembro SRZD desde 19/01/2013

    Mas sabe o que acontece com a sinopse da minha escola, Tedy? Conversei com dois compositores da minha escola e eles falaram a mesma coisa: que adoram essa levada poética que o Louzada escreve, pois para eles é muito mais fácil fazer samba. Pode parecer exagerado para nós, inclusive se eu fosse carnavalesca faria a sinopse mais ou menos do estilo da Unidos de Padre Miguel para 2016. Mas para compositor é um conforto fazer sinopse poética. Em 2012 quando o Louzada fez a sinopse foi mais ou menos no mesmo estilo e gerou um lindo samba. Como o historiador fez um apanhado da sinopse e divulgou no Facebook do Rodrigo Pacheco, eu fiquei mais tranqüila quanto ao samba. Quanto ao resto, concordo contigo.

  • Avatar
    02/07/2015 13:33:28Tedy Beija-Flor - A marca do Carnaval, é ela!Membro SRZD desde 12/04/2012

    Quis dizer o Dom Quixote é quem sai vendo os fatos pelo Brasil, e fazendo a critica social.

  • Avatar
    02/07/2015 13:31:04Tedy Beija-Flor - A marca do Carnaval, é ela!Membro SRZD desde 12/04/2012

    Eu não tinha percebido esse detalhe do departamento cultural. Acredito que se tivesse feito mesmo pelo Lage e pela Márcia teria ficado ideal, desculpe Lage e Márcia pelas criticas, kkkkk. Sobre a sinopse da sua escola, eu entendi que é o Cervantes que vem ao Brasil e faz uma viagem pelo que acontece no país, e no Carnaval fazendo critica social sobre os fatos do Brasil, e inclusive dando uma alfinetada no Paulo Viana, usando o tracadilho Dom Quixote de la Mancha, a mancha no rosto do Paulo Viana. Dizendo que o Paulo Viana foi a mancha na história da Mocidade. Ã? uma boa sinopse, mas precisava ser refeita, para que ficasse COMPACTA, ou seja no tamanho ideal. Mas isso Louzada e o Edson deve corrigir no desfile. Concordo com tudo o que você disse, só não concordo o que você disse, só não concordo pôr a Grande Rio no meio das demais escolas em termos de sinopse, aquele texto que a Grande Rio fez nem dá para chamar de sinopse, pegaram Neymar, robinho, chamaram eles dois de "principes" e jogaram qualquer titica de galinha para fazer o resto do texto, a sinopse da Grande Rio é muito ruim, pior que a do Boni. Sobre a sinopse da Imperatriz, mostra o objetivo da Imperatriz, ganhar dinheiro através de um enredo, e ter um dinheiro para guardar no colchão para depois do Carnaval já pensando no Carnaval 2017, é como disse uma pessoa a sinopse da Imperatriz é como o Poço de Caldas da Beija-Flor, com o cantou o samba: "Sou Beija-Flor, Poço de Caldas é a referência", ou seja Poço de Caldas era a referência ($$$$), o enredo era o Big Bang do Joãozinho 30 com o Chué, Chuá do Lage, feito pelo Cid Carvalho e sua excelentes estética. Ou seja Zezé e Luciano são apenas a referência ($$$$$), o enredo mesmo é o homem do Campo da Dona Rosa, só que dessa vez pelo estilo do Cahê.

  • Avatar
    02/07/2015 13:11:20Cláudia BauerMembro SRZD desde 19/01/2013

    Quando eu digo de sinopse wikipediana, é aquela sinopse que se decifra literalmente o objetivo. Eu inclui a sinopse da São Clemente, mas uma ressalva: a Rosa sabe fazer muito bem esse tipo de sinopse. Não é qualquer um que monta uma sinopse bem mastigada e não deixa a sinopse enfadonha. A Rosa eu aceito com toda a certeza, o resto não rs.

  • Avatar
    02/07/2015 13:07:16Cláudia BauerMembro SRZD desde 19/01/2013

    Tedy, não se esqueça que quem fez a sinopse do Salgueiro foi o departamento cultural da escola e aprovada pelo Renato e Márcia, assim como foi 2012. Sobre a sinopse do Salgueiro, não se esqueça que é toda em licença poética, portanto se explicitar muito os personagens iria ficar burocrática demais. Quando a sinopse é em licença poética, existem pessoas que não entendem, e foi isso que aconteceu contigo. A mesma coisa a sinopse da minha escola, só que a diferença é que na minha escola a licença poética é mais forte ainda. Esse desentendimento acontece porque atualmente as sinopses estão tão mastigadas e wikipedianas que as escolas não conseguem mais se habituar a sinopses poéticas. Ã? um padrão que contaminou o Especial, são todas essas escolas que fizeram sinopses wikipedianas e em texto corrido: Estácio, Beija Flor, Grande Rio, Portela e São Clemente. E duas em texto corrido porém com um pouco de licença poética: União da Ilha e Mangueira. Imperatriz é sinopse de certa forma é parecida com a da Mangueira e Ilha, mas em versos. Ou seja, virou um padrão fazer sinopse mastigada. Com relação à sinopse da Vai Vai, me pareceu muito a sinopse do Salgueiro de 2009: versos curtos e deu pra entender muito bem o objetivo do enredo. Espero que o desfile seja a mesma coisa rs.

  • Avatar
    02/07/2015 13:03:11Tedy Beija-Flor - A marca do Carnaval, é ela!Membro SRZD desde 12/04/2012

    Pois é, Claudinha, e pasmem que no Galeria do samba ainda tem portelense sem noção dizendo que sinopse do Renato Lage foi "fraca". Realmente quem tem PB fazendo a reedição de Portela 2011, só resta criticar os gênio mesmo. Renato fez a sinopse da Vai-Vai no mesmo estilo da do Salgueiro, ou seja em versos, só que na da Vai-Vai os personagens estão muito bem explicados, me deu a impressão que Renato teve mais tempo para pensar e elaborar a sinopse da Vai-Vai. Já na do Salgueiro faltou explicar quais eram os malandros e citá-los como Dicró, Moreira da Silva, e citaria outros malandros mais novos como Zeca Pagodinho. O que tinha criticado na sinopse do Salgueiro foi isso, por exemplo a bateria salgueirense vem do travesti Geni, da musica do Chico Buarque, isso não ficou claro essas citações para mim na sinopse do Sal. No desfile do Salgueiro acho que Lage deverá ir mais além do que a sinopse salgueirense que faltou explicar os personagens malandros gays como a travesti Geni, a travesti Madame Satã. Mas como disse acho que Renato Lage teve mais tempo de pensar e elaborar a Sinopse da Vai-Vai sobre a França. Sonhava em ver Lage também na Beija-Flor, mas acho que não dá, Lage em minhas duas escolas seria pedir demais, kkkk.

  • Avatar
    02/07/2015 11:24:46Cláudia BauerMembro SRZD desde 19/01/2013

    Tedy, nos comunicamos por telepatia kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk. Eu ia comentar agora sobre a sinopse perfeita que o Renato fez. Olha, pra você e o Gean, a escola de vocês de São Paulo está com a mão na taça. Só estou imaginando os cenários que o Renato vai fazer.

  • Avatar
    02/07/2015 00:36:25Tedy Beija-Flor - A marca do Carnaval, é ela!Membro SRZD desde 12/04/2012

    Por falar em sinopse, Claudinha, dá uma olhada na sinopse que acabou de sair do forno do gênio Renato Lage e da Márcia em Sampa, na Vai-Vai no enredo sobre a França; uma beleza!!!!!

  • Avatar
    02/07/2015 00:34:00Tedy Beija-Flor - A marca do Carnaval, é ela!Membro SRZD desde 12/04/2012

    Quando você falou que é revisitado, me lembrou que eu achei a sinopse portelense muito parecido com dois enredos: Portela 2011 que era sobre as navegações, e Unidos da Tijuca 2010 "Ã? Segredo". Mas no geral eu gostei da sinopses, e acho que se a Mocidade fizer a ideia original no desfile pode dar bom caldo. A crise foi boa para as escolas, despertou a criatividade nelas, como disse o Salgueiro: "Da fome nasce a criatividade", kkkkkk.

Comentar