SRZD



Carlos Molinari

Carlos Molinari

FUTRJ - FUTEBOL DOS TIMES PEQUENOS. Jornalista da TV Brasil e historiador, nascido e criado no bairro de Bangu, onde conheceu sua grande paixão: o tradicional Bangu Atlético Clube. É autor de três livros: "Nós é que somos banguenses", "Almanaque do Bangu" e "A História das Copas". Pesquisador da história do futebol carioca e atento às notícias dos times do Rio, especialmente aqueles que estão fora da grande mídia. Hoje, apesar de trabalhar em Brasília, acompanha cada detalhe do Campeonato Carioca e da Copa Rio, torcendo sempre para que os pequenos "Davis" derrotem os quatro grandes "Golias". Neste blog, iremos dar palpites, especular, criticar, alfinetar as arbitragens (sempre tão prejudiciais aos nossos clubes) e abrir um canal de diálogo com os fanáticos pelo Madureira, Olaria, Bangu, América, Bonsucesso, Volta Redonda, Goytacaz, Resende, Americano, Friburguense, Portuguesa...

* Os textos desta seção não representam necessariamente a opinião deste veículo e são de responsabilidade exclusiva de seu autor.



01/07/2015 13h41

Parabéns ao Olaria Atlético Clube
Carlos Molinari

Lembro bem de um domingo em que peguei um ônibus e saltei na Avenida Brasil, na altura de algum supermercado que hoje já está desativado. Estava indo para a lendária Rua Bariri. Era 1999 e pela primeira vez iria ver um jogo no alçapão.

Andei alguns quarteirões e logo me deparei com o estádio do Olaria. Simpático, bem no meio do bairro, com uma ampla piscina, área de lazer para os sócios e um pagode rolando solto. O jogo entre Bangu e o time da casa parecia bem menos importante. Tinha mais gente no pagode.

Centenário do Olaria. Foto: ReproduçãoO Olaria me pareceu, eis a verdade, um grande clube social. O futebol profissional, que naquela época contava com o atacante Darci (sósia do Ronaldo), não despertava tanto interesse dos moradores do bairro.

Foi esse o Olaria que vi. Em 2000, voltei ao alçapão. O estádio estava mais vazio ainda. Nem aquele torcedor solitário do megafone, que gritava "Olaria, Olaria, Olaria" até a língua embolar, existia mais. Era dia de semana. Não tinha nem o pagode.

Eis que recebo um aviso: aquele clube lá da Zona Norte vai fazer 100 anos. Dia 1º de julho, o Olaria completa um século de vida. És 7h da manhã houve uma estrondosa queima de fogos. És 8 horas, uma missa no salão nobre. E às 9h da manhã,um café da manhã.

Segundo o presidente Augusto Pinto Monteiro, o Olaria tem hoje cinco mil sócios ativos (número que faz um Bangu e um América babar de inveja). Durante os finais de semana, mais de quatro mil pessoas passam pela sede social do clube, indo se refrescar na piscina, frequentar o bar ou escutar o famoso pagode.

O futebol, em baixa nos últimos anos - este ano o time ficou apenas em 7º lugar na Segundona -, parece uma prioridade distante. Mesmo assim, o presidente Pintinho me garante: tem mais de duas mil crianças nas escolinhas do clube. Ou seja, quem mora no bairro não necessariamente torce para o Olaria, muitas famílias das redondezas acreditam que ali na Bariri é possível formar um jogador para o futuro.

Nem sempre o centenário Olaria Atlético Clube esteve em baixa no futebol profissional. Já disputou 60 vezes o Campeonato Carioca da 1ª Divisão. Em 1971, impressionou ficando em terceiro lugar na disputa. Participou duas vezes do Brasileirão (Série A), em 1973 e 1974. Foi campeão da Segundona carioca em 1931 (deixando o Mackenzie como vice) e 1983 (deixando o Friburguense como vice). Foi campeão do Torneio Início em 1960, do Torneio da Integração (uma espécie de Copa Rio) em 1977 e da Taça de Bronze (o primeiro Campeonato Brasileiro da Série-C) em 1981.

Olaria. Foto: Reprodução

Recentemente, quando estava na 1ª divisão, ganhou a Taça Moisés de Andrade em 2010 (goleando o Boavista na final) e a Taça Washington Rodrigues em 2011 (batendo o Resende nos pênaltis).

Gosto do Olaria. Gosto do azul forte do clube. Gosto do estádio da Rua Bariri. E desejo que toda a diretoria, por mais problemas que tenha para administrá-lo, consiga dar a volta por cima. Aos poucos, estabelecendo metas, buscando patrocínios, é possível ver o Olaria novamente na 1ª Divisão do Campeonato Carioca e, quem sabe, na Série-D do Campeonato Brasileiro.

O futebol profissional, porém, é o grande "calo" nesses clubes de bairro, que ainda hoje insistem em sobreviver. Mas qual seria a lógica do futebol se, em vez desses times tradicionais, como o Olaria, só tivéssemos em campo equipes como Audax? O resultado imediato é que jamais ganharíamos um convite para uma festa de cem anos...

Parabéns, Olaria Atlético Clube!


Veja mais sobre:Olaria (FutRJ)

Comentários
  • Avatar
    08/07/2015 16:06:46Carlos EliasAnônimo

    Sim, Pr, queremos ver um Bangu forte, disputando competições importantes e lutando por títulos. Vejo principalmente os torcedores com idade mais avançada e gostaria muito que esses torcedores ainda possam ter a alegria de um dia ver o Bangu que a torcida merece, dirigido por gente séria, competente e que ame o Clube de verdade. Obs: lamentável que tenha gente usando seu nome. Fica até a sugestão ao Molinari de sugerir ao Sidney Rezende que aqui nos comentários de futebol seja que nem nos comentários de carnaval, ou seja, que o leitor seja obrigado a se identificar, com login e senha, justamente para evitar fakes. Um abraço.

  • Avatar
    08/07/2015 15:32:57João Batista NogueiraAnônimo

    Obrigado Carlos Elias pela respeitosa resposta. Nós somos Banguenses. Nós pagamos para ver este time jogar. Nós sonhamos com nosso time jogando o ano inteiro. Um abraço fraterno. Ps. Tem gente escrevendo usando meu nome com palavrões, por favor sempre escrevo no campo das ideias, sem nunca ofender. Então se auguém usar meu nome com palavras sujas não sou eu. Respeito humildemente todas discordâncias . Um abraço Carlos .

  • Avatar
    08/07/2015 13:11:38Carlos EliasAnônimo

    Pr. J Batista, se o senhor souber interpretar bem, vai ver que nao estou denegrindo a imagem do clube, apenas mostrando a situaçao atual que vive o Bangu. Sebemos que tem muito flamenguista e vascaíno que se diz torcedor do Clube, que frequenta jogos, que não pagam ingressos, mas como disse, nao passam de flamenguistas e vascainos. E tem também gente que se diz torcedor quando na verdade é pseudo-empresário. Esses nunca lutarão para mudar a realidade atual, o que é lamentável. Um abraço.

  • Avatar
    08/07/2015 12:56:15João BatistaAnônimo

    Concordo com o Juesi, vamos protestar lá em Bangu. Denegrir o clube na midia é coisa de flamenguista. Eu vou aos jogos e protesto com respeito , mas não venho a imprensa protestar. Creio que o movimento Reaje Bangu é a saida. Vira o disco Carlos. Escrevo amigo respeitosamente. Vamos Bangusão .

  • Avatar
    08/07/2015 12:51:22juesiAnônimo

    Sou banguense e fui ao lançamento do projeto da arena em Padre Miguel. Frequento as arquibancadas, não tenho nem amizade com dirigentes, mas para de choramingar em todo espaço da mídia.

  • Avatar
    08/07/2015 11:42:16Carlos EliasAnônimo

    Juesi, já que voce e outros não fazem nada para mudar o quadro, e ficam aí sentados na cadeira esperando um milagre, faço minha parte, mostrando a situaçao atual do Bangu para todos, tornando-a cada vez mais pública. Nao abaixe a cabeça, reaja, seja forte. Com esse conformismo seu e da torcida de um modo geral nunca mudaremos o quadro. Seu otimismo leva a que? Fica feliz em ver o Bangu jogar 15 vezes ao anos e disputar no 2o. semestre uma copa mulambenta que nao serve para nada? Você deve ser parente de dirigente, de empresário ou de jogador mulambento, nao é? Sou mais Banguense do que você, garanto.

  • Avatar
    08/07/2015 09:11:08juesi BhAnônimo

    O Carlos Elias para de de denegrir o Bangu. Se você não gosta do Bangu que vá para outro espaço. Deixe de ser chorão. Você repete em todas noticias esse pessimismo. Avante Bangu.

  • Avatar
    03/07/2015 10:29:25Carlos EliasAnônimo

    Enquanto isso, o Bangu vai seguindo fielmente os objetivos traçados pelos nossos dirigentes de 39a. categoria: campanha medíocre em que ganha apertado dos ruins, empata no sufoco com os médios e perde para os bons. Mais um ano perdido (para a torcida) e mais um ano garantido (para eles, os dirigentes). Folha salarial praticamente zero para o clube, tendo em vista que quase todos os salários são pagos pelos pseudo-empresários de 25a. categoria. E os patrocinadores? Sim, temos na nossa camisa este ano patrocínios estampados de uma padaria, uma funerária e uma firma de dentaduras! Somos bi campeões insuperáveis em 2 títulos mundiais: 1) único clube do planeta que disputa uma competição para perder de propósito e 2) único clube do planeta em que os dirigentes se perpetuam no poder. Fora diretoria nefasta!

Comentar

Isso evita spams e mensagens automáticas.