SRZD



Dicá

Dicá

CARNAVAL. Ativista negro, embaixador e cidadão samba paulistano de 2004, é compositor, batuqueiro, passista e fundador da Velha Guarda da Rosas de Ouro de Vila Brasilândia, junto com a embaixatriz do samba Maria Helena. É pesquisador cultural e estudioso da cultura popular brasileira e afrodescendente.

* Os textos desta seção não representam necessariamente a opinião deste veículo e são de responsabilidade exclusiva de seu autor.



10/08/2015 11h30

'A Fábrica dos Sonhos'
Dicá

As escolas de samba em São Paulo somente começam a serem notadas pelos órgãos governamentais no mês de janeiro após o aniversário da cidade de São Paulo. A partir daí a festa momesca se transforma no principal evento da cidade gerando renda através do turismo interno, do comércio e do trabalho sazonal na confecção de alegorias e fantasias.

Lembro que no início do ano de 2004 houve algumas reuniões no Anhembi com pessoas ligadas à prefeitura de São Paulo no intuito de encontrar um lugar que pudesse ser construído uma espécie de "Cidade do Samba Paulista", como a construída no Rio de Janeiro, buscando melhorar dessa forma a logística, construção e paridade entre as escolas do Grupo Especial, entre outros avanços.

Hoje após onze anos quando vejo reportagens retratando esse mesmo problema nas escolas de samba fico pensando:

Entre tantos problemas, esse da construção das alegorias nas escolas de samba, ainda persiste. Muitas escolas do samba paulistano vêem nesse quesito um "calcanhar de Aquiles", sofrendo inúmeros problemas como:

Logística, espaço para guardar seus carros após o Carnaval, locais de trabalho insalubres, pequenos, descobertos...Justificando quase sempre a perda de pontos em seus desfiles nesse quesito.

Obras da Fábrica dos Sonhos em 2015. Foto: Divulgação

A "Fabrica dos Sonhos" foi promessa de campanha feita a todos os sambistas, na época, pelo governo Kassab. Não li em noticiários nem me falaram, vi o então candidato e depois prefeito falando em diversos lugares, inclusive, ele me pareceu o candidato preferido das escolas de samba paulistanas, tamanho foi o entusiasmo e a inclinação de todos durante sua campanha política na época. Falou do terreno que já estava definido e um monte de providências a respeito. E é bom lembrar que não foi um privilégio somente dele não, tivemos Marta, Serra, Haddad e nada... 

O interessante é que muitas escolas o apoiaram para prefeito de São Paulo, em detrimento a candidata do governo federal Marta Suplicy, de quem também ouvi a mesma promessa, mas que não se elegeu...E isso é outra história.

Temos três esferas governamentais; a municipal, estadual e federal, lembro-me que a candidata do governo federal disse na Liga, "As escolas de samba deveriam criar mecanismos capazes de obter recursos das três esferas e não somente da esfera municipal". É preciso saber pedir! Copiamos tantas coisas do Rio, porque não copiar as coisas boas como essa captação de recursos de forma mais ampla? Nas coirmãs cariocas é possível entrar em suas quadras de samba e ver anúncio de apoios empresariais, inclusive das três esferas governamentais e ainda da iniciativa privada e até de órgãos internacionais.

Culturalmente as escolas de samba tem legitimidade para isso, pois deveriam funcionar como uma entidade cultural e social de fato, um pólo de múltiplas ações indo muito além da expectativa de um desfile de Carnaval.

Algumas das grandes escolas do samba paulistano vivem com seus barracões, quando não a própria escola, debaixo de pontes e em situações de risco. Entra ano, sai ano, é sempre a mesma história...O barracão da escola "X" está imerso, pegou fogo, a quadra esta lacrada, terá que mudar...

Além da pressão do governo para pagamento de impostos ou multas de toda sorte. Qualquer um que se propor a mergulhar na história das escolas de samba paulistanas saberá que infelizmente essa nobre arte constantemente come nas mãos dos políticos. Muitos deles vêem as escolas como moeda de troca, elemento de favores, pontos de concentração de votos fáceis, currais políticos.

Não foram poucas vezes que ouvi da boca dos prefeitos Kassab e Haddad essa história de "Fábrica do Sonho"...Era um discurso pronto. Esse bordão era repetido sempre que os encontros eram com sambistas e como sambista, a gente sempre espera o melhor para o samba de São Paulo, mesmo sabendo que é uma promessa política.

Bem, o ano que vem será mais um ano político. A partir do final desse ano de 2015 se preparem novamente; a "Fabrica dos Sonhos" virá a tona e será a bola da vez!

Vamos aguardar...

Já curtiu a página do SRZD-Carnaval no Facebook?


Comentários
  • Avatar
    28/01/2016 00:07:44Alberto OliveiraAnônimo

    É uma vergonha desses prefeitos que atè agora Não conclui a Fabbrica de Sonhos!! As escolas Tem que fazer da tripa coracao para consegir fazer seus carros alegoricos,entra prefeito ve sai prefeito e nada de ficar pronta! Sò bla-bla-bla

  • Avatar
    11/08/2015 08:08:33RafaAnônimo

    kkkkkkkkkk Boaaaa... falou Tudo caro amigo, e já tem candidato vestindo camiseta de escola nas redes sociais, é bem por ai que funciona as coisas.

Comentar

Isso evita spams e mensagens automáticas.