SRZD



Chico Junior

Chico Junior

DE TUDO UM POUCO: UM BLOG ECLÉTICO. Jornalista e escritor. Trabalhou nos principais veículos de comunicação do estado do Rio e é autor de cinco livros: "Histórias de Sexo, Amor e Porrada" (contos, Ed. Codecri, 1979), "Drogas" (Coleção "Certos Costumes", Ed. Codecri, 1983), "Brincando nas estrelas" (infantil, Ed. Memórias Futuras, 1984), "Roteiros do Sabor Brasileiro" (gastronomia, CJD/Sebrae, 2005) e "Roteiros do Sabor do Estado do Rio de Janeiro" (gastronomia, Ed. Senac Rio, 2007).

* Os textos desta seção não representam necessariamente a opinião deste veículo e são de responsabilidade exclusiva de seu autor.



05/09/2015 19h21

Queremos sexo!
Chico Junior

Neste domingo, 6 de setembro, 6/9 (lembra alguma coisa?), comemora-se o Dia do Sexo, data criada pela Olla, empresa fabricante de preservativos, há alguns anos. E parece que pegou; se não pegou, tá pegando. A propósito, pegando quem?

Então, vamos lá.

Enquanto tivermos vida pulsante, disposição, vontade, desejo, o que nós queremos mesmo é sexo. Paz, amor, paixão, dinheiro, vida saudável, boa comida e... sexo. No fundo, no fundo, vamos para um lado, vamos para outro, damos meia volta, mas o que a gente quer mesmo é sexo. É o que move a nossa vida, pelo menos durante uns bons e longos anos.

Há os que não gostam muito de sexo, é verdade, mas, felizmente, estes são minoria. A maioria quer mesmo ter prazer, e muitas vezes o prazer passa pelo sexo. Um momento único. Dizem que o prazer de uma boa comida é maior do que o prazer sexual, mas eu acho que se comparam. E olha que a comida é um dos meus grandes prazeres.

Foto: Reprodução de Internet

Sexo vem bem, sempre. O sexo de momento, o sexo furtivo, o sexo casual, vêm bem sempre. Por puro prazer.

Mas... o melhor mesmo é o que eu chamo de "construção do sexo", considerando que um ato sexual é sempre o desenvolvimento do anterior. Pra bom ou pra ruim. Para que o ato sexual se torne cada vez mais gostoso é preciso que haja uma aproximação constante com o parceiro, é preciso que se vá perdendo, gradativamente, os pudores, as vergonhas, os medos. Só dessa maneira, e com algum tempo de prática, é que se chega à relação sexual plena.

Sexo é crescimento, desenvolvimento. É liberação e libertação do corpo. É poder suportar todas as carícias, todos os beijos. É ter tempo e disposição para descobrir todos os caminhos da pele, dos poros, dos meridianos, tempo para percorrer centímetro por centímetro o corpo do parceiro, tempo para conhecer a sola do pé, os dedos, a língua, o céu da boca.

Tempo para sentir o cheiro do outro, seu jeito de gemer, seu sorriso, sua maneira de ter prazer, seus desejos. O prazer do sexo é um trabalho que deve ser desenvolvido por dois, abertos, dispostos a se descobrirem, dispostos a serem felizes. E isso pode demorar um tempo, mas que seja o tempo em que existir o prazer de se estar junto, o tempo das descobertas, em que a intensidade do encontro dos dois corpos seja absoluta. Sexo é intensidade, energia.

No mais registre-se que, dentre outras coisas, a ciência concluiu que o ato sexual pode trazer inúmeros benefícios para a saúde. O sexo melhora a aparência da pele, diminui o risco de infarto, fortalece a musculatura, queima calorias, entre outras vantagens.  

E, é claro, traz felicidade.

Curta a página do SRZD no Facebook:


Veja mais sobre:Sexo

Comentários
Comentar

Isso evita spams e mensagens automáticas.